:: Área de Mudanças :: Centro de Melhorias :: Treinamentos de Fillers
Alvorecer
Arco 04
Ano 17 DG
Verão
A queda do pastor cobrou um preço altíssimo do mundo ninja: o golpe final trouxe ao mundo um tempo de dor e sofrimento; fome e pobreza retornaram às ruas, a violência triplicou, os antigos heróis caíram ou ficaram desacreditados. Mas, um pouco perto do amanhecer, a Hydra, que até então se mantivera em silêncio, mostrou-se das sombras, trazendo oportunidades de emprego e uma esperança para salvar o mundo dessa mais nova calamidade. Líderes ninja não tiveram escolha senão se arriscarem em tratados suspeitos para conseguir manter firmes seus lares e seus soldados. No entanto, os reais planos da Hydra ainda continuam sendo um grande mistério.
... clique aqui para saber mais informações
Shion
Fundador do RPG Akatsuki, Shion é responsável por manter o bom funcionamento de todas as áreas do fórum há mais de 10 anos. Completamente apaixonado por RPG e escrever, hoje é o principal responsável pelo desenvolvimento de toda a trama desse universo baseado na arte de Kishimoto.
Shion#7417
Angell
Angell é jogadora de RPG narrativo desde 2011. Conheceu e se juntou à comunidade do Akatsuki em fevereiro de 2019, e se tornou parte da administração em outubro do mesmo ano. Hoje, é responsável por desenvolver, balancear, adequar e revisar as regras do sistema, equilibrando-as entre a série e o fórum, além de auxiliar na manutenção das demais áreas deste. Fora do Akatsuki, apaixonada por leitura e escrita, apesar de amante da música, é bacharela e licenciada em Letras.
Angell#3815
Indra
Oblivion é jogador do NRPGA desde 2019, mas é jogador de RPG a mais de dez anos. Começou como narrador em 2019, passando um período fora e voltando em 2020, onde subiu para Moderador, cargo que permaneceu por mais de um ano, ficando responsável principalmente pela Modificação de Inventários, até se tornar Administrador. Fora do RPG, gosta de futebol, escrever histórias e atualmente busca terminar sua faculdade de Contabilidade.
Indra#6662
Biskath
BisKath é jogador do NRPGA desde julho de 2020, tendo encontrado o RPG por meio de pesquisas e começado a jogar nele, sem pausas desde então. É jogador de RPG desde 2013, mas o Akatsuki foi o primeiro de Naruto em que se aventurou. Apenas começou como moderador em abril de 2022, se dedicando as funções da moderação até se tornar administrador em julho do mesmo ano, auxiliando também na avaliação da área de criações. Fora do fórum cursa desenho, pois tem interesse em artes de forma geral..
BisKath#0666
XXXXX
XXXXX
Discord#1234

[Filler – Troca de Clã] Yuki-onna Templa17

Raves
Chūnin
Raves
Vilarejo Atual
[Filler – Troca de Clã] Yuki-onna Templa17

[Filler – Troca de Clã] Yuki-onna - Publicado Qui 1 Set - 15:44


Yuki-onna
Falas | Pensamentos

Estava um belo dia em Sunagakure no Sato. Pássaros cantavam, flores desabrochavam. Mesmo o Deserto do Vento também possuía uma fauna e flora belas a se contemplar, ainda que fossem escassas pelas características desfavoráveis à vida da região. Dentro de um dos oásis que existiam próximos à Vila da Areia, Kurohime e seu pai encontravam-se fazendo uma pesquisa de campus numa área de lazer, a Chūnin avaliava a vegetação de palmáceas com seu olhar conhecedor de botânica.

Uma, duas, três... — A mulher contava apontando para uma dúzia de palmeiras que estava a sua frente, contabilizando todas e expressando um pequeno sorriso. — Ha! Parece que dei sorte, a quantidade exata que o velho queria. — Seguindo para mais perto das palmeiras, ela levantava sua destra em direção a uma delas, preparando-se para realizar sua coleta da matéria prima. — Muito bem, meus amores! Ajudem a mamãe a pegar essas folhas! — Sua ordem entoava a doçura habitual que expressava em sua maneira de falar com seus insetos, mas...

Passavam-se segundos, um minuto inteiro, e nada acontecia como se esperava. — Hum? — A Kunoichi ficava paralisada em surpresa, ela não esperava que seu pedido fosse ignorado, ou melhor, sua ordem não deveria falhar por parte dos insetos. — Bebezinhos? Eu pedi para me ajudarem a pegar as folhas. — Novamente pedia aos insetos, entretanto, mais uma vez não recebendo nada como resposta.

