:: Área de Mudanças :: Centro de Melhorias :: Treinamentos de Fillers
Alvorecer
Arco 04
Ano 16 DG
Inverno
A queda do pastor cobrou um preço altíssimo do mundo ninja: o golpe final trouxe ao mundo um tempo de dor e sofrimento; fome e pobreza retornaram às ruas, a violência triplicou, os antigos heróis caíram ou ficaram desacreditados. Mas, um pouco perto do amanhecer, a Hydra, que até então se mantivera em silêncio, mostrou-se das sombras, trazendo oportunidades de emprego e uma esperança para salvar o mundo dessa mais nova calamidade. Líderes ninja não tiveram escolha senão se arriscarem em tratados suspeitos para conseguir manter firmes seus lares e seus soldados. No entanto, os reais planos da Hydra ainda continuam sendo um grande mistério.
... clique aqui para saber mais informações
Shion
Fundador do RPG Akatsuki, Shion é responsável por manter o bom funcionamento de todas as áreas do fórum há mais de 10 anos. Completamente apaixonado por RPG e escrever, hoje é o principal responsável pelo desenvolvimento de toda a trama desse universo baseado na arte de Kishimoto.
Shion#7417
Angell
Angell é jogadora de RPG narrativo desde 2011. Conheceu e se juntou à comunidade do Akatsuki em fevereiro de 2019, e se tornou parte da administração em outubro do mesmo ano. Hoje, é responsável por desenvolver, balancear, adequar e revisar as regras do sistema, equilibrando-as entre a série e o fórum, além de auxiliar na manutenção das demais áreas deste. Fora do Akatsuki, apaixonada por leitura e escrita, apesar de amante da música, é bacharela e licenciada em Letras.
Angell#3815
Indra
Oblivion é jogador do NRPGA desde 2019, mas é jogador de RPG a mais de dez anos. Começou como narrador em 2019, passando um período fora e voltando em 2020, onde subiu para Moderador, cargo que permaneceu por mais de um ano, ficando responsável principalmente pela Modificação de Inventários, até se tornar Administrador. Fora do RPG, gosta de futebol, escrever histórias e atualmente busca terminar sua faculdade de Contabilidade.
Indra#6662
Biskath
BisKath é jogador do NRPGA desde julho de 2020, tendo encontrado o RPG por meio de pesquisas e começado a jogar nele, sem pausas desde então. É jogador de RPG desde 2013, mas o Akatsuki foi o primeiro de Naruto em que se aventurou. Apenas começou como moderador em abril de 2022, se dedicando as funções da moderação até se tornar administrador em julho do mesmo ano, auxiliando também na avaliação da área de criações. Fora do fórum cursa desenho, pois tem interesse em artes de forma geral..
BisKath#0666
XXXXX
XXXXX
Discord#1234

Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

[FILLER - TIME SKIP 10 ANOS] - Publicado Dom 27 Jun - 22:30

Ano 1DG.

No início de seu mandato, o novo Kazekage enfrentava barreiras políticas dentro da própria vila, uma vez que seu passado conturbado dividia opiniões dentro dos membros do conselho da vila. Muitos não aceitavam um Nukenin de Konoha como lider da areia, argumentando que não haveria confiança com ele no cargo. Sunagakure ser guiada por um criminoso da Folha era algo que jamais alguém imaginou ser possível. Aqueles que eram oposição, buscavam brechas e criavam problemas para destituir o homem do cargo, transformando a vida política daquela vila em um verdadeiro inferno. Eram diários os pedidos de destituição, as greves e até mesmo cartas ao senhor feudal com o pedido do exílio de Tobirama Uchiha.

Entretanto, Tobirama não foi eleito por seus crimes, mas sim pelo seu heroísmo junto à Aliança Shinobi. A outra metade do conselho era a favor do jovem Uchiha, pois esta outra metade era constituída por membros que subiram ao cargo pelo povo, homens e mulheres de bom caráter e aceitação popular. É válido lembrar que durante a Grande Guerra, Tobirama foi o responsável por assassinar membros de Oto que sitiavam a vila da Areia. Foi também Tobirama quem derrotou Sanosuke, o antigo Jinchuuriki da Kyuubi e o responsável pela destruição de metade de Sunagakure. Em outras palavras, Tobirama Uchiha era um herói para o mundo, mas era um herói ainda maior para o povo de Sunagakure.

Com todos os problemas, a pressão popular manteve Tobirama no cargo, mas logo no primeiro ano de mandato o antigo Nukenin foi convocado para um tribunal organizado pelo próprio Senhor Feudal.

No banco dos réus, Tobirama era questionado a respeito de sua estranha relação com a vila da folha, pois o conselho político da vila havia descoberto que Tobirama Uchiha cedeu um precioso Mangekyou Sharingan a Sarutobi Kaden, o Lider da Vila Oculta da Folha.

- Com a palavra Seijuro Moro – disse o Senhor Feudal, dando a palavra ao encarregado de acusar Tobirama.

Moro levantou-se diante de todos e começou a falar sem parar, acusando-o e culpando-o de cada problema atribuído a vila da areia. Repleto de ódio e desprezo pelo seu lider, Moro aproveitou a oportunidade para tentar culpa-lo por muitas outras coisas, coisas estas que não estavam em questão naquele tribunal. Quando fora repreendido, o velho ranzinza finalmente voltou ao assunto principal: Konoha e Sarutobi Kaden.

