:: Mundo Ninja :: Mapa Mundi :: Sunagakure no Sato :: Arredores
12 Anos Online
A Noite Mais Escura
Arco 03
Ano 14 DG
Outono
Diante da queda de Moira O'Deorain e a morte de Chisaki Overhaul, todos os olhos dos ninjas presentes em Kiri se voltaram para o Capuz Vermelho, que se revelou uma cópia exata do lendário Sarutobi Shion. Graças a Hyuuga Angell, o mercenário foi capturado, levando a prisão junto com Moira. Tudo aquilo favoreceu um entendimento entre as vilas que lutaram entre si em Oto, fazendo com que eles voltassem a neutralidade. Enquanto Iwa e Suna elegem novos Kages, em Konoha, Sarutobi Kaden se prepara para passar o seu cargo para um ninja mais jovem, ao mesmo tempo em que um novo Senhor Feudal assume em Kumo e o Daimyou de Kiri tenta impedir os ataques dos opositores de Jyu. Com a revelação de Chisaki Overhaul sobre a HYDRA, as ações da empresa acabam sofrendo uma grande queda, gerando indícios de uma enorme crise nas grandes nações. Diante do caos, diversos vilarejos pequenos são varridos do mapa quando uma onda de assassinatos em massa se inicia, ao mesmo tempo em que um grupo de fieis ao Jashinismo começa a se erguer, trazendo uma mensagem de esperança para os corações afligidos pelo sofrimento.
... clique aqui para saber mais informações
Shion
Fundador do RPG Akatsuki, Shion é responsável por manter o bom funcionamento de todas as áreas do fórum há mais de 10 anos. Completamente apaixonado por RPG e escrever, hoje é o principal responsável pelo desenvolvimento de toda a trama desse universo baseado na arte de Kishimoto.
Shion#7417
Angell
Angell é jogadora de RPG narrativo desde 2011. Conheceu e se juntou à comunidade do Akatsuki em fevereiro de 2019, e se tornou parte da administração em outubro do mesmo ano. Hoje, é responsável por desenvolver, balancear, adequar e revisar as regras do sistema, equilibrando-as entre a série e o fórum, além de auxiliar na manutenção das demais áreas deste. Fora do Akatsuki, apaixonada por leitura e escrita, apesar de amante da música, é bacharela e licenciada em Letras.
Angell#3815
Oblivion
Oblivion é jogador do NRPGA desde 2019, mas é jogador de RPG a mais de dez anos. Começou como narrador em 2019, passando um período fora e voltando em 2020, onde subiu para Moderador, cargo que permaneceu por mais de um ano, ficando responsável principalmente pela Modificação de Inventários, até se tornar Administrador. Fora do RPG, gosta de futebol, escrever histórias e atualmente busca terminar sua faculdade de Contabilidade.
Indra#6662
XXXXX
Futuramente teremos.
Discord#1234
XXXXX
XXXXX
Discord#1234

[T.A] Terto 100x100

Sam'
Genin
Sam'
Vilarejo Atual
[T.A] Terto 100x100

[T.A] Terto - Publicado Qua 6 Dez - 0:30


[T.A] Terto 147870_orig

Estaria mortificada se tivesse que ler mais alguma coisa. Eu estava farta. Ultimamente tenho mantido minha cabeça cheia com livros sobre plantas, plantas venenosas e medicinais. Na verdade, eu só tenho pensado nisso. Acredite, eu fiz uma viagem de vários quilômetros para pesquisar uma planta. Fora difícil encontra-la com tanto areia espalhada por este deserto. O que levou muito tempo, embora tenha tirado um grande proveito dela, e não somente isso, afinal essa jornada me ajudou em outra coisa, pois acabei ganhando um pouco mais de resistência.

