>
Naruto RPGAkatsukiNão é o único, simplesmente o melhor!
Arco 11:
Reino de Lilith: PesadeloAno: 71DG
Após uma dura jornada, Shaka finalmente caiu e teve a maldição retirada de seu coração. No entanto, os problemas trazidos pela família Hattori não se extinguiram. Shion revelou ter ajudado a libertar Lilith, uma monarca da dimensão infernal, que agora está possuindo o corpo de Hyuga Katsura e libertando uma horda de seres infernais contra este mundo. O mundo corre risco de ser consumido pela maldade dessa criatura, mas não se o plano de Shion der certo: forçar Lilith a causar um evento chamado de O Grande Eclipse, onde as portas de todos os mundos e dimensões ficarão abertas, e assim permitir a ele ir ao submundo resgatar sua amada Katsura Grey para finalmente selar Lilith.
Sumário
Mapa
Staff
Discord
Facebook
Contos
Estação: Inverno

Hikaro
Tokubetsu Jonin
Hikaro
Vilarejo Atual
Ícone : Hey There!

https://www.narutorpgakatsuki.net/t72129-ficha-jyu-viole-grace?nid=4#550308 https://www.narutorpgakatsuki.net/t72151-gf-jyu-viole-grace

[Filler - Troca de Clã] Conhecendo um pouco mais da própria história! - Ter 26 Jan 2021, 22:08



jyu viole grace

Então sou um Hatake??

⌠CH⌡ 2100/2100 ⌠HP⌡ 1925/1925⌠Stamina⌡ 000/010
⌠Sanbi⌡ 2500/2500 ⌠Palavras⌡ 1350

Naquele dia, a noite decidira dar o ar de sua graça. O céu da vila, em geral encoberta pela névoa profunda ou até mesmo pelas chuvas incessantes, estava totalmente descoberta, mostrando o céu estrelado como há muito não se via naquelas paragens. A lua, em seu lençol estrelado, iluminava ainda mais fortemente que as luzes da vila.

Aproveitando aquele momento especial, Jyu se encontrava na praia, observando o vai e vem das ondas, ouvindo o seu belo som, enquanto seu corpo se refrescava com o doce vento umedecido provindo as águas tranquilas a sua frente. Não pensava sobre nada em especial, apenas aproveitava o momento.

[Isobu]–Sabe... – começou, chamando a atenção do garoto, que ainda observava o mar a sua frente - ... dizem que noites assim são mágicas...

[Jyu]-Mágicas? – riu, achando engraçado ele falar aquilo, naquele momento – Que magia uma simples noite pode fazer?

[Isobu]-A magia não está apenas nas histórias infantis, garoto... Dizem que aquilo que chamam de destino é a maior mágica que pode ocorrer, mas também acredito que a realização daquele desejo mais íntimo, aquele que escondemos até de nós mesmos, é a maior mágica que pode ocorrer...

Jyu sorriu, ao ouvir a resposta da bijuu. Sim, ele tinha inúmeros desejos, mas sabia que nenhum deles seriam realizados, não importasse o que fizesse. Trazer Hama de volta à vida, ser o shinobi mais poderoso do mundo, acabar com todas as guerras... Eram desejos intensos, mas que sabia que não seria possível. Não depois de tudo o que vira no Chunnin Shiken.

[???]-Senhor Jyu V-Viole G-G-Grace? – perguntou, de repente, uma voz as costas do garoto. Virando-se para trás, pode reparar que era um garoto, provavelmente um gennin recém formado, trabalhando como mensageiro.

Evidentemente com medo do chunnin, ele estendeu um pergaminho com a mão tremendo. Sorrindo para tentar tranquilizar o garoto, pegou tranquilamente o pergaminho, enquanto via o menino correr, desesperado por ter estado tão perto do jinchuriki. Vendo a cena, Jyu apenas suspirou. Parecia que a sua fama na vila estava cada vez pior.

Ouvindo a risada de Isobu, abriu o pergaminho, lendo as suas linhas, sentindo o tempo parar por um momento. Sentiu seu coração acelerar, enquanto lia mais uma vez o conteúdo, despertando a curiosidade do bijuu.

[Isobu]-O que foi? – era evidente a curiosidade em sua voz, tendo em vista que nunca havia visto o menino fazer algo similar, ainda mais depois de ler uma mera carta.

[Jyu]-Diz aqui que... – parou, olhando o pergaminho, como se não acreditasse no que estava escrito ali. -... meu tio veio me buscar!


***


Novamente, o garoto estava à frente da porta do Mizukage, assim como no primeiro dia em que fora perguntar o verdadeiro significado sobre a força que tanto ansiava. Dessa vez, porém, ele estava em um impasse completamente diferente. Quem diabos era aquele que se dizia seu tio?

Respirou fundo, antes de abrir a porta, e entrou de cabeça erguida. Queria mostrar força e poder, assim como também, pretendia demonstrar alguma coragem, se parecer um garoto presunçoso, afinal, o grande mistério de sua vida poderia ser resolvida ali, naquele dia, quando ele menos esperava.

Olhou a sua frente, vendo o Mizukage quase desaparecer em sua escrivaninha pelo seu tamanho. Se não fosse uma ocasião séria, ele com certeza riria daquilo, ou pelo menos sorriria para o seu superior. Do lado, sentado em uma cadeira, um homem de meia idade, de cabelos brancos ralos, se virou para olhar o chunnin.

A primeira coisa que Jyu reparou foram os seus olhos de um castanho amarelado, idênticos ao dele. Sua face era dura, com algumas cicatrizes bem feias, junto com seu lábio fino, deixava a sua expressão um tanto quanto aterrorizante.