- Não acham estranho um ex-shinobi de Konoha simplesmente doar uma arma tão poderosa à vila da folha? Vocês não se questionam qual é o verdadeiro caráter de um homem que abandonou a própria vila depois de matar o próprio pai e mais nove membros do seu próprio clã? Qual é o seu interesse, Tobirama Uchiha, em fortalecer uma vila que não temos uma aliança definida? Quanto Sarutobi Kaden te pagou? Me diga! – berrava o velho no tribunal.

Tobirama permanecia calado, desejando estar longe dali, mas ele sabia que devia se defender. Permanecer no cargo não era um desejo profundo, mas o Uchiha temia que alguém não digno tomasse o seu lugar. O Kazekage tinha um forte amor por Sunagakure, pois o povo o acolheu e demonstrou gratidão, além de ser a morada de sua amada esposa, Mahina.

Por isso, Tobirama se levantou diante de todos para falar.

- Muitos não sabem, mas eu tinha uma dívida com Sarutobi Kaden. Uma dívida de batalha. – quando falou, os sussurros e resmungos no tribunal abafaram a sua voz.

- Silêncio no tribunal! – exigiu o senhor feudal, fazendo todos se calarem.

- Prossiga com a sua defesa, Tobirama Uchiha. – ele ordenou.

- O homem para quem eu doei o meu Mangekyou Sharingan, é tão herói de Suna quanto eu. É graças à ele que eu pude defender a sua vila, as suas crianças e as suas vidas! Daquele psicopata chamado Sanosuke, o antigo Jinchuuriki da Kyuubi. – disse o Kazekage, causando espanto em todo o salão.

- Kaden me curou de um ferimento profundo, com suas habilidades de Iryou-ninjutsu, e também me ajudou a assassinar de forma furtiva parte do esquadrão da morte que sitiava a vila. Eu não teria forças para enfrentar Sanosuke se eu precisasse lutar sozinho com todo o esquadrão que ele comandava. Muitos tendem a idolatrar nós, os Kyūseishu, como os heróis invencíveis que acabaram com a guerra, mas eu lhes digo que nenhum de nós sobreviveria sem a ajuda de outros grandes heróis que morreram, como o antigo Kazekage, ou ficaram para trás ajudando quem necessitava, como Sarutobi Kaden o fez. – Falou com seriedade.

- Humpf! Se você fosse doar um olho para cada shinobi da aliança que teve o seu papel, todos os cidadãos de Sunagakure ficariam cegos! – rebateu Moro.

- Você está certo, todos tiveram um papel importante. Mas Sarutobi Kaden lutou ao meu lado até o final, não só na batalha de Sunagakure. O Hokage foi vital para a minha sobrevivência, e matou tantos inimigos quanto eu. O fato dele não ter ficado para a batalha final, significa que graças a ele os nossos centros de apoio não foram dizimados por inimigos que espreitavam das sombras. A guerra acontecia não só contra Suishu, mas em todos os acampamentos aconteciam invasões e ataques coordenados. Arrisco a dizer que os senhores não estariam vivos para me acusar, se o Hokage não tivesse lutado nesta guerra. – com aquela última fala de Tobirama, Moro socou a mesa com raiva.

- Nada justifica você ceder uma arma tão poderosa para uma vila que não tem lealdade com Sunagakure!!! A qualquer momento Konoha pode se virar contra nós! Konoha já tem a Lendária Rainha Hyuuga e a sua besta de 8 caudas, além de vários outros Shinobis poderosos... sua força militar é enorme, e você ainda os fortalece. – disse o homem.

- E como espera que nos equiparemos a Konoha ou qualquer outra vila sem manter uma boa relação com os outros Kages? Sim, Konoha é uma potência, mas Suna só avançou até aqui devido aos tratados comerciais que eu fiz com a vila da folha, através da minha amizade com o caro Hokage. Uma vila precisa de recursos, uma forte economia para alimentar e treinar seus guerreiros, e jamais conseguiríamos isso sozinhos aqui no deserto. Kaden nos ajudou na guerra e nos ajuda até hoje com os tratados estabelecidos por mim e ele. –  disse o Kazekage.

- Mas ainda assim, não temos uma aliança definida com a Folha, nada além de meros acordos comerciais! –  irritou-se.

- É este um grande problema que eu venho tentando resolver a trezentos e quarenta e cinco dias de mandato. Eu venho tentando firmar uma forte aliança com Konoha, não só comercial, mas também militar, e os senhores velhos e estúpidos deste conselho acabam vetando cada tentativa minha... vocês não querem o melhor para a vila, vocês querem o melhor para vocês! – disse o Kazekage.

- Como ousa desrespeitar o conselho da Areia!? – gritou Moro.

- E querem saber mais? É graças a paciência de Kaden que eu não matei cada um de vocês. Kaden quer que nossas vilas sejam unidas, mas quis fazer isso pela paz,  diplomacia,  e por isso vem manejando o poder legislativo de Konoha para que um dia as coisas possam funcionar melhor entre Folha e Areia. Já eu, sempre acreditei que a corrupção da Areia jamais cessaria enquanto vocês parasitas ainda tiverem o poder de afetar as decisões políticas da vila, então por mim eu mataria todos vocês e endireitaria Sunagakure colocando pessoas competentes nos seus cargos. Velhos imundos... – naquele momento o seu Mangekyou Sharingan deu as caras, brilhando como chamas do inferno, emanando uma aura agressiva que assustava a todos.

