:: Área de Mudanças :: Centro de Melhorias :: Treinamentos de Fillers
O Dia Mais Claro
Arco 02
Ano 13 DG
Outono
Com o fim da guerra em Oto, o mundo estava se reajustando uma vez mais. Embora se vendo como inimigas, as Cinco Grandes Nações se reergueram novamente, cada uma à sua maneira. Suna e Iwa ainda se mantinham sem Kages, e em cada uma um conselho de alto nível foi formado. Em Kumo, Kagaya focou em deixar seus ninjas mais poderosos e passou a exigir deles ainda mais comprometimento em batalha. Kaden, mesmo emocionado com a difícil vitória, levou novas esperanças à sua vila, Konoha, e, aliviado pela renúncia de Kamata ao posto de Senhor Feudal, via na nova Senhora do Fogo uma forma de deixar tudo que aconteceu em Oto enterrado em Oto, para que todos seguissem em frente, para o futuro. Em Kiri, Jyu apresentou um novo investimento, e, agora, a vila investia na área cientifica, trabalhando com engenharia genética e mecânica; um jovem engenheiro, Moira O'Deorain, lançava um produto que alavancaria Kiri e todo o mundo ninja, sua nova criação: “Vita”. Ao mesmo tempo, saindo das sombras, a organização privada HYDRA se apresentava ao mundo, investindo pesado em tecnologia e criações para torná-lo um lugar melhor.
... clique aqui para saber mais informações
Shion
Fundador do RPG Akatsuki, Shion é responsável por manter o bom funcionamento de todas as áreas do fórum há mais de 10 anos. Completamente apaixonado por RPG e escrever, hoje é o principal responsável pelo desenvolvimento de toda a trama desse universo baseado na arte de Kishimoto.
Shion#7417
Angell
Angell é jogadora de RPG narrativo desde 2011. Conheceu e se juntou à comunidade do Akatsuki em fevereiro de 2019, e se tornou parte da administração em outubro do mesmo ano. Hoje, é responsável por desenvolver, balancear, adequar e revisar as regras do sistema, equilibrando-as entre a série e o fórum, além de auxiliar na manutenção das demais áreas deste. Fora do Akatsuki, apaixonada por leitura e escrita, apesar de amante da música, é bacharela e licenciada em Letras.
Angell#3815
Oblivion
Oblivion é jogador do NRPGA desde 2019, mas é jogador de RPG a mais de dez anos. Começou como narrador em 2019, passando um período fora e voltando em 2020, onde subiu para Moderador, cargo que permaneceu por mais de um ano, ficando responsável principalmente pela Modificação de Inventários, até se tornar Administrador. Fora do RPG, gosta de futebol, escrever histórias e atualmente busca terminar sua faculdade de Contabilidade.
Indra#6662
Salvatore
Salvatore é parte da comunidade de RPG narrativo desde meados de 2013. Conheceu o Akatsuki nessa época, mas começou a fazer parte como jogador ativamente em 2021, sempre com muita dedicação e compromisso com o fórum. Hoje, atua no fórum como narrador e administrador, focado nas partes administrativas do ON. Fora do fórum se considera um amante de futebol, adora cozinhar pratos exóticos e é estudante de Engenharia Civil.
Salvatore#1234
Sr. L
Sr.L apelido recebido pelos players do fórum, devido ao seu sobrenome Sinhorelli, joga em fóruns narrativos desde 2010. Encontrou o Akatsuki no final de 2020, mas manteve-se ativo no início de 2021. Desde então se empenhou como player e se sentiu na obrigação de ajudar os demais e hoje auxilia o fórum como Narrador, Moderador e Administrador. Fora do forum, trabalha e possui formações acadêmicas, voltadas a área de gestão de pessoas.
Sinhorelli#1549

[Filler] O Arqueólogo 7755a7b2cf22b792b2b35c17c9978c39

Rabbit
Jōnin
Rabbit
Vilarejo Atual
[Filler] O Arqueólogo 7755a7b2cf22b792b2b35c17c9978c39

[Filler] O Arqueólogo - Publicado 2/8/2021, 23:00



I

Os dias frios de inverno seguiam em Konohagakure no Sato. Talvez, se não fosse pelo fato de constantemente precisar sair de casa para realizar missões, certamente seria a estação do ano a qual Mio mais gostava. Eram tantas as características positivas que agradavam a garota nesta época do ano que mal conseguia as enunciar. “Roupas chiques e confortáveis; uma variedade de chás maravilhosos; sopas deliciosas… Ah, verdade… Não posso esquecer da lareira na sala.” — Tentava se lembrar enquanto trocava de roupa, logo após um quentíssimo banho.

