>
Naruto RPGAkatsukiNão é o único, mas simplesmente o melhor!
Arco 10:
RemanescentesAno: 69DG
Hanatarō olha para a vila do topo do prédio do Departamento de Pesquisa. Há dois anos era uma salinha no fim do laboratório geral da vila, agora tinha seu próprio prédio tão alto quanto o próprio escritório do Kazekage. Hanatarō sorri vendo as pessoas andando felizes na nova vila construída graças aos avanços científicos realizados com a inteligência de Takura, sua mentora. Antes, ele só via uma vila pobre, com construções de areia frágeis, com um horizonte desértico, dependendo de outras vilas, inclusive de Konoha, para conseguir sobreviver, mas agora... Sunagakure estava grandiosa novamente e tinha comprado sua independência. As construções ainda tinham porções de areia, mas eram forjadas em metais nobres, em ouro, em prata, criando grandes casas e prédios. As lojas estavam cheias de especiarias únicas, pois o trabalho de encontrar certos ingredientes se tornou muito mais prático desde que a vegetação voltou a florescer nos arredores da vila; onde antes era só deserto agora possuía vielas de relva, florestas, rios e uma fauna cheia de roedores, mamíferos e carnívoros.
Sumário
Mapa
Staff
Discord
Facebook
Contos
Estação: Primavera

Takane
Juusandaime Tsuchikage
Takane
Vilarejo Atual
Ícone : [Contos] Os Contos de Iwagakure 9cf60763dc0395bb6231cfada13244c8

https://www.narutorpgakatsuki.net/t68749-ficha-takane-guang?highlight=Takane+Guang#513285 https://www.narutorpgakatsuki.net/t68767-m-f-takane-guang

[Contos] Os Contos de Iwagakure - em 4/8/2020, 19:28

Ela era bela
Um pequeno clone


A mulher se esgueirava por entre a multidão com seu capuz de cor marrom e símbolos de iwagakure, ela conseguia passar pela maioria dos ninjas sem chamar muita atenção, e quando via algum grupo de guardas ela já procurava contornar o caminho por entre as centenas de vielas e becos da vila da pedra, cortando-os sem ser percebida, ou até algumas vezes ignorada pela maioria dos guardas, parte disso, era proveniente de sua habilidade especial recolhendo informações para seu líder, era uma fantasma, experiente em observação, a mesma logo cortou por mais uma viela, sua capa se molhou com uma das poças enlameadas, o que a obrigou retira-la revelando ser uma mulher loira, de olhos azuis e orelhas levemente pontiagudas, sua beleza era assombrosa quase hipnotizante, e tambem era sua maior maldição, parte do corpo estava enfaixado devidos as queimaduras que não se cicatrizaram, para sua sorte, a tsuchikage e outros membros fortes haviam sido convocados para a guerra, e isso permitia um melhor avanço nos planos de seu mestre.
Parou por um instante e começou a analisar o mapa mental do vilarejo, tinha quase certeza que a localização estava correta, a sua aliada morava nos becos de um local sujo, distante dos olhos curiosos e ignorados pela grande maioria dos ninjas, também conhecida como beco dos desolados. Manteve-se ali, quieta se concentrando para sentir o chakra ao redor, e identificar logo a gula, não gostava de estar ali naquele local, o chakra daquela coisa estava por toda parte, e para aqueles que eram sensitivos poderiam sentir o cheiro de enxofre e ferro vindo de algum lugar, o que causava certas náuseas.

“Eu sabia que você queria se esconder, e que gosta de lugares imundos, mas precisava ser no fim do mundo?” Pensou a garota.
Foi quando ela sentiu um chakra diferente, vindo da poça de água, alguém a estava seguindo-a e era bom o suficiente para poder ter fugido de sua habilidade sensorial.

---Eu sei que você está me seguindo... revele-se...---

Um braço saiu de dentro da água, e depois um segundo e logo em seguida um homem de uns trinta e poucos anos de idade, carregava um manto marrom e uma bandana da vila da pedra, e duas espadas nas costas, em formato de sabres.

--Primeiro as apresentações mocinha, meu nome é B3, sou um dos anciões da vila da pedra, agora me diga quem é você e o que quer.---

Ele sacou as duas espadas, e o beco se iluminou com as rajadas elétricas negras e douradas que se expandiam para todos os lados, e trazia consigo um barulho ensurdecedor.

