:: Área de Mudanças :: Centro de Melhorias :: Treinamentos de Fillers
Alvorecer
Arco 04
Ano 17 DG
Verão
A queda do pastor cobrou um preço altíssimo do mundo ninja: o golpe final trouxe ao mundo um tempo de dor e sofrimento; fome e pobreza retornaram às ruas, a violência triplicou, os antigos heróis caíram ou ficaram desacreditados. Mas, um pouco perto do amanhecer, a Hydra, que até então se mantivera em silêncio, mostrou-se das sombras, trazendo oportunidades de emprego e uma esperança para salvar o mundo dessa mais nova calamidade. Líderes ninja não tiveram escolha senão se arriscarem em tratados suspeitos para conseguir manter firmes seus lares e seus soldados. No entanto, os reais planos da Hydra ainda continuam sendo um grande mistério.
... clique aqui para saber mais informações
Shion
Fundador do RPG Akatsuki, Shion é responsável por manter o bom funcionamento de todas as áreas do fórum há mais de 10 anos. Completamente apaixonado por RPG e escrever, hoje é o principal responsável pelo desenvolvimento de toda a trama desse universo baseado na arte de Kishimoto.
Shion#7417
Angell
Angell é jogadora de RPG narrativo desde 2011. Conheceu e se juntou à comunidade do Akatsuki em fevereiro de 2019, e se tornou parte da administração em outubro do mesmo ano. Hoje, é responsável por desenvolver, balancear, adequar e revisar as regras do sistema, equilibrando-as entre a série e o fórum, além de auxiliar na manutenção das demais áreas deste. Fora do Akatsuki, apaixonada por leitura e escrita, apesar de amante da música, é bacharela e licenciada em Letras.
Angell#3815
Indra
Oblivion é jogador do NRPGA desde 2019, mas é jogador de RPG a mais de dez anos. Começou como narrador em 2019, passando um período fora e voltando em 2020, onde subiu para Moderador, cargo que permaneceu por mais de um ano, ficando responsável principalmente pela Modificação de Inventários, até se tornar Administrador. Fora do RPG, gosta de futebol, escrever histórias e atualmente busca terminar sua faculdade de Contabilidade.
Indra#6662
Biskath
BisKath é jogador do NRPGA desde julho de 2020, tendo encontrado o RPG por meio de pesquisas e começado a jogar nele, sem pausas desde então. É jogador de RPG desde 2013, mas o Akatsuki foi o primeiro de Naruto em que se aventurou. Apenas começou como moderador em abril de 2022, se dedicando as funções da moderação até se tornar administrador em julho do mesmo ano, auxiliando também na avaliação da área de criações. Fora do fórum cursa desenho, pois tem interesse em artes de forma geral..
BisKath#0666
XXXXX
XXXXX
Discord#1234

[Filler de Timeskip] Ensinamentos Post-mortem 73318106e2edc17140311913c4ae2bdb

Akihito
Tokubetsu Jonin
Akihito
Vilarejo Atual
[Filler de Timeskip] Ensinamentos Post-mortem 73318106e2edc17140311913c4ae2bdb

[Filler de Timeskip] Ensinamentos Post-mortem - Publicado Qua 20 Jan 2021 - 23:13

[Filler de Timeskip] 2 Meses

Ensinamentos Post-Mortem

O trajeto de volta para Konohagakure parecia ser o maior pelo qual já havia passado, não que o caminho tivesse magicamente se estendido desde minha última passagem, mas porque cada segundo da viagem parecia uma martírio. As tristes lembranças e o silêncio mórbido de todo o percurso encarregavam-se de pesar ainda mais o clima, mas como poderia ser diferente? Afinal, um dos nossos havia caído em combate. Quando pus meus pés fora dos limites da Folha, me deixei levar pela imaginação e empolgação de tudo que poderia conhecer e desvendar no tal desconhecido continente de Nazjatar, e de fato aprendi e descobri coisas inimagináveis, que certamente estavam além do repertório de qualquer chūnin. Em diversos momentos da reunião — e dos demais eventos que decorreram desta —, me senti como um peixe de aquário lançado ao oceano, era como se um novo e imenso mundo tivesse se revelado perante meus olhos, um mundo de criaturas e "deuses" que eu pensava existir apenas nos meus livros de ficção favoritos. Provavelmente a reação mais esperada de um jovem ainda inexperiente no Mundo Ninja fosse a de desolação ao dar-se conta de sua pequinês diante de tudo que descobrira; ou então de entrar em pânico ao se deparar com todo aquele mar de novidades e possibilidades, mas não foi isso que senti; pelo contrário, a minha vontade era de beber de toda aquela água, saciar minha sede pelo desconhecido! Porém... a qual custo? Se eu soubesse o quão caro isto seria, provavelmente teria escolhido permanecer ignorante em Konoha.