Um sentimento de ansiedade começou a tomar conta da mulher, aquela situação mexia com a única coisa pela qual a Aburame mais zelava do que sua própria vida: seus insetos. Kikaichūs, Bikōchūs, Kugochūs e Tahaechūs, nenhum deles se manifestava dentro ou para fora de sua hospedeira. O desespero começava a pairar em sua cabeça, quase como uma paranoia, sua mente começava a trabalhar em diversas razões para o que estivesse acontecendo, desde um simples problema no organismo até a possibilidade de estar aprisionada em um Genjutsu; porém, nada diminuía a sensação de mal-estar que aquilo lhe provocava, sentia cada parte de seu corpo queimar em irritação, não sendo algo prazeroso como seria do fetiche da masoquista, até que uma aflição aguada atingia sua cabeça com muita força, fazendo Kurohime gritar em angústia enquanto levava suas mãos as laterais do rosto numa tentativa fútil de aliviar suas dores.

M-Mas que por-orra tá aconte-tecendo? — Gaguejava pela aflição que sentia, percebendo outro fenômeno estranho quando o fez. De sua boca o hálito escapava de forma visível, uma fumaça levemente esbranquiçada, foi então que Kurohime passou a notar que estava começando a sentir um terrível frio em seu corpo. — Ve-velho... Pa-PAI! — A moça exclamava sofrida, sequer percebendo a vegetação próxima também sendo congelada, chamando atenção do senhor que vinha correndo a uma distância considerável. No entanto, os momentos seguintes tornaram-se nebulosos, uma gélida escuridão tomava seus olhos e sua consciência se apagava após um instante.

[...]

De repente, com um solavanco, Kurohime levantava sobre uma cama de cores brancas e frias, percebendo segundos depois que estava no Hospital de Sunagakure. A sensação térmica de seu corpo permanecia a mesma, entretanto, o aquecedor ligado no máximo parecia compensar a temperatura restante do quarto. — Como que eu- Argh!! — Sua tentativa de comentários era interrompida outra vez por uma sensação queimante e dolorosa em seu corpo, mas também estando longe de sentir qualquer tato de calor.

Ahh! A senhorita enfim despertou! — Antes que percebesse melhor uma voz ecoava um pouco mais longe de sua cama, virando-se em sua direção tinha a visão de um homem bem acentuado se fazendo presente, aparentemente um Ninja Médico pelo uniforme que trajava. — Está conseguindo falar? Consegue dizer exatamente o que sente agora? — O rapaz fazia seus questionamentos um pouco receoso, Kurohime não sabia o porquê daquele comportamento, mas, esperava que não fosse um grande problema.

Arghhh... Sinto como se tivessem jogado meu corpo em um frigorífico e deixaram lá congelando por uma semana. — A mulher respondia com um suspiro pesado, retomando sua feição despreocupada no semblante. — Eu já tive experiências de quase morte melhores do que essa, pelo menos eu sabia até agora o que exatamente estava para me matar, no entanto, desta vez simplesmente me atingiram sem que eu vêsse de onde viera! — Ela brincava com a situação, o que não era nenhuma surpresa em seu histórico de personalidade conturbada, mas também sentia que precisava aliviar o clima da conversa ao invés de deixa-lo esfriar por conta própria.

Enfim... Tenho quase certeza que a culpa desse incidente não foi minha, ao menos dessa vez, o que aconteceu comigo? — Kurohime questionava ao rapaz, que continuava hesitante em responder a esse tipo de pergunta, ele engolia o seco e reunia toda coragem para falar. — Então... Peço desde agora que tenha calma, sua condição é um tanto que... Especial. — A Kunoichi arqueava uma de suas sobrancelhas, encarando-o nos olhos ameaçadoramente, fazendo o homem ceder em medo e prosseguir com sua explicação. — Você chegou aqui com setenta e cinco por cento do corpo congelado, a sorte que eram apenas lascas e pedaços maiores de gelo agregados a sua epiderme, incrivelmente você não sofreu dano algum – nem mesmo uma queimadura de criogenia, pelo que seu pai nos informou na recepção, você manifestou sua Kekkei Genkai pela primeira vez.

O semblante da Chūnin, despreocupado segundos atrás, mudava para um feição confusa e desconfiada de tudo que estava ouvindo. "Kekkei Genkai? Isso é impossível, os Aburames não possuem..." Suas memórias continuavam nebulosas demais para que conseguisse lembrar, ela havia perdido grande parte de seu conhecimento sobre o clã usuário de insetos, mas tinha consciência e esperança de que outra pessoa viesse ajuda-la a relembrar do que estava esquecendo. Sua voz entonava inexpressiva ao perguntar: — E onde está meu pai nesse momento? Posso falar com ele? — porém, sua máscara fria rachava em pedaços ao escutar com pesar do médico:

Sinto muito... Ele também pediu para avisarmos-lhe que, a partir de agora, você não deve mais procura-lo... Porque você não é mais uma Aburame.

[...]