- Senhor! Mande prender este homem! Condene-o a morte por esta afronta à vila da areia e ao país do vento! – Moro gritava.

O senhor feudal, por sua vez, permanecia sério e disposto a ouvir o que Tobirama tinha a dizer.

- O que? Acha mesmo que eu não possuo o poder de matar todos aqui desta sala? Que piada... aceitem os fatos. A AREIA É FRACA!  Esta vila não tem forças para lidar comigo, então como tem a soberba de recusar uma aliança com Konoha? Nós precisamos da Folha para que Suna volte a ser forte... nós precisamos de Sarutobi Kaden como aliado. E vocês precisam de mim para garantir que esta aliança aconteça. – disse o Kazekage.

Sons de palmas cortaram o ar, emitidas pelo próprio senhor feudal. Com um sorriso largo, o ambicioso homem encarava Tobirama e lhe questionava animado.

- Genial, Tobirama-san! Uma aliança com Konoha, é de fato algo que a vila da areia precisa para crescer e voltar aos seus tempos áureos. Mas me diga, como um ex nukenin de Konoha faria isso acontecer? Mesmo que o Sarutobi seja seu amigo, o conselho de “velhos imundos” de Konoha jamais deixariam isso acontecer. O senhor Hokage não possui o poder necessário para decidir sozinho, e você é “persona non grata" em Konoha. Então clareie a minha mente... – inquiriu o nobre.

Tobirama levou a mão ao bolso esquerdo e retirou dele uma carta com o selo oficial da folha em seu lacre.

- Eu tenho aqui um documento oficial de Konoha, em que Sarutobi Kaden revogou a decisão de me classificar como Persona Non Grata... eu recebi isso do próprio Hokage, e vocês do conselho saberiam disso a oito dias se fossem competentes em manter a Areia informada sobre o que acontece la fora. Este é o primeiro passo, meu senhor... é o primeiro grande passo para que Suna construa alianças fortes e prospere cada vez mais. – disse o Kazekage.

- Incrível! Isso é uma ótima notícia, Tobirama-san... e o que falta para firmarem esta aliança de uma vez por todas? – perguntou o Nobre.

- Não é um processo fácil, meu senhor. Uma aliança como essa pode demorar anos para acontecer, mas vai acontecer assim que estes abutres pararem de atrapalhar. Konoha também tem seus problemas políticos, e Kaden está trabalhando duro para que isso se resolva. No momento, nós não temos muito a oferecer para Konoha além do que eu já ofereci... e isso dificulta para que eles tenham um real interesse. Apenas com o Hokage é a favor da Aliança, pela nossa amizade, e pelo futuro que Kaden enxerga comigo no poder.... então, isso pode demorar.


Ainda batendo palmas, o nobre deu então o seu veredicto.

- Então está definido, Kazekage-san! Eu o absolvo das acusações, e determino que você conclusa esta aliança com Konoha nos próximos anos! – determinou o Senhor Feudal.

---

Nos anos seguintes várias tentativas de aliança foram tentadas pelo Hokage e pelo Kazekage, mas todas as vezes as políticas das respectivas vilas impediam que isso acontecesse, mesmo com o desejo do Senhor Feudal responsável pela Areia. Tobirama enfrentava os políticos do país do Vento e acabava por conseguir maiores prazos, pois acreditava fortemente que teria sucesso nesta missão. Do lado do deserto, os senhores feudais ansiavam para que o acordo militar se tornasse realidade, mas os membros do conselho da vila conseguiam artifícios para impedir a concretização, inclusive com tentativas de golpes de estado. Tobirama nunca foi deposto apenas graças ao apoio popular que ele tinha, mas cada vez mais as manobras políticas sugavam a sua saúde mental.

Do outro lado do continente, Sarutobi Kaden insistia para que Konoha abrisse seus braços pra Suna, mas o passado de Tobirama ainda gerava desconfiança para com aqueles que conheciam sua história como Nukenin. Os obstáculos para Kaden eram ainda maiores, pois os senhores feudais rejeitavam o Kazekage deliberadamente. Suna não tinha atrativos para Konoha, pois sua força militar ainda era fraca e o Mangekyou Sharingan foi considerado um presente “insuficiente". Eles queriam mais do que Suna podia oferecer.

No entanto, os dois shinobis seguiam com as tentativas e cada vez mais os acordos comerciais entre as vilas se aprimoravam, gerando riquezas e aumentando a confiança entre eles. Konoha e Suna seguiam unidas apenas pela amizade dos Kages, irmãos de batalha que sonhavam com o dia em que as duas vilas pudessem permanecer fortes e unidas em prol da paz, como deveria sempre ser.


Considerações:
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [FILLER - TIME SKIP 10 ANOS] - Publicado Dom 27 Jun - 22:46


Suna (ou o que restou dela) estava sitiada por um Esquadrão de Oto conhecido como “o esquadrão da morte". Aqueles homens tinham ordens para fazer reféns e matar um a um para forçar uma rendição por parte dos Shinobis da aliança. Um golpe duro, pois entre os reféns estavam mulheres e crianças. O líder daquele esquadrão era conhecido como Sanosuke, A Raposa do Inferno, um sujeito sádico e extremamente poderoso, guardando dentro de si o chakra da Raposa de Nove Caudas.