Era isso. Precisava fazer algo que não fosse ler. Movimentar o corpo sem que fosse uma caminhada ou corrida. Melhor, um treinamento seria ideal neste momento. Pensando bem, é exatamente isso que farei. Não me importo que o sol está de rachar, isso é o de menos. Entretanto, não me recordo dos exercícios básicos para treinar os músculos, quem dera fosse mais inteligente. Merda, uma coisa ou outra.

Estiquei os membros de meu corpo cuidadosamente, primeiro dobrando os braços nas costas e esticando-os até minha bunda. Sentei no chão e abri as pernas lentamente, dobrei o corpo e com minhas mão tentei pegar as pontas dos dedos de meus pés, o que, infelizmente, não aconteceu na primeira vez, nem na segunda ou terceira. Mas na quarta vez consegui obter sucesso.

Com minhas pernas, torso e braços esticados, finalmente, havia terminado meu aquecimento, o que, no calor do deserto, fez com que eu derramasse inúmeras gotas de suor, deixando todo o meu corpo molhadinho.  Nem pense nisso, meninos. Sou uma garota recatada, que só tem uma única vontade de luxúria. Matar todos os assassinos de minha família. É para isso que preciso ter um corpo saudável e forte.

Comecei, então, minhas flexões. Notei, depois de algum tempo, que fazer os exercícios em ritmos diferentes é melhor do que tentar fazer uma maratona deles. Devagar e lentamente, então rápido e progressivamente. Os braços queimavam, mas não sentia nenhuma dor.

O próximo exercício eram abdominais, cujo quais já havia tido um pouco de experiência. Quando digo um pouco, quero dizer que é pouco mesmo. Minha barriga não possui quadrados definidos, embora também não possua nenhuma pelanca ou algo do tipo. Só sou seca, de barriga, é claro. E, com este exercício, tonifiquei os músculos do abdome com algumas repetições.

Pronta, agora poderia praticar alguns golpes. Já tinha feito alguns exercícios e aquecimento. Tinha tudo pronto. Portanto, iniciei a prática com alguns socos no ar. Tentava a cada golpe mover o corpo inteiro, assim como haviam me explicado uma vez. Diziam que movimento o corpo junto do braço na hora de fazer o movimento do golpe o tornava muito mais poderoso. Parecia ser verídico. Terminei a prática depois de realizar os movimentos com as pernas, chutando e balançando-as no nada. Estava na hora de voltar para minha casa.

200;200

Treino de taijusu. 472 palavras. 1 ponto.



_______________________

[T.A] Terto Tumblr_static_tumblr_static_dnwrqo6856gw0ks84oskk48cc_640
さむらい の みち
I looked the sky, screaming rude words
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [T.A] Terto - Publicado Qua 6 Dez - 0:43

@Aprovado.
[T.A] Terto 100x100

Sam'
Genin
Sam'
Vilarejo Atual
[T.A] Terto 100x100

Re: [T.A] Terto - Publicado Sex 8 Dez - 20:21


[T.A] Terto 147870_orig

O que seria de mim se eu não treinasse como usar meus punhos? Uma garota morta, eu respondo. Existem muitos tipos de batalhas. Psicológicas, mentais, emocionais e as físicas. Creio que não sou boa em nenhuma delas, pelo menos ainda não. Suprida pelo meu ódio, normalmente, eu treinarei a mais comum destes tipos de batalhas. Foi com mãos que mataram meus pais, minha família. Será com as minhas mãos que irei mata-los.

Eu não fui capaz de defender minha mãe quando aqueles homens fizeram todas aquelas atrocidades. Bem na minha frente. Eu não pude sequer pedir perdão para ela, ou dizer que eu amava-a mais que tudo. Não pude nem ao menos retribuir seu último olhar de carinho, afeto. Mas não deixarei barato, todos que fizeram-na sofrer irão, enfim, definhar na morte.

O sol quente brilha ao redor de todo o lugar, a areia quente nos pés me trazem memórias nostálgicas. Memórias de um tempo em que tudo era bom, um tempo que nunca mais vai voltar. Estava difícil me concentrar no que tinha de fazer. Mas tomei coragem e despertei-me de meus devaneios.