--Eu sou uma ninja da pedra. --- Mentiu sem jeito.

---Não, não é verdade mocinha, eu conheço todos os shinobis de iwagakure, cada rosto, cada nome, cada característica de chakra... e você não é uma delas. ---

A menina resmungou para si mesma, estava dizendo a verdade, só não tinha culpa de ter sido uma ninja da pedra a duzentos anos atrás, e que agora ninguém mais se lembrava ou tinha registros dela na história.

--Apesar de eu não estar mentindo, eu entendo suas dúvidas, mas não posso revelar muito de mim, eu sou um fantasma que morreu e voltou, uma existência que nunca deveria ter existido, e meu único intento e servir a Ele. --- Falou.

---Vou te levar para interrogatório com os Anbus, fique quieta que não se machucara. --- Murmurou o homem.

Seu sorriso se transformou em um riso abafado, e logo em seguida em uma gargalhada que ecoou por todo aquele lugar sombrio, fazia tempo que alguém não contava uma piada como aquela, e pela primeira vez percebeu o quanto ter ido naquela missão tinha feito bem ao seu coração, Iwagakure ainda tinha humoristas.

---Me desculpe... mas passei uma boa parte da minha vida tentando encontrar alguém que pudesse fazer isso... infelizmente você vai falhar, assim como tantos outros. ----

Estendeu seus braços e  fechou seus olhos, a loira parecia ignorar o perigo que aquele homem poderia ser, ou talvez aquele homem, não sabia que havia se encontrado com a sombra da luxuria, uma das bruxas que quase destruiu metade de iwagakure a anos duzentos anos atrás e que apesar de seu poder estar reduzido a pouco mais de uma fração do que já foi, ela ainda tinha a capacidade para derrotar qualquer ninja individualmente.

Ele fechou o cenho, não precisaria do corpo inteiro dela, apenas a cabeça já serviria para buscar as informações necessárias de quem ela era ou o que queria. Inclinou seu pé esquerdo para trás e curvou seu corpo para frente  eletrificado por uma rajada elétrica  melhorando suas sinapses e seus reflexos, em um milésimo de segundo ele havia se aproximado dela com as duas laminas a pouco centímetros do corpo da loira, e foi nesse instante que ele percebeu que havia caído em uma armadilha obvia, ela não havia se entregado a morte, mas sim ele. Gigantescas correntes saíram do corpo da loira, prendendo-o e impedindo qualquer movimento dele, assim como também sugando seu chakra em uma velocidade monstruosa.

--Sua técnica é boa... você é um ninja forte... você poderá ser útil, meu amor. ---

AS correntes o puxaram para mais perto a ponto dela tocar em seu rosto, e em seguida beija-lo forçadamente , mas a medida que o beijo se desenvolvia o homem ia perdendo parte de sua consciência,  suas memorias eram modificadas até que ela estivesse em todas elas, e a saliva da loira  emitia algum tipo de substancia química que causava uma atração irresistível.

--Eu te amo, não sei viver sem você. --- Disse B3.

--Eu sei que sim meu pequeno ninja de iwagakure... se bem que seu beijo não chega nem perto do irmão daquele cara, pena que não tive tempo de transforma-lo em um dos meus... o orgulho teria me matado se eu tivesse feito isso. Sera que ele está bem? --- Pensou consigo mesmo enquanto caminhava e tinha seu novo “cãozinho”.

Mais algumas vielas, até que finalmente se deparou com uma pequena casa de tijolos cozidos, e uma placa de Ferreira, era a casa da Gula uma mulher de uns trinta ou quarenta anos, que se transformava em uma criança de cinco ou seis anos de idade, e isso irritava a luxuria, porque preferir um corpo infantil, quando se era os adultos que tinham o direito de fazer o que bem entendesse, mas não a questionaria ela havia tido sucesso até então, e seu mestre gostava da Gula e de suas qualidades como ninja.
Entrou sem qualquer tipo de hesitação, tomando cuidado para que nenhuma curioso a visse, junto de B3,  gula poderia arranjar uma utilidade para aquele home, adentrou a portinhola secreta fazendo os selos de mão necessárias para baixar a barreira, que ocultava a visão de ninjas curiosos, e desceu pelas escadarias escuras, até finalmente chegar em um gigantesco laboratório subterrâneo, onde uma menina mexia com um pequeno instrumento tecnológico.

