:: Área de Mudanças :: Centro de Melhorias :: Treinamentos de Fillers
Alvorecer
Arco 04
Ano 17 DG
Verão
A queda do pastor cobrou um preço altíssimo do mundo ninja: o golpe final trouxe ao mundo um tempo de dor e sofrimento; fome e pobreza retornaram às ruas, a violência triplicou, os antigos heróis caíram ou ficaram desacreditados. Mas, um pouco perto do amanhecer, a Hydra, que até então se mantivera em silêncio, mostrou-se das sombras, trazendo oportunidades de emprego e uma esperança para salvar o mundo dessa mais nova calamidade. Líderes ninja não tiveram escolha senão se arriscarem em tratados suspeitos para conseguir manter firmes seus lares e seus soldados. No entanto, os reais planos da Hydra ainda continuam sendo um grande mistério.
... clique aqui para saber mais informações
Shion
Fundador do RPG Akatsuki, Shion é responsável por manter o bom funcionamento de todas as áreas do fórum há mais de 10 anos. Completamente apaixonado por RPG e escrever, hoje é o principal responsável pelo desenvolvimento de toda a trama desse universo baseado na arte de Kishimoto.
Shion#7417
Angell
Angell é jogadora de RPG narrativo desde 2011. Conheceu e se juntou à comunidade do Akatsuki em fevereiro de 2019, e se tornou parte da administração em outubro do mesmo ano. Hoje, é responsável por desenvolver, balancear, adequar e revisar as regras do sistema, equilibrando-as entre a série e o fórum, além de auxiliar na manutenção das demais áreas deste. Fora do Akatsuki, apaixonada por leitura e escrita, apesar de amante da música, é bacharela e licenciada em Letras.
Angell#3815
Indra
Oblivion é jogador do NRPGA desde 2019, mas é jogador de RPG a mais de dez anos. Começou como narrador em 2019, passando um período fora e voltando em 2020, onde subiu para Moderador, cargo que permaneceu por mais de um ano, ficando responsável principalmente pela Modificação de Inventários, até se tornar Administrador. Fora do RPG, gosta de futebol, escrever histórias e atualmente busca terminar sua faculdade de Contabilidade.
Indra#6662
Biskath
BisKath é jogador do NRPGA desde julho de 2020, tendo encontrado o RPG por meio de pesquisas e começado a jogar nele, sem pausas desde então. É jogador de RPG desde 2013, mas o Akatsuki foi o primeiro de Naruto em que se aventurou. Apenas começou como moderador em abril de 2022, se dedicando as funções da moderação até se tornar administrador em julho do mesmo ano, auxiliando também na avaliação da área de criações. Fora do fórum cursa desenho, pois tem interesse em artes de forma geral..
BisKath#0666
XXXXX
XXXXX
Discord#1234

[Filler] – O conto do espadachim RAZLVAB

Aomine
Genin
Aomine
Vilarejo Atual
[Filler] – O conto do espadachim RAZLVAB

[Filler] – O conto do espadachim - Publicado 26/11/2018, 00:18

− Será que estou orgulhando você, Vovô Kagachi? – Era manhã, mas o sol nem havia raiado com sua luminescência quando Eiji se indagava com a mesma pergunta, todo o dia. Olhando para o teto como de costume até que algo lhe tirasse a sua atenção. – Não cheguei a conhece-lo, mas por suas histórias, de seus feitos e legados que me contam... O senhor parece ter sido um grande ninja. – Dizia o pequeno e em seguida fecharia seus olhos lembrando de histórias que seus pais contavam à ele, quando mais novo.
 
