Os Imortais
Okina conseguiu destruir Sunagakure, tornando o vilarejo um só com as suas origens, as areias profundas do deserto. O mesmo aconteceu em Kirigakure no Sato, onde a entidade afundou a vila no oceano que o cercava. Porém, ao tentar acabar com Konoha, a inimiga da humanidade falhou sendo impedida pelos novos salvadores do mundo. Abençoados por Hagoromo, os ninjas Mako e Mordred conseguiram selar a adversária criando uma segunda lua pairando sobre o planeta. Passadas algumas semanas, uma seita antiga se reuniu procurando o local onde poderiam ressuscitar Jashin, um deus antigo. Liderados por uma mulher capaz de ouvir a voz do deus, os seguidores subiram a Cordilheira dos Deuses e encontraram uma rocha cheia de selamentos frágeis e acabaram assim liberando um novo inimigo que se diz ter muitos nomes: Kami-sama, Jashin-sama e Shaka-sama. A nova divindade absorveu os poderes da lua onde Okina foi selada e transformou-se totalmente, porém, uma quantidade estranha de chakra vazou e espalhou-se no planeta inteiro.O novo inimigo da humanidade marcou três vilarejos: Konoha, Iwa e Kumo. Mas quais são seus verdadeiros planos? E quem é a pessoa que despertou depois de muitos anos?
.
.
.
.
.
Últimos assuntos
» [Sugestão] Genjutsu
Hoje à(s) 17:03 por Zero_0

» C.J ~ Hipátia
Hoje à(s) 16:59 por Hipátia

» [Sugestão] Raigo Senjusatsu - 2º Tentativa
Hoje à(s) 16:58 por Oda

» [Sugestão] Ajudar os cegos
Hoje à(s) 16:55 por Yukino'

» [missão Rank D] Zero
Hoje à(s) 16:46 por Zero_0

» Lista & Organização de Clãs
Hoje à(s) 16:41 por DelRey

» Lista & Organização de Aparência
Hoje à(s) 16:39 por DelRey

» [B.B] Makoto
Hoje à(s) 16:38 por Himiko

» [DM]Uptade
Hoje à(s) 16:38 por DelRey

» |Historia| Uma nova História
Hoje à(s) 16:38 por DelRey


[TREINOS] xon w/ sera

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[TREINOS] xon w/ sera - em 21/8/2018, 19:42



Velocidade; +2.


Há muito o sol já lançava seu fulgor sobre a pacata Iwagakure, e numa brecha ao azar Sera se ateve ao conforto do beliche mesmo após a ampulheta, deixada sobre aobre sua mesa de canto, marcar a passagem de um terço e meio do dia. O velho Iggy, em quatro patas, fez rumo quarto adentro na calada da manhã, de olhos perscrutantes sobre a silhueta do garoto, à esta altura emaranhada dentre os cobertores. — Sera... — Lançou-lhe o mais arisco dos olhares, dando voz num tom precisamente áspero. As orelhas do Inuzuka se empinaram e, em constrangimento, uma espécie de rubor cobriu-lhe as bochechas e a testa. Ele vivia em peleja com seu sono, e outra vez desapontou ao velho cão numa derrota. — Garoto. Você é incorrigível. — Deu procedência. Nem mesmo um dedo o rapaz movera até então, mas as orelhas aguçadas se avolumando sob o cabelo foram o bastante para que o canino atestasse que acordara. Só então o ninja deu-se à ousadia de encará-lo, ainda que de soslaio, dando à luz um arreganho de orelha à orelha em que, despretensiosamente, ocultou a vergonha. — Bom dia, pai. — Num solavanco, elevou as pernas e o embolado de lençóis sobre seu corpo foi-se aos ares. Quando estes últimos deixaram de obstruir aos olhos do cão, Sera já estava de pé, bem como livre dos pijamas.

— Boa tarde. — Corrigiu-o, austero, enquanto o Inuzuka se atrelava aos trajes ninja. — Você sabe que dia é hoje, Sera? — E o rapaz lhe encarou de volta; desta vez, porém, com mais força no olhar. — Sim. — Deu-lhe a réplica em paralelo ao último dos nós de seu quimono. O mar de cores do roupão deixou-o quase tão brilhoso quanto o sol, raiando alto. — Então vamos. E hoje quero te ver no campo antes de mim. — Inferiu o velho Iggy, saltando cômodo afora e largando o rapaz à sua briga com o coldre de armas básicas. — Um minuto! Não tô pronto! — Das lâminas aos artifícios explosivos, meteu-as trouxa adentro e partiu, buscando a cola de seu mestre. Não houve nem mesmo o esmero de checar as fechaduras ou tratar da cama em caos; os seus esforços foram dedicados, como em toda outra manhã, à correr rápido o bastante para cortar o vento ao meio. Tudo nos moldes de um cão.