--Senti o seu cheiro horrível a quilômetros--- Murmurou a gula.

--Eu também senti o seu, mas não estou aqui para falar de cheiros e sim se você cumpriu com a missão, conseguiu fazer mais sangue daquele ninja... qual era o nome mesmo... Kuri...---

A menina sorriu e então apertou um pequeno botão, fazendo emergir do solo um tubo de agua com um corpo de um jovem de um pouco mais de seis anos de idade.

--Com quem acha que está falando, quando meu pequeno bebe veio até mim com parte do sangue do usuário do Ketsureigan eu nem acreditei, um herdeiro direto da bruxa... e agora temos um clone uma verdadeira fabrica de sangue amaldiçoado, e logo poderemos sacrifica-lo para cumprir com a parte dois...----

A luxuria fechou o cenho, nunca gostou de cientistas, muito menos daqueles que clonavam outras pessoas, aquela merda sempre saia do controle ou era inútil, mas preferiu deixar seus pensamentos dentro de si, a gula era uma das piores pessoas para se mexer quando o assunto era ciência.

--Entendo... o mestre queria agir agora, destruir Iwa antes que ela ou qualquer ninja de elite volte, mas recebemos uma informação nova--- Murmurou para si

---Qual? O que faria o mestre mudar seus planos?---

A gula estava curiosa, se posicionou a frente da mesma com seus gigantescos olhos vermelhos adentrando a alma da Luxuria, que a repeliu imediatamente antes que ela tivesse acesso ou controle sobre ela.

--Não tente me controlar Gula, eu sou mestre em controle das pessoas... ou já se esqueceu disso? ---
Esbravejou irritada.

--Eu sempre esqueço que você é uma vira-la, meia uzumaki meio Nara... que merda... acho que achamos a decima quarta existência... a solidão... estava ao norte, destruindo vilarejos com uma técnica rara... chamado de Mokuton, estava perdida, mas parece que o mãos de prata foi até ela  e não vai acreditar, havia um monte de monstros mortos ao redor dela, ela os chamou de demônios ou algo do tipo, o mais incrível foi que a imagem dela era muito semelhante a da tsuchikage, mas não demorou muito para descobrirmos que era apenas uma casca ilusória para não reconhece-la, agora ela esta no quartel general.--- murmurou.

Ela entregou uma pequena chave dourada nas mãos da jovem e então caminhou em direção a porta.

--Então essa pequena coisinha pode gerar tanto caos assim? --- Pensou a Gula, colocando a chave em uma pequena corrente e pondo em seu pescoço.

--Sim e cuide bem dela... ou todo plano pode falhar, e esse cara chamado de B3, faça o que quiser com ele.---

--Posso come-lo? –
Perguntou a Gula.

--Faça o que quiser... não me importo...—A loira olhou para o homem. --- Seja bonzinho e não grite... não importa quanta dor sentir...---

---SIM FAREI ISSO,,, EU TE AMO.... FAREI QUALQUER COISA--- Murmurou B3.

Um segundo de silencio antes da criança saltar em cima dele com os dentes pontiagudos e começar a arrancar nacos de carne da pele do homem, seus dentes se assemelhavam a de um tubarão e sua boca se ampliava para muito além de seu corpo, o sangue vertia por toda sala respingando na iluminaria transformando tudo em um tom vermelho, e em seguida, silencio, a vida do tal b3 foi ceifada na base de mordidas e vísceras, o que enojava a uzumaki, fazendo-a ter náuseas, mas nem por um instante desviando o olhar de sua “irmã” ela era selvagem e instável quando estava almoçando.

Por fim não sobrou nada além de uma menina lambendo os lábios com uma barriga gigantesca e coberta por sangue.

---Você não sabe o que esta perdendo Luxuria... essa é a verdadeira e mais plena forma de honrar um alimento, comendo ele até os ossos, e os shinobis de Iwa são os melhores... não vejo a hora de devorar aquelas três crianças que conheci...---

--Estou indo embora... acho que vou ficar sem almoço... sem janta... sem qualquer coisa que se lembre a comida.... ---
As duas irmãs se despediram sem um adeus, ou quaisquer palavras, elas se odiavam e so estavam juntas com o proposito de ver a rocha cair.




by Honey

_______________________

[Contos] Os Contos de Iwagakure Untitled-2
Que se inicie o caos pois a rocha continuara firme!
Template
-