Tobirama liderou um grupo de shinobis especialistas em assassinato, ninjas habilidosos em encerrar combates com rapidez e discrição. Mestres em Genjutsu, manipuladores de sombras, usuários de Hiraishin no Jutsu e, é claro, Tobirama Uchiha com o seu poderoso Kamui. Aquele esquadrão especializado foi capaz de extinguir os inimigos sem deixar que reféns fossem mortos, mas tiveram que voltar para dar apoio em outras localidades que também estavam sendo atacadas. Tobirama se encarregou de combater o último sobrevivente, e este era ninguém menos que o Jinchuuriki Sanosuke.

Foi uma batalha mortal, com os dois duelistas avançando até o limite das suas forças, mas Tobirama venceu no final das contas. A morte de Sanosuke não representava o fim do perigo, pois do seu corpo sem vida brotou o chakra da Kyuubi descontrolado, dando forma à presença física da raposa que logo começou a destruir tudo à sua volta. A Kyuubi tinha uma personalidade deturpada naquela época, pois o seu Jinchuuriki era um psicopata completo, então não havia nenhuma racionalidade em seus atos. Por isso, a única saída foi selar a bijuu no homem responsável pela morte do antigo hospedeiro. Então foi assim que Tobirama se tornou o Jinchuuriki da Kurama.

Dominar aquele Chakra era algo extremamente difícil, e por isso um ancião da areia reforçou o selo para que Tobirama pudesse lutar a batalha final contra Suishu, sem a interferência assustadora da Raposa.

Após a vitória da Aliança, Tobirama se tornou Kazekage e teve que lidar com o chakra de sua bijuu. A manifestação inicial era recorrente, resultado do stress diário causado pela sua nova função. As alterações de humor e picos de raiva quase fizeram Tobirama abandonar o cargo, mas Mahina estava presente para ajuda-lo.

Após o casamento de Tobirama e Mahina, a lua de mel foi uma dádiva que permitiu ao Uchiha controlar suas emoções mais básicas, sempre com a ajuda da sua amada. E toda aquela paciência que a bela Mahina teve, resultou em um controle da forma inicial da Kurama, onde bastava pensar em seu belo rosto para Tobirama se controlar, ou deixar a raiva fluir para o poder expandir. Aquele resultado era proveniente do amor que o Kazekage sentia por sua esposa, fazendo com que o belo sentimento possa controlar os picos de agressividade.

Em seus Treinamentos Tobirama aprendeu a usar a forma inicial para acelerar a cura de pequenos ferimentos, bem como acessar um maior potencial físico durante combates com espada. Mahina foi um farol importante para guia-lo na escuridão.



Início do Mandato

Os anciãos da vilã começaram a questionar Tobirama sobre seu progresso dominando o Chakra da Nove Caudas, dizendo que Suna precisava daquela força para ser respeitada entre os outros vilarejos. De fato, perante outras vilas, o poderio de Sunagakure no Sato ainda era pequeno, uma vez que o Kazekage era seu único jinchuuriki.

O problema era que Tobirama temia o Chakra da Nove Caudas, e se apavorava só de pensar no que poderia acontecer caso perdesse o controle. Ele temia por Mahina e por milhares de inocentes que viviam suas vidas dentro dos muros da vila.

A bela Mahina lhe oferecia ajuda, mas Tobirama recusava para não coloca-la em risco, e por isso ela tomou uma importante decisão. Mahina procurou um velho chamado Tanjo, um andarilho que muitos diziam ser capaz de domar qualquer fera. Tanjo andava acompanhado de um tigre lendário, e carregava consigo diversos pergaminhos de contrato Kuchiyose, onde em todos eles o seu nome estava assinado.

Quando Tanjo foi levado à Suna, o velho sorriu para Tobirama e subitamente enfraqueceu o seu selo através de uma técnica misteriosa, fazendo com que o Kazekage perdesse o controle do chakra. Bem no meio do gabinete, com seis pessoas presentes, e lá estava Tobirama em sua forma inicial coberto de um manto de chakra vermelho borbulhante. Todos se assustaram, e alguns até tentaram sair da sala, mas foram impedidos pelo tigre que Tanjo comandava. O velho queria todos presentes, pois segundo ele ajudaria que Tobirama controlasse aquela transformação.

Durante aquela confusão, o andarilho foi questionado se era prudente continuar, e enquanto isso ele apenas sorria. Tobirama gritava de dor e fincava suas unhas no chão para tentar se conter, mas aos poucos o seu emocional foi ficando insustentável. Foi então que Tanjo segurou Mahina pelo pescoço com uma velocidade absurda, ao mesmo tempo em que marcas de Maldição tomaram o corpo da mulher e selaram o seu chakra, impedindo que a mesma pudesse escapar através da sua técnica Hiraishin.

Foi então que Tanjo determinou, dizendo que se o Kazekage não regredisse a transformação, ele quebraria o pescoço de Mahina e os outros presentes virariam comida para o seu Tigre.

Tobirama tentava controlar a raiva, mas não adiantava. Então o Kazekage começou a focar em seu próprio Chakra, tentando usar a raiva para faze-lo explodir e sobressair ao chakra da raposa. Aquilo não foi uma atitude pensada, foi apenas o seu instinto de proteção lhe dizendo que ele “ainda" tinha mais poder que a bijuu. E funcionou! O Chakra humano atingiu níveis muito mais elevados que o Chakra Guren, fazendo-o retrair como um animal domado.

