>
Naruto RPGAkatsukiNão é o único, simplesmente o melhor!
Arco 11:
Reino de Lilith: PesadeloAno: 71DG
Após uma dura jornada, Shaka finalmente caiu e teve a maldição retirada de seu coração. No entanto, os problemas trazidos pela família Hattori não se extinguiram. Shion revelou ter ajudado a libertar Lilith, uma monarca da dimensão infernal, que agora está possuindo o corpo de Hyuga Katsura e libertando uma horda de seres infernais contra este mundo. O mundo corre risco de ser consumido pela maldade dessa criatura, mas não se o plano de Shion der certo: forçar Lilith a causar um evento chamado de O Grande Eclipse, onde as portas de todos os mundos e dimensões ficarão abertas, e assim permitir a ele ir ao submundo resgatar sua amada Katsura Grey para finalmente selar Lilith.
Sumário
Mapa
Staff
Discord
Facebook
Contos
Estação: Inverno

Awake.
Sennin
Awake.
Vilarejo Atual
Ícone : [Filler] O tempo é agora.  100x100

http://narutorpgakatsuki.net

[Filler] O tempo é agora. - 5/6/2018, 19:28


[Filler] O tempo é agora.  63e4c5f6456ca5316df3554aebbbf449--anime-fight-anime-warrior

Um dia como qualquer outro. Nessa primavera lancinante, o suor escorria pela minha testa e me causava calafrio. Talvez eu estivesse com um pouco de febre, mas com receio temia que era a abstinência do açúcar. Fazia 12h que eu tentava parar; sem sucesso, agarrei o pote de sacarose mais próximo e coloquei uma mão cheia dela na boca. Instantaneamente minhas pupilas se dilataram e minha energia foi recobrada. Teria que viver com isso, afinal. E nesse exato momento eu não ligaria muito com essa resolução. O fato era que, nesse casebre que chamo de lar, o dinheiro estava cada vez mais torrado. Minha impaciência para missões idiotas da vila só crescia com o passar do tempo. Salvar um gato? Escoltar um verme? Pintar muros? Mas que grande bobagem. Nesse intuito, minha frustração deu lugar em minha memória ao modo de vida que eu levava quando criança, antes mesmo da graduação genin.

Sim. Ter que lutar por cada prato de comida sem dúvidas foi o tempo que cresci como arma militar, como shinobi. Prostrei-me a andar pelas ruas e vielas de Iwagakure, cada vez mais entusiasmado com um novo mundo que eu adentraria. Embora apenas furtasse comida e pertences nos anos mais novos, tive plena ciência dos grupos que orquestravam o submundo da vila. Drogas, armamentos, assassinatos, tudo poderia ser obtido. E era nessa obtenção que, agora, eu me resguardava e tinha esperança em conseguir dinheiro. Muito mais do que eu precisava absolutamente era real. Assim que cheguei em uma rua sem saída, bati à porta vermelha que estava à minha esquerda. Duas, três, quatro pequenas batidas. Um homem alto, forte e tatuado abrira e me deixara entrar. Nossos olhares sórdidos se cruzaram e ele entedera que eu era mais um dos ''executores''. Essa denominação é dada às pessoas que se dispunham a realizar qualquer tipo de missão para os gângsters.

Subindo as escadas e mantendo meus sentidos aguçados pelo cheiro forte de cigarro e incenso, conheci aquele que seria meu salvador. Salvador dessa pobreza que eu vivia. "Não importa o que eu tenha que fazer, desde que me paguem bem" foram as palavras que quebraram o silêncio. Meu semblante era de sublime inquietação e uma reverência debochada foi feita com ele. Conversamos brevemente durante alguns segundos e me foi entregue um pacote em papelão. Após perguntar o que exatamente tinha lá dentro, afinal, não havia como eu planejar minhas ações sem saber a periculosidade que enfrentaria no caminho, fui instruído que jamais deveria olhar o que havia dentro. Drogas? Diamantes? Como não iria avançar em nada com isso, obtive um mapa que levava até meu destino. Era fora das montanhas e muito bem escondido por entre as rochas. Levaria, assim, dois ou três dias para chegar.

