>
Naruto RPGAkatsukiNão é o único, simplesmente o melhor!
Arco 11:
Reino de Lilith: PesadeloAno: 71DG
Após uma dura jornada, Shaka finalmente caiu e teve a maldição retirada de seu coração. No entanto, os problemas trazidos pela família Hattori não se extinguiram. Shion revelou ter ajudado a libertar Lilith, uma monarca da dimensão infernal, que agora está possuindo o corpo de Hyuga Katsura e libertando uma horda de seres infernais contra este mundo. O mundo corre risco de ser consumido pela maldade dessa criatura, mas não se o plano de Shion der certo: forçar Lilith a causar um evento chamado de O Grande Eclipse, onde as portas de todos os mundos e dimensões ficarão abertas, e assim permitir a ele ir ao submundo resgatar sua amada Katsura Grey para finalmente selar Lilith.
Sumário
Mapa
Staff
Discord
Facebook
Contos
Estação: Inverno
Últimos assuntos

Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

[Filler de Desenvolvimento] A História da Guilda Kirameki - Qua 22 Jul 2020 - 18:52


Guilda Kirameki das Pedras Preciosas



Topazu Kirameki, com os seus 8 anos de idade, percebeu que seu pai finalmente chegara em casa, cheio de terra e com a respiração forte. Kokuyo Kirameki, pai de Topazu, estava cansado depois de trabalhar sete horas seguidas, extraindo rubis em uma nova mina descoberta pela família, e não via a hora de deitar em sua cama para recuperar as energias. O menino, porém, ia estragar os planos de seu velho, já pulando em seu colo no momento que ele parou para se sentar. Mesmo cansado e sujo, não conseguia deixar de sorrir toda vez que via a cara de seu garoto.
- O que foi toupeirinha? – Este sendo o apelido de Kirameki dado pelo seu pai – Alguma coisa está te incomodando?
Topazu estava com cara de zangado, daquelas que sempre fazia quando se metia em alguma briga ou coisa do gênero.
- Papai, porque nós somos tão estranhos?
A sinceridade na pergunta do garoto deixou Kokuyo confuso.
-Como assim? Alguém da academia te chamou de estranho?
-Não, não foi comigo, mas um garoto mais velho começou a chamar você e a tia Toru de estranhos, por causa dessas coisas na cara de vocês.
Ele se referia aos piercings usados por todos da guilda Kirameki. Kokuyo agora entendia a dúvida do filho.
-Ah, isso? São as marcas do passado. Cada uma das correntes e argolas representa alguma coisa importante da nossa vida, e é uma tradição da família.
-Isso você já me contou, mas por que só a gente usa essas coisas? E quem da família começou com isso?
Percebeu que as perguntas do garoto não iam acabar, então teria que fazer mais esforço para conseguir responder tudo de uma vez. Chamou o garoto para acompanha-lo enquanto ele se levantava, e seguiu para o porão da casa, onde guardavam alguns pergaminhos empoeirados. Kokuyo pegou o maior deles, soprou para se desfazer do pó, e voltou para a sala, onde fez o garoto se sentar para prestar atenção.
-Tem coisas nesse pergaminho que foram escritas a muito tempo atrás, antes mesmo de Sunagakure existir.
Os olhos do garoto se arregalaram na hora.
-UAU, é tão antigo assim?
-É sim. O seu avô costumava me contar as histórias escritas aqui, e é quase como um diário da família. Como ele é bem grande, vou resumir um pouco, e contar de uma maneira que você vai entender.
Topazu estava empolgadíssimo para saber mais sobre a família, e esperou atentamente seu pai começar a história.


-Prólogo-
Para os habitantes de Suna, os Kirameki não passam de um grupo ambulante de mineradores, que surgiram na vila a pouco tempo para tentar a sorte no comercio. Mas nossa história se iniciou a muitos anos atrás, e não foi nesse deserto que hoje chamamos de lar. Este pergaminho é uma tentativa, dos atuais membros da guilda, de retraçar nossas origens com a ajuda de documentos mais antigos, herdados dos nossos antepassados e preservados pela família.
Antes de iniciarmos, tenham em mente que muito da nossa história acabou perdida no tempo, sendo por conta de descuidos ou consequência das perseguições que sofremos até os dias de hoje, então boa parte do que será escrito aqui pode não ser completamente fiel a realidade. Espero que as futuras gerações tenham mais cuidado em preservar nossa história, para que não acabemos esquecidos nas areias do deserto.