Minha roupa negra, calça e camiseta, possui um tecido arejado e justo ao corpo. Perfeito para um treino de taijutsu. À minha frente estava uma pedra e presa nela estava um papel, no papel um rosto marcava onde deveria acertar meus punhos. Estiquei meu corpo, puxei um pouco de ar pela boca e fiz algumas respirações. Arqueei minha destra, coloquei-a numa posição de batalha, então golpeei o cara de papel.

Filho de uma put...! Xinguei mentalmente, o golpe, com certeza, doeu mais em mim do que na folha de papel, ou sequer na rocha atrás dela. Imaginava que iria doer, mas não que fosse doer tanto. Entretanto, sei que para treinar meus punhos essa dor será necessária, somente assim irei conseguir acertar alguém maior e mais forte do que eu, para que, então, conseguisse causar dano neste.

Arqueei minha canhota, posicionei o corpo na frente da rocha e ao aplicar o golpe usei todo o meu torso, o que, por fim, incrementou uma força extra em meu golpe. O soco praticamente destruiu o papel. Toma! Pulei de felicidade, tinha conseguido acertar meu primeiro soco. Nem me importei com a dor que estava sentindo em meu punho.

Nas próximas horas, eu continuei atacando vários papéis com rostos e destruindo-os um após um. Estava ficando fácil manter o treinamento, tão pouco tempo, e meu corpo  já se movia praticamente sozinho. Os músculos se acostumaram ao que estava fazendo e criaram memória corporal, o que tornava tudo muito mais rápido. Meus socos parecem meteoros, e antes que eu percebesse, até mesmo a rocha que estava atrás do papel acabou sendo um pouco afetada pelos golpes, deixando uma pequenina rachadura.

200; 200

Treinamento de taijutsu. 460 palavras. 1 ponto.

_______________________

[T.A] Terto Tumblr_static_tumblr_static_dnwrqo6856gw0ks84oskk48cc_640
さむらい の みち
I looked the sky, screaming rude words
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [T.A] Terto - Publicado Seg 11 Dez - 1:13

@Aprovado
[T.A] Terto 100x100

Sam'
Genin
Sam'
Vilarejo Atual
[T.A] Terto 100x100

Re: [T.A] Terto - Publicado Seg 11 Dez - 23:11


[T.A] Terto 147870_orig

Nem mesmo o calor pulsante do sol faria as veias gélidas daquela menina esquentarem. Seu rosto nunca demonstrou um sorriso verdadeiro, os olhos estáticos sempre almejaram concluir as instruções ordenadas. O coração dela e uma pedra poderiam ser considerados o mesmo.

Ela sabia que não tinha outra alternativa, ficar forte estava em sua lista de prioridades. Seus golpes pareciam não surtir efeito em inimigos parrudos e robustos, o problema é que eles não tinham peso o suficiente para causar algum dano. De fato, sua massa muscular teria que ser aumentada para evitar problemas no futuro. Um treinamento rígido e intenso seria o suficiente para faze-la progredir nessa questão. No futuro, suas técnicas com a espada também se tornarão muito mais fortes por causa de tal condicionamento.

O calor do verão era perceptível para Meiko, o campo ao qual havia chegado era banhado pela potência do astro celeste, o que fazia com que à flora rasteira estivesse numa cor sombria. Os arvoredos estavam secos e prontos para darem seu último suspiro de vida; uma ultima folha alaranjada caía de um dos galhos e pousava sobre os pés da garota. O cenário à sua frente não lhe trouxe nenhuma reação, ela apenas esticou os braços e começou a fazer alguns exercícios de alongamento. Uma roupa leve e fresca para caminhar vestia-lhe o corpo, embora o tom negro aumentasse os sintomas de calor.