Quando Sera pôde, por fim, cruzar as portinholas do centro de treinamento, deu aos olhos a vista de Iggy sobre duas patas, escorado em um tronco velho a carecer de galhos. Constatou que o esperava de braços cruzados, e um olhar ainda mais ríspido que o de há pouco. A largada prévia do velho cão deu-lhe uma vantagem de um minuto e meio. O Inuzuka deu-se conta da série de eventos, em consecutivo, que o levariam aos maus olhos de seu mestre. — Me perdoe, pai. — Subordinou-se em frente ao cão e pôs-se sobre os joelhos. Iggy desviou os olhos e voltou à convencional postura quadrúpede. — Certo. E que o seu perdão não seja vazio, Sera. É hora de começar. — Quando o canino deu-se ao trabalho de um ou outro passo, Sera pôde ver a dezena de troncos que seguiam por detrás do que supôs ser um. Todos enfileirados num ângulo perpendicular e a formar o intervalo de dois metros entre si.

O cão voltou a encará-lo e procedeu. — Você vai completar este circuito trinta vezes, disparando em zigue-zague nos espaços entre um tronco e outro. — E a priori a proposta pareceu, aos olhos de Sera, como tola. O velho Iggy costumava dar-lhe encargos mais severos do que este. — Porém... — E as orelhas do Inuzuka se espetaram. Era nos poréns que residia o perigo. — Se parar, você começa de novo. Se relar nos troncos, você começa de novo. Se resvalar, você começa de novo. Não me importa se estiver no turno vinte e nove. Um deslize e você começa de novo, do zero. É tudo ou nada, Sera. — Abandonando o rapaz ao espanto, como em toda priori de prática, exemplificou suas instruções. Esquerda, direita, esquerda, direita, esquerda, direita; e num instante o cão completou o circuito. — É isto. Faremos trinta vezes, eu e você. E como pode ver, eu já estou num turno de vantagem. Então arrie as mangas e venha de uma vez. — Seguiu em ziguezague, sem dar tempo ao tempo.

Sera prostrou-se novamente, efervescente em entusiasmo, mas desta vez sem remissão. Adotou a postura quadrúpede de Shikyaku e emitiu toda a força através das pernas, canalizando-a numa rota sem volta dos posteriores de coxa à panturrilha e os calcanhares. Lançou-se aos ares, num salto invejável, da ponta canhota do campo à sua destra, e o vão entre o primeiro tronco e o seguinte foi coberto. Manteve o corpo teso no intento de estabilizar-se através duma musculatura rija, dos ombros à perna, pousando com maestria. Este método se repetiu até que o intervalo dos dez troncos remanescentes fosse coberto. Um turno estava feito; faltavam vinte e nove. E a esta altura o velho Iggy já cobrira outros dois. O Inuzuka soube que no ritmo vigente o cão seria o vencedor, e nas andanças do décimo terceiro turno manter-se rijo na etapa final dos saltos já era, ao corpo, uma tortura. Ergueu os olhos e encontrou na avidez do mestre, que prosseguia em seu décimo sétimo turno, a vontade de potência requerida para prosseguir. "— Se ele consegue, eu consigo; tenho que conseguir. É Iggy, eu não posso falhar. Não vou desapontá-lo novamente." Num surto de forças que reverberou-lhe as energias, as pálpebras se arreganharam e os caninos acabaram por abocanhar aos lábios. Um filete de sangue escorreu ao queixo e, em conseguinte, ao gramado, e as pernas gritaram por socorro em ardor. Mas Sera não ousou parar. Direita, esquerda, direita, esquerda, direita esquerda; mais um turno, outro turno. Vigésimo primeiro, vigésimo terceiro, vigésimo sétimo. E no auge dos seus esforços, o ninja perdeu as contas, bem como a consciência.