-Parte 1: Antes da Guilda-
Antes mesmo das vilas ocultas serem erguidas, os primeiros senhores de terra usavam de escravos para gerir suas variadas produções, e o ramo da mineração era o mais popular para praticar esse sistema impiedoso. As pequenas vilas do País da Terra lucravam muito com a extração de metais e pedras preciosas, mas um trabalho tão desgastante não era atrativo para muitas das pessoas. Com isso os líderes das vilas dominavam outros vilarejos vizinhos, para usar de sua população como mineradores escravizados.
Esse sistema escravista durou bastante tempo, e várias gerações nasceram e viveram suas vidas trabalhando nas minas, por consequência desenvolvendo uma espécie de “visão noturna” que está em nossa genética até hoje. Não se sabe em qual dessas vilas aconteceu, e nem em que ano exato, mas um grupo desses escravos formou uma grande rebelião contra seus líderes, e muitos conseguiram fugir no calor do momento. Alguns desses fugitivos se estabeleceram em uma região montanhosa do País da Terra, onde cavaram algumas habitações para se esconder dos homens enviados pelos seus antigos senhores.
Com o surgimento da Vila Oculta da Pedra, o primeiro Tsuchikage aboliu o sistema escravista na região, mas nossos antepassados nunca receberam essa notícia e, com medo de serem descobertos, fugiram para as terras mais ao leste. Para conseguirem sobreviver na viagem, aproveitavam de sua expertise para cavarem novas minas e procurar por pedras preciosas na região, que podiam trocar por comida nas vilas no caminho. Com o sucesso desse método, nossos antepassados decidiram então se auto denominar “Guilda Kirameki das Pedras Preciosas”, e é nesse período que surgem os primeiros registros da nossa religião, a “Crença dos Protetores”.

“Hekigyoku Kirameki II, líder da expedição ‘Aurora II’:
A escavação foi um sucesso, conseguimos extrair quantidades consideráveis de rubi e safira na primeira camada, e acreditamos haver metais preciosos nas camadas mais fundas. Os protetores nos abençoam mais uma vez.”
Registro de uma das nossas primeiras escavações, possivelmente realizada pouco tempo após a fundação da Guilda. O nome da expedição é relativo à distância e direção do acampamento em que faziam a extração, “Aurora” assim sendo a região mais ao leste do acampamento, onde o sol nasce.


CONTINUA
Considerações:

-Filler de desenvolvimento do background da família do meu personagem, depois eu continuo na parte 2.

-

Última edição por BerserkerG em Ter 28 Jul 2020 - 21:50, editado 1 vez(es)
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [Filler de Desenvolvimento] A História da Guilda Kirameki - Qui 23 Jul 2020 - 16:04



-Parte 2: Primórdios da Guilda-
Os lucros gerados nessa época fizeram com que a Guilda prosperasse rapidamente, tanto que nós conseguimos mais mão de obra e obter melhores equipamentos. Por conta da rotina corriqueira de fazer escavações em lugares diferentes, movíamos o nosso acampamento principal de hora em hora, para melhor se alocar em áreas perto das minas e facilitar a coleta dos materiais. As principais escavações dessa época foram feitas na região do País do Som, que não contava com a sua vila oculta e era povoada por vilas menores.
A partir de então organizamos melhor as responsabilidades entre os integrantes da família, visto que estávamos com mais pessoas que o normal. O trabalho da mineração e a forja de metais foram alocadas para os homens mais fortes, e as etapas de lapidação e artesanato ficaram para as mulheres e para os homens de menor força física. Os cargos mais importantes, como de chefe de finanças, líderes de expedições e gerentes de estoque, eram escolhidas a dedo pelo Chefe da Guilda, e podiam ser tanto homens quanto mulheres.
Além disso, o Chefe da Guilda na época era chamado de “Chefe Familiar”, e este chegava ao poder de maneira hereditária. Por conta da nossa tradição de aceitar pessoas de quaisquer famílias à guilda, não sabemos ao certo quais famílias ficaram mais tempo no poder nessa época, mas esse estilo de poder perdurou na guilda por um bom tempo.
Rapidamente conseguimos dominar o comercio de pedras preciosas na região, e a Crença dos Protetores se espalhava entre os povos dali. Esse foi o período de ouro da nossa guilda, e ainda não conseguimos alcançar tamanhas conquistas da época.
“Daiya Kirameki I, chefe de finanças:
...A previsão no momento, levando em conta o aumento de pessoal encarregado da mineração, é de que conseguiremos aumentar em 20% a produtividade das escavações atuais, completando ao final da estação os pedidos de nossos clientes mais importantes.”
Trecho do livro de anotações de uma chefe de finanças de tempos atrás.