Zahard não se preocupou com os olhares das pessoas que passavam por ali e paravam para admira-la, em sua mente apenas uma escuridão a cercava. Ela já devia ter feito duzentas flexões quando o cansaço finalmente lhe acertou, os braços cansados não aguentaram o peso do corpo e cederam, o seu rosto acertou o chão e ela adormeceu. Nem mesmo a quentura do solo parecia lhe atormentar nesse momento.

Três horas, esse foi o período que ela acabou passando desacordada. O céu já ruminava sua cor negra, à noite estava dando suas caras. Pelo menos o ar estava um pouco mais fresco e o treinamento seguiria mais confortável, embora isso não lhe importasse.

Ela se levantou e chacoalhou suas roupas sujas de poeira e terra, estava na hora de prosseguir com a fortificação de seus músculos. Mais flexões foram feitas e agora que estava descansada, Meiko acabou colocando uma bolsa com pedras em suas costas para aumentar a dificuldade dos exercícios. Talvez isso ainda não fosse o suficiente. Entre uma e outra flexão ela acrescentava uma pedra na bolsa, isso continuou até que não houvesse mais espaço para que fossem colocadas mais delas.

O próximo passo era empurrar uma grande pedra e tentar arrasta-la durante cinco metros. O inicio foi devagar e não houve nenhuma mudança na posição da rocha durante algum tempo, uma hora. Entretanto, seu esforço era notável e sem descansar ela continuou tentando empurrar o rochedo com sua força. Por fim, ela acabou não conseguindo concluir essa etapa. Em um outro dia ela conseguiria terminar esse exercício.

Ela acordou soltando um grito mudo, as mãos voaram para o pescoço, o verificando. O corpo estava tremendo e suado, o pesadelo ainda estava vivo na mente dela.

Demorou um pouco para que ela conseguisse se acalmar, mas logo a tranquilidade do mundo real invadiu seus olhos, tirando-a de seu transe. Devia ser a terceira fez que isso ocorria nessa semana, ela ainda não tinha conseguido superar o seu passado.

Eles estavam mortos e quase toda noite revivia aquele fatídico momento. Tinha sido fraca e não havia conseguido salva-los. Conseguia se lembrar dos rostos de sua família, eles pareciam pedir sua ajuda e ela nada pudera fazer, nada se não chorar.

Isso estava para mudar, hoje mesmo ela começaria seu treinamento. Levantou de sua cama, aprontou-se rapidamente e logo já estava indo em direção a um dos campos de treinamento da vila de Sunagakure.

O sol já havia acordado e começava a aparecer entre as dunas de areia da vila. O local a qual ela chegou estava vazio, ninguém tinha ousado aparecer ali. Esticou os seus braços e pernas e logo em seguida começou a fazer alguns exercícios físicos básicos.

Estava na hora de melhorar, o corpo dela ainda era fraco e mal conseguia aguentar sequer um pouco de peso, isso tinha que mudar. Faria um treinamento voltado para aumentar os músculos, assim conseguiria ficar mais resistente e forte.

Começou o treino fazendo abdominais e agachamentos. Não se importou em esticar o corpo no solo sujo do lugar, isso não era nada para alguém que almejava se fortalecer, mesmo para uma garota. Fez o primeiro destes trinta vezes seguidas, o número máximo que conseguia chegar no seu estado atual.

Levantou-se do chão e voltou-se para os agachamentos. Começou com vinte vezes, depois trinta e por último cinquenta. No total foram cem agachamentos e trinta abdominais, isso tinha sido o suficiente para fazer o corpo dela tremer de cansaço.

Preferiu optar por um leve descanso, afinal, não gostaria de ser levada a uma exaustão que pode-se acabar prejudicando o seu desenvolvimento. Foi para o bar mais próximo, bebeu um pouco de saquê, quantia o suficiente para que ela não ficasse embriagada, então voltou para o campo de treinamento.

Estava mais animada e disposta, talvez fosse o efeito do álcool agindo em seu corpo. Começaria fazendo algumas flexões, sendo cinquenta o total. Não demorou para que ela conseguisse fazer isso, assim voltou-se para os abdominais e agachamentos.