O desconhecido então se levantou, olhando-o de cima a baixo, dando o que pareceu um meio sorriso, já que seu lábio praticamente mal se levantara.

[???]-Prazer, Jyu – começava, olhando diretamente nos olhos do garoto – Me chamo Hatake Hikaro, e vim aqui para, ao menos, poder lhe conhecer.

Tentando disfarçar a confusão que se instaurava em sua cabeça, o menino meneou a cabeça, dando permissão para ele prosseguir, mostrando que ainda desconfiava da visita do homem a sua frente.

[Hikaro]-Bom, como disse na carta, eu sou o seu tio e meu irmão, Hatake Senkei, foi o seu pai – dizia, sem rodeios, o que deixou o garoto levemente intimidade. Nunca que ele esperaria uma conversa iniciada dessa forma.

[Hikaro]-Acho que tenho que contar desde o começo não? – se perguntou, vendo a confusão no rosto do shinobi. – Meu irmão era um shinobi de Konoha, assim como eu. Quando se tornou um jounin, conheceu a sua mãe, uma mulher impura que trabalhava em um prostíbulo. Seu nome era Shizuoka Manekurei, ou pelo menos era assim que ela se apresentava para qualquer um que fosse conhecê-la.

Jyu não pode deixar de olhar para o homem, incrédulo. Tudo se resumia a isso então? Seu pai um jounnin que se apaixonou por uma meretriz? Olhou para o Mizukage de soslaio, vendo-o impassível. Vendo que não houve nenhuma confirmação ou ato do líder da vila, deixou o homem prosseguir, sem interferir.

[Hikaro]-Eles fugiram há cerca de quinze anos, sem que pudéssemos encontrar algo sobre ele. Estou investigando seu desaparecimento desde então, até descobrir que, para esconder a sua fuga, mudaram até mesmo o sobrenome, para Grace. – continuava, sem disfarçar o ódio que sentia por aquele nome, como se fosse um ultraje mudarem algo tão tradicional como aquele nome.

Mas, naquele ponto, o garoto estremeceu. Por mais que seu nome começasse a se tornar conhecido no vilarejo, não acreditava que alguém de Konoha fosse conhece-lo, quanto mais vir até sua vila para mentir sobre tal fato. Entretanto, ele podia mesmo seguir alguém que demonstrava tamanho ódio pelo seu nome?

[Hikaro]-Enfim, soube que morreram em um ataque há doze anos. Não sobrou muita coisa de onde moravam, mas consegui, finalmente, a pista que me levava até você. – dizia, apontando para o chunnin, com um ar de superioridade. – Seu nome, sua idade, tudo bate! Você, com certeza, é o filho perdido do meu falecido irmão! E vim te levar de volta para Konoha, onde é o seu lugar!

A voz do homem parecia se multiplicar na mente do garoto, fazendo com que tudo aquilo fosse difícil de digerir. Entretanto, as últimas falas do desconhecido fez o mesmo despertar e falar pela primeira vez, desde que entrara na sala.

[Jyu]-Posso até ser o filho do seu falecido irmão... Posso até mesmo ser de Konoha, como disse... Posso, inclusive, ser tudo o que disse e até mais, mas tem uma coisa que errou e feio... – disse, enquanto caminhava calmamente para a frente, parando na frente do desconhecido, reparando, pela primeira vez, que ele era pelo menos três cabeças maior que ele. – Meu lugar é aqui, em Uzushio, quer queira você ou não! – dizia, voltando-se para a porta. Parou por um instante, antes de se virar novamente, olhando seriamente para o homem que viera para busca-lo.

[Jyu]-E lembre-se... Não importa qual seja o nome da minha família por parte de pais, eu sempre vou honrar o nome que me deram. Eu me chamo Jyu Viole Grace, e sempre serei chamado assim. – disse, respirando profundamente. Atitudes como aquelas costumavam o irritar mas percebeu que, após ser incorporado a bijuu, suas emoções queriam falar cada vez mais alto.

Enquanto se reestabelecia, viu o homem rir. Rir não, mas gargalhar, de uma forma um tanto quanto estranha. O som de sua boca parecia preencher todo o local, deixando o chunnin estranhamente confuso. Ele dissera algo errado?

[Hikaro]-Você, definitivamente, é filho de Senkei, dem dúvida! – disse, quando finalmente parou de rir. Se aproximou do gennin e, das costas, retirou o que parecia ser uma espada, cravada dentro de uma bainha um tanto quanto gasta. – Entendo a sua escolha e fico orgulhoso do filho de meu irmão ter o mesmo tipo de temperamento que ele! Pode ficar, essa é a espada que ele ganhou quando foi promovido a Gennin, há sei lá quanto tempo atrás!

E, rindo, deixou a sala antes mesmo de Jyu, que olhava para a bainha sem acreditar no que acontecia, naquela noite...


((Considerações Finais)):
Filler de Troca de Clã - de Sem clã a Hatake - A Explicação!

_______________________

-
Bahko
Jōnin
Bahko
Vilarejo Atual
Ícone : -x-

https://www.narutorpgakatsuki.net/t73785-ficha-uzumaki-naomi https://www.narutorpgakatsuki.net/t73787-gf-naomi-uzumaki#568866

Re: [Filler - Troca de Clã] Conhecendo um pouco mais da própria história! - Ter 26 Jan 2021, 23:27

Reprovado. O mínimo de palavras para o filler de troca de clã é 1500, enquanto foram feitas 1449 palavras.

_______________________

-


Edição de Aniversario por Shion e Senko.