>
Naruto RPGAkatsukiNão é o único, mas simplesmente o melhor!
Arco 11:
Reino de Lilith: PesadeloAno: 70DG
Após uma dura jornada, Shaka finalmente caiu e teve a maldição retirada de seu coração. No entanto, os problemas trazidos pela família Hattori não se extinguiram. Shion revelou ter ajudado a libertar Lilith, uma monarca da dimensão infernal, que agora está possuindo o corpo de Hyuga Katsura e libertando uma horda de seres infernais contra este mundo. O mundo corre risco de ser consumido pela maldade dessa criatura, mas não se o plano de Shion der certo: forçar Lilith a causar um evento chamado de O Grande Eclipse, onde as portas de todos os mundos e dimensões ficarão abertas, e assim permitir a ele ir ao submundo resgatar sua amada Katsura Grey para finalmente selar Lilith.
Sumário
Mapa
Staff
Discord
Facebook
Contos
Estação: Primavera

Nero.
Jōnin
Nero.
Vilarejo Atual
Ícone : [Filler 12.0] Jiro 150px-Uzushiogakure_Symbol.svg

https://www.narutorpgakatsuki.net/t73073-arashi-warui#560838 https://www.narutorpgakatsuki.net/t69232-gestao-de-ficha-jiro

[Filler 12.0] Jiro - em 30/7/2019, 14:28





Filler
Paz



Momentos de deleite da calmaria
Que estão com os dias contados






A mente divagava enquanto os dedos tamborilavam a madeira de sua mesa de estudos. Seus olhos corriam por entre as palavras grafadas sem parecer dar muita atenção aos significados, lia com alguma pressa e acabava por não dar o devido valor ao que de fato estava escrito; sua mente estava em outro lugar. Correu os orbes castanhos das páginas de A Tenda diretamente para o lado de fora de sua morada e deparava-se com o sol imperando na imensidão anil que estava o céu de Konoha naquele início de uma tarde bastante agradável. Fechou o livro sem sequer marcar a última página que lera — teria que voltar do zero, não valeria a pena seguir a leitura de onde parou —, apanhou seu hitaiate e desceu as escadas de casa sem presa alguma em direção à entrada da frente, aonde sentou e calçou as duas sandálias nos pés antes de tomar rumo morada afora com tranquilidade soberana.
  Sentia a brisa de um raro dia agradável de inverno alisar seu rosto como a lambida de um cachorro a muito sem ver o dono, o calor dos raios solares o aqueciam causando uma deliciosa sensação que até faziam seus pelos se arrepiarem. A alegria em simplesmente estar vivo que chegou a temer ter perdido desde que conheceu o verdadeiro mundo Shinobi o fazia transbordar de um sentimento delicioso do qual ele podia claramente dizer que já estava sentindo saudade.
  Andou por toda a aldeia como um cidadão comum — quase, afinal a bandana os destacava dos demais — buscando aproveitar seu dia livre de uma forma que já fazia tempo desde a última vez que o fizera. Parecia andar sem rumo, mas sabia exatamente para onde estava indo. Com passos calmos, passou um pouco além dos portões da vila e foi se guiando para além de um portão gradeado no meio de uma área coberta pelo verde. Conforme ia avançando, o verde das plantas que era tão dominante ia cedendo a uma paisagem digna de um quadro em exposição. O azul límpido das águas de um lago sobreposto por uma fina névoa típica do inverno; o verde do vasto gramado e das árvores que vinham um pouco antes dos olhos se encontrarem com o lago onde três tocos de madeira se destacavam; e montanhas ao fundo, distantes até da aldeia, completavam a belíssima paisagem que tirava o folego do pequeno Jiro toda vez que se deparava.
  Descalçou os pés de suas sandálias e se permitiu sentir a grama diretamente em sua pele, quase como se se conectasse à natureza de alguma maneira naquele momento. Respirou fundo o ar que ali parecia ser mais puro que no restante do vilarejo e expirou calmamente, se deleitando de tudo ao seu redor. Abaixou-se para que seu corpo pudesse tocar o chão primeiro com o quadril e depois com as costas, esticando o corpo inteiro agora deitado enquanto seus olhos admiravam as nuvens bastante brancas e de aparência macia que enfeitavam os céus e davam ainda mais beleza a tudo aquilo. Uma pequena porção de paz.
  Deu um longo suspiro com o corpo estirado ao chão e mente agora um pouco mais embaralhada.
  Acho que não terei mais isso daqui a algum tempo. ── pensava o garoto enquanto podia sentir as pálpebras pesarem um pouco mais enquanto o vento parecia acaricia-lo e também bagunçava seu cabelo. Pode ouvir perfeitamente quando dois pés se firmaram na grama como se viessem de um ponto mais alto, a julgar pelo som quase poderia dizer que quem quer que fosse havia chegado com alguma pressa.
  ── Eu fui até em casa para almoçar com vocês e você não estava lá, ── a voz de seu pai rompeu o silêncio e interrompeu seu momento à sós consigo mesmo. ── por algum motivo eu imaginei que fosse te encontrar aqui.
  O filho sentou-se no gramado e viu o pai sentar-se ao seu lado adotando a mesma posição: braços esticados atrás do corpo com as mãos espalmadas na grama e joelhos dobrados. Um longo bocejo do mais velho antecedeu o momento em que o mais novo tirou seu olhar do transe em que havia entrado ao admirar o quase hipnótico movimento das nuvens e o dançar das folhas ao vento e voltou toda sua atenção ao seu coroa.
  ── Pois é, eu estava ficando um pouco entediado em casa. ── explicou, com uma expressão mais amistosa do que vinha apresentando dias antes.
  ── Você parece bem, mas parece um pouco pensativo.
  ── Não é nada demais, pai.
  ── Então me conte, no que está pensando?
  ── Bem... ── ele suspirou por um breve instante. ── É um pouco de tudo, é complicado.
  ── Estou ouvindo.
  ── Eu ainda acredito que a paz possa ser obtida de outra forma que não seja tão cruel e sangrenta, mas não consigo pensar em nada. ── à medida que falava, sentia seu coração ficar mais leve. ── É algo que eu desejo tanto, mas nem na minha própria vida eu consigo paz sempre que eu quero, dependo da demanda de missões da vila, de não haver nenhuma ameaça e...
  ── Hahaha, ora, filho, você está apenas entendendo como é o mundo ninja.
  ── Mas é esse o problema. ── o tom de voz foi mais firme, o semblante tornou-se mais sério. ── Eu não quero que seja essa resposta para tudo. “Sempre foi assim”, tem de haver outro jeito e eu vou achar.
  A determinação dele brilhava em seus olhos, que quase podiam refletir perfeitamente um singelo sorriso de um pai orgulhoso.
  ── Eu sei que vai. ── respondeu Takumo. ── Mas, infelizmente, antes de mudar o que já existe, você deve se adaptar ao meio. Faz parte da evolução.
  Observou quieto o pai se erguer e dar-lhe as costas logo após as palavras que, apesar de darem uma injeção de esperança em si mesmo, traziam também um pouco de pesar da dura realidade que parecia relutante em aceitar. Teria de sujar as mãos de sangue se quisesse que a paz reinasse um dia e também mudar a forma de mantê-la. Como uma brisa, o pai deixou o Campo de Treinamento. Estava só novamente. Repousou o corpo no chão e fechou os olhos. Decidiu aproveitar até o último segundo de paz para si enquanto pudesse. Hoje, ele aproveita o fruto da luta de outros; amanhã será ele a lutar para que outros possam ter paz.