- Este nível de transformação é apenas um lobo raivoso. Lobos solitários podem ser coagidos por um animal mais feroz que ele. Foi o que seu chakra fez, demonstrando ser maior que esta porção de chakra guren. Amanhã domaremos uma matilha! – disse o velho Tanjo.

Naquele momento Mahina sorriu e quebrou o jutsu que a mantinha paralisada, e então Tobirama entendeu a real intenção daquele teatro.
Considerações:
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [FILLER - TIME SKIP 10 ANOS] - Publicado Seg 28 Jun - 1:50

1º post
Situação: Aprovado
Considerações: Se ceder o outro pro avaliador é humilde kkkk
Recompensas: Confirmação do roleplay de Kaden | aqui |

2º post
Situação: Aprovado
Considerações: --
Recompensas: Obtenção da forma inicial e V1 (1ª cauda)
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [FILLER - TIME SKIP 10 ANOS] - Publicado Seg 28 Jun - 13:48

Antes de lhes contar como dominei as caudas da raposa, eu preciso falar sobre como  despertei o Rinnegan. Tudo isso aconteceu muito depois da Kyuubi ser controlada por mim, mas vou adiantar esta história para vocês entenderem algo a respeito do misterioso chakra que guardo em meu corpo. Um poder que rivaliza até mesmo o chakra da própria Raposa de Nove Caudas.

A guerra contra Suishu havia terminado, mas aquele homem  ainda afetava o mundo ninja negativamente, mesmo depois de morto. Sujeitos com a cabeça deturpada e fanáticos inescrupulosos, eles ainda andavam por ai e perpetuavam os ideais de Suishu. Eles se autoproclamavam “Yakuza", uma organização criminosa que tinha objetivos doentios. Muitos Yakuza se infiltraram em Sunagakure no início do meu mandato, e contaram com a ajuda de pessoas importantes para tentar me derrubar logo no início.

Suna era o alvo daqueles bandidos por ser a vila mais fraca, um alvo fácil para eles, e até mesmo tentaram me coagir através de cartas, tentando me fazer trabalhar com eles. Eu recusei, é claro, e os adverti que os encontraria e acabaria com todo aquele jogo sujo. Contudo, os Yakuza não se intimidaram e quase levaram Suna a declarar um estado de emergência. Eles faziam pequenos e sistemáticos ataques pela vila e aos poucos enfraqueciam ainda mais o nosso poderio militar. E tudo piorou quando aqueles assassinos conseguiram de alguma forma “sintetizar” o controle mental de Suishu para dominar a mente de um poderoso monge. Seu nome era Takuan.

Takuan era um sujeito lendário, personagem de muitas historias do passado. É dito que sua origem é no país do ferro, onde tornou-se um habilidoso Samurai que podia fazer frente a qualquer shinobi conhecido. Takuan viveu em uma era corrupta e foi obrigado a cometer diversos assassinatos a mando do Shogun, tantos que lhe renderam a alcunha de “retalhador". Entretanto, Takuan detestava aquela vida repleta de sangue e em algum momento resolveu dedicar sua vida à completa redenção. Ele se isolou em um monastério chamado Templo Shaolin, onde viveu como monge por décadas e permaneceu imerso na religião budista. Reza a lenda que em sua jornada espiritual o velho monge foi abençoado por um espírito de chakra que lhe concedeu poderes além da imaginação, poderes estes que lhe permitiram viver por mais de 200 anos e espalhar uma palavra de paz pelas terras sangrentas do país do ferro. Muitos dizem que era o chakra do próprio Eremita dos Seis Caminhos que o abençoava.

Dizem que quando a paz finalmente reinou no país, Takuan entrou em um estado catatônico, em completa meditação, e assim permaneceu até a época de Suishu. O exercito do vilão não acreditava na lenda de Takuan, e por isso seu corpo permaneceu intocado dentro do Templo mesmo durante a guerra. Porém, testemunhas dizem o monge começou a acordar quando Suishu estava vencendo a guerra, como se ele estivesse destinado a interferir e impedir que o mal reinasse. Mas como Suishu foi derrotado, Takuan continuou a sua jornada em iluminação.

Não se sabe como, mas após a guerra a Yakuza tomou conhecimento sobre Takuan e invadiram o templo em busca do seu corpo. E o encontraram, confirmando que a lenda era verdadeira. Um monge com mais de duas centenas de anos estava congelado no tempo em meditação, bem no coração do Monastério Shaolin, era Takuan. Assim, a Yakuza conseguiu reanimar o seu corpo e dominar a mente do monge, obrigando-o a atacar Sunagakure para satisfazer a ambição daquele grupo diabólico.

Enfrentar Takuan foi uma tarefa difícil, impossível de ser feita sozinho. Eu contei com a ajuda de muitos shinobis experientes, incluindo o auxilio de Sabaku no Mirai, um poderoso Jounin que portava a Goddosureiyā, a magnífica espada que o finado Sarutobi Shion usou durante a guerra. Foi preciso um Esquadrão inteiro para fazer frente a um único e velho monge, era simplesmente surreal a sua força e habilidade diante de tantos ninjas formidáveis. Mesmo com o chakra da raposa eu passei perto da morte dezenas de vezes durante a batalha, era como se Takuan não pudesse ser derrotado por homens mortais. Muitos morreram durante a batalha, deixando Suna de luto por seus melhores guerreiros.

