>
Naruto RPGAkatsukiNão é o único, mas simplesmente o melhor!
Arco 11:
Reino de Lilith: PesadeloAno: 71DG
Após uma dura jornada, Shaka finalmente caiu e teve a maldição retirada de seu coração. No entanto, os problemas trazidos pela família Hattori não se extinguiram. Shion revelou ter ajudado a libertar Lilith, uma monarca da dimensão infernal, que agora está possuindo o corpo de Hyuga Katsura e libertando uma horda de seres infernais contra este mundo. O mundo corre risco de ser consumido pela maldade dessa criatura, mas não se o plano de Shion der certo: forçar Lilith a causar um evento chamado de O Grande Eclipse, onde as portas de todos os mundos e dimensões ficarão abertas, e assim permitir a ele ir ao submundo resgatar sua amada Katsura Grey para finalmente selar Lilith.
Sumário
Mapa
Staff
Discord
Facebook
Contos
Estação: Verão
Últimos assuntos

Xiao Dre
Genin
Xiao Dre
Vilarejo Atual
Ícone : [Fillers] Summer Tumblr_oz8lqs1Vyo1vj9g38o6_250

https://www.narutorpgakatsuki.net/t70286-the-puppet-master-khan https://www.narutorpgakatsuki.net/t70287-gf-dre

[Fillers] Summer - em Qui 5 Jul - 4:01

[Fillers] Summer RbHOpn5

疼痛


Já fazia um tempo desde a morte de Daario, pai do garoto Yasuo. O homem não tivera o prazer de ver o filho se tornar um genin, algo que o homem muito almejava. Quem dera fosse só isso que Daario viesse a perder. Aquele pai nunca veria o filho se tornar um chunin, um jounin, nunca vai saber se o filho algum dia se tornara um membro dos caçadores ANBU, não vai ver o filho sair em missões, não vai sentir o ardor no coração por não saber se o seu filho vai retornar com vida de tal missão. Daario nunca vai conhecer a esposa de Yasuo, nem sequer os filhos do mesmo, não vai estar presente no casamento do seu único e amado filho. Aquele homem nunca vai saber se o filho realmente será um grande shinobi, ou se terá uma vida calma e tranquila. Mas pior do que Daario que morreu, se encontra Yasuo. Um garotinho que sofreu com uma perda inestimável e precoce. A pessoa que mais o amava, a pessoa que sempre esteve presente em seus momentos mais felizes, a que muitas vezes era a causa dessa felicidade... Essa pessoa se foi. E deixou um vazio sem medidas naquele garotinho.

Era um outono, um parecido com o do nascimento de Yasuo, e também da morte de seu pai. Chegou o dia do aniversário da morte de Daario, e como de costume o garoto levantou-se cedo, tratou de escovar seus dentes, se lavar... Ele iria visitar a mãe. Yasuo estava menos atento aos detalhes naquele dia, tanto que não ouviu o barulho das gotas de chuva que batiam no telhado, que iam de encontro com as poças na rua. Tudo isso passou despercebido ao rapaz, que estava com o pensamento distante, como toda vez acontecia naquele dia. O garoto se vestiu, não como sempre se veste... Ele estava com roupas negras, escuras como uma noite de verão. Sentou-se a sua mesa, agradeceu pelo alimento e tomou seu café da manhã. Levantou da mesa, levou a louça até a pia, respirou fundo e foi até a sua porta. Colocou suas sandálias, abriu a porta e só então percebeu que chovia, e chovia muito.

Ao que o garoto abriu a porte de sua casa, a forte ventania levou algumas muitas gotas de chuva de encontro com o rosto do rapaz, que fechou os olhos, levantou o rosto e deixou que as lágrimas que ele tanto segurava se misturasse com as gotas de chuva que escorriam pelo seu rosto. Voltou para dentro, encostou a porta, vestiu o velho manto negro que antigamente era de seu pai, e voltou a sair. Yasuo vagou encapuzado pelas ruas de Konoha, tinha de ir para a casa de sua mãe, que ficava nos arredores do vilarejo. No fundo de seu coração ainda tinha o desejo de desistir da vida shinobi para viver com a mãe, mas ele sabia que a mesma jamais permitiria isso. E assim foi, Yasuo saiu trilhando seu caminho debaixo daquela fria chuva de outono. De longe avistou uma floricultura, não pensou duas vezes, entrou e pediu dois ramos de jacinto... Aquela flor tinha um significado: Tristeza profunda.

