:: Mundo Ninja :: Mapa Mundi :: Sunagakure no Sato :: Arredores
12 Anos Online
A Noite Mais Escura
Arco 03
Ano 14 DG
Outono
Diante da queda de Moira O'Deorain e a morte de Chisaki Overhaul, todos os olhos dos ninjas presentes em Kiri se voltaram para o Capuz Vermelho, que se revelou uma cópia exata do lendário Sarutobi Shion. Graças a Hyuuga Angell, o mercenário foi capturado, levando a prisão junto com Moira. Tudo aquilo favoreceu um entendimento entre as vilas que lutaram entre si em Oto, fazendo com que eles voltassem a neutralidade. Enquanto Iwa e Suna elegem novos Kages, em Konoha, Sarutobi Kaden se prepara para passar o seu cargo para um ninja mais jovem, ao mesmo tempo em que um novo Senhor Feudal assume em Kumo e o Daimyou de Kiri tenta impedir os ataques dos opositores de Jyu. Com a revelação de Chisaki Overhaul sobre a HYDRA, as ações da empresa acabam sofrendo uma grande queda, gerando indícios de uma enorme crise nas grandes nações. Diante do caos, diversos vilarejos pequenos são varridos do mapa quando uma onda de assassinatos em massa se inicia, ao mesmo tempo em que um grupo de fieis ao Jashinismo começa a se erguer, trazendo uma mensagem de esperança para os corações afligidos pelo sofrimento.
... clique aqui para saber mais informações
Shion
Fundador do RPG Akatsuki, Shion é responsável por manter o bom funcionamento de todas as áreas do fórum há mais de 10 anos. Completamente apaixonado por RPG e escrever, hoje é o principal responsável pelo desenvolvimento de toda a trama desse universo baseado na arte de Kishimoto.
Shion#7417
Angell
Angell é jogadora de RPG narrativo desde 2011. Conheceu e se juntou à comunidade do Akatsuki em fevereiro de 2019, e se tornou parte da administração em outubro do mesmo ano. Hoje, é responsável por desenvolver, balancear, adequar e revisar as regras do sistema, equilibrando-as entre a série e o fórum, além de auxiliar na manutenção das demais áreas deste. Fora do Akatsuki, apaixonada por leitura e escrita, apesar de amante da música, é bacharela e licenciada em Letras.
Angell#3815
Oblivion
Oblivion é jogador do NRPGA desde 2019, mas é jogador de RPG a mais de dez anos. Começou como narrador em 2019, passando um período fora e voltando em 2020, onde subiu para Moderador, cargo que permaneceu por mais de um ano, ficando responsável principalmente pela Modificação de Inventários, até se tornar Administrador. Fora do RPG, gosta de futebol, escrever histórias e atualmente busca terminar sua faculdade de Contabilidade.
Indra#6662
XXXXX
Futuramente teremos.
Discord#1234
XXXXX
XXXXX
Discord#1234

[Cena] Aliados em Apuros W1d991V

LastJoke
Tokubetsu Jonin
LastJoke
Vilarejo Atual
[Cena] Aliados em Apuros W1d991V

[Cena] Aliados em Apuros - Publicado Sab 13 Jun - 19:06

Missão em Equipe


Areia, montes e montes de areia. Mas isso não era novidade nenhuma para os habitantes de suna. Na verdade, aos olhos deles, a areia não era algo maligno ou inútil. Não, nada disso. Na verdade, se perguntar a um morador de Sunagakure o que ele acha da areia, ficaria surpreso com as respostas que ouviria. E naquela tarde ensolarada, de clima agradável para qualquer um nascido e criado na vila, os três jovens genin se dirigiram para o prédio do Kage, a fim de receber uma missão.

E tão logo chegaram ao local, o rapaz que os recebeu, um jovem poucos anos mais velho que Takeshi ou Ayamu se dirigiu a eles com uma expressão plácida do mais puro tédio, como se odiasse seu trabalho, ou estivesse sendo obrigado a cumpri-lo, e preferisse mil vezes estar em uma missão mais emocionante, talvez até arriscando sua vida.

-- Boa tarde. Estão juntos? - Após a confirmação, iria acenar em concordância e mexeria um pouco nas prateleiras atrás de si, até encontrar o que procurava. Então, com o mesmo desinteresse apático que o tornava tão inegavelmente irritante, o atendente entregou o pergaminho para quem desejasse pegá-lo primeiro e voltaria a repousar o queixo sobre a palma da mão, quase cochilando de tanto tédio.

Quando abrissem o pergaminho os genins veriam a seguinte missão:

Missão Rank C escreveu:Proteção aos Indefesos
Descrição: O País do Arroz está a passar por dificuldades devido a ataques de bandidos, alguns deles usam técnicas ninja. Vá e elimina a ameaça.

Ao que parecia, a missão já havia começado.




—X—




OFF: Narrem o que decidiram fazer.

Considerações:
1. Dúvidas? Críticas? Reclamações? Só chamar no Discord ou mandar MP.
2. Não irei tentar estender a trama além do necessário, mas o sucesso e a conclusão dependem de vocês.
3. Posto todos os dias à tarde ou durante a madrugada.


1
Doces ou Travessuras?

_______________________

[Cena] Aliados em Apuros 9zSthXZ

Makkokun
Chūnin
Makkokun
Vilarejo Atual
[Cena] Aliados em Apuros 9zSthXZ

Re: [Cena] Aliados em Apuros - Publicado Sab 13 Jun - 23:48

O jovem genin agora se encontrava indo em direção ao principal prédio da vila, onde residia seu líder, não sabia direito o que esperar, somente que finalmente teria algo mais interessante para fazer. Logo quando acordara hoje, Tatsumi recebeu uma mensagem, teria de ir ao prédio do Kazekage naquela tarde para receber uma missão que faria em equipe junto com outras duas kunoichis, o nome delas continha na mensagem, entretanto pelo que podia ver não conhecia nenhuma, pelo menos não de nome, mas duvidava que conheceria pela aparência também, mesmo se tivessem feito academia juntos, na época não prestava muita atenção em seus companheiros de classe, só quando necessário.

No fundo, Tatsumi estava extremamente incomodado de ter que fazer uma missão com desconhecidos, até porque já era difícil confiar em pessoas conhecidas para ele, e mesmo estando ansioso pela missão em si, não estava nem um pouco em conhecer as pessoas que estavam envolvidas nela, e ainda mais de confiar nelas para trabalharem juntos, o que seria o grande problema para ele, mas seu tempo para avaliar sua situação havia acabado, pois finalmente chegou no prédio do Kazekage.

Observava o prédio em que estava à frente, era muito movimentado, talvez o mais movimentado de toda a vila, entretanto o movimento não era de fato o que lhe importava, por isso deixou de lado tais pensamentos e adentrou o recinto. Logo após entrar, percebeu a chegada de uma garota de cabelos negros um pouco mais baixa que si, e também de uma... criança? Não sabia direito se era uma criança ou alguém com nanismo, entretanto era uma aparência incomum, no mínimo chamativa pensou.

Não tinha certeza, mas algo lhe dizia que aquelas duas seriam suas companheiras naquela missão, podia chamar de intuição, mas elas estarem olhando ao redor procurando alguém parecia muito com o que ele estava fazendo, por isso assumiu que sua suposição estava certa, tomou coragem e se dirigiu as duas garotas:

- Por acaso vocês duas são Aelin e Ayumu? Se forem, então acho que iremos receber uma missão juntos aqui, pelo menos era o que dizia na mensagem. – Disse encarando as garotas, enquanto fazia seu corriqueiro gesto de coçar o pescoço com uma das mãos.

No momento seguinte de conversar com ambas, Tatsumi viu um homem não muito mais velho que si se aproximar e perguntar se estavam juntos, logo em seguida passando a mexer em algumas prateleiras que estavam atrás dele, até tirar um pergaminho e estendê-lo na direção dos genin, Tatsumi não podia deixar de notar o desinteresse e a vontade quase palpável que aquele homem tinha de não estar ali, entretanto isso não era de seu interesse e simplesmente pegou o pergaminho e o abriu.