Vencer Takuan só foi possível quando Mirai descobriu a fonte que o controlava, avançando sobre o vilão e o ferindo gravemente. O controle sobre o Monge foi perdendo força, deixando-o em um estado de completa confusão. Infelizmente aquela manobra custou a vida de Mirai, e então a Goddosureiyā foi confiada a mim para terminar o serviço. Com a espada em mãos, eu acabei por me aproveitar das brechas que o confuso monge dava e o perfurei na altura do peito. Um golpe fatal, sem chance de escapatória.

Naquele momento Takuan recobrou a consciência e me olhou nos olhos, sorrindo, feliz por poder descansar finalmente em paz. Antes de cair o monge segurou a lâmina com as duas mãos e eu pude ver uma luz límpida e brilhante que saia do seu ferimento, percorrendo a lâmina como uma corrente até caminhar pelos meus braços e abraçar o meu corpo como uma descarga elétrica. Meu corpo absorveu aquela energia e se apossou daquele poder. Um presente do lendário monge. E com aquela força eu pude terminar aquele conflito eliminando cada um dos Yakuza que sobraram, incluindo o homem responsável por invadir a mente de Takuan.

Quando tudo terminou, eu olhei para a lâmina da Goddousureiyā e vi o meu rosto em seu reflexo, percebendo que algo estava bastante diferente. O meu Sharingan esquerdo deu lugar à uma espécie de Rinnegan, porém dentro dele havia tomoes negras como as de um Sharingan evoluído. E foi ali que eu confirmei que, de fato, o Rinnegan era uma evolução do Mangekyou Sharingan.

Eu ainda luto para descobrir os limites do Chakra Rikudou e as habilidades do Rinnegan Supremo, que é como lhe chamam, mas a cada dia eu me torno mais íntimos desses presentes que Takuan me cedeu. E sim, a Goddousureiyā ainda permanece comigo como uma fiel companheira de batalha.

Considerações:
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [FILLER - TIME SKIP 10 ANOS] - Publicado Seg 28 Jun - 14:11

Situação: Aprovado
Considerações: --
Recompensas: Rinnegan proveniente do chakra Yin obtido. Obtenção da Matadora de Deuses contextualizada.
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [FILLER - TIME SKIP 10 ANOS] - Publicado Seg 28 Jun - 23:16

Agora chegou a vez de contar para vocês sobre o meu “treinamento” com Tanjo, o mestre das feras. Foi graças a este homem que consegui dominar as nove caudas de Kurama em apenas uma semana. E o melhor... “dormindo"!

O andarilho era repleto de segredos incríveis. Tanjo era um mestre em hipnose, e conseguia aplicar esta ciência como nenhum outro é capaz.

Eu queria um resultado rápido, e por isso o sujeito resolveu me impor um tipo de treinamento um tanto inusitado.

Tanjo me hipnotizou, e durante o estado de transe ele foi me enchendo de inúmeras perguntas a respeito dos mais variados assuntos. Falamos sobre medos, receios, comida favorita, cor favorita, formato de nuvens no céu e mais uma infinidade de assuntos que a primeira vista poderiam parecer desconexos. Enquanto eu falava, Tanjo continuava a me perguntar sobre coisas e fazia anotações em um pequeno bloco. E era ali que estava o segredo!

Através das minhas respostas, o Andarilho conseguiu traçar um perfil psicológico detalhado, identificando pontos fracos e pontos fortes, praticamente decifrando a minha “composição mental". A partir dali ele percebeu quais eram as minhas dificuldades para lidar com o chakra da Kyuubi, desvendando todas as travas emocionais e psicológicas que permitiam a raposa usar o meu descontrole psicoemocional para sobressair à minha própria força de vontade. Uma vez dentro de mim, Kurama era capaz de captar brechas nos meus sentimentos, pensamentos e comportamentos para assim explodir seu chakra e tentar tomar o controle do meu corpo. Eram essas brechas que Tanjo precisava fechar para que eu pudesse controlar o seu chakra livremente.

O próximo passo a partir dali era um tanto quanto estranho.

Tanjo também era um herbalista talentoso, e conseguia entrar na mente das pessoas através de efeitos psicoativos das ervas que ele preparava.

Foi então que ele apareceu no outro dia com uma espécie de cacto chamado Peyote, e com ele preparou algum tipo de cerimônia xamã bastante incomum. Tanjo infundiu chakra por horas naquela planta, movendo seus dedos como se “desenhasse" uma infinidade de pinturas ao redor do cacto. Linhas cintilantes de chakra brilhavam em formatos estranhos e então adentravam no Peyote e mudavam a sua cor. Aquilo ocorreu repetidas vezes até o por do sol, que foi quando o cacto já reunia incontáveis cores devido a tamanha infusão de energia. Por fim, Tanjo o triturou até que virasse pó, e com ele fez uma generosa tigela de chá.

Eu bebi daquele chá e entrei numa espécie de viagem espiritual muito semelhante ao que aconteceu com em uma cerimônia de Ayahuasca. Mas logo entendi do que se tratava...

