>
Naruto RPGAkatsukiNão é o único, mas simplesmente o melhor!
Arco 10:
RemanescentesAno: 69DG
Hanatarō olha para a vila do topo do prédio do Departamento de Pesquisa. Há dois anos era uma salinha no fim do laboratório geral da vila, agora tinha seu próprio prédio tão alto quanto o próprio escritório do Kazekage. Hanatarō sorri vendo as pessoas andando felizes na nova vila construída graças aos avanços científicos realizados com a inteligência de Takura, sua mentora. Antes, ele só via uma vila pobre, com construções de areia frágeis, com um horizonte desértico, dependendo de outras vilas, inclusive de Konoha, para conseguir sobreviver, mas agora... Sunagakure estava grandiosa novamente e tinha comprado sua independência. As construções ainda tinham porções de areia, mas eram forjadas em metais nobres, em ouro, em prata, criando grandes casas e prédios. As lojas estavam cheias de especiarias únicas, pois o trabalho de encontrar certos ingredientes se tornou muito mais prático desde que a vegetação voltou a florescer nos arredores da vila; onde antes era só deserto agora possuía vielas de relva, florestas, rios e uma fauna cheia de roedores, mamíferos e carnívoros.
Sumário
Mapa
Staff
Discord
Facebook
Contos
Estação: Primavera

Sith
Genin
Sith
Vilarejo Atual
Ícone : [M] Amor a primeira.. missão? 100x100

http://narutorpgakatsuki.net

[M] Amor a primeira.. missão? - em 3/2/2018, 02:32


[M] Amor a primeira.. missão? Tumblr_m3vwnf3ITc1rn69rto1_500

TEMA ~ Naruto Daily Life / Kakashi Theme

Sora encontrava-se deitado em sua cama, mergulhado no mais profundo tédio. No silêncio, ele encarava o teto sem propósito algum. Sua mente estava vazia. Ele apenas estava ali; existindo.
Diferente da sua vida acadêmica, o menino não estava atarefado. Por um momento, sentiu saudades de fazer as lições de casas quando chegava em casa. Pelo menos estaria fazendo algo, pensou. As expectativas de sua vida como shinobi foram em ruínas. Ele se deu conta que nada mudou.

Mesmo após se graduar a Gennin, depois de semanas, até agora ele não foi convocado em momento algum pelas forças de Iwagakure.

–– Arff... –– Bocejou. –– ... E eu achando que as coisas seriam diferentes. Nada. Só estudo. Nem pra conhecer uma outra pessoa pra treinar.

Ele olhou para a janela próxima a sua cama, viu que o céu estava escuro e cheio de estrelas. Olhou para o outro lado e o relógio marcava meia-noite. Hoje foi mais um dia nada produtivo.

–– Droga, eu preciso arranjar algo pra fazer, não é possível! –– Reclamou. –– E se eu não achar... Arff –– Soluçou outra vez. –– Vou até o Gabinete para ver se arrumo algo.

Pouco a pouco as pálpebras do menino se tornavam mais pesadas. A fadiga já estava vindo. Sora estralou o pescoço, e ainda na cama, com o corpo mole, contraiu a coluna, esticou as pernas e os braços, e com os dedos entrelaçados, os levou até a nuca. Outro bocejo.

Alguns minutos depois, o menino finalmente acabou entrando no sono profundo.

Seu despertar veio a partir de raios solares que tocavam uma parte de seu rosto, que estava virado pra janela. O incomodo do calor excessivo somente naquela área fez com que ele se levantasse da cama. Ainda com o corpo fraco, ele demora um pouco para voltar com seus sentidos. Se levanto e deslocou-se até o banheiro e ficou se olhando no espelho.

“ E lá vem mais um dia sem fazer nada.”

Ele abriu a torneira, deixou acumular uma pequena quantidade de água fria palma da mão e molhou seu rosto. Repetiu a ação por mais três vezes. Pronto, finalmente estava desperto. Tomou um banho, escovou os dentes e foi tomar seu café da manhã. Ainda descendo as escadas para tomar a sua primeira refeição do dia, ele ouve sua porta batendo. Parou e estranhou. Ficou em silêncio, queria ter certeza se de fato era alguém batendo em sua porta. O som se repetiu. Mas quem seria? Durante esses últimos meses, ninguém se quer cruzou o jardim que cerca a casa do menino, quem dirá bater na porta.
–– M-mas quem seria? Principalmente uma hora dessas... N-Não importa!

Desceu ás pressas para descobrir o autor daquele som. Quando se aproximou daquela parede de madeira, ele apertou a maçaneta e abriu. Estranhou, mas no mesmo momento ficou feliz. Se tratava de um homem de aparência adulta, careca, forte, bandana vermelha e trajes dos Chunins de Iwagakure.
–– Po-pois não? –– Sora estava nervoso, assustado, estranhando aquela presença. Começou a teorizar na sua cabeça os motivos daquele homem.

Ele puxou um pacote e retirou um papel.

–– Por acaso seu nome é Sora? –– Aquela pergunta tirou o fôlego do menino.
–– S-Sim! –– Exclamou feliz, esboçando um sorriso largo. Será que...
–– Você foi convocado a uma missão.. –– Justamente era aquilo que o ruivo queria ouvir.

Uma energia positiva explodiu de dentro dele. Sora começou a pular de ansiedade. Inúmeras cenas de ação começaram a encher sua cabeça. Antes mesmo de deixar o homem a continuar a falar, ele fez o shinobi esperar. Correu até seu quarto e amarrou a bandana de sua aldeia na testa e voltou ás pressas novamente.