Vestiu-se com uma roupa mais casual. Uma blusa preta de manga longa; uma saia verde-azulada um pouco acima dos joelhos; sandálias ninja de cor preta e, no pescoço, um delicado colar dourado. Não que fosse uma noite especial, mas só queria jantar fora – coisa que a muito tempo não fazia. Soma-se a isso, a preguiça de cozinhar, já que seus pais não estavam em casa.  

Curiosamente, as ruas mais ao centro da vila estavam mais movimentadas do que se esperava, devido ao horário e ao frio. Demorou alguns minutos para que encontrasse um local que a agradasse. Escolheu um restaurante cujo nome era “Baratie”. A faixada era simples: detalhes de madeira nas paredes, janelas e portas; letreiro em amarelo com o nome do restaurante e o desenho  de um peixe em detalhes de branco e dourado. Todavia, o que mais chamava a atenção era o indescritível aroma da comida que tomava conta de toda a rua.  

Ao entrar, percebeu salão não era tão espaçoso. Pequeno e acolhedor, pode-se dizer. Havia umas cinco mesas para quatro pessoas espalhadas e alguns bancos encostados no balcão. Essas mesas estavam todas ocupadas. Então, Mio sentou-se próxima ao balcão, com exatos 2 bancos de diferença para o próximo cliente que ali estava.  

O dono do estabelecimento – que também era cozinheiro e garçom – prontamente a atendeu, anunciando todos os itens do cardápio e fazendo uma indicação de prato. A Yamanka escolheu seguir essa indicação, pedindo um salmão grelhado com molho de maracujá e um chá quente de erva rosa. Enquanto esperava, a pessoa que estava ao seu lado começou a dizer algumas palavras.

— Quando crianças, raramente pensamos no futuro. Essa inocência nos deixa livres para nos divertirmos como poucos adultos conseguem. O dia em que nos inquietamos com o futuro é aquele em que deixamos a infância para trás. — Abaixou o capuz, revelando seu rosto. Era um velho de longos cabelos brancos e a barba bem feita. Ele usava um óculos redondo e tinha uma enorme cicatriz sobre seu olho direito, como se tivesse levado um golpe de uma espada. — E você minha jovem, já começou a pensar no futuro ou ainda se diverte? O que te faz seguir em frente? — Ele segurava um copo de saquê e, vez ou outra, soluçava ao terminar uma frase. — Oh, desculpe-me por minha falta de educação. Me chamo Ginko. — Completou, virando levemente o rosto na direção da genin.

“Hã!? Esse bêbado está falando comigo?” — Olhou para os lados, percebendo que não havia mais ninguém por perto. Só então, parou para refletir sobre o que o homem havia falado.

— Parando para pensar, há muito tempo não me divirto. — Respondeu. — Recentemente só tenho me preocupa em ficar mais forte para poder proteger meus pais e conquistar minhas metas. Sabe, eu sou fascinada por história e quero ser capaz de viajar o mundo todo conhecendo novas histórias, novas pessoas, novas culturas e coisas do tipo. Prazer, meu nome é Yamanaka Mio. — Respondeu, gentilmente.

No instante em que disse seu nome, o sons das conversas pelo restaurante pararam e até mesmo o cozinheiro o qual preparava seu prato, curvou-se pela pequena janela, que separava a cozinha do salão, para vê-la. A garota momentaneamente estranhou aquilo, mas logo tudo voltou ao normal, embora tivesse a sensação de estar sendo observada por todos.

— Ora que interessante! — Ele riu. — Minha história dentre todas as coisas é de sofrimento . Eu vivi muitas coisas, fiz muitas coisas; se você quer escutar minha história, teremos ficar aqui por três dias para contá-la. — Enquanto o estranho falava, a comida da jovem chegou. O salmão estava perfeitamente dourado e exalava um aroma de maracujá esplêndido. — Mas, é por isso que as histórias nos atraem. Elas nos dão a clareza e a simplicidade que faltam à vida real.