Após ler o conteúdo que continha na mensagem, esticou o braço em direção as garotas, para que uma delas o pegasse e também pudesse ler. No papel continha a informação da missão que fariam, teriam que viajar ao País do Arroz para enfrentar alguns bandidos, entretanto ali também dizia que alguns deles sabiam usar técnicas ninjas, isso não cheirou bem para Tatsumi, normalmente bandidos não sabiam utilizar tais técnicas, contudo agora não podia reclamar do nível da missão, pois realmente seria algo muito mais interessante do que andava fazendo no seu dia a dia em Suna.

Tatsumi esperaria ambas as garotas lerem, para enfim se pronunciar, perguntando ao homem que o entregou o pergaminho:

- Ei você, em que direção fica o País do Arroz? Eu não sei elas, mas eu nunca saí do País do Vento, entretanto pelo que vi não podemos demorar muito aqui, o quanto antes chegarmos lá melhor. – Disse encarando o homem e antes que recebesse uma resposta, continuou – Ah, se você tiver um mapa também seria de grande ajuda. – Falou, agora sim esperando uma resposta.

Após receber as direções do homem, e talvez o mapa também, Tatsumi esperaria para ver o que as kunoichis decidiriam, para que assim pudessem partir o quanto antes em direção ao País do Arroz, não as conhecia e também não gostava da ideia de trabalhar junto, mas se foram designados juntos nesta missão, então por ora, teria de colaborar e também escutar a opinião de suas companheiras, mesmo que ainda não confiasse nelas.

Tatsumi Takeshi; HP 225/225; CH 475/475; ST 00/03;
[Cena] Aliados em Apuros URkFDZ9

Lollipoppy
Chūnin
Lollipoppy
Vilarejo Atual
[Cena] Aliados em Apuros URkFDZ9

Re: [Cena] Aliados em Apuros - Publicado Dom 14 Jun - 15:27

Até que poderia ser lento, mas passo a passo a pequenina Ayumu se dirigia até o tão conhecido prédio do Kazekage, mas afinal, porque ela iria para o prédio do Kazekage? Uma missão, mas uma missão de nível mais elevado, não era o que informava, mas era o que a genin pensava a respeito, a única coisa que ela sabia de fato, era que ela teria de estar naquela tarde naquele prédio, com local e data marcados, ela apenas se deslocava refletindo. Ela refletia, e olhava para o seu tão querido martelo, olhava profundamente a ponto que começava a descer uma lágrima, quanto mais olhava para o martelo, mais profundamente o martelo olhava de volta.

Seu corpo estava sim se dirigindo até o prédio, mas sua mente agora estava em um tempo passado que era uma situação bastante diferente da atual. Estava se relembrando de quando ela teve a proposta de andar pelo país com seu mentor, tentando buscar um propósito.

“— Algumas vezes não temos todas as informações, mas mesmo assim temos que tomar uma decisão. — O homem dizia olhando para o horizonte. — Algumas vezes temos que apenas seguir em frente, dar a cara a bater e ver o que as coisas realmente são, mas isso depende apenas de você.

— E se no fim, eu descobrir que o que estou procurando é algo que me deixe triste? Realmente vale a pena ver o que as coisas realmente são? — A menina perguntou.

— Ayumu shōjo, no fim, você descobre que a vida é doce...”


Porque ela chorava? Porque aquela situação lembrava o mentor? Eram tantas perguntas, mas cogitava que talvez fosse porque andar a um rumo desconhecido lembrou daquele convite com detalhes vazios. A menininha não se tocou quantos minutos passou parada, mas percebeu que estava indo até o prédio do Kazekage, estava indo em missão, ela esboçou em vão um sorriso, mas apenas ficou com uma expressão de tristeza.

— A vida é doce... — Ela dizia.

Ayumu entrou no prédio, andou até que alguém falou seu nome, ela virou os olhos a fim de ver quem estava falando, era um menino que tinha os olhos estranhos e vestia preto, do lado dele tinha uma outra menina, e um homem um pouco mais velho. Ela olhou para o menino de preto e fixou seus olhos nos olhos dele.

“Esse daí deve ser trevoso demais, mas esses olhos... Ele deve ser 99% trevoso, mas tem aquele 1% colorido.” — Tendo sua primeira impressão, ela até que sorriu um pouco, sua tristeza agora tinha ido, agora estava normal.

— Oshiro Ayumu se apresentando! — Ela falava alto. — Um prazer conhecer uma pessoa tão trevosa quanto você, espero que a gente faça uns rituais qualquer dia! — Não era que ela estava louca para fazer rituais com ele, mas seria bom manter amizade, até porque se ele ficasse com raiva, talvez ele faria uma macumba contra a pobre Ayumu.

Ela se apresentou, e o homem mais velho falou, deveria ser o chefe e ela não sabia o nome, ele parecia com tédio, mesmo assim ele era o chefe.

— Boa tarde chefe que eu não sei o nome-sama, estamos juntos!

Ela o viu pegando um pergaminho, o trevoso pegou e leu. Ayumu pegou para ler em seguida, era uma missão de proteger pessoas e em outro país. Pela expressão do chefe, parecia ser uma missão sem graça, mas para a menina, isso era muito mais legal do que limpar uma biblioteca vestida de empregada na frente de um lolicon. O trevoso fez as perguntas básicas e pediu um mapa. Ela não fez nenhuma pergunta, achou que as informações ou suas dúvidas poderiam serem respondidas em um momento mais futuro.

— Acho que o País do Arroz fica entre o País do Feijão e o País do Macarrão. — Ela falou uma piada, mas o tom foi tão sério, que não parecia que ela estava contando uma piada. — Bora pro pau! — falou empolgada.

Estava esperando pelos outros, assim que fossem, ela seguiria, não conhecia a fundo eles, mas eles eram atualmente um time, então iria junto.

Oshiro Ayumu~ HP 250/250 | CH 250/250 | ST 00/04
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [Cena] Aliados em Apuros - Publicado Dom 14 Jun - 20:01

O clima em Sunagakure estava ótimo naquela tarde, para Aelin ainda mais. Recebera um comunicado para se direcionar ao prédio do Kazekage para o que, provavelmente, seria uma missão um pouco diferente do que estava acostumada. Sem mais crianças, sem mais muros e pinceis, ou seja lá o que mais. Aliás, talvez pudesse colocar em prática as coisas novas que treinara. Não podia estar mais animada. Apenas o fato de ter que trabalhar com outras pessoas não a agradara muito, teria que ter contato com eles, isso a deixava um pouco assustada.

Ao chegar ao local, pode notar um movimento muito maior do que nos outros estabelecimentos da vila. Entre todo esse vai e vem de pessoas, percebeu dois jovens ninjas agindo como ela, pareciam estar um pouco perdidos em meio aquela multidão. Aproximando-se, o garoto, não muito mais alto que ela e coçando o pescoço de forma estranha tomou a palavra e se direcionou a ela e a outra garota, que aliás, aparentava ser uma criança. Esta, por sinal, toda espalhafatosa, respondeu ao garoto. Aliás, dando bastante atenção as características dele. “To perdida” – Pensou, Aelin.

- O-olá, sou Aelin. – Respondeu, logo em seguida.

Não demorou muito para um homem, não muito mais velho que eles, se aproximar perguntando se os três estavam juntos e começar a procurar por algo na prateleira e pegar um pergaminho o entregando aos genins. “Que animador!” – Falou baixinho, para que apenas ela ouvisse, ao notar as atitudes do atendente. Takeshi foi o primeiro a abri-lo e ler, seguido por Ayumu e enfim, timidamente, Aelin pegou da mão da jovem garota e leu.