HP: 1800/1800 // CH: 2300/2300 // ST: 00/07


Bolsa de Equipamentos Personalizada:

  • Kunai (15)
  • Shuriken (15)
  • Kemudirama (5)
  • Hikaridama (5)
  • Senbons (10)
  • Fio de Aço (50m)
  • Kibaku Fuuda (10)
Armas:
Totsuka no Tsurugi
Rank: S
Descrição: A Espada de Totsuka, também conhecida como Sakegari no Tachi (酒刈太刀, Espada Longa Cortadora de Saquê), é uma variação da Espada de Kusanagi. Ela é embainhada numa jarra de saquê; a lâmina é de fato o líquido dentro do recipiente que é solto e moldado, ao invés do que uma espada convencional. Ela é uma arma etérea, com uma lâmina encantada capaz de selar qualquer coisa que ela perfure. Aqueles que são perfurados por ela são sugados para dentro da jarra e presos num “mundo de sonhos embriagados” como um genjutsu por toda eternidade; e além disso, Itachi também conseguiu remover o selo amaldiçoado de Sasuke ao perfurar e remover Orochimaru do corpo de Sasuke.


Sekka no Gantoretto (Mão esquerda)
Rank: A
Descrição: Uma luva especial que possui duas habilidades:

1. Sekka no Ichigeki: permite que o usuário petrifique qualquer coisa que entrar em contato com a manopla. Após manter contato com seu alvo, o olho na manopla será aberto e irá enviar substâncias químicas através do corpo do alvo, transformando-o em pedra. O quanto o corpo será petrificado é determinado pelo tempo e o local de contato. Se o corpo permanece nesta forma de pedra durante muito tempo, ele permanecerá petrificado para sempre. Além disso, os corpos petrificados tornam-se frágeis e quebradiços, tornando-os mais fáceis de quebrar e matar a vítima. Se for tratada com o ninjutsu médico adequado, a parte petrificada pode voltar ao normal.

2. Segunda Habilidade: concede ao usuário a manipulação de outras rochas de forma telecinética. O usuário pode levitar pedras e podendo até mesmo romper as rochas manipuladas em pedaços e usá-las como armas. Pode levitar pedras para servir como uma plataforma para o usuário ficar flutuando, dividi-las em vários punhais e lançá-los como projéteis pontiagudos.


Jōhyō
Rank: B
Descrição: O Jōhyō se consiste de uma longa corda, normalmente possui vários metros de comprimento, com uma alça presa a um fim, e um ferrão de metal ligado a outro, agindo como um peso que permite ao usuário para lançar o dardo para fora em um alvo de longo alcance para vinculá-las em seguida, bobina-los ou realizar um ataque contra eles.

Trata-se de uma arma relativamente não-letal, os dentes na extremidade da corda não são para atacar, servem para impedir o adversário de chegar muito perto e, então, com a corda torná-los incapazes de atacar.
Jutsus Utilizados:
Considerações:
Total de 1.065 palavras.

_______________________

f // g.f // b // t // i // m.i
-
Blackfeather'
Genin
Blackfeather'
Vilarejo Atual
Ícone : [Filler 12.0] Jiro 100x100

https://www.narutorpgakatsuki.net/t72982-fp-amaterasu https://www.narutorpgakatsuki.net/t73004-gf-blackfeather#560002

Re: [Filler 12.0] Jiro - em 30/7/2019, 16:10

@

_______________________

Live 'til the day that you die ...
-


Edição de Natal por Loola e Senko.