— Você não acha que as histórias que ouvimos ou que lemos são reais? — Questionou.

— O que é real, minha jovem? — Ele riu novamente, sem dar explicações. — Pois bem, sou Arqueólogo. Então, assim como você, tenho grande interesse em história. Inclusive, sairei em uma breve expedição ao amanhecer. O que acha de vir comigo? Como pode ver, já estou velho e nunca sabemos os perigos que vamos enfrentar. Preciso de alguém para me proteger! — Encarou-a com um sorriso no rosto.

Apesar de duvidar das intenções do velho, estava decidida a aceitar o pedido. Confiava o suficiente em suas habilidades para se proteger e, se o que o homem disse for verdade, não poderia deixar a oportunidade escapar.

— Aceito!

— Encontre-me no portão da vila ao nascer do Sol! — Disse, ao terminar outro copo de saquê. Levantou-se, colocando novamente o capuz e deixou o local.

Não demorou muito para que Mio também terminasse de comer. Na hora de efetuar o pagamento, todavia, o primeiro sinal de que não deveria confiar no velho.

— Faltam cinco copos de saquê no seu pagamento. Aquele velho é seu amigo, não? Pois ele não pagou.

— QUEEE! VELHO MALDITO! — Apesar de tentar argumentar contra, não teve outra alternativa a não ser pagar.

[…]

Na manhã seguinte, a Yamanaka acordou antes do sol nascer. Trocou-se rapidamente, preparou a bolsa de armas e uma mochila com comidas como bolos; biscoitos e frutas, e garrafas com água. Então, foi até o portão principal da vila.

A medida que se aproximava do local combinado, Mio notou a presença de um vulto encostado no muro. Quando estava a menos de três metros de distância desse, ele revelou um sorriso o qual ela já conhecia. Era o estranho velho da noite anterior. Trajado com a mesma capa branca, uma camisa alaranjada com botões, uma bermuda vinho cuja barra chegava até depois dos joelhos e chinelo nos pés.

— Velhote, precisa ficar andando igual uma assombração por ai? — Reclamou. — Aliás, você me deve mil ryous pelos saquês que você não pagou ontem, maldito. — Complementou, visivelmente irritada.

— Bom dia, Yamanaka. Vamos, pos temos um longo caminho à percorrer. — Sequer deu atenção as reclamações.

A dupla caminhou à passos lentos por longas distâncias. Primeiro, por uma estrada de terra cercada por árvores até adentrarem em uma difícil trilha em densa floresta. Pelos sons, era possível notar que não havia a presença humana na redondeza, apenas a mata e seus animais. Demoraram cerca de três horas nessa trilha, inclusive já havia amanhecido, até se depararem com uma grande área circular descampada. Em seu centro, uma enorme rocha amarelada.

Sem dizer nenhuma palavra, o velho Ginko se aproximou da rocha e começou a tocá-la de cima à baixo, até onde seus longos braços alcançavam. Vez ou outra, ele balbuciava algumas palavras, mas eram quase que indecifráveis. Sem muita paciência, Mio caminhou até uma das árvores mais próximas e se sentou, estava faminta. “Não adianta eu tentar argumentar com esse velho louco, melhor eu aproveitar para descansar e comer.” — Pensou, observando-o.

Distraída em seus pensamentos, mal notou a presença de um enorme urso marrom. Quando deu por si, o animal já estava à poucos metros do velho. Apesar dos sons ferozes emitidos pelo bicho, Ginko parecia não se importar, continuava agachado tocando a rocha. “Merda!” — A genin se levantou.

— Ei, velho. Não tá vendo a porcaria do urso? — Gritou.

O senhor não deu ouvidos; entretanto, o urso sim. A voz da Yamanaka foi suficiente para assustá-lo. Em um movimento de proteção, o animal levantou-se sobre duas patas e preparou-se para golpear o velho. Percebendo que Ginko não iria se mexer, a jovem imediatamente fez o selo da Cobra, enquanto corria em direção ao urso. — Doton: Domu! — Sua pele foi ganhando uma coloração mais escura, devido ao chakra terra. No momento em que o animal enfim ia atacar, Mio entrou na frente e o golpe acabou a acertando.