Uma missão fora do país. Teria que caçar alguns bandidos. "Pais do Arroz? Me lembro vagamente de ter lido sobre em algum livro. Mas não sei se tinha informações úteis.". Rapidamente, o garoto de cabelo escuro tomou novamente a palavra, perguntando por algumas informações que lhes seriam importantes, seguido por uma piada da outra jovem. Aelin apenas observara aquilo, esperando por mais instruções do atendente ou que ele lhes entregasse o mapa que fora pedido.

__________
Aelin Galathynius: HP 225/225; CH 225/225; ST 00/03
[Cena] Aliados em Apuros W1d991V

LastJoke
Tokubetsu Jonin
LastJoke
Vilarejo Atual
[Cena] Aliados em Apuros W1d991V

Re: [Cena] Aliados em Apuros - Publicado Seg 15 Jun - 0:11

Estudos e Atitudes


Apesar das diferentes personalidades, pontos de vista e problemas pessoais que cada um dos membros daquela singular equipe possuíam, os três decidiram, por si mesmos e de forma bastante madura, diga-se de passagem, deixar tudo isso de lado e unir forças em prol de um objetivo comum. Ao ouvir a pergunta do jovem Takeshi, porém, o atendente, mesmo sendo alguns poucos anos mais velho que o genin, demonstrou uma atitude nada madura: ele bufou revirou os olhos e respondeu, com uma vozinha sínica e uma expressão cordial falsa:

-- Ah, miiiil perdões, vossa excelência. Mas os mapas ficam na biblioteca da vila, o que você saberia se algum dia tivesse entrado lá. - Concluiu em tom mordaz e com os olhos lançando adagas contra os três genins. E foi nesse momento que uma voz veio dos fundos, uma voz feminina:

-- HECTOR!

O atendente se encolheu ao ouvir seu nome através da madeira da porta e ficou vermelho feito um tomate. Então, como se fosse uma criança pega no flagra, o jovem atendente soltou um suspiro zangado e voltou a fuçar nas prateleiras, de onde tirou um pergaminho, o mapa, e entregou para Takeshi, a contra gosto.

No mapa estava marcado as vilas vizinhas de Suna, e o lugar que os jovens procuravam também estava demarcado ali, seguindo pela estrada por dez quilômetros, saindo pelo portão leste da vila. Enquanto os genins se decidiam pelo que fazer, a mulher, dona da voz, surgiu e começou a falar baixinho com o atendente, que apenas acenava em concordância com os ombros abaixados em plena derrota.




—X—




OFF: Narrem o que decidiram fazer.

Considerações:
1. Dúvidas? Críticas? Reclamações? Só chamar no Discord ou mandar MP.
2. Não irei tentar estender a trama além do necessário, mas o sucesso e a conclusão dependem de vocês.
3. Posto todos os dias à tarde ou durante a madrugada.


2
Doces ou Travessuras?

_______________________

[Cena] Aliados em Apuros 9zSthXZ

Makkokun
Chūnin
Makkokun
Vilarejo Atual
[Cena] Aliados em Apuros 9zSthXZ

Re: [Cena] Aliados em Apuros - Publicado Seg 15 Jun - 5:04

Observava agora o ninja mal humorado receber uma bela bronca de uma mulher, não sabia quem aquela pessoa era, mas assumia que deveria ser a superiora do homem chamado Hector, agradeceu mentalmente por ela ter aparecido, pois se aquela mulher não tivesse chamado a atenção daquele maldito e o feito se comportar melhor, com toda certeza agora Tatsumi já teria começado uma briga dentro do prédio do Kazekage, muito provavelmente seria preso e talvez até mesmo perdesse sua bandana ninja, mas certamente valeria a pena simplesmente por poder socar o peso morto que estava ali como funcionário. “Tch, pelo menos ele me entregou essa merda de mapa, se não quer trabalhar aqui pede as contas maldito. ” — Pensou enquanto abria o pergaminho do mapa.

Observando o pergaminho que lhe foi entregue, pode descobrir vários locais que estavam ao redor do País do Vento, e principalmente pode verificar onde ficava o seu destino, falando para as kunoichis que o acompanhariam enquanto utilizava o dedo para apontar o lugar no mapa:

— Pelo que pude ver aqui, teremos que seguir pela estrada saindo do portão leste da vila, será uma corrida de cerca de dez quilômetros até o País do Arroz, se não tiverem mais nada para fazer, acho que já podemos começar logo a viagem, antes que eu comece a socar a cara de um certo alguém que está trabalhando com uma má vontade gigantesca. – Falou esta última parte um pouco mais alto, querendo que o ninja que estava recebendo uma bronca o escutasse.

Após terminar de mostrar o mapa para as garotas, o guardou em suas coisas, não queria que ficasse com aquelas duas, não sabia o que aconteceria daqui para frente, e como não confiava em nenhuma delas, preferia que ficasse com ele mesmo, e logo em seguida saiu do prédio do Kazekage, esperando que as garotas o seguissem para partirem em direção ao portão leste de Sunagakure, e pegar a estrada que ia para o País do Arroz.

Não sabia o que viria pela frente, afinal nunca havia saído do País do Vento antes, mas viajar por todo o continente para realizar missões era algo comum par ninjas, portanto seria bom se acostumar logo, contudo algo o dizia que talvez essa missão não fosse ser tão normal quanto pensava, principalmente por no pergaminho dizer que alguns dos bandidos utilizavam técnicas ninjas, isso não era algo corriqueiro, por isso Tatsumi sabia que teria de ficar atento para que não fosse pego de surpresa.

Tatsumi Takeshi: HP 225/225; CH 475/475; ST 00/03;
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [Cena] Aliados em Apuros - Publicado Seg 15 Jun - 12:20

O tom de voz do atendente direcionado a Takeshi incomodou até a jovem garota. Se bem que ela sabia que ele não era tão diferente dela assim. Com o nariz um pouco inclinado para cima e um olhar apático, observava toda aquela cena. Ao ouvir a voz de uma mulher, ao fundo, gritando o que provavelmente era o nome daquele atendente e ver como ele se comportou perante aquilo, mudou brevemente a expressão no rosto de Aelin, que agora o encarava levemente e com um sorriso um tanto quanto irônico estampado no seu rosto. “Se ferrou, idiota!” – Pensava.

Ao receber o pergaminho com o mapa, Takeshi o mostrou para as garotas, apontando o local que deveriam ir. “Queria comprar mais comida, não sei se estou levando o suficiente. Se eu ficar com fome perto desse garoto, não vai dar bom... Deixa pra lá, vamos sair logo.” – Pensava, logo após ouvir a fala do jovem ninja, que se mostrara um pouco esquentadinho demais. Mas não descartava que seria interessante vê-lo batendo naquele atendente.

– Dez quilômetros, não deve demorar muito para chegarmos.
– Disse, enquanto se virava seguindo os passos de Takeshi. Este, aparentava ter um senso de liderança que chegava a incomodar um pouco Aelin, mas, por hora, preferiu ignorar aquilo. Finalmente deixaria a vila pela primeira vez, não tinha a menor ideia de como era o mundo lá fora. Será que as coisas eram como nos livros? Pensava, enquanto caminhava até a saída da vila. Só tinha certeza de uma coisa, teria que ficar atenta lá fora para não ser pega desprevenida.

– Se não quiserem morrer tão rápido, melhor prestarem atenção.
– Voltou-se a ficar calada.
__________
Aelin Galathynius: HP 225/225; CH 225/225; ST 00/03
Bolsa de Armas:
[Cena] Aliados em Apuros URkFDZ9

Lollipoppy
Chūnin
Lollipoppy
Vilarejo Atual
[Cena] Aliados em Apuros URkFDZ9

Re: [Cena] Aliados em Apuros - Publicado Seg 15 Jun - 15:19

Parecia que o ”chefe que Ayumu não sabe o nome-sama” além de não ter muito ânimo para fazer a missão, ele não tinha ido com a personalidade do trevoso, porém, os olhos farpantes não estavam apenas para o genin de gostos escuros, mas também iam direcionados a mais forte genin de 1,16 de altura que tem um martelo em Sunagakure no Sato, se bem que só tinha ela com esses requisitos.