A forma mais fácil que Tanjo encontrou de me permitir dominar o chakra da raposa foi me fazendo enfrentar os meus demônios internos. O velho andarilho pegou todas as informações coletadas sobre mim e infundiu no poder psicotrópico da planta, fazendo com que os meus desafios mentais e emocionais se manifestassem de forma subjetiva e figurativa, criando demônios personificados em minha mente. Aqueles seres representavam uma infinidade de obstáculos que precisavam ser vencidos por mim. Daquela forma, eu não precisava entender o processo para evoluir... o que seria muito demorado... eu só precisava vencer cada demônio para que minha mente e espírito assimile automaticamente as sutis mudanças que me permitiriam controlar o poder da raposa.


O Primeiro demônio era medonho, um ser repleto de chifres, patas, diversos olhos e presas enormes. Era como se tivessem reunido o que existe de pior em livros de horror. Aquele demônio representava o Medo, personificado em uma criatura assustadora e completamente bizarra. E para mim foi chocante enfrentar alguma entidade ligada a este sentimento, pois sempre me senti corajoso diante dos desafios. Entretanto, certamente em algum ponto eu temia as consequências de lidar com o Chakra da Nove Caudas.

Eu o enfrentei com tudo o que eu tinha, até então sem limitações naquela realidade ilusória, atacando-o com diversas técnicas e me esquivando dos seus ataques lentos e pesados. O Medo, no entanto, era teimoso, custava a cair e sempre retornava quando parecia que já estava morto. O Demônio do medo fazia jus ao sentimento análogo, pois só caiu de fato quando eu o acertei em cheio num ponto central em sua testa, encarando-o de frente enquanto observava a vida esvair de seus diversos olhos.

O segundo demônio era uma mulher totalmente nua, voluptuosa e com a pele branca sem defeitos, uma mulher linda, mas por algum motivo eu não conseguia olhar para ela por mais que alguns segundos, e isso abriu brechas para ela me acertar com poderosos golpes. O demônio da vergonha sabia onde bater, buscando pontos de pressão e de extrema dor, me torturando com seus golpes rápidos e precisos, como se ela soubesse exatamente onde iria me causar mais danos a cada movimento. Ela conhecia todos os meus pontos fracos.

Foi uma luta difícil, mas a dor dos ataques finalmente me colocaram em uma espécie de “estado de emergência”, onde valia mais a pena para mim Encarar a Vergonha do que morrer sem tentar combate-la de frente. Por mais que fosse uma viagem psicodélica, naquele mundo eu tinha certeza que poderia de fato morrer, e por isso a principal vantagem da Vergonha foi anulada quando me machucou tanto que não fazia mais sentido permanecer inerte.

Então eu a encarei diretamente e mantive os meus olhos fixos nela, ironicamente envergonhando-a, ela tentou cobrir o seu corpo desnudo com os braços e se recolhendo na intenção de tapar as partes intimas. Isso abriu a brecha que eu precisava para decepar a sua cabeça num golpe limpo de espada. Ali eu entendi que eu não precisava ter vergonha de falhar, mas sim de não tentar avançar, pois havia muito mais em jogo do que a minha própria imagem como um Jinchuuriki vencedor ou fracassado.

Aqueles foram os demônios mais fáceis dentre os oito que enfrentei. Os desafios iriam ficar ainda mais sérios dali para frente.

Do outro lado, no mundo real, o meu corpo adormecido já manifestava a terceira cauda.



Considerações:
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [FILLER - TIME SKIP 10 ANOS] - Publicado Ter 29 Jun - 0:43

Situação: Aprovado
Considerações: Consegui entender pelo seu RP o que acontecia, cada demônio é uma cauda e foi bem interessante. No entanto, explicitar as caudas se manifestando no mundo real enquanto você enfrenta os demônios torna a aprovação dos RPs mais segura e isso aconteceu já na terceira. Cuidado, mas parabéns pelo RP.
Recompensas: V1 duas e três caudas da Kyuubi.
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [FILLER - TIME SKIP 10 ANOS] - Publicado Ter 29 Jun - 12:42

A quarta cauda surgiu no mundo real quando eu derrotei o próximo demônio. Foi uma batalha interessante e já vou contar para vocês.

Enquanto eu estava em “sono profundo", o meu chakra continuava a crescer e formar caudas, porém o verdadeiro do ritual começou a aparecer. Mahina e os presentes começaram a notar que os meus sinais vitais iam ficando fracos a cada hora que se passava, e o fato de eu não me alimentar ou beber agua durante o sono, colocava o meu corpo em estado crítico. Tanjo proibiu a equipe medica de injetar soro fisiológico ou qualquer outra ajuda, dizendo que eu me manteria saudável a partir do momento que mais caudas fossem dominadas, pois o próprio poder da raposa garantiria a minha sobrevivência. Eu já estava no terceiro dia naquele “sonho".

Agora vamos ao próximo demônio!

Um pequeno ser surgiu, magricela, aparentemente velho, cego dos dois olhos e tossia sistematicamente, como se estivesse muito doente. Sua pele era enrugada e uma secreção negra saía pelo nariz, assim como várias feridas pelo corpo também secretavam aquele conteúdo nojento. Aquele velho demônio frágil era o Demônio do Ego, e se tratava de um combatente extremamente letal.

No início eu estranhei a sua figura deplorável, e julguei a forma como ele se mexia. Lento, trêmulo e aparentemente incapaz de me localizar. Na minha concepção eu estava diante de uma presa fácil, ele não era uma ameaça para mim. Mas logo descobri o quão enganado eu estava.