A garota foi jogada contra a rocha, todavia, graças ao seu jutsu não sentiu muito o golpe. Em seguida, sacou uma kunai de sua bolsa de armas e partiu para cima do urso. Com um ágil movimento, conseguiu escapar da mordida e saltar sobre ele, cravando a kunai em seu pescoço. O animal gritou de dor, chacoalhando-se, em seguida, para tirar a jovem de cima de suas costas. Mio caiu entre o urso e o homem, mas manteve-se em posição de luta com um olhar tão feroz quanto ele. Por alguns instantes eles se encararam, até que o bicho decidiu virar as costas e fugir para dentro da mata. Percebendo que estavam fora de perigo, a Yamanaka desfez o jutsu e virou-se para falar com o velho.

— Ora o que aconteceu aqui? Estava tão entretido que nem notei nada. — Riu, coçando a cabeça! — De qualquer forma, eu me enganei e este não era o local que eu procurava. Não há nada de especial nesta rocha, infelizmente. Mais um dia perdido. — Bufou.

— Você só pode estar brincando com minha cara, né? — O rosto de Mio corou, tamanha a raiva que ficou. — Eu vou te matar, é sério. Melhor, vou deixar que aquele maldito urso te coma. Tenha um bom fim, velhote!

Irritada, virou as costas e seguiu o caminho de volta a vila, sem se importar com o destino do velho.


HP: 425 | 425 • CH: 463 | 500 • ST: 01 | 05

considerações:
> Objetivo: Filler de Status.
> Detalhes: Recompensa dobrada devido a Quinzena do UP.
> Falas | Pensamentos.
> Palavras: 1586.
> Vício: 01/05.
> Aparência: aqui.

Alteração de Status
> Stamina: +1 (Jutsu Rank B+)
> HP:
> CH: - 37 CH (50 CH [Doton: Domu] - 13 CH [GCC])

Calculo de Danos e Velocidade dos Jutsus
>  Doton: Domu possuí 120 de Defesa (120 [Rank B]).

Jutsus Utilizados:

Doton: Domu
Rank: B
Requerimentos: Chakra Flow.
Descrição: O usuário flui chakra Doton através de todas ou partes de seu corpo, fazendo com que ele se torne visivelmente mais escuro, enquanto aumenta seu poder defensivo para se tornar tão duro quanto o diamante. Como tal, isso permite que o usuário possa facilmente suportar a maioria dos ataques com pouco ou nenhum dano, com exceção do Ninjutsu de Raiton. Além disso, o poder destrutivo dos ataques físicos é aumentado, tornando-se uma ótima técnica para todas as finalidades

Bonificações:
Alcance Kanchi: 100M (Base) + 425M (Pontos em Ninjutsu) + 400 (Pontos em Inteligência) + 200 (GCC) = 1125M

Databook:
- Ninjutsu [05*]
- Taijutsu [00]
- Genjutsu [00]
- Inteligência [04]: Armadilhas (Colocadas) - 2 a cada 3 turnos / Percepção de Armadilhas (Inimigas) -  2 a cada 3 turnos
- Força [00]:  Prec./Alc. & Vel. Armas: 5m & 4m/s. / 0 Danos adicionais / +20 Dano sofrido
- Velocidade [03]: 14m/s
- Stamina [03]: 5 Posts
- Selos [03]: 6s/s

- Regeneração: 3%HP a cada turno

Qualidades:
- Sensor
- Hab. em Ninjutsu: redução de dez pontos de chakra em qualquer ninjutsu que utilize chakra puro.
- GCC: Redução de todos os consumos de Chakra em 25%.

Defeitos:
- Código de Honra: Derrota
- Vício: Mascar Chicletes
- Ironia

Bolsa de Armas:
+ Kunai (8) -1
+ Kibaku Fuuda (10 un)
+ Fios de Aço (10 m)
+ Kemuridama (4)

_______________________

x
[Filler] O Arqueólogo 42AtZ2x

SirSalvatore
Raikage
SirSalvatore
Vilarejo Atual
[Filler] O Arqueólogo 42AtZ2x

Re: [Filler] O Arqueólogo - Publicado 3/8/2021, 14:06

Situação: Aprovado.
Considerações: Excelente narração.
Recompensas: +200 pontos de Status (100x2 [Quinzena do Up])

_______________________


[Filler] O Arqueólogo Pngwin11

Resposta Rápida

Área para respostas curtas