Ela já estava enchendo as bochechas de ar, iria resmungar alguma coisa, até que uma voz feminina reclamou com o  ”chefe que Ayumu não sabe o nome-sama”, que agora tinha um nome, então ele evoluiu para “Hector-sama”. Hector-sama pegou um mapa, realmente a anã agora ficou um pouco surpresa, ela pensava que não precisava de algum mapa, mas tudo bem, todo auxílio era muito bem vindo.

Ela viu o trevoso comentando sobre sair logo antes que ocorresse alguma briga, o que ela acharia estranho alguém começar uma briga para ser solado, antes da missão começar, mas o que ela mais estava curiosa era com a mulher. Ela tinha chegado e estava falando algo para Hector-sama, só que, Ayumu imaginava que aquela mulher era forte e se o trevoso fizesse alguma confusão ali, a mulher bateria no trevoso, no farpante e nela também.

“Melhor eu ser simpática e dar no pé logo, essa mulher dever dar medo para todos, deve ser uma besta enjaulada com ódio...” — refletia enquanto olhava rapidamente o mapa que o genin mostrava. Era rápido, pois ela queria se afastar daquela mulher, a anã não sabia quando ocorreria uma confusão e não queria apanhar por causa de um mapa.

Ela percebeu que o trevoso era meio que um líder, ou um cara estrategista, que deveria ser assim, mas querer confusão logo de cara com o chefe, não era nada estratégico. A anã fazia o que achava sensato, sorriu para todos, e andou rápido para longe.

— Tudo bem, vamos ver o que vem por aí! — Ela esperava com cautela, queria ver o que ocorreria, sua intuição dizia que tinha algo acontecendo, só que ela não sabia o que.

Oshiro Ayumu~ HP 250/250 | CH 250/250 | ST 00/04
[Cena] Aliados em Apuros W1d991V

LastJoke
Tokubetsu Jonin
LastJoke
Vilarejo Atual
[Cena] Aliados em Apuros W1d991V

Re: [Cena] Aliados em Apuros - Publicado Seg 15 Jun - 23:38

Hora da Decisão


E, simples assim, a viagem teve início.

Os três jovens deixaram sua amada vila para trás e seguiram pela estrada, rumo ao desconhecido. Uma hora se passou e outra já estava findando quando chegaram às proximidades do local marcado no mapa, ao longe puderam ver uma densa nuvem negra de fumaça, algo intenso demais para ser proveniente de uma simples chaminé. E, como esperado, assim que venceram a última elevação e viram a pequena aldeia no vale logo abaixo, os três notaram que o local estava sob ataque de bandidos. Eram dez inimigos, no total, todos armados com kunais e shurikens.

O suposto líder se destacava por estar a cavalo, ao contrário dos outros nove subalternos que espalhavam o terror no coração dos habitantes da aldeia. O local era bastante simples, principalmente quando visto de cima, como a posição privilegiada em que os genins se encontravam. Três fileiras de casas, com quatro casas nas duas da esquerda para a direita e cinco casas na quinta, mais à direita. As cabanas eram feitas de madeira, com revestimento de barro e telhados simples de palha trançada. Os habitantes eram pessoas comuns, trabalhadores dos campos de arroz que existiam não muito distantes da aldeia.

A primeira fileira de casas da esquerda já estava em chamas, mesmo que apenas os telhados, mas não demoraria muito para o fogo se espalhar para as outras fileiras de casas.

Os bandidos, porém, eram homens fortes, sujos e repletos de cicatrizes e tatuagens. Eles atacavam os homens da aldeia que tentavam resistir em duplas ou até trios; de forma covarde e traiçoeira. As mulheres eles nocauteavam ou capturavam e traziam para o centro da aldeia, onde o líder aguardava confortavelmente sentado em sua cela. As crianças eram arrancadas de suas mães e jogadas dentro de uma prisão improvisada sobre uma carroça.

No momento que chegaram, os genins puderam ouvir a voz do líder dos bandidos, enquanto ele fazia um breve discurso para as pessoas da aldeia.

— LEMBREM-SE! Isso tudo é devido a suas próprias ações! Um de meus informantes me avisou que vocês contrataram ninjas de Sunagakure para vir lidar conosco. Então iremos destruir a vila, matar os homens, tomar as mulheres e as crianças e vender todos no mercado negro. – Ele cuspiu no chão ao final da frase. — E pensar que oferecemos nossa proteção por tanto tempo a um preço tão baixo.

Nesse momento todos os capangas começaram a gargalhar, e logo o líder também começou a rir descontroladamente da desgraça dos aldeões.

O líder e a carroça, estavam do lado direito, depois da primeira fileira de casas, e os outros nove espalhados na vila atacando os aldeões.




—X—




OFF: Narrem o que decidiram fazer.

Considerações:
1. Dúvidas? Críticas? Reclamações? Só chamar no Discord ou mandar MP.
2. Não irei tentar estender a trama além do necessário, mas o sucesso e a conclusão dependem de vocês.
3. Posto todos os dias à tarde ou durante a madrugada.


3
Doces ou Travessuras?

_______________________

[Cena] Aliados em Apuros 9zSthXZ

Makkokun
Chūnin
Makkokun
Vilarejo Atual
[Cena] Aliados em Apuros 9zSthXZ

Re: [Cena] Aliados em Apuros - Publicado Ter 16 Jun - 18:14

Quase duas horas haviam se passado desde que Tatsumi e as garotas deixaram Sunagakure e o País do Vento para trás, e agora já estavam próximos a seu destino, no horizonte era possível avistar uma fumaça negra subindo aos céus, não era uma fumaça comum, com certeza havia algum incêndio naquele lugar, e quando se aproximou mais subindo em um morro, o genin pode ver que de fato aquela fumaça pertencia a um incêndio, no caso, um criminoso. Do alto do morro Tatsumi conseguiu ver um vilarejo pequeno e simples sendo atacado por bandidos, que ateavam fogo nas casas, aquele com certeza era o local de sua missão, mas estava em um estado pior do que tinha imaginado, achava que ainda teria tempo de conversar com os aldeões para protege-los, mas agora isso era impossível, teria que juntamente com as kunoichis agir logo se quisesse que ainda existisse alguma casa em pé naquele lugar:

— Nós chegamos tarde demais, eles já estão sendo atacados, merda! – Falava irritado observando o que acontecia no vilarejo abaixo. – Não temos muito tempo para bolar um plano ou para nos prepararmos, mas também não podemos atacar sem pensar, pelo que eu pude ver eles estão espalhados pelo vilarejo, mas só temos três fileiras de casas, então eles não estão muito dispersos, parecem ser no máximo uns dez caras que estão atacando os aldeões, e temos três rotas para invadir, eu pego a que fica entre a primeira e a segunda fileiras de casas, é ali onde o cara a cavalo está, creio que aquele seja o líder. – Dizia se levantando e já se preparando para descer em direção ao vilarejo. – Nós não nos conhecemos e não sabemos das técnicas de um do outro, por isso vocês duas veem o que será melhor para vocês, qual das duas irá atacar comigo, indo para a rua do lado, e qual irá tentar atacar indo pelo direito da última fileira. – Não era uma estratégia mirabolante, mas era o que conseguiu pensar nesse pouco tempo, e após dizer isso para as garotas, Tatsumi desceu a elevação e partiu em direção ao vilarejo.

Não fazia ideia do que aquelas duas podiam fazer, mas por terem a mesma graduação que ele, imaginava que sabiam o suficiente para lidar com aqueles bandidos, pois se não soubessem, as coisas iriam ficar um pouco complicadas.