Traição. Era única sensação que sentia além do frio que persistia em seu corpo inconscientemente. Não como se fosse algo que Kurohime diretamente se importasse, ela mesma poderia trair quase tudo e a todos pelas mais breves razões que lhe viessem a justificar, no entanto, seus insetos eram a única exceção e era neles que a Aburame depositava toda sua confiança, amor e valor que tinha em sua vida, mas agora eles tinham sido os primeiros a abandonarem e seu pai tinha que saber de alguma coisa, o velho ex-chefe do Clã Aburame também havia a renegado sem mesmo confronta-la pessoalmente.

Um rastro de gelo era deixado por onde Kurohime caminhava, as dunas eram congeladas e os grãos soltos de areia se tornavam pequenos flocos de neve, seguindo rumo em direção ao antigo casarão de sua família. Quando estava próxima de 20 metros da entrada, seu pai revelou-se por trás da porta da mesma e fitava Kurohime com o mesmo olhar agressivo que essa retribuía. Seu corpo tremia visivelmente pelo frio emanado da Chūnin, mesmo a uma distância considerável dessa, enquanto essa parecia já não se importar mais com a temperatura de seu corpo.

VELHO DESGRAÇADO! VENHA AQUI AGORA E EXPLIQUE O QUE FEZ COMIGO! — A perturbação irada da mulher intensificava a pequena região de inverno em seu entorno, transformando a superfície antes arenosa em camadas finas de gelo e neve. — Você não percebe?! Olha em sua volta! Kurohime, isso é o que você sempre foi! — O homem tentava argumentar de volta, ainda que tivesse muita dificuldade em respirar no ar gélido que tinha se espalhado. — Meu maior medo se realizou... Você despertou essa maldita Kekkei Genkai, Hyōton. A mesma Liberação de Gelo que devastou centenas de nossos membros e insetos muitos anos atrás. Você se tornou um perigo para todos, até para si mesma, e para seus insetos, eu tive que retira-los tanto pelo bem deles quanto pelas tradições impostas do Clã Aburame!

Apesar da fúria invernal da mulher não baixar, lágrimas tentavam escorrer pelo seu rosto antes de serem congeladas em neve fresca. Ela compreendia a lógica de seu pai e, no fundo, como nunca antes teve na vida, sentiu gratidão por ele priorizar a vida de seus amados insetos do que a sua miserável; entretanto, seu amor incondicional pelos animais a fazia não querer abandona-los. — EU! AINDA SOU! UMA ABURAME! — Esperneava, com mais lágrimas escorrendo e congelando pelo rosto, seu pai entendia perfeitamente o que sua filha desejava e queria dizer com esses bravejos, mas ele estava decidido do que acreditava ser o correto.

Não! Como sua mãe, você nunca foi uma de nós! Kurohime Yuki, tendo poder para tal, eu a renego do Clã! Saia daqui agora, antes que me faça usar a força!

Kurohime ficava pasma, ela acreditava que podia matar ele ali mesmo, tinha quase certeza que com esse novo poder conseguiria, ainda que seu pai fosse poderoso ele já estava longe de seu auge; porém, atacando naquela forma, ela acabaria matando todos os insetos que estavam próximos da região, incluindo os seus que muito provavelmente estavam armazenados no casarão. Com um grito gutural, a mulher dissipou sua frustração descontando no gelo que se formava pelo chão, fazendo todo ambiente gélido se desfazer em milhões de grãos de água evaporada. Por agora, ela sabia que deveria tomar seu próprio rumo, um novo modo de vida, no entanto, não podia sair sem avisar de antemão ao seu velho pai.

Você vai se arrepender disso... Quando chegar o seu Tempo do Inverno!

| N° de Palavras: 1608 | N° de Post's: 01 |

[Filler – Troca de Clã] Yuki-onna Hp210 HP: 1425/1425 [Filler – Troca de Clã] Yuki-onna XQKY0 CH: 7925/7925 [Filler – Troca de Clã] Yuki-onna 6b80b9965b1ec4d47c31d7eccf8ce4b0---cone-amarelo-rel--mpago-by-vexels ST: 00/08  》
Considerações:
Informações:
Equipamentos:
Técnicas/Habilidades:
Descrições:

_______________________

[Filler – Troca de Clã] Yuki-onna Templ143
"A ciência é o antídoto para o veneno da superstição."

Criação de Habilidades | Evoluções |  Recompensas Diárias
[Filler – Troca de Clã] Yuki-onna 855222333bedd196f4a675c89b5dacf0489f7fd9

Kassandra
Jōnin
Kassandra
Vilarejo Atual
[Filler – Troca de Clã] Yuki-onna 855222333bedd196f4a675c89b5dacf0489f7fd9

Re: [Filler – Troca de Clã] Yuki-onna - Publicado Qui 1 Set - 23:27

@ Troca de Clã aprovada

_______________________

[Filler – Troca de Clã] Yuki-onna X3Rd3A8