Colocando tudo de mim nessa tarefa única, retornei para casa e agarrei provisões e equipamentos. O pacote, pequeno como ele é, não possuía som audível ao ser sacudido. Achei realmente que seria folhas e afins, certamente algo que eu me daria mal caso fosse pego com. Esperei desconcertado com pirulitos e balas as 3h matutinas. A segurança em Iwagakure, em uma das passagens para fora, consistia em 2 soldados que eu poderia facilmente ludibriar com um Henge no Jutsu. Dito e feito, escolhi a aparência de um jounin e executei a transformação. Cabelo grande, liso e um rosto de pêssego em conserva. Não poderia ser uma feição mais ordinária. Meu pulso estava acelerado, como era de se esperar. E se? Fui saltando, com calma e silêncio,  de construção em construção até chegar perto da saída. Um shinobi guardava ela e o outro estava sentado num banco, descansando. Com 50% do problema resolvido, dirigi-me ao portão e falei com notória discrição que precisava sair.

– Receio que terei de revistá-lo – disse o homem.

Era tudo o que eu não podia permitir. Meu olhar desceu para a raiva e, antes que eu pudesse abrir a boca para tentar convencê-lo do contrário, minha mão foi retorcida nas minhas costas, de modo que eu estava imobilizado a menos que eu desejasse ter meu braço partido em dois. Meu coração acelerou e meus olhos se cerraram; de súbito, girei meu corpo na direção contrária, me abaixando e surrupiando uma rasteira atrás. O ninja, que a pouquíssimo estava dormindo e agora me atacava, saltou o suficiente para não ser atingido pela rasteira e disparou um forte soco que me atirou dois metros a frente. Aparei minha velocidade com um dos pés e soltei um grunhido de frustração. Ele era muito mais rápido que eu e certamente mais forte. O que eu poderia fazer? O henge havia sido desfeito e meu rosto agora era conhecido. Eu teria que matá-los, mas, no arauto da situação, resolvi fazer exatamente o contrário. Estendi os braços e deixei que o primeiro dos shinobis, definitivamente jounins, me revistasse. Não demorou para que encontrasse a entrega.

Lado a lado, eles buscavam uma maneira de abrir e checar o conteúdo. "Estou de olho em você, pirralho" foram as palavras de consolação vindas do que me atacara. Quando a caixa foi aberta, fora do nada, ela estava produzindo um efeito completamente indesejado pra eles, e ansiado por mim. Um selo foi circunscrito ao redor dos ninjas e seus corpos estavam paralisados. Era um fuuinjutsu extremamente poderoso que os deixaram estagnados. Não podendo ligar menos, disse-lhes que não se preocupassem. Iria acabar logo. Saquei duas kunais, uma em cada mão e atirei-as na direção da cabeça dos dois. O desespero em seus olhos ao ver a aproximação dos utensílios era extremamente recompensador. Meu braço ainda doía da ação anterior, e, à deleite meu, o baque de um crânio sendo perfurado enobrecia minha alma.

Restava fechar a caixa e dar o fora dali. Havia perdido muito tempo segundo minha percepção. Aliás, tratava-se de um tempo psicológico. A ação não durou mais que um minuto e, porém, a mim havia soado mais de cinco. Saquei uma shuriken e, com calma e precisão, após ter me posicionado bem, atirei numa angulação de modo que funcionou como um clipe qualquer. Não estava nem a 2 metros do meu alvo, foi algo extremamente básico. O selamento no chão desaparecera, deixando corpos que logo seriam descobertos pelas pessoas junto com a luz do dia. Recolhi minhas armas e segui viagem, apressando o passo. Embora verão, a hora propiciava um clima refrescante e seco. Mas em minha mente eu martelava imagens do que poderia acontecer comigo caso fosse pego por esses assassinatos. Eu definitivamente não conseguia me preocupar demais, era minha própria natureza, contudo uma pequena luz no fim do túnel ainda permanecia acesa.

Livre da aldeia e de preocupações, junto à glicose, levei três dias para finalmente chegar na toca que me aguardava. Não poupei esforços em dizer que fora fácil entregar-lhe aquilo, mas a ironia era óbvia em minha face, assim como em minhas roupas manchadas de lama e encharcadas por chuvas torrenciais. O rapaz ali presente sequer olhara em minha direção. O caminho de retorno fora ainda mais simples e rápido, uma vez que eu poderia entrar pela porta da frente. Não fosse pelo encontro com uma besta selvagem qualquer, eu teria enfartado de tédio. Paciência não era o meu forte. Quanto ao pacote? Pouco me importava o que de fato estava traficando. Os ryous que foram depositados em minha conta, nos dias seguintes, era recompensa mais que suficiente.

- Palavras: 1234

_______________________



A sabedoria adormecida
na palavra escrita
é dominada pelo desespero
que nela se esconde


-
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [Filler] O tempo é agora. - 5/6/2018, 19:44

@
-


Edição de Aniversario por Shion e Senko.