Terminando a descida e chegando próximo ao vilarejo, Tatsumi conseguiu escutar gargalhadas em meio ao fogo e a destruição, com certeza vinham dos bandidos. “Desgraçados, além de destruírem a vida das pessoas, ainda acham graça no que fazem, mas isso não vai ficar assim por muito tempo, na verdade, essas mesmas risadas vão ser o começo do seu fim. ” Pensava enquanto se esgueirava se aproximando das casas, não queria ser descoberto ainda, por isso estava se escondendo atrás da primeira casa da fileira do meio, que ainda não estava em chamas. Enquanto estava no morro, Tatsumi conseguiu ter uma visão ampla de como era organizado aquele local, eram três fileiras, a primeira já estava pegando fogo, por isso se escondeu na segunda, esperando o momento certo para por seu plano em prática e avançar pela rua que tinha entre a primeira e segunda fileiras. Enquanto escondido podia observar melhor o que acontecia, dali podia ver os bandidos arrastando mulheres e crianças para algum lugar, enquanto espancavam os homens da aldeia. “Agora é a minha chance, se eu utilizar o Reizā Sākasu, posso atingir o líder deles de primeira, mas depois disso, eu me tornaria o centro das atenções se nenhuma das outras duas fizer algo... Bom, não adianta pensar nisso agora que já estou aqui, tenho que fazer algo. ”

Após seu pequeno monólogo, Tatsumi começou a colocar seu plano em prática, primeiro, ainda escondido, efetuou os selos de carneiro, cobra e tigre, fazendo assim o Bunshin no Jutsu, criando um clone seu, e logo em seguida gritou:

— EI SEUS DESGRAÇADOS! POR QUE AO INVÉS DE ATACAREM ALDEÕES INDEFESOS NÃO VEM AQUI E LIDAM COM ALGUÉM DO TAMANHO DE VOCÊS HEIN!? – Depois de fazer a provocação Tatsumi mandaria seu bunshin sair de trás da casa, e partir em direção ao homem que estava a cavalo, utilizando sua imagem como isca, e assim que partissem para atacar sua cópia intangível, sairia de trás da casa também, fazendo os selos do tigre, cão, cobra e dragão, utilizando um dos jutsus de sua Kekkei Genkai, o Ranton: Reizā Sākasu, disparando vários feixes de vigas de energia na direção do líder dos bandidos, que estava acima do cavalo, como os feixes de luz criados por esse jutsu podiam ser controlados, mesmo se o homem tentasse desviar ou sair correndo, ainda seria capaz de direcionar o ataque na direção que ele fosse.

Após realizar o ataque ao líder, Tatsumi faria o selo especifico de sua técnica, uma versão do tigre mas com os dedos do meio, seguido dos selos javali e cavalo, utilizando outro jutsu, o Ranton: Raiunkūha, criando nuvens em volta de si que descarregariam raios a quem estivesse próximo, além de também protegê-lo de qualquer ataque.

Tatsumi Takeshi: HP 225/225; CH 375/475; ST 01/03;


Jutsus:

Armas:
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [Cena] Aliados em Apuros - Publicado Ter 16 Jun - 19:10

Já fazia mais de uma hora que os genins deixaram a vila, ao longe era possível ver uma nuvem negra, densa demais para ser chuva. De fato, ao chegarem no topo do morro puderam ver uma humilde aldeia sendo atacada por bandidos. As casas pegavam fogo e homens armados com shurikens e kunais aterrorizavam os aldeões. Os homens eram atacados, mulheres nocauteadas, crianças eram... “Sequestradas?” – Pensou Aelin, observando toda aquela cena. Apesar de não ser muito da sua índole se importar com o que acontece com os outros, aquilo era diferente. Ela sabia mais que ninguém como era viver sem ter uma casa, como era não ter o que comer e, principalmente, como era viver sem ter ninguém. Tinha, de certa forma, compaixão com aquele pequeno povo, precisava fazer alguma coisa para ajuda-los. Aparentemente, seus companheiros não pensavam diferente.

De onde estavam era possível ver claramente o desenho da vila: composta por três fileiras de casas, das quais as duas primeiras possuíam 4 casas e a última 5. As casas da primeira fileira já estavam pegando fogo. Os bandidos, que possuíam claramente características bem diferentes dos aldeões, estavam espalhados pelo terreno, um deles estava a cavalo. Takeshi, mais uma vez, tomou a liberdade de desferir as primeiras palavras, na tentativa de bolar alguma estratégia.

– Ok, manda chuva! – Respondeu, em tom irônico, mas concordando com o ninja. – Eu vou me deslocar pela última fileira de casas. – Afirmou, partindo logo em seguida de Takeshi.

Não queria ser descoberta de primeiro momento, afinal eles eram apenas três contra dez inimigos. Não sabia sequer quais técnicas seus colegas utilizavam, mas teria que confiar neles. Aproximou-se logo da primeira casa à direita, tenta fazer o menor barulho possível e se esconder. Os bandidos, naquele momento, riam da desgraça daquele pequeno povo. “Idiotas!” – Pensava. Afastou um pouco seu kimono do ombro esquerdo e dele começou a tirar um grande osso, era sua Kekkei Genkai em ação. Esse osso possuía um cumprimento suficiente para se chamar de espada e resistente o suficiente devido a capacidade dos Kaguya de aumentar e comprimir a densidade dos ossos.

Conseguiu ouvir Takeshi gritando algumas palavras de provocação aos bandidos. Era o momento de começar a agir. Com cuidado, procurando não ser percebida, sacou uma kunai da sua bolsa de armas e tentaria acertar o primeiro inimigo que encontrasse lançando-a em sua direção. Sua intenção era pegá-lo desprevenido, devido a ação de Takeshi.  

Obtendo sucesso neste primeiro ataque, partiria para uma luta corpo-a-corpo com os outros inimigos que encontrasse naquela região, utilizando o osso que removera do seu corpo como espada. Como eles estavam aparentemente armados com kunais e shurikens apenas, talvez tivesse uma pequena vantagem nesse tipo de combate. Aelin era relativamente rápida e utilizaria o Shunshin no Jutsu para tentar confundi-los e desviar das armas que forem arremessadas em sua direção, coisa que não deveria atrapalhá-la, pois só precisaria executar o selo do carneiro. Faria a mesma coisa se não obtivesse sucesso no primeiro ataque com a kunai, começando o combate com aquele bandido. Seus golpes seriam focados em regiões que tirariam o inimigo de combate, como pernas braços e outras regiões do corpo que não possuem órgãos vitais, não tinha a intenção de matar.

Em último caso, se percebesse que não conseguiria desviar de algum ataque utilizando apenas sua velocidade. Faria os selos carneiro, javali, touro, cachorro e cobra substituindo seu corpo por algum objeto com o Kawarimi no Jutsu, reposicionando e preparando para um contra-ataque.

__________
Aelin Galathynius: HP 225/225; CH 165/225; ST 01/03
Bolsa de Armas:
Jutsus Utilizados:
Jutsus Curinga:
[Cena] Aliados em Apuros URkFDZ9

Lollipoppy
Chūnin
Lollipoppy
Vilarejo Atual
[Cena] Aliados em Apuros URkFDZ9

Re: [Cena] Aliados em Apuros - Publicado Ter 16 Jun - 20:59

Depois de tantos nomes, acabou que “Hector-sama” era apenas um atendente, e por isso, Ayumu resolveu tirar o sama e apenas chamar de “Hector farpante-kun”. A caminhada, foi até tranquila, sem preocupações, apenas os grandes olhos púrpuras que fitavam o horizonte querendo saber se estavam próximos de chegar até o destino final. A anãzinha esperava chegar e se deparar com bandidos, apenas isso, mas quando chegou se deparou com um cenário bastante diferente do previsto.

Bandidos, chamas, pessoas sendo atacadas, pessoas enjauladas e um cavalo. Eram muitas coisas, tudo precisava ser calculado para ter o melhor desfecho possível, era o que a pequenina pensava, só que o trevoso começou a falar, esboçou uma ideia e foi. Ele disse para alguém ir com ele e outro ir só, Ayumu vendo a situação iria com o trevoso.