Após alguns minutos caminhando, aquele garoto finalmente chegou ao seu destino, de longe avistou a silhueta da mãe escorada na janela... Ela já esperava por Yasuo. Aquele era o dia. O garoto entrou na casa da mãe, que o recebeu com um abraço bem forte, antes mesmo que ele pudesse tirar suas sandálias. O garoto retribui o abraço na mesma intensidade. Os dois se largam, olham um para o rosto do outro, ambos com expressões tristes e cabisbaixas. A mãe pega as flores da mão de Yasuo, e as coloca num jarro com água enquanto pede que o mesmo se sente em uma cadeira próxima a lareira, o rapaz estava encharcado. O garoto retira as sandálias e as coloca no canto da entrada, retira o manto e coloca em um gancho na parede ao lado da porta, e faz como a mãe pediu, se senta a uma das cadeiras em volta da lareira... E ali fica, em silêncio, encarando as chamas como se fosse a coisa mais linda que já tivesse visto.

A mãe que havia entrado para a cozinha volta com uma bandeja nas mãos, coloca sobre a mesinha, e se senta na cadeira em frente a do filho, e como o mesmo começa a admirar as chamas da lareira. Durante cerca de trinta minutos ambos ficam em silencio, quando a mãe de Yasuo o oferece um pouco de Umeshu, bebida que aquela mulher era especialista em fazer, a qual Daario também amava. Yasuo toma uma pequena tigela, derrama a bebida no recipiente e da um gole. A mãe faz o mesmo, e ambos voltam a olhar pra lareira, com suas bebidas em mãos, e seus olhares profundos e vagos... Aquele era o dia. De repente Yasuo suspira de frio, a mãe percebe, coloca sua bebida na bandeja e corre a passos curtos para o quarto, Yasuo apenas observa em silêncio. Não demora muito a mãe do garoto volta com alguns cobertores, e entrega ao filho, que da um sorriso tímido para a mãe, que o olha com um olhar amoroso e devolve o sorriso. Talvez os dois sorrisos mais tristes daquele dia.

A mãe olha para o relógio, Yasuo, agora todo agasalhado, faz o mesmo, ambos trocam olhares e parecem entrar em consenso. A mãe pega a bandeja da mesinha e volta para a cozinha. Yasuo se levanta, dobra as cobertas da mãe e as guarda no quarto da mesma. A mãe sai da cozinha e diz que está pronta, o garoto apenas acena com a cabeça em sinal de positivo. A mulher se cobre com um manto, parecido com o antigo que o marido usava, Yasuo calça suas sandálias, e veste o seu manto outra vez. O garoto abre a porta e espera a mãe sair, ele fecha a porta, cobre sua cabeça com o capuz e ambos dão a volta na casa, e caminham por alguns minutos em direção a uma árvore nos fundos. Aproximam-se pouco a pouco, lentamente, até que estão de pés frente ao túmulo de Daario. A mulher coloca a mão dentro do seu manto, e tira de lá as duas flores que Yasuo havia comprado, entrega uma delas ao garoto, e novamente os dois voltam a se olhar.

Os olhares então se voltam para o túmulo de Daario. Ficam ali por algum tempo, parados com suas flores nas mãos. A mulher então começa a falar de como sente a falta do marido, de como ela está tendo dificuldades de se virar sozinhas, de como aquela casa ficou enorme com a partida daquele que ela mais amava... E ela desaba em lágrimas. Yasuo por sua vez pede perdão ao seu pai por não ter tido a capacidade de salva-lo, de ajuda-lo de alguma forma. O garoto fala de como está sendo sua vida como um shinobi, e se pergunta se o pai sente orgulho dele onde quer que esteja. Yasuo sabia que nunca teria aquela resposta, e com isso sofre, mas retrai as lagrimas dessa vez... Ou pelo menos tenta, pouco a pouco os olhos do garoto vão se enchendo, e quanto mais ele fala que sente falta do pai, mais as lagrimas descem, até que se da conta de que se derramou todo em prantos. Yasuo cai de joelhos sobre o tumulo do pai e abraça a lapide, um abraço forte e demorado, o garoto se cala, e apenas sente. Ele se levanta, a mãe deixa a sua flor sobre o túmulo, o garoto faz o mesmo em seguida. Os dois se olham outra vez, cada um enxuga suas próprias lagrimas, se voltam para o túmulo, e num ato de união, dão as mãos. E de repente aquela chuva cheia de ventos para, as nuvens pouco a pouco vão se abrindo, e o sol brilha timidamente no céu outra vez.