-Parte 3: Perseguições-
Conseguíamos nos proteger de saqueadores e interesseiros contratando guarda-costas locais, muitos deles sendo soldados escapando das guerras, e raramente tínhamos com o que nos se preocupar por estarmos sempre mudando de lugar. Mesmo que nossa guilda tivesse homens fortes para nos defendermos, a Crença dos Protetores não permitia a violência com o próximo, visto que já havíamos passado por violência demais na época em que éramos escravos.
Mas nossa prosperidade não só começou a atrair a atenção de grupos de bandidos, como também das próprias vilas em que fazíamos negócios. Como dito antes, nós havíamos controlado o comercio de pedras preciosas, e muitos comerciantes da área começaram a conspirar contra nós. Começou com olhares feios em cada local em que passávamos, e evoluiu até o ponto de não sermos aceitos em certas vilas. Os negócios começaram a diminuir, e tínhamos que nos mover ainda mais, em busca de novas vilas que nos aceitassem.
Então, ocorreu a noite que ficou conhecida como “Luar do Genocídio”, em que fomos atacados de maneira covarde por mercenários contratados. Não tínhamos dinheiro o suficiente para pagar por defesas, então nossos inimigos se aproveitaram para mandar seus homens, e muitos da família foram mortos. Aqueles que conseguiram escapar, ou que estavam em escavações na hora do ataque, fugiram ainda mais para o leste, chegando ao deserto do país do vento.
“Desconhecido:
...Canalhas, queimaram e saquearam tudo, e nem mesmo o líder conseguiu sobreviver. Achamos que os espíritos eram o suficiente para nos proteger, mas estávamos enganados ...”
Trecho de uma carta escrita por um dos membros da guilda, possivelmente enviada a uma das escavações para alertar sobre os eventos.

Considerações:

-Parte 2 do filler de história da Guilda Kirameki
Ignorem as "escavações" escritas de maneira errada no mapa

-

Última edição por BerserkerG em Qui 23 Jul 2020 - 19:20, editado 1 vez(es)
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [Filler de Desenvolvimento] A História da Guilda Kirameki - Qui 23 Jul 2020 - 19:28



-Parte 4: Reflexões-
Depois dos sobreviventes se reestabelecerem, e antes que continuassem viagem até Sunagakure, aconteceria um período de inatividade da guilda. Os eventos do Luar do Genocídio colocaram a fé de muitos em xeque, e aconteceria uma reforma na Crença dos Protetores, com o principal objetivo de fortalecer nossa comunicação com os espíritos. A primeira e mais famosa mudança em nossos costumes foi a da “Recordação”, onde marcamos nossos corpos com gemas e metais preciosos. O princípio da tradição é de expressarmos nossos desejos aos protetores, com cada marcação geralmente tendo um evento em mente que queremos superar, ou desafios que surgiram no futuro que buscamos enfrentar.
Além dessa tradição, também reformamos o sistema político implantado na guilda, acabando com a hereditariedade. Os Kirameki buscam se prezar que, mesmo não sendo uma família de sangue, somos tão unidos quanto os famosos clãs que nos menosprezam. Nos desapegamos então do orgulho familiar, e implantamos o sistema de votação para escolhermos nossos novos líderes. O primeiro a ser nomeado, com base nesse novo sistema, seria Rōdo Kirameki, o homem que nos guiaria pelas areias do deserto.
Rōdo costumava ser um ninja de um dos primeiros clãs de Suna, mas tinha desertado seu posto após muitas guerras, e encontrou refugio na guilda. Mesmo não sendo permitido dele voltar para sua casa, queria ter a oportunidade de novamente ser útil a uma família, e ele conhecia as terras do País do Vento como ninguém. Para nos prepararmos para a viagem, Rōdo deu a ideia de disfarçamos nossas pedras preciosas com tinta removível, para que bandidos confundissem elas com metais de baixa qualidade.
“Conselho emergencial da Guilda Kirameki das Pedras Preciosas:
-Após muita discussão e votações entre os membros, declaramos Rōdo Kirameki o novo Chefe da Guilda. Que os protetores abençoem nossa decisão, e nos guiem para o melhor caminho nesses tempos difíceis.”
Parte final do histórico da reunião, que teve como sede uma das vilas divisa com o País do Vento