A pequena genin pensou um pouco até que a outra menina disse que iria só, dando apenas uma opção para a anã da vila da areia.

— Vou com você... — Sussurrou começando a andar atrás dele, mas distante.

Tomando todo o cuidado para não ser notada e vendo se tinha alguma armadilha, a menina foi discretamente seguindo o trevoso. A ideia da anãzinha era resgatar os cidadãos dos bandidos e do fogo. Seria complicado se alguém acabasse se queimando. Ela resolveu fazer algo que ocasionalmente faz, começou a deformar seu precioso martelo dourado, utilizando de sua Kekkei Genkai para transformar aquele recipiente em areia de ouro, na ideia de utilizar sua areia de ouro para proteger a população. Ideia boa até que o trevoso começou a gritar feito um doido.

— EU NÃO TENHO O TAMANHO DESSE POVO! — Ela gritou, e realmente não tinha.

A genin entendeu que agora seria a hora do pau, ela começou em agir. Ayumu começaria a controlar metade da sua areia de ouro, o foco dela não era bater nos bandidos, mas sim salvar a população que estivesse encrencada. Ela encobriria o cidadão com seu pó dourado e o traria para próximo de si, deixando em um local mais seguro. Caso algum bandido viesse atirar algo contra a anã, ela usaria a outra metade para se proteger.

Oshiro Ayumu~ HP 250/250 | CH 225/250 | ST 00/04 | Sakin 2970/3000

Considerações:
[Cena] Aliados em Apuros W1d991V

LastJoke
Tokubetsu Jonin
LastJoke
Vilarejo Atual
[Cena] Aliados em Apuros W1d991V

Re: [Cena] Aliados em Apuros - Publicado Qua 17 Jun - 2:29

Um por Todos!


Aquela era, de fato, a primeira missão dos três juntos. Na verdade, antes da missão ter início pode-se afirmar que os genins sequer se conheciam previamente. Nenhum deles sabia qual eram as habilidades uns dos outros; fraquezas ou pontos fortes. Nada. Contudo, por mais que suas personalidades e modos de pensar fossem tão diferentes quanto o sal, a pimenta e o açúcar, o coração dos três batia com um sentimento nobre: O chamado do Herói. De forma que, por suas próprias razões, todos decidiram lutar para proteger os aldeões.

Tatsumi foi o primeiro a falar, descrevendo um plano bastante simples, mas que foi facilmente aceito pelas duas outras integrantes do time improvisado que eles compunham. Em seguida, Takeshi também foi o primeiro a partir, seguido por Ayumu logo atrás, mas não tão de perto. Por fim, mas não menos importante, indo para outra direção, Aelin partiu para a ação quase ao mesmo tempo em que seus companheiros.

Tatsumi Takeshi

O jovem de sangue quente decidiu anunciar sua presença antes do ataque. Nada sábio; certo? Eu não teria tanta certeza disso, já que, na verdade, Takeshi usou um clone ilusório para atrair a atenção de seus inimigos. Dois capangas avançaram na direção do clone, rindo da ousadia do moleque, enquanto o líder deles, no cavalo, erguia uma sobrancelha questionadora para as roupas do menino e, principalmente, sua bandana de Sunagakure. Ao vislumbrar o metal, os olhos do homem se arregalaram ligeiramente antes que ele pudesse recuperar o controle.

Nesse momento Tatsumi executou um jutsu poderoso de sua Kekkei Genkai, mas no mesmo instante o líder dos bandidos terminou de fazer selos e sussurrou o nome de seu próprio jutsu: O resultado foi uma enorme torrente de água que pareceu surgir do nada, a qual foi útil para bloquear o ataque de Takeshi e ainda avançar pelo corredor em que os dois genins estavam.

A eletricidade do jutsu do genin ainda corria na água, o que tornava a situação ainda mais delicada. O líder havia ignorado por completo seus aliados, os quais já foram imediatamente submersos e eletrocutados pela onda que avançava rapidamente pelo terreno.

O ataque os atingiria em instantes, e, ao fundo, puderam notar que o líder havia dado meia volta em seu cavalo e planejava fugir com dois capangas dirigindo a carroça onde estavam seis crianças.

Jutsu Usado escreveu:Suiton: Bakusui Shōha
Rank: B
Requerimentos: Perícia Elemental: Suiton.
Descrição: O usuário cospe um grande volume de água de sua boca, engolindo e esmagando o inimigo com o aumento do avanço. O usuário pode surfar a onda, permitindo que ela se mova em alta velocidade, e ataque o inimigo, que agora se solta. A quantidade de água criada é proporcional à quantidade de chakra usada; quando usado com o enorme chakra de Kisame, até mesmo um terreno baldio seco pode se tornar um pequeno oceano. Depois, o excesso de água pode ser usado para técnicas adicionais de liberação de água. No anime, Nagato aparentemente usou essa técnica, através do Caminho Deva, cobrindo um pequeno vale perfurando o chão, fazendo com que a água jorrava em vez de vomitá-lo de sua boca.

Oshiro Ayumu

A de coração mais puro, Ayumu tomou o caminho dos defensores: tentou ajudar o máximo de pessoas possível. Ela seguia logo atrás de Takeshi, por isso viu o ataque do genin falhar e o golpe que o líder usou para distraí-los. Contudo, no meio tempo até tudo isso acontecer, a garotinha foi capaz de resgatar duas jovens aldeãs que estavam sendo atacadas por três bandidos, protegendo as mulheres dos ataques dos homens e trazendo-as em sua direção. Contudo, é claro, os tais criminosos não ficaram nem um pouco contentes com isso, de forma que os três partiram para a ignorância, atacando Oshiro com seus porretes de madeira vez após outra.

E agora, com o resultado nada satisfatório do ataque de Takeshi e sendo atacada pela retaguarda por três malucos com porretes enormes, enquanto ainda tinham que proteger as aldeãs indefesas, os genins se viam entre a espada e o martelo. De um lado uma onda que avançava na direção deles, cheia de eletricidade, para piorar. Do outro, três malucos que pareciam priorizar seus desejos carnais à suas próprias vidas.

Enquanto isso, lá trás, o líder tentava escapar com dois de seus capangas.

E nem sinal de Aelin...

Aelin Galathynius

Seus movimentos foram ágeis e precisos. A menina não hesitou, deixando de lado a timidez outrora revelada e optando por agir de modo mais frio e calculista. Sem hesitar, a Kaguya usou de sua Kekkei Genkai para tirar um longo osso de seu corpo, o qual planejava usar feito uma espada. O primeiro inimigo que encontrou, morreu sem sequer saber o que o havia atingido, com uma kunai na parte de trás da cabeça. Morte instantânea.

Outros inimigos se sobressaltaram ao ver o aliado cair subitamente em meio a pilhagem, então viram a arma na cabeça do amigo e olharam diretamente na direção de Aelin. No mesmo momento em que a genin escolheu por abandonar a pífia segurança de seu esconderijo, partindo para a ignorância contra os arruaceiros. Ataques com a espada eram repelidos com o metal das kunais, mas nem todos.

A jovem Galathynius derrubou outro e então mais um. E quando o último se desesperou, lançando seis shurikens na direção da menina, ela já esperava por isso e, preparada de antemão, usou um shunshin para esquivar e ressurgir na frente do último oponente, transpassando seu corpo com o osso em suas mãos.

Mais um inimigo surgiu na esquina, mas vendo a cena de três de seus companheiros caídos, mortos, e a genin coberta com o sangue deles, empalideceu, molhou as calças, deu meia volta e fugiu gritando por sua mãe.

Nesse momento, Aelin notou que algo estava acontecendo no local para onde seus companheiros haviam ido.




—X—




OFF: Narrem o que decidiram fazer.