Última edição por Takane em 17/8/2020, 23:07, editado 1 vez(es)
Takane
Juusandaime Tsuchikage
Takane
Vilarejo Atual
Ícone : [Contos] Os Contos de Iwagakure 9cf60763dc0395bb6231cfada13244c8

https://www.narutorpgakatsuki.net/t68749-ficha-takane-guang?highlight=Takane+Guang#513285 https://www.narutorpgakatsuki.net/t68767-m-f-takane-guang

Re: [Contos] Os Contos de Iwagakure - em 4/8/2020, 20:27

O que é um Kacchan?
Uma ação muda o mundo


Ela estava confusa com seus próprios sentimentos e memorias, aquela garota, porque ela era tão boa em meia a tanta merda de Iwagakure? E porque há havia deixado ela viva mesmo? Aquela menina do estilo bakuton era diferente, podia sentir isso dentro de si, nas variações de seu chakra, e portanto, merecia viver, mas ao mesmo tempo era integrante de uma vila que havia destruído com o local que ela protegia, então deveria te-la esmagado? E porque fez o mesmo com as pessoas do vilarejo? ela não se lembrava direito, só sabia que sentia raiva, muita raiva, das pessoas que ela perdeu por iwagakure, da única amiga que teve em toda sua existência, e principalmente de seu irmão.
Olhou para o horizonte perdida, enquanto parte de sua pele se desprendia de seu corpo, revelando que aquilo que Akira havia visto era apenas uma casca falsa, uma imagem que ela usou para engana-lo e evitar que ela fosse seguida pela usuária de bakuton, não queria que a gennin morresse, e riu de si mesma, aquela garota, de alguma forma lembrava muito sua antiga amiga, impulsiva e meio idiota, fazia primeiro as coisas e depois pensava nas consequências, e mesmo selada naquele templo escuro, a usuária de mokuton era forçada a resgata-la das mais diferentes situações.

--Kachan.... o que diabos e um Kachan?---

A usuária de Mokuton começou a rir da situação, quinhentos e cinquenta anos presa dentro daquele local por seu irmão, e foi a primeira vez, que havia encontrado alguém que dizia Kachan! Antes de explodir algo.

Estava perdida o mundo havia mudado muito desde que ela pode andar novamente, tinha muito lugares para conhecer e ver, e encontrar seu irmão Honda, ele deveria algumas explicações para ela, e sabia que ele estava vivo, sentia seu chakra em algum lugar distante, estava diferente, mas mesmo assim era ele.
Levantou-se e sentiu que alguém se aproximava, era um homem de cabelos brancos e olhos gentis, mas seu chakra, era maligno, tanto quanto de Honda ou dela, aquela coisa era humana, isso era certeza, mas tinha algo nele que era diferente de tudo o que viu ou sentiu, e olha que ela conviveu por muito tempo com a escuridão.

-Me desculpe, meu nome é mãos de prata, eu vim aqui a pedido de meu mestre e pai... ele quer te conhecer, te dar uma família que nunca teve, um lugar que poderia ser chamado de lar.--- Disse o jovem fazendo uma breve reverencia.

--Eu não preciso de família... e muito menos de você.---

Gigantescas mãos de madeira se ergueram do chão logo a frente da garota, cada uma delas carregando avançou contra o garoto que não se moveu, não se defendeu, apenas retirou uma de  suas luvas e pôs na frente do poderoso ataque, que imediatamente cessou, para a surpresa da usuária de Mokuton, sua madeira havia se transformado em vidro, ou prata, era difícil definir, e em poucos segundos se despedaçou em centenas de fragmentos.

---Não precisa de violência, não somos inimigos... eu desejo apenas uma única coisa...---

--E o que seria? --- Ela fechou o cenho.

--A destruição total do país da pedra... cada ninja, cada civil, cada existência, destruída e incinerada como porcos que são. --- DO rapaz não ergueu seu tom solene de falar, apesar de suas palavras violentas.

--E porquê? Porque quer destruir Iwagakure. ---

---Eles tiraram algo de mim... algo importante... e quero recuperar de qualquer forma... --- Disse o mesmo.

--Tudo bem, irei com você garoto... mas se não gostar do que ver eu mesma irei te destruir...--- Disse a mulher.