–– Finalmente! –– Gritou, ainda feliz. –– E como é? Enfrentar Bandidos?! Feras? Ou-..
–– Nada disso. –– Respondeu o veterano, de forma seca.

Se não era aquilo, o que mais podia ser? As chamas de suas expectativas só aumentaram e se transformaram num incêndio completo. O filho de Hayuri estava ardendo por adrenalinas e batalhas.

–– Você, em conjunto de mais quatro outros Gennins serão enviados até o portão norte da aldeia. Como ninjas noviços, deverão pintar muros e cercas.

A última frase desmontou ele ali mesmo que caiu de costa pro chão.

–– Enfim, mensagem dada.

O Chunnin deixou um papel sobre o documento da missão no peito de Sora que ainda estava deitado e foi embora.

[...]

Reclamando da angústia e expectativas não correspondidas, o recém formado foi até o lugar apontado pela missão. Se arrastando, mas foi. Afinal, são ordens de Iwa, e não se pode contestar.

Chegando próximo a grande muralha que separa seu mundo com o exterior, ele viu a fileira de ninjas com a mesma idade que ele. Se juntou a tropa e olhou para cada um, e nenhum deles o chamaram atenção. Também notou de cara que estava faltando um shinobi.

Perante aquele grupo de ninjas, um homem de aparência velha mas com um forte físico se apresentou perante aos Iwa’nins. Todo empoeirado e sujo, ele se revelou como Ishy, o líder da operação das obras de todo vilarejo. Tinha uma postura militar e rígida, algo que não agradou Sora.
O homem deu todas as instruções para os ninjas ali contratados, mas avisou que o supervisor daquela operação era sua filha, uma Kunoichi da aldeia.

Quando o Uzumaki bateu seus olhos a aquela moça, seu coração palpitou. Seus olhos brilharam e não conseguiam se deslocar dela. A menina era ruiva voltado para o alaranjado. Pele branca e orbes azuis seduzem-te. Pela primeira vez ele estava apaixonado.

–– Prazer rapazes –– Ela se apresentou. –– Meu nome é Hitomi. Hitomi Sawaii.

Sua voz era delicada, mas ainda sim firme e forte como a de uma criatura angelical. Ou talvez isso era só efeito da paixão que o nosso protagonista estava sentindo.

Aquele vislumbre foi cessado com um belo grito do senhor Ishy que se despediu e deu as ordens de começar a missão. Mas aquilo não se tratava mais de uma missão, ele queria conquistar Sawaii.

[...]

Diferente dos outros, Sora foi o que mais se dedicou de espírito. Por muitas vezes e desnecessariamente ele fazia questão de usar suas habilidades de ninja, com o único intuito de se aparecer para a menina.

Suas brincadeiras e tentativas de se aparecer por muitas vezes acabavam mal. Ele acabava escorregando na própria tinta e se sujava, acabou borrando um muro sem querer que foi pintado recentemente. O auge foi quando ele tentou fazer malabarismo com vários baldes simultaneamente e acabou desequilibrando e sujou toda frota de Gennins. A confusão foi grande.

A Kunoichi não demostrava, mas ria e se divertia bastante com as brincadeiras que deram em maus resultado. Na frente do menino, ela fingia não ver.

Tardou mas em algum momento se concretizou. No final daquela tarde, Ishy acabou se atrasando. Isso deu tempo de Sora e os outros gennins conversarem e voltarem as tarefas e completa-las antes mesmo do pai de Sawai chegar.

Na conclusão da missão, o chefe daquelas obras se desculpou pela demora e dispensou todos. Quando ocorreu a dispersão, a Kunoichi foi embora antes do pai, e no meio do caminho, o Uzumaki propositalmente a “trombou”.

–– Me perdoe, Sawaii, não foi intenção.
–– Sem problemas, trapalhão –– Disse com um ar de sarcasmo.
–– Trapa o que?
Ela riu.
–– Você é muito engraçado...
Aquele comentário o deixou meio sem graça.
–– Err.. Obriga-
–– Afinal, qual é o seu nome? –– Ela perguntou com um sorriso simpático. Sora se derreteu por dentro.
–– Me-meu no-nome? É.. é Sora! –– Gaguejou.

Ela riu mais uma vez.

–– Tá bom... Sora. Até outra a próxima

Rumou até o por do sol, passando pelo jovem apaixonado e sumiu ao fim da rua. Enquanto o Uzumaki ficou estagnado naquele mesmo lugar por alguns minutos.

–– ¨”Até.... a próxima”?


foto da Hitomi:
[M] Amor a primeira.. missão? Sawaii_hitomi__sasuchanariosto__by_sasuchanariosto-d5pen4d

Missão:

Reformas da Vila
Descrição:
Desde o último ataque, a vila está sendo reconstruída, e você como um jovem ninja deve colaborar! Sua missão é pintar muros e cercas por toda a vila!

[M] Amor a primeira.. missão? OGqTxeM
Sora
450 // 500 // 0/5 // 10m/s

_______________________

[M] Amor a primeira.. missão? PF5Y3AD
Ficha de Personagem | Modificações na Ficha | Banco | Compras de Técnicas | Criação de Jutsus
-
nujabes.
Genin
nujabes.
Vilarejo Atual
Ícone : a

https://www.narutorpgakatsuki.net/t73264-chimasu-fp https://www.narutorpgakatsuki.net/t73266-chimasu-gf

Re: [M] Amor a primeira.. missão? - em 3/2/2018, 02:59

Aprovado. Recompensa máxima.

_______________________

[M] Amor a primeira.. missão? Tumblr_n2h10mzqJP1tvbalbo1_500
-


Layout por @Akeido Themes, @Loola Resources e Naru.