Cerca de dois anos e meio antes do garoto se formar na academia ninja de Kumogakure no Sato, estava o mesmo na sala junto aos seu pai, o menino lendo livros acadêmicos e seu progenitor o observava.
 – Kagachi? – Perguntava o homem de pele clara e cabelo de fios loiros e volumosos.
– Sim? Pai. – A atenção da criança saía dos livros para dar lugar ao pai que o chamava.
 – Seu nome, Kagachi, veio do seu avô falecido há muito tempo... – Sua fala foi interrompida pelos dizeres do menino.
 – Mamãe já havia me dito isso, papai, carrego o nome do vov... – Dizia voltando a atenção para seu livro que estava até agora pouco lendo.
– Cale a boca e me escute! – O pai do menino demonstrava irritabilidade, por ser interrompido daquela maneira. – Cadê o respeito que havia lhe dado? – Acrescentou o homem.
– Perdão, papai... – O menino fechava seu livro e se aproximava de seu mentor e sentava ao chão, olhando nos olhos, ele estava pronto para ouvir sua história.
Seu pai dava uma respirada profunda para passar um pouco de sua raiva. – Como você sabe, meu filho, seu nome é herdado de seu avô, uma escolha minha e de sua mãe poucos meses antes de que você pudesse nascer... Você não o conhece, pois infelizmente o mesmo veio a óbito durante um embate. – Parou para respirar e aproximou seu rosto para vislumbrar a face do jovem menino. – Pelos poucos momentos que eu o vi, o lembro de seu rosto perfeitamente ... E você, Aomine, tem as mesmas feições e seu olho verde, tem a mesma cor e intensidade de Kagachi. Isso me espanta as vezes. – O homem loiro voltava a sua posição inicial puxando uma grande quantidade de ar e soltando em seguida por sua narinas, fazendo um barulho intenso. O menino parecia mais interessado que antes, tanto que olhava seu pai com olhos de querer saber de tudo a respeito de seu avô. – Seu avô era um Samurai conhecido como “O demônio escarlate”, “ A besta de Katana” ou “Olhos esmeralda”, o primeiro devido suas vestes de batalha, eram vestes de metais resistentes, porém leve e de fácil locomoção e movimento nas áreas articuladas. Portava uma espécie de mascara ou capacete, não sei como classificá-lo ao certo, mas sua forma era intimidadora. Era vermelha, intenso como sangue e tinha chifres enormes de sua fronte, seu rosto era de dar pesadelo aos pouquíssimos que ele deixava viver, era um sorriso diabólico cheio de dentes com abertura para apenas o seu olho esquerdo. – Após os dizeres, fez uma pequena pausa e se levantou guiando-se até a cozinha para beber um gole de água. – Ele, além de fatiar seus inimigos com sua katana negra como o próprio breu de uma noite, possuía um dom que poucos tinham e era de fazer inveja, é uma coisa bastante peculiar e você não entenderia no momento, deixo isto para um outro conto. – Continuava a história elevando o volume de sua voz, para que assim, mesmo da cozinha, o menino pudesse escutar sem que precisasse de repetições. O homem guardava o copo sobre a geladeira e voltava caminhando lentamente e se sentava próximo ao seu filho, no chão. – Era inverno, quando ele saiu de Kumogakure no Sato trajando seu uniforme que o apelidava de “O demônio escarlate”, chovia muito no dia, mas isso não era nada que pudesse fazer sua missão adiar por alguns dias. Kagachi tinha uma missão especial fora das terras de Kumo, dada por um homem de não tão grande influência desta vila, tão pouca das outras. Porém, aceitar aquela missão faria com que sua vida o esvaísse de seu corpo e alma. –
– O que houve?! – O desfecho eu sabia, porém a ação até o feito não.
– Continuando... Próximo à fronteira de Kumo, um exército de cerca de quatrocentos ou quinhentos homens o cercaram em todas as direção. Todos armados de Katanas e munidos de jutsus de alto rank. O embate começava quando seu avô desembainhava um punhal sem katana e o segurava com ambas a mãos, os homens não perderam tempo e nem tinham a honra de espera-lo para se preparar, e com um único balançar de braços, uma “katana” branca saiu da base do punhal até cerca de 50 metros e dividia os corpos dos primeiros 80 homens, meio a meio, num corte horizontal, era um jutsu que apenas ela conhecia e mesmo que se quisesse passar à alguém, não poderia. –
– Mas se ele tinha essa habilidade única, como ele pode morrer assim? – Indagava o menino inquieto.
– Você é muito ansioso. Durante o embate, ele foi capaz de derrotar cerca de trezentos desses homens, porém tinha um habilidoso o bastante para se equiparar ao nível de seu avô, porém, mais jovem que ele. Seu avô morreu aos 56 anos, o menino tinha pouco menos da metade disso. O chakra e vigor estavam quase esgotados quando este homem cravou a espada na caixa torácica perfurando seu pulmão esquerdo, os homens restantes avançaram com gritos de guerra e katanas ao alto. “Não pense que isso foi um assassinato, isso é um suicídio”. Estas foram as ultimas palavras de seu avô de alto tom de voz, para que todos os homens escutassem. Kagachi fez um selo de mão e com as ultimas energias restantes, conjurou um cubo de proporções enormes, com o centro sobre ele. O cubo brilhava intensamente e logo desapareceu, levando parte do chão, aqueles homens e a si mesmo. Apenas dois escaparam, porém algumas partes do corpo ainda estavam dentro do limites do cubo e desapareceram junto a ele. Anos depois aqueles homens morreram junto ao mandante disto. – Seu pai se calou e fechou os olhos.
– Mas pai, quem foi o mandante de tudo? Como é essa habilidade especial que ele tinha e que jutsu é esse?! – O menino perguntava sem parar, porém seu pai permanecia imóvel e de joelhos. O menino levantava e ficava de joelhos ao lado de seu pai, fechava seus olhos e junto ao seu mentor, fazia uma oração à Kagachi.


1091 Palavras
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [Filler] – O conto do espadachim - Publicado 26/11/2018, 14:51