Iggy deu-se como satisfeito e abocanhou o colarinho do rapaz desacordado, repousando suas costas sobre um dos troncos. Sentindo o baque, Sera abriu seus olhos e banhou os pulmões em ar fresco. Um olhar selvagem estudou a fuça do cão, e com as forças que restaram o Inuzuka deu voz: — Quantos turnos, mestre? Quantos foram? Me deixe continuar, eu quero. Eu posso! — Escoou a sentença matraca afora, rouco e num tom fraquejante. O canino levou sua pata destra ao encontro do ombro canhoto de Sera, e negou-o a brecha à uma outra sentença. — Trinta e cinco. — Um riso farto se formou entre as covas do pai, como poucas vezes antes, e este mesmo partiu. — Para casa, rapaz. É o bastante por hoje.
Sera; CHEIO.
(1126 palavras).





Ademais:
Bolsa Ninja:
Kunai: 5 (5 Slots)
Kibaku Fuuda: 12 (3 Slots)
Senbon: 8 (4 Slots)
Kemuridama: 3 (3 Slots)
Makibishi: 5 (1 Slots)
Hikaridama: 3 (3 Slots)
Fios: 5m (1 Slot)

Iggy:


Nome Iggy
Descrição — Aparência: Um enorme lobo de olhar inexpressivo e pelagem alva cuja extremidade da nó à caracóis. Sera jamais o viu sem que estivesse ornado na pintura facial do clã, que serpenteia das pálpebras à extensão do peitoral e costas. Quando corre, a tinta rubra toma o aspecto de fogo, lhe dando a silhueta de um cão em chamas.
Descrição — Personalidade: Seu intelecto é o que o destaca. Nem mesmo Sera sabe de onde vem tamanha sapiência, mas desconfia que o velho Iggy seja bem vivido. Em boa parte do tempo, age mais como humano que como cão, e os seus modos para com os demais são invejáveis. É um exímio falador, como se as competências sociais de que carece Sera tivessem sido entregues como dádiva à Iggy. Sua bússola moral lhe leva a cruzar um caminho estreito de servidão ao clã Inuzuka, e foi a lealdade à este último que acabou por entrelaçar as vidas de Sera e Iggy. Para além de um cão, ele também é pai. Desde que trouxe Sera da mata à Iwagakure, Iggy tornou-se em sua maior referência, bem como no responsável pela tutela na ausência de família à que se recorrer. E qualquer outro cão faria feio nesta competência, com que a astúcia de Iggy pôde lidar. A cortesia do canino, porém, é menos recorrente no que cerne a relação para com Sera. É um pai severo e que busca dar ao jovem a humanidade que, hora ou outra, não tem. Este contraste entre afeto e austeridade tornou-o no modelo que hoje é aos olhos do Inuzuka.
Databook: 00 Ninjutsu; 02 Taijutsu; 03 Inteligência; 00 Força; 00 Velocidade; 00 Stamina; 05 Inicial; 00 Adquirido.


Shikyaku no Jutsu:


Shikyaku no Jutsu
Rank: D
Descrição: Esta técnica concede instinto de luta acelerado e reflexos como animal para o usuário. Por envolver todo o seu corpo em chakra e mover-se de quatro, eles podem obter movimento de alta velocidade e reflexos como o de um animal selvagem. Ensinada apenas para os membros do Clã Inuzuka, essa técnica constitui a base do estilo de luta Taijutsu de um membro da Clã Inuzuka, e acrescenta ainda mais a sua aparência feroz, como, seus dentes caninos, seus dedos e unhas crescem ao comprimento de garras, seus olhos também se tornam mais selvagens com suas pupilas tornando-se fendas.

Quando sob os efeitos desta técnica, um Inuzuka mostra grandes feitos de força física, velocidade, agilidade e resistência. A forma é mais adequada para o uso e apoiar as ferozes táticas "bater-e-esquivar" que o clã é bem conhecido, deixando o inimigo quase nenhum tempo para lançar um contra-ataque. Este estilo de luta é chamado de Jūjin Taijutsu (獣人体術, Taijutsu do Homem Besta; Literalmente significa "Técnica do corpo da Besta Humana") por Kiba e contém muitos ataques, tais como técnicas secretas.
avatar
Genin
Genin
Ver perfil do usuário
Re: [TREINOS] xon w/ sera - em 21/8/2018, 20:06

_______________________






i'm still a human being

avatar
Heroína || ANBU
Heroína || ANBU
Ver perfil do usuário

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

resposta rápida

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Naruto RPG Akatsuki (c) 2010 — 2018
Layout por Dorian Havilliard e Akeido.