Eu não conhecia o Guardião Hattori de forma pessoal, apenas pelas sua fama decorrente de seus feitos e família — sendo este último o que mais parecia pesar em sua reputação —, mas isto bastava para tê-lo como um ícone, um símbolo, um patamar a ser alcançado. Ao ser escalado para uma missão de escolta de tão alto nível e importância ao lado de Ayako-san, fiquei lisonjeado. Aquela poderia ser a minha oportunidade de conhecê-lo melhor, absorver um pouco de sua experiência, mas só de pensar que minhas últimas palavras para ele foram um ato de insubordinação, me batia um forte pesar e arrependimento.

Durante toda a viagem, Kaden-sama demonstrou-se... estranho? Eu não conseguia distinguir, eu nunca conseguia! Porque era tão difícil pra mim entender o que os outros estavam sentindo? Até alguns dos mais simplórios animais selvagens conseguem discernir o que os demais de seu bando estão sentindo, então porque eu em toda minha vida não consegui desenvolver tal capacidade? No entanto... por partilhar do mesmo luto que Kaden-sama, ao olhar uma vez mais para ele, pude sentir e compreender seu sentimento; sua dor. Esta dor refletiu nos dias seguintes em Konoha, com o decreto do luto oficial em homenagem ao Hattori. Quando soube, através do pronunciamento do Hokage, que Ayako-san seria velado em Uzushiogakure, implorei para que pudesse ir junto. Parecia um pedido ousado, mas imaginei que não me seria negado.

Ao chegar lá, vi que muitos estavam presentes, inclusive os Hattoris, como esperado. Alguns rostos já eram bem conhecidos e outros nem tanto. Me mantive próximo de Kaden-sama a todo tempo, em silêncio. Pouco antes do barco no qual o corpo do Guardião residia ser levado pelas águas do Redemoinho, me aproximei para prestar as condolências finais. Em minhas mãos carregava uma única flor, cuja cor das pétalas — um tom azul esbranquiçado — faziam parecer que a mesma era feita de gelo. Pus a flor sobre o véu que cobria o corpo de Ayako-san e baixei minha cabeça por alguns segundos, em forma de prece. Embora a tristeza fosse nítida em meu olhar, em momento algum fiz menção de derramar lágrimas ou ter alguma reação parecida; ainda assim, quando abaixei minha cabeça lágrimas carmesins escorreram de forma espontânea até meu queixo e gotejaram sobre aquelas pétalas, tingindo-as de um vermelho vivo. Enxuguei minhas lágrimas e me virei para retornar ao porto, e quando o fiz, pude ver nitidamente diversas expressões faciais, cada uma transmitindo diversos sentimentos. Uns transpareciam uma simples tristeza, quase que apenas como forma de respeito, outros exalavam uma sincera dor. Olhando para Kaden-sama pude perceber... — Isso é... culpa?! — cogitei. As reações e expressões eram mistas e variadas, mas tendo uma visão panorâmica de todas, finalmente pude compreender que para entender era necessário primeiro sentir!

A capacidade de sentir e compartilhar as emoções de outras pessoas — Então é isso que chamam de "empatia"?
O nome ou descrição do que cada um estava sentindo não importava, tampouco importava a forma como expressavam isto, pois no fim tudo se resumia a um sentimento unânime: luto! E justamente por partilhar deste mesmo sentimento que eu conseguia compreendê-los. Em toda minha vida, eu tentei entender de forma metódica — para não dizer matemática — a forma como as demais pessoas se expressavam, decorando inclusive padrões de interação com o próximo, que diga-se de passagem, nunca foram realmente eficazes. Em algum momento devo ter esquecido — ou sequer fui ensinado — que as emoções humanas não são sempre ciências exatas, mas... bem... são humanas! Ao pôr-me no lugar dos demais e tentar compreender suas emoções, eu poderia enfim entender suas dores e alegrias. Infelizmente foi preciso que alguém importante partisse para que eu finalmente pudesse entender...

Acompanhei a cerimônia até o fim, e quando todos começaram a partir, fiz o mesmo.

Já em Konoha, passei alguns dias com a lembrança do velório reverberando em minha mente, mas em dado momento percebi que isto era inútil e inapropriado. Inútil, pois não traria Ayako de volta e não mudaria o passado; Inapropriado, pois esta definitivamente não era uma boa maneira de honrar sua memória e seu legado. Estava na hora de seguir em frente e superar aquele sentimento, usando aquilo que Ayako, o Guardião Hattori, mesmo após sua morte, involuntariamente me ensinara!




1072/1000 palavras

2000/2000 HP  || 2350/2350 Chakra || 000/400 CN || 00/04Stamina
Considerações:
Informações:
Template by @wyalves
-x-

Bahko
Chūnin
Bahko
Vilarejo Atual
-x-

Re: [Filler de Timeskip] Ensinamentos Post-mortem - Publicado Qui 21 Jan 2021 - 0:19

Ok

_______________________

[Filler de Timeskip] Ensinamentos Post-mortem Dcaa73310219fb06ecbf84af7785edc2e56f56af49f5b80f1431685fc6c8a7d8_1