Fez duzentos de cada, adrenalina corria pelo seu sangue. Estava bastante cansada e suada, mais ainda não era hora de encerrar o treinamento.

Encontrou uma pedra de médio tamanho, ela devia pesar uns oitenta quilos. Colocou os braços ao redor dela e tentou levanta-la do chão. Não conseguiu fazer isso na primeira tentativa nem na segunda e terceira.

Suspirou pesarosamente e tentou uma última vez, conseguindo então levanta-la do chão. Finalmente, o treino parecia mostrar alguns resultados. Agora estava na hora de voltar para sua casa.

200; 200

Treino com 981 palavras. 1 ponto em força e outro em Taijutsu.


_______________________

[T.A] Terto Tumblr_static_tumblr_static_dnwrqo6856gw0ks84oskk48cc_640
さむらい の みち
I looked the sky, screaming rude words
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [T.A] Terto - Publicado Seg 11 Dez - 23:12

@Aprovado
[T.A] Terto 100x100

Sam'
Genin
Sam'
Vilarejo Atual
[T.A] Terto 100x100

Re: [T.A] Terto - Publicado Seg 25 Dez - 21:06


[T.A] Terto 147870_orig

Caminhando por algum tempo de sua casa até a biblioteca da vila, a garota não passou por muitas pessoas, tinham apenas alguns jovens brincando e alguns velhos na frente de suas "ocas" de areia, sentados aproveitando da sombra. O sol, naquele momento estava quase ao ponto de se pôr; ele já estava beirando a barreira de pedras onde um grande fio de luz se estendia até o outro lado. O sol era imenso.

O lugar era público, as portas sempre abertas, porém, tudo o que o adolescente pôde encontrar foi um funcionário que limpava os livros e as estantes que eram arredondadas assim como a própria construção; se encaixavam muito bem enquanto os livros acoplados não tinham diferença alguma de um prédio quadrado e estantes retas. — Ok... O que vou ler hoje? — Indagou a si mesma enquanto o rapazote do outro lado da sala não interviu, nem ao menos expressou qualquer reação - nem sequer para apontar algum livro a jovem – ele parecia não querer ser promovido.

Rodeou a biblioteca, passou a mão sobre os livros e por alguns instantes pensou que aquele ali, o que estava tocando, um livro de história, poderia ajudá-lo a conhecer um pouco mais sobre o que a vila já havia enfrentado, ou mesmo quais shinobis foram grandes por salvar a vila ou mesmo destruir alguma outra em nome da vila. E contendo um número finito de páginas as quais limitavam-se a apenas noventa delas, achou um bom começo, afinal, ainda não era paciente o bastante para enfrentar um Dostoievski.  

Apalpou e pegou-o numa tacada apenas. — Vou levar esse aqui —, a voz atravessou o hall e chegou aos ouvidos do outro, cuja reação de se virar e apenas balançar a cabeça, foi o máximo de interação entre os mesmos... Do tempo em que estava ali até o que levou para chegar em casa, o céu já estava negro, o breu só não era maior pelos guardas que acendiam as tochas espalhadas pelas casas e também em pontos nas muralhas pedregosas onde os ninjas poderiam enxergar os vãos que as rochas formavam, e assim patrulhar a vila de um ponto a outro.

Com algumas luzes espalhadas pela casa, o jovem começou a ler, compreender e assimilar ao que já havia visto em sua vida, como por exemplo algumas rachaduras nas muralhas de pedra que foram feitas por ninjas e tudo mais. Aquele livro dava à Meiko a oportunidade de aprender mais sobre o próprio vilarejo. Das seis horas até as onze já havia terminado de ler e depois compreender o que o autor tinha para passar.

E dormiu; seu olhos cansados estariam prontos para mais amanhã. A cabeça pesada estaria pronta para mais "ação" amanhã.