-Parte 5: Novo Início-
A viagem até a vila oculta foi desafiadora, tanto que muitos não sobreviveram e alguns acabaram se perdendo. Além do caminho pelo deserto não ser tranquilo, não haviam muitos pontos para parar e descansar, fazendo com que o desgaste físico fosse a maior causa de morte. Mesmo assim, uma parte dos viajantes conseguiram chegar a Sunagakure, e encontrariam ali um novo início para a guilda.
Marcamos uma reunião com o primeiro Kazekage, que decidiu por manter a guilda em sua vila e seu país, pedindo em troca a vida do traidor Rōdo. A decisão não foi uma surpresa para o líder, que se entregou por boa vontade, salvando a sua nova família da perdição. Após outra reunião e a escolha de um novo líder, Herio Kirameki, a guilda decidiu por continuar viagem ao norte do país, onde esperavam encontrar terras boas para as escavações.
O acampamento principal da guilda continuou a rotina nômade, mas agora com trilhas pré-determinadas e que não fossem muito longe da vila, onde a maioria das transações iam ocorrer. O solo arenoso foi o maior desafio para os experientes mineradores, e as escavações teriam de serem feitas com cuidado, tornando mais difícil o objetivo de retornarmos as nossas antigas riquezas.
Por muitos anos nossas atividades passaram despercebidas, onde conseguíamos trocar nossos produtos pelo mínimo de comida e outras necessidades, e nossas vidas se tornariam rotineiras. Nas guerras travadas com a vila da folha, os membros da guilda se mantinham escondidos longe da vila da areia, seguindo sempre os mandamentos da Crença dos Protetores.
“Kesshō Kirameki, Chefe da Guilda:
É de vital importância que nenhum membro responda ao mandato do Kazekage Gaara. As lutas de Suna não são as nossas lutas, e os protetores estarão conosco em qualquer situação.”
Comunicado do Chefe da Guilda no período da Quarta Guerra Ninja, onde ainda seguíamos o antigo mandamento de não agressão.

-Parte 6: O Florescer-
Seria então na Quinta Guerra Ninja que nossos métodos de anonimato fracassariam, e o então Kazekage ordenaria que nossos homens e mulheres participassem da força shinobi da aldeia. Não poderíamos protestar contra, então não houve outra maneira a não ser começar a praticar as artes ninja. Boa parte dos ingressantes morreram na Ultima Guerra, mas aqueles que sobreviveram tiveram experiências nunca antes imaginadas pelos membros da família, e seria assim que reformularíamos mais uma vez a Crença dos Protetores.
Nossa história mostrara que não podíamos escapar da violência para sempre, então seria melhor nós aprendermos a nos defender de nossos inimigos, para conseguirmos finalmente prevalecer. O mandamento da não agressão valeria apenas para os próprios membros da família, e assim não desrespeitaríamos nossas origens. O acampamento nômade acabou se tornando uma moradia secundária para a guilda, já que muitos teriam de se mudar para Suna, a fim de continuar os treinamentos shinobi.
Surgiria então uma nova divisão para os membros da família: Os ninjas, que não só protegeriam a guilda, como a nova moradia deles também. Poderíamos praticar novamente nossas atividades em grande potência, e não precisaríamos nos preocupar em pagar por segurança, já que ela seria feita por nós mesmos.
Vivemos hoje o resultado dessas decisões, e podemos finalmente sonhar com um novo período de ouro para a grande Guilda Kirameki das Pedras Preciosas.

-UAU PAI, QUE INCRIVEL! -O jovem Topazu se empolgou com a história, mesmo com o tempo que levou para contar. - Por que o senhor nunca me disse que nossa família tem uma história assim?
-Você gostou mesmo? – Kokuyo ficou aliviado com a reação do filho, pois ficara com medo que ele dormisse no meio da leitura. – Que bom meu filho, seu avô vai ficar orgulhoso de saber que você se empolgou com a nossa história. Vou deixar esse pergaminho guardado aqui, quando você for mais velho vai poder lê-lo sem resumos.
-Mas pai, – Kokuyo não estaria livre tão facilmente – e sobre a Crença? Eu quero saber mais dela, e eu quero uma corrente para colocar em mim também.
Kokuyo acariciou a cabeça do menino, e deu um grande sorriso de orgulho.
-Você é muito jovem pra isso ainda Topazu, talvez quando você se formar na academia a gente coloca um, pedindo para os espíritos te protegerem na sua jornada ninja.
Topazu fez sua cara de zangado. “Só quando eu me formar? Vai demorar muito!”
-Tem um pergaminho que explica mais sobre a Crença dos Protetores, - continuou Kokuyo – mas por hoje é só, seu pai tem que descansar um pouco.
-Ok papai! – O jovem saiu do colo de seu velho, e o deixou finalmente tirar seu cochilo.
“Eu ainda vou me tornar um grande ninja, para a minha aldeia e, mais importante, para a minha guilda!”
Considerações:

-Parte final do filler de história da Guilda Kirameki. No futuro eu faço um outro post falando mais sobre a religião, mas por enquanto é isso.

-
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [Filler de Desenvolvimento] A História da Guilda Kirameki - Qui 23 Jul 2020 - 22:52

@
Muito bom o/
-
Conteúdo patrocinado
Vilarejo Atual

Re: [Filler de Desenvolvimento] A História da Guilda Kirameki -

-


Edição de Aniversario por Shion e Senko.