--Entendi, agora te darei um novo nome... você será a Solidão.---





by Honey

_______________________

[Contos] Os Contos de Iwagakure Untitled-2
Que se inicie o caos pois a rocha continuara firme!
Template
-
Takane
Juusandaime Tsuchikage
Takane
Vilarejo Atual
Ícone : [Contos] Os Contos de Iwagakure 9cf60763dc0395bb6231cfada13244c8

https://www.narutorpgakatsuki.net/t68749-ficha-takane-guang?highlight=Takane+Guang#513285 https://www.narutorpgakatsuki.net/t68767-m-f-takane-guang

A Desesperadora fome - em 17/8/2020, 22:56

O Desespero refinado
O banquete de cabelos loiros


As três figuras cortavam velozmente o vento, a bruxa da luxuria ja havia despertado do golpe da usuária de bakuton, e naquele momento, nunca sentia tanto nervosismo em sua vida, o mãos de prata estava em silencio completo, e o único som que era possível escutar era do biso da dúvida dando pequenos risos abafados enquanto seus olhos se moviam de forma gelatinosa e desformes, estavam correndo no máximo de suas velocidades, Iwagakure já havia enviado um grupo de caça Anbus para prossegui-los, e ela melhor do que ninguém podia sentir que a cada instante eles estavam mais próximos deles, era cerca de vinte chakras correndo em times de cinco em formato de U para que eles não pudessem escapar, alguns fortes o suficiente para poder bater de frente contra eles, e pelo jeito eles tinham rastreadores, era incrível como a tal secretaria da tsuchikage havia agido com tamanha velocidade, ela era uma mulher que não deveria ter sido ignorada ou menosprezada, por entre aquele sorriso gentil e fala mansa a uzumaki se mostrou habilidosa em enviar um grupo com alguns dos melhores homens disponíveis.

--Eles estão se aproximando... não vamos conseguir escapar... tem rastreadores... ---Disse a uzumaki.

O bispo da dúvida riu ainda mais alto, o que fez a loira se arrepiar, aquele homem era louco mas ao mesmo tempo um dos maiores estrategistas que havia dentro do grupo dos catorze, com certeza já havia armado um plano, e pelo jeito mãos de prata estava ciente dele.

---Não é eles que estão nos perseguindo, é nós que vamos devora-los... além disso ACHA QUE NÃO PERCEBEMOS? Em Eem em em em que deixou aquela garota salvar a filha da tsuchikage?? Nos sabemos, esta tudo aqui, dentro da nossa cabeça...---

--Ela me pegou de surpresa. --- Protestou a mesma, sentindo um arrepio e imaginando o que aqueles dois estavam planejando.

--Bom acho que meus insetos já estão fazendo o trabalho, ta NA HORA DO SHOWWWWWWWWWWWWWWW HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH vamos nos divertir. --- Gritou o bispo da duvida.

A uzumaki se quer teve tempo de reação quando o mãos de prata parou abruptamente, e em um único movimento tocou na perna esquerda da loira, a técnica havia sido aplicada assim que suas mãos frias tocaram na pele pálida de uzumaki, que deixou de ter o tom rosado para se tornar em bronze, e por fim prateado, fazendo-a cair no chão sem qualquer sensibilidade.

---O que pensam que estão fazendo seus desgraçados.... eu sou uma das catorze... sou irmã de vocês--- Gritou a jovem desesperada, já aplicando um jutsu medico para tentar reverter a situação, os ninjas de iwagakure estavam próximos era seu fim.

---Vamos la minha irmã... sabe que o papai não gosta de traições... agora me diga... porque diabos deixou aquela pirralha levar nosso prêmio... será que não percebeu que isso colocaria sua vida em risco? —Disse o mãos de prata.

--Eu prometi para a Solidão que caso encontrasse aquela garota eu a protegeria... pronto falei... você iria mata-la sem qualquer tipo de motivos apenas por ser um simples empecilho, aceito que você destrua iwagakure eu também ajudarei, mas isso tem que ser feito do jeito que o papai quer, não por mero capricho.--- Gritou a uzumaki, o chakra dos inimigos estava a menos de vinte metros, dessa vez a formação estava desorganizada, algo estava acontecendo com eles.

Os dois homens sorriram enquanto sentavam sobre uma das galhas de uma das gigantescas arvores, alheios ao perigo que os Anbus de iwagakure poderiam ser, ou melhor já sabiam que aqueles homens não eram nem de perto um perigo, o bispo da duvida já havia começado seu plano desde o momento em que saíram, fazendo pequenos besouros especiais voarem na direção dos inimigos e então aplicar uma pequena dose psicossomática nos inimigos em que criou uma fome voraz e gigantesca por qualquer carne viva.