HP: 450/450 CH: 200/200 ST: 002/002

Considerações:
- 1325 palavras
- 200 de status pro conta do up.
Jutsus Usados:
Armas Levadas:
Kunais - 8 (na bag)
Shurikens - 8 (na bag)
Fuuma Shuriken - 1 (na costa)
-

Última edição por Summer em Ter 10 Jul - 22:39, editado 1 vez(es)
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [Fillers] Summer - em Qui 5 Jul - 4:04

@Ap
-
Xiao Dre
Genin
Xiao Dre
Vilarejo Atual
Ícone : [Fillers] Summer Tumblr_oz8lqs1Vyo1vj9g38o6_250

https://www.narutorpgakatsuki.net/t70286-the-puppet-master-khan https://www.narutorpgakatsuki.net/t70287-gf-dre

Re: [Fillers] Summer - em Qui 5 Jul - 14:57

[Fillers] Summer RbHOpn5

對照


Naquele momento Yasuo tentava se lembrar de como tinha ido parar naquela situação. O garoto e encontrava de frente pra outros três oponentes, aparentemente eles tinham nível superior ao seu, o que àquela altura deixava Yasuo em desvantagem. Mas afinal, como foi que aquele garoto conseguiu se meter numa confusão dessas? Aquele pirralho só conseguia pensar em como teria sido melhor não ter se envolvido nos problemas alheios. Algo que era costume de Yasuo fazer: tomar as dores dos menos capacitados, daqueles que não conseguem se defender sozinhos. Aquele dia tinha tudo para ter sido um outro dia qualquer, tinha começado como qualquer outro dia.

Naquela manhã, ao se levantar da cama, Yasuo sequer imaginara que entraria em combate em algumas horas. O garoto escovou seus dentes com tranquilidade, se vestiu e tomou seu café da manhã, lavou a louça que usou, e tratou de ir treinar. Até o momento não tinha sido atribuído a nenhuma equipe, e nem tinha sido passado a um sensei. Por conta disso, seus treinos eram por sua conta, o que na verdade não parecia ser um problema ao garoto, que por sua vez gostava de treinar em silencio. Seguiu como sempre fazia, dava bom dia aos conhecidos que encontrava pelas ruas da vila pelo caminho que seguia para chegar ao lugar onde gostava de treinar.

Não demorou muito até que Yasuo se encontrava na floresta nos arredores da vila, ele sabia que ali encontraria o silencio que tanto gostava, e que também precisaria estar sempre atento ao que o estava cercando, aquela floresta, como quase todas em Konoha, escondia muitos perigos naturais, como animais ferozes, e até mesmo ninjas desocupados e salteadores perturbados. Ali era preciso ter cautela, treinar sobre esse tipo de pressão podia vir a calhar num combate de verdade, onde se precisa estar atento o tempo inteiro. Depois de cerca quatro horas treinando sem direito a descanso, o garoto se encontrava exausto, se curvou e apoiou as mãos nos joelhos, a respiração parecia difícil, o garoto estava muito ofegante. O cenário ao seu redor era o de um árduo treinamento, kunais e shurikens cravadas em alvos colocados estrategicamente nas arvores, um boneco de treino bastante surrado, galhos quebrados, caules cortados.

O garoto olhou para o céu na intenção de descobrir a hora através do posicionamento do sol, e então percebeu que já estava na metade do dia, era hora de comer alguma coisa, já fazia bastante tempo desde sua última refeição. Yasuo recolheu seu material, colocou suas coisas na mochila e seguiu para um restaurante no centro da vila. Caminhou alguns instantes e teve sua atenção roubada quando viu três garotos de aparentemente quinze anos conversando entre si num canto um pouco escuro. Yasuo parou para observa-los, sem nem mesmo se constranger. Ao ser avistado pelos garotos, recebeu um olhar que mais perguntava “o que você ta olhando?”. O garoto ignorou e seguiu caminho para o restaurante. Sentou-se a uma mesa, fez o seu pedido de sempre: três espetinhos de porco, e mais dois para viagem. O garoto imaginava que era possível vir a sentir fome durante o restante do treinamento, e dessa vez ele iria e precaver.

Após uma boa e gloriosa refeição, Yasuo se encontrava satisfeito. Pagou sua conta, agradeceu pela comida e voltou a se dirigir para seu local de treinos, onde não demorou muito a chegar. Estava reposicionando seus alvos, quando sentiu a presença de outros chakras indo na sua direção, e rapidamente saltou para de trás de uma arvore, não era comum alguém estar passando por ali, nem naquela hora e nem em nenhuma outra. No outro lado da floresta estavam os limites da vila. Aquilo não podia ser boa coisa.

É então que Yasuo escuta um barulho de alguém tropeçando em algo, vindo a cair feio no chão. O garoto coloca parte da cabeça para fora e tenta ver quem era, e do que se tratava, e tem uma surpresa ao ver um genin mais velho, e bem mais gordinho que ele caído no chão, aparentemente havia acabado de tropeçar em um dos alvos de Yasuo enquanto fugia, mas a questão era: do que aquele garoto fugia? Yasuo continua apenas observando, até que os três garotos que tinha visto mais cedo chegam até o genin mais parrudinho. Eles começam a falar de como o garoto caído é um fracassado por não ter conseguido se graduar chunin, como eles fizeram, aparentemente eles tinham sido da mesma turma, e tinham se graduado genin juntos. Yasuo cerra o punho ao ver que se tratava apenas de uma forma de abuso. “Apenas”.