Atenção: @Gabz o Kawarimi exige preparação antes do uso. Tem que postar preparando em um turno e usar no futuro quando sofrer um ataque. Só um aviso maroto para não sofrer GM em situações futuras. ;3

Considerações:
1. Dúvidas? Críticas? Reclamações? Só chamar no Discord ou mandar MP.
2. Não irei tentar estender a trama além do necessário, mas o sucesso e a conclusão dependem de vocês.
3. Posto todos os dias à tarde ou durante a madrugada.


4
Doces ou Travessuras?

_______________________

[Cena] Aliados em Apuros URkFDZ9

Lollipoppy
Chūnin
Lollipoppy
Vilarejo Atual
[Cena] Aliados em Apuros URkFDZ9

Re: [Cena] Aliados em Apuros - Publicado Qua 17 Jun - 15:29

Aquilo realmente era algo digno de estranhamento, ou de perplexidade, o trevoso esquentado fez lasers que deixaram Ayumu pensando que era relâmpagos. Ficando minha nota de pesar para a pobre leiga anã, porque se nem eu que estou escrevendo entendi rápido se era raio, laser ou relâmpago, imagine a genin.

A estratégia da anã era simples, perfeita e deu tudo certo, era o que muitos pensariam. Ela salvou duas aldeãs com sua areia de ouro, então fora tudo nos conformes?! Não, os homens não ficaram parados e começaram a bater com porrete na pequenina. Não somente isso, o chefe dos bandidos anulou o ataque do genin trevoso com uma onda de água que já era gigante para pessoas normais, para a anã era um tsunami.

A anã entendia muito bem o que estava ocorrendo, mas talvez os outros não. Aquilo era uma onda com eletricidade, e seu ouro sendo um material altamente condutor de eletricidade, poderia causar um desastre completo com as mulheres que estavam banhadas de ouro, os bandidos que estavam atrás dela, o trevoso que estava próximo e a anã. Ayumu sabia que se tentasse escapar com as cidadãs não conseguiria por falta de tempo, visto que sakin era muito lento, tinha pessoas batendo nela e ela tinha um espaço curto de tempo para escapar. Também sabia que se levantasse um círculo de ouro maciço, poderia acabar matando a todos, pois a água poderia ir por cima do círculo, ou alguém poderia entrar em contato com o ouro e morrer eletrificado. Ela até que conseguiria se salvar, mas estava fora de cogitação, ela salvaria a todos, pelo menos tentaria.

— ME AJUDA QUE EU CUIDO DA ONDA! — A anã gritou, não tinha tempo para falar o que iria fazer, e nem como dizer diretamente o que queria que o menino fizesse, mas chamou a atenção com o grito e em um movimento rápido começou a juntar todo o sakin em uma tentativa de levantar barricada diagonal que estaria entre eles e a onda, e teria a curvatura de levar a água em direção as casas que estavam pegando fogo, além de fazer a barricada de ouro ser um intermediário que levaria a eletricidade que estava presente na água para o solo.

Não é que ela pensou que fosse ser ousado, ou que desse certo, esse foi o único meio que ela enxergou em salvar a todos ali presentes. Esperava que o outro genin entendesse que ela precisava de ajuda, e a ajudasse com os bandidos. Ela levantaria tal barricada, mesmo com os homens batendo e atrapalhando, levantaria tal barricada, mesmo se não tivesse mais forças, levantaria tal barricada mesmo se o genin a abandonasse e fugisse dali. A anãzinha não desistiria de levantar a tão citada barricada, poderia até morrer tentando, mas existiam vidas que ela estava querendo salvar, e ela daria até o último suspiro para dar esperanças a quem estava tentando salvar.

Oshiro Ayumu~ HP 250/250 | CH 200/250 | ST 00/04 | Sakin 2940/3000

Considerações:


Última edição por Lollipoppy em Qua 17 Jun - 16:36, editado 1 vez(es) (Motivo da edição : Justificando o texto.)
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [Cena] Aliados em Apuros - Publicado Qua 17 Jun - 16:58

– Puts! – Exclamou ao ver a kunai entrando pela cabeça do inimigo, não esperava atingir perfeitamente naquele lugar, muito menos tinha a intenção de matar. Mas não tinha tempo para se lamentar, os outros bandidos que estavam por perto fintaram a jovem com os olhos. Imediatamente partiu para cima deles, repelindo alguns dos ataques com sua espada e tentando desferir golpes certeiros. Derrotou um, derrotou outro. O terceiro, mais esperto, lançou várias shurikens em sua direção, mas ela estava preparada. Com um breve sinal de mão, usou um shunshin para aparecer na frente dele e golpeá-lo com seu osso. Havia mais um, mas este, decidiu fugir.

Coberta de sangue, nem mesmo a jovem acreditara no que havia acabado de fazer. Um sentimento de orgulho misturado com arrependimento de ter matado algumas pessoas combatiam na mente da jovem. Respirou fundo para acalmar-se e recuperar o fôlego. Neste momento, pode perceber alguns sons e gritarias do lado de ataque de seus aliados, precisava ver o que estava acontecendo. O cenário era caótico, o chão estava inundado de água e esta se deslocava em direção aos seus companheiros. A anã, lutava com outros três homens enquanto tentava proteger duas garotas. Quem causou tudo aquilo? Ao olhar para o outro lado, pode ver um dos bandidos que estava a cavalo fugindo, enquanto outros dois puxavam a carroça com as crianças. Precisava tomar uma decisão: ou ajudava seus companheiros ou salvaria as crianças. “Preciso confiar nos dois, acho que são capazes de lidar com aquilo. Não posso deixar que levem as crianças.” – Pensou, imediatamente se deslocando na direção da carroça.

Ainda tinha uma carta na manga para parar aquela carroça, só precisava se aproximar um pouco. Por ser pessoas carregando uma carroça que estava cheia de criança, não deveria caminhar a passos largos, então não seria problema alcançá-la. Ao chegar a uma distância de no máximo cinco metros dos inimigos, que era a distância que a jovem possuía maior precisão, estenderia ambas as mãos em direção aos bandidos que puxavam a carroça, uma mirando em cada um deles. – Teshi Sendan! – Ao proferir tais palavras, da ponta de seus dedos saíram pequenos ossos que foram lançados em direção aos dois alvos, esses ossos recebiam um movimento giratório que dava a eles a capacidade de atravessar pele, carne e ossos de seus alvos.

Se o líder não estivesse muito longe da carroça, logo em seguida ao uso do Teshi Sendan, puxaria mais uma kunai de sua bolsa de armas e amarraria nela um papel explosivo, lançando-a em direção a ele, mas mirando para o chão com o objetivo de a explosão do papel atingir as pernas do cavalo, derrubando ambos. Sem dar chance ao azar, imediatamente ao momento da queda, faria o selo do carneiro para utilizar um Shunshin no Jutsu encurtando rapidamente a distancia entre eles e golpeando o inimigo com seu osso/espada.

__________
Aelin Galathynius: HP 225/225; CH 167/225; ST 01/03
Considerações:
[Cena] Aliados em Apuros 9zSthXZ

Makkokun
Chūnin
Makkokun
Vilarejo Atual
[Cena] Aliados em Apuros 9zSthXZ

Re: [Cena] Aliados em Apuros - Publicado Qua 17 Jun - 19:54

Tatsumi agora se encontrava numa encruzilhada, somente metade de seu plano havia dado certo, pois não esperava que o homem montado em um cavalo iria bloquear sem Ranton com um jutsu de Suiton daquele nível, e o pior de tudo é que ambas as naturezas se fundiram e agora uma onda de água carregando energia elétrica estava vindo para cima dele e de Ayumu que tentou ajudar alguns aldeões, mas agora também estava sendo atacada.