---Eles estão dóceis agora... é uma pena que so possa usar esses insetos uma vez por ano... VOCÊ VIU COMO EU TE AMO MINHA IRMANZINHA... ESSE É MEU PRESENTE DE ANIVERSARIO, VOCÊ SER DEVORADA ATÉ OS OSSOS...--- Gritou o bispo da dúvida. ---Se tivesse ficado quieta, eu poderia ter uma conversa humanizada com aquele gennin... SIM ELE ELE ELE ELE.... COMO EU QUERO AJUDA-LO COMO QUERO ENCONTRA-LO SIM SIM SIM SIM SIM SIM....---

O seu coração estava acelerado, sabia que aqueles dois homens não estavam mentindo, eles realmente haviam criado um plano para dar uma lição nela, ela tentou correr, mas a perna engessada de prata não permitiu que ela se movimentasse, por fim escutou um grunhindo baixo, como se estivesse cercada por animais famintos, e de fato estava, aqueles homens de iwagakure haviam perdido completamente o sentido e a razão, os passos deles eram lentos e alguns se arrastavam na direção da mesma, e assim que seus olhos se encontraram com a da uzumaki, ela descobriu que aquele seria o seu fim, tentou usar de suas técnicas, mas o mãos de prata ao tocar nela havia também inibido seu controle de chakra, impedindo-a de usar jutsus, o que restava era tentar se arrastar, escutando a morte em seu encalço no formato de homens sedentos pela sua carne macia.

O primeiro avançou contra ela e recebeu em troca uma Kunai no pescoço, mesma naquela situação ainda era uma ninja, e assim conseguiu eliminar o segundo e o terceiro, mas logo sentiu que estava sem armas e foi nesse momento que ela perdeu o controle e deixou a emoção dominar a sua mente, gritava desesperada a medida que eles se aproximavam, o primeiro mordeu a coxa esquerda arrancando um pedaço gigantesco de carne, o segundo e terceiro buscaram as mãos e os dedos da garota, arrancando-os a dentada, ela se debatia e gritava a medida que mais e mais homens e mulheres se aproximavam dela arrancando nacos de sua carne e tingia a grama e a relva de vermelho, era seu fim.
A dor havia sido tanta que ela havia ficado inconsciente e se quer viu quando o mãos de prata acabou com aquela punição tocando na cabeça dos homens e transformando-as em prata pura.

--Me desculpe irmãzinha... você precisava de uma lição... não se preocupe... papai vai te curar e logo logo estaremos todos reunidos, planejando o fim de iwagakure.--- Disse o mesmo, tocando nas partes feridas para que se transformasse em prata impedindo assim o vazamento de sangue do corpo da uzumaki.

Quando acordou ela já não estava mais na floresta, seus ferimentos estavam curados, estava em sua cama repousando, com os pássaros cantando e o som da cidade ao fundo, havia se esquecido o quanto a primavera conseguia ser bonita, ao lado a bruxa da solidão segurava sua mão esquerda e a brisa do ar tocava sua bochecha, aqueles dois desgraçados haviam se divertido com a dor dela e ela teria sua hora de vingar-se.

--Não fique bravo com seus irmãos... ---

A voz a fez arrepiar, aquele homem coberto por um manto e ataduras estava a todo tempo ali, parado olhando para ela como se a mesma fosse uma peça de arte, imponente ele se aproximou e pos a mão no rosto dela, olhando fundo em seus olhos e com a palavra mansa a abraçou.

---Eles só queriam o seu bem, assim como eu... sua irmã a solidão me contou o que você fez, e que fez isso por ela, então dessa vez eu te perdoou... --- Murmurou dessa vez em um tom ameaçador porem gentil. --- Da próxima vez que fizer algo sem a minha permissão... eu te queimo viva... assim como iwagakure fez com seus irmãos... Venha vamos nos reunir e jantar, seus irmãos a aguardam----




by Honey

_______________________

[Contos] Os Contos de Iwagakure Untitled-2
Que se inicie o caos pois a rocha continuara firme!
Template
-
Conteúdo patrocinado
Vilarejo Atual

Re: [Contos] Os Contos de Iwagakure -

-


Layout por @Akeido Themes, @Loola Resources e Naru.