Fez-se um grunhido ao fechar minha porta, ecoando pela quietude que pairava em minha rua. Claro, não deveria passar das três horas da manhã, ninguém estaria acordado tão tarde, ainda mais rondando pelas ruelas da vila. Como sempre, eu estava sozinha, apesar de realmente nunca estar só.

Já que eu não conseguia dormir, por que não treinar? Era claro que se continuasse naquele mesmice, logo mais seria ultrapassada pelas novas gerações. Então não teria mais nenhuma utilidade. Seria apenas alguém tentando sustentar uma vida medíocre.

Eu não iria deixar isso acontecer comigo, não seria mais uma vitima do clã Kaguya, não seria esquecida. Algo como o destino não irá comandar minha vida como bem entender, pois eu estou no controle, eu decidirei quando e onde. Mas, para isso eu deveria melhorar, e muito.

[...]

Lenta, muito lenta. Meus superiores sempre reclamaram de eu ser uma pessoa devagar, pois nunca conseguia alcança-los nas missões e treinos, sempre atrasando-os. Isso era uma coisa que realmente estava me deixando puta. Não que me importasse com eles, quero mais que se explodam. Odiava o fato de ser julgada como inferior, e isso tinha que ser mudado. Era por isso que eu estava correndo, as quatro horas da manhã, num sábado.

Suor escorria de mim, pois mesmo que fizesse frio, calor irrompia meu corpo. Estava na terceira volta, já havia percorrido duas vezes todo o perímetro envolta da cidade e estava terminando este último. Meus números não estavam nem um pouco bons, a maioria da minha antiga turma teria terminado-o na metade do tempo que eu havia levado, ou antes ainda.

Era decepcionante, como um dos últimos membros do clã Kaguya podia ser tão fraco? Não tinha fôlego o suficiente nem para correr dez voltas sem parar para descansar, apenas dez voltas. Jamais conseguiria perseguir um inimigo, ou até mesmo fugir dele se continuasse assim. Teria que treinar muito mais.

Depois de descansar alguns minutos, beber um pouco de água e esticar novamente meus braços e pernas, voltei a correr. Duas, três....dez...vinte...cinquenta voltas, e eu ainda não havia conseguido diminuir sequer vinte segundos em meu tempo. Caí no chão de cansaço, meu corpo tremia e doía em todos os cantos. Não era de mim desistir, mas eu começava a considerar isso.

—— Fraca, você não passa de uma garota tola. Se continuar deste jeito, você nunca conseguirá se tornar alguém forte. —— pronunciou o homem que aparecia a minha frente. Mesmo que soubesse que ele não existia, que era fruto de minha insanidade, suas palavras tinham razão. Não iria melhorar se continuasse com tais pensamentos.

Então eu continuei, corri como se minha vida dependesse daquilo, afinal, talvez um dia ela realmente dependesse. Não me importei com os tombos que levei, ou com os machucados que tive ao cair. Mesmo que meus joelhos e pés sangrassem, prossegui com meu treinamento, e só parei quando tive certeza que havia melhorado.

Foram muitas horas, quase o dia todo para que eu conseguisse algo satisfatório. Depois de tanto perseverar, consegui reduzir o meu tempo pela metade. Caída ali, morta de cansada, continuava pensando que talvez agora eu conseguisse acompanhar os outros numa corrida.

200; 200

Treino para ganhar um ponto em inteligência e um ponto em velocidade.

_______________________

[T.A] Terto Tumblr_static_tumblr_static_dnwrqo6856gw0ks84oskk48cc_640
さむらい の みち
I looked the sky, screaming rude words
a

nujabes.
Genin
nujabes.
Vilarejo Atual
a

Re: [T.A] Terto - Publicado Seg 25 Dez - 21:13

treinamento aprovado.

_______________________

[T.A] Terto Tumblr_n2h10mzqJP1tvbalbo1_500
Conteúdo patrocinado
Vilarejo Atual

Re: [T.A] Terto - Publicado

Resposta Rápida

Área para respostas curtas