“Merda! Como que tudo pode dar errado assim? E o pior, a culpa é minha ainda! ”. Pensava observando todo o desastre acontecendo, coçando seu pescoço de maneira frenética a ponto de quase arrancar sangue, a água engolia até mesmo os capangas do homem, por um momento pensou em simplesmente fugir e sair correndo, até que escutou a voz da pequena kunoichi, que tentava proteger algumas aldeãs, a garota estava pedindo ajuda, provavelmente tentaria algo contra a água, mas ela precisava que alguém cuidasse dos bandidos que a atacavam. “Caralho, Takeshi, o que diabos você está pensando, tenha foco, sua parceira está pedindo sua ajuda e você está parado que nem uma merda, vamos faça algo! ”. Pensou, enquanto observava o que acontecia ao redor, e ao longe também conseguiu ver Aelin indo da atrás da carroça, realmente havia sido o único que não estava fazendo nada de útil ali.

Sem perder tempo e tomando sua coragem de volta, Tatsumi pegou duas kunais, uma em cada mão, costumava ser ruim utilizando armas, mas no momento se utilizasse um de seus jutsus seria muito perigoso, portanto teria que dar um jeito de fazer isso funcionar. Logo em seguida, atirou a kunai que estava em sua mão esquerda, mirando do bandido mais próximo de si que estava atacando Ayumu, fazendo o selo do carneiro com a mesma mão, utilizou o Shunshin no Jutsu para se locomover atrás do bandido mais distante de si que estava atacando a pequena, e ao aparecer, o golpearia na nuca com a kunai que estava em sua mão direita, após isso, partiria para cima do único que não havia tentado atacar ainda, primeiramente dando um chute alto com a perna esquerda, tentando acertar a cabeça do homem, e em seguida tentaria golpeá-lo com sua kunai, visando acertar algum ponto vital, se não conseguisse acabar com todos assim facilmente, Tatsumi continuaria tentando lutar com eles, mas não deixaria a garota Ayumu sofrer mais, mesmo que a água os atingisse.

Tatsumi Takeshi: HP 225/225; CH 415/475; ST 02/03;


Jutsus:

Armas:
[Cena] Aliados em Apuros W1d991V

LastJoke
Tokubetsu Jonin
LastJoke
Vilarejo Atual
[Cena] Aliados em Apuros W1d991V

Re: [Cena] Aliados em Apuros - Publicado Qui 18 Jun - 0:09

E Todos por Um!


Tatsumi Takeshi

Após sua falha, o jovem Takeshi ficou um tantinho depressivo, mas esse estado de espirito durou apenas um breve momento. Logo o shinobi superou sua pequena derrota e se atirou ao combate de cabeça, por uma causa justa: Sua aliada precisava de sua ajuda. E esse foi seu momento de brilhar, a primeira kunai pegou o inimigo de surpresa, entrando pelo olho do mesmo e o fazendo cair de costas, morto.

O segundo foi surpreendido com o shunshin do genin, arregalou os olhos e abriu a boca, a fim de dizer algo, mas as palavras jamais vieram, a kunai perfurou sua nuca antes que ele sequer pudesse reagir. O último, vendo a situação, se preparou bem o bastante para ser capaz de bloquear o chute de Tatsumi, mas não rápido o bastante para escapar da kunai que o genin cravou impiedosamente em seu coração.

O homem soltou um último suspiro, gemeu e caiu inerte. Três mortes em menos de um minuto.

E, mais importante, a água não o atingiu. Isso só poderia significar...

Aelin Galathynius

Estratégia brilhante. A jovem kunoichi saltou na direção de seus inimigos, conhecendo seus limites, e atirou duas balas de osso giratórias, que pegaram os bandidos de surpresa, atingindo seus crânios e fazendo um barulho de triturar. Eles sequer tiveram tempo de reagir, tombaram mortos na hora. O líder do bando, vendo tal situação lamentável, agora em desvantagem contra os shinobis de Suna, decidiu por abandonar qualquer esperanças de lucro e lutar como se sua vida dependesse disso.

Sendo assim, abandonou o cavalo que havia usado até aquele momento, tentando fugir para a floresta. Nesse momento, porém, Aelin lançou sua kunai com a tag explosiva, que atingiu o líder em cheio!

KBOOOMM!!

Só que o homem ressurgiu à dez metros para a direita, com um sorriso convencido em seu rosto, provavelmente havia usado um kawarimi. Sem um instante de hesitação, o inimigo lançou um jato de água na direção de Galathynius, a fim de distraí-la e ganhar algum tempo para sua fuga.

E foi quando o Kawarimi preparado por Aelin finalmente foi útil. A garota foi atingida e surgiu com seu shunshin bem em cima do líder, o qual arregalou os olhos de imediato, empalidecendo dois tons. Tarde demais, a kunai da kunoichi atingiu a garganta do homem, lançando um jato de sangue quente e vermelho sobre a genin.

A Salvadora Vermelha.

É como todos naquela pequena aldeia a chamariam dali em diante.

Principalmente as crianças, que assistiram tudo de perto, com olhos arregalados.

Oshiru Ayamu

A pequenina Oshiru da areia de ferro! Seu martelo moldável foi o verdadeiro salvador do dia. Sem executar um ataque sequer, apenas tendo o intuito de proteger as pessoas da vila, sempre pensando no próximo antes de si mesma, a jovem kunoichi brilhou de um jeito diferente de seus companheiros, mas não por isso menos belo. Na verdade, muitos da vila se lembrariam dela como uma defensora; Um escudo impenetrável.

Suas ações naquele momento de crise foram de extrema importância! A barreira funcionou bastante bem para redirecionar a água, e não apenas isso: Ela lembrou do incêndio no último instante e usou a água criada pelo jutsu do próprio líder dos bandidos para apagar grande parte do incêndio causado pelas tochas dos bandidos. Além disso, graças a sua confiança em seu companheiro, Takeshi, ela pode dedicar toda sua atenção a tarefa.

Tatsumi por sua vez, não decepcionou. Nenhum ataque tocou as garotas que antes Oshiru protegia, ou mesmo a própria Ayamu. A pequenina kunoichi não precisou desviar sua atenção por um instante sequer, pois o jovem Takeshi cuidou do serviço sujo e acabou com os inimigos.

Eles realmente formavam uma ótima dupla.

Ou melhor, um ótimo time.

E estava acabado.

Os bandidos? Bem...

No fim, três haviam sido nocauteados por Aelin. Um fugiu, chorando por sua mãe. Outros dois morreram com balas de ossos cravadas em seus crânios. Um o próprio líder dos bandidos neutralizou com um suiton eletrificado. Os três que atacavam Ayamu foram derrotados por Takeshi. E o líder foi assassinado a sangue frio por Aelin.

Vendo essa cena, após um breve minuto de silêncio, os habitantes da aldeia começaram a comemorar e chorar de alegria, mesmo que muitos ainda chorassem de tristeza por pessoas que haviam perdido. A ameaça havia sido totalmente eliminada.

Missão concluída com sucesso.

E após uma dura batalha, apenas lhes restava voltar para a vila e fazer o relatório da missão.




—X—




OFF: Missão Rank C concluída com Sucesso! @Tudo certo, podem pedir atualização direto na GF e pagamento no seus Bancos! E não esqueçam de postar com a mesma quantia no Banco da Vila de vocês! Qualquer dúvida só chamar no Discord ou via MP. Não precisam postar aqui encerrando, só considerar que voltaram para a vila após a missão.

Curti muito narrar para vocês. Todos interpretam muito bem os personagens, tanto qualidades quanto fraquezas, simplesmente amei. Valeu! o/

Considerações:
1. Dúvidas? Críticas? Reclamações? Só chamar no Discord ou mandar MP.
2. Não irei tentar estender a trama além do necessário, mas o sucesso e a conclusão dependem de vocês.
3. Posto todos os dias à tarde ou durante a madrugada.


5
Doces ou Travessuras?

_______________________

Conteúdo patrocinado
Vilarejo Atual

Re: [Cena] Aliados em Apuros - Publicado