Os três garotos começaram a agredir fisicamente o garoto gordinho, mas foram interrompidos e tiveram que se afastar assim que Yasuo lançou uma shuriken na direção de um dos garotos, acertando-o no ombro direito. Os olhares se voltaram para a posição de onde aquela arma havia sido lançada, e logo foi possível ver um pequeno e aparentemente inofensivo garoto. Gritaram para ele dar o fora, até que perceberam que um de seus amigos tinha sido acertado. O que aparentemente era o “líder” daquele bando olhou com um olhar furioso para Yasuo, que calmamente desceu saltando de galho em galho, com os olhos fixos no mais encrenqueiro. Se colocou frente aos três garotos e deu a ordem para que o gordinho deixasse a floresta, e o mesmo assim o fez.

Agora lá estava Yasuo, frente a frente com três oponentes de nível chunin, não seria justo nem se fosse só um. O garoto pensou numa forma de enfrentar apenas um, e logo teve a ideia de ferir o ego do ninja que “comandava” aquilo. Yasuo perguntou se o garoto que ficava mais no meio tinha algum medo de enfrenta-lo sozinho, e se precisava dos outros dois pra assegurar sua vitória sobre um oponente. Aquilo foi o suficiente para irritar o garoto, que pediu para seus companheiros não se envolverem naquilo. O encrenqueiro fez a sua investida sem contar tempo, sacando uma kunai enquanto corria na direção de Yasuo, que não esboçou reação. O chunin fez um movimento rápido com a lamina enquanto colocava um sorriso em seu rosto, estava debochando, acreditando que seria fácil a sua vitória. Yasuo agora fora acertado com um profundo corte na garganta, o que será que passava na cabeça do jovem genin? Provavelmente que seu plano até ali estava indo como planejado.

O corpo de Yasuo logo se transforma num tronco, mostrando seu jutsu de substituição. Os três garotos estampam uma expressão de surpresa em seus rostos, enquanto isso, o genin surge de dentro de um arbusto que estava atrás do chunin com quem estava lutando. O chunin se vira rapidamente, mas não rápido o suficiente para desviar do chute que Yasuo desferia. O genin acerta o chunin em cheiro no rosto, e o deixa desnorteado. Em um movimento rápido, Yasuo gira no chão e aplica uma rasteira em seu oponente, que cai no chão sem ter como se defender. Yasuo rapidamente toma a kunai de seu oponente, se coloca sobre o ninja e coloca a arma do mesmo sobre seu pescoço.

O ninja então se mostra apenas um mero covarde ao pedir por misericórdia, alegando que Yasuo é um monstro. O genin se levanta de cima de seu oponente, e devolve sua kunai, enquanto o mesmo recolhe sua arma e sai rapidamente dali junto de seus companheiros, murmurando ameaças e alguns palavrões, nada que viesse a preocupar Yasuo, que alguns instantes depois já estava posicionando o restante de seus alvos para prosseguir com seus treinos. O garoto apenas sorria aliviado, pois era de seu conhecimento que se aqueles fossem chunins um pouco mais experientes, ele não teria se sobressaído e sequer sobrevivido. Estava aliviado, e agora, se sentindo muito mais leve.




HP: 450/450 CH: 400/400 ST: 002/002

Considerações:
- 1289 palavras
- 200 de status pro conta do up.
Jutsus Usados:
Armas Levadas:
Kunais - 8 (na bag)
Shurikens - 8 (na bag)
Fuuma Shuriken - 1 (na costa)
-

Última edição por Yasuo em Sex 6 Jul - 5:21, editado 3 vez(es)
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [Fillers] Summer - em Qui 5 Jul - 15:58

Somente um filler por semana, pode até ser mais de um caso compre o item de Ag = Filler Extra.
A respeito desse, você pode reservar para próxima semana (reseta no domingo).
-
Xiao Dre
Genin
Xiao Dre
Vilarejo Atual
Ícone : [Fillers] Summer Tumblr_oz8lqs1Vyo1vj9g38o6_250

https://www.narutorpgakatsuki.net/t70286-the-puppet-master-khan https://www.narutorpgakatsuki.net/t70287-gf-dre

Re: [Fillers] Summer - em Sab 7 Jul - 4:34

@Vou reservar o último filler para outro momento então
-
Kaginimaru
Jōnin
Kaginimaru
Vilarejo Atual
Ícone : Inútil...

https://www.narutorpgakatsuki.net/t68952-ficha#514831

Re: [Fillers] Summer - em Dom 8 Jul - 2:13

@ +200 pontos em status

_______________________


"."
-
Conteúdo patrocinado
Vilarejo Atual

Re: [Fillers] Summer -

-


Edição de Natal por Loola e Senko.