Eu não queria tocá-lo, pois ele era repugnante, então optei por ataca-lo com a espada. O primeiro golpe foi despretensioso, pois nunca imaginei que falharia contra aquela criatura. Um corte limpo mirando a sua cabeça, mas antes da lâmina tocá-lo, o demônio simplesmente esticou uma perna e me acertou no estômago, me arremessando vários metros para trás.

Eu me enfureci e rapidamente levantei preparando um novo golpe. Avancei com raiva e desferi um golpe mais rápido e violento que o anterior, porém novamente fui repelido por um poderoso chute, este que acertou minhas costelas do lado direito que quebraram imediatamente. Foi aí que eu percebi a lógica do desafio...

O primeiro ataque foi descuidado e amador, pois eu julguei ser um alvo fácil. Eu o subestimei e paguei o preço, fui egocêntrico.

O segundo foi carregado de raiva, não observei os fundamentos do kenjutsu, julgando que atacar mais forte e mais rápido resolveria o problema. Mais uma vez eu fui egocêntrico ao imaginar que a pura vontade de matar seria suficiente.

Eu percebi que poderia vence-lo apenas se utilizasse todo o meu potencial, sem me sabotar com a raiva ou com o egocentrismo, e jamais achar que a batalha está vencida antes dela terminar. Eu estudei os movimentos da criatura e agi friamente, forçando um falso ataque e o estocando em um contragolpe, exatamente como ele fez comigo... e quando a lâmina atravessou o seu peito, ele desapareceu.

Talvez, mesmo temendo as consequências, alguma parte de mim pode ter subestimado o poder da Raposa de Nove Caudas.


Considerações:
[FILLER - TIME SKIP 10 ANOS] Ba3293b0d1e3d0e8dff4a8030bec76a2

Revouv
Tokubetsu Jonin
Revouv
Vilarejo Atual
[FILLER - TIME SKIP 10 ANOS] Ba3293b0d1e3d0e8dff4a8030bec76a2

Re: [FILLER - TIME SKIP 10 ANOS] - Publicado Ter 29 Jun - 16:40

Situação: @Aprovado.
Considerações: Essa narração me lembrou vagamente da luta de Naruto contra seu reflexo, uma figura que representava o ódio que sentia e guardava dentro de si. Você, com esse RP, conseguiu desenvolver de forma interessante uma luta interna contra o Demônio do Ego. Por sinal, muito bem escrito.
Recompensas: V1 - Quarta cauda.

_______________________


Yukikitsune Kaonashi


FICHA  |  GF  |  BANCO
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [FILLER - TIME SKIP 10 ANOS] - Publicado Ter 29 Jun - 22:17

A quinta cauda foi um desafio um tanto quanto incomum, diferente dos outros demônios que enfrentei. Todos os outros eram Demônios que de certa forma se apresentaram para mim ou, por algum motivo, a minha mente conseguia compreender de forma instintiva a natureza daquele ser. Mas não o próximo demônio. Um completo enigma, desconhecido e extremamente forte.

Aquele ser surgiu de um portal negro na escuridão. Uma redoma de sombras que se formou do nada, pairando no ar como fumaça, até que se condensou em um formato arredondado e abriu-se como uma janela para o inferno. Primeiro eu vi seus dedos que brotaram sorrateiros, alargando aquele portal para então apontar o seu crânio e depois a primeira metade do corpo. A criatura se arrastou pelo portal até que passou por ele totalmente, saltando para o chão e se colocando logo à minha frente.

A criatura era totalmente escura, sem rosto, e o ambiente escuro quase tornava impossível enxerga-lo. O ser de sombras me rodeava com uma respiração ofegante, como se me analisasse em cada detalhe. Ele parecia zombar de mim, mas eu não conseguia decifra-lo de nenhuma forma. Seus sons eram diversos, sua aparência uma incógnita, e suas intenções permaneciam um mistério. Da sua risada diabólica saiam dezenas de vozes misturadas, e quando se cansou de rir, aquele ser simplesmente desapareceu na escuridão.

Eu fiquei confuso, tentando perceber os arredores com o meu Sharingan, mas eu não  via a sua presença em nenhum lugar. Sem chakra, sem corpo, sem barulho. Ele era um fantasma.

Os ataques começaram de forma esporádica, tão rápidos e de tantas direções que eu não conseguia reagir. Eram golpes perfurantes que estraçalhavam a minha carne pouco a pouco, e eu não conseguia nem mesmo percebe-los além da dor que eu sentia. Parecia ser um Demônio impossível de combater, pois não havia brechas em seu jogo.

Na minha mente surgiram dúvidas... dúvidas e mais dúvidas... e foi então que eu percebi do que se tratava. Uma das minhas travas em relação à Kyuubi era as diversas dúvidas que eu tinha ao seu respeito, ao seu poder e até a eu próprio como Jinchuuriki. Não era apenas medo, ou hesitação, eram dúvidas sucessivas que eu não me conformava em não ter as respostas. Meu pensamento era muito preso ao futuro, me impedindo de enxergar o presente. Afinal, dúvidas só são solucionadas quando passamos a viver a experiência... quase sempre as dúvidas se resolvem sozinhas, a mercê do tempo.

Foi então que eu descobri a origem daquele demônio e gritei: “Você é o demônio da dúvida! Revele-se a mim, pois não viverei sem ir atrás das minhas respostas!”

O Ambiente então se clareou através do fogo misteriosamente passou a consumir o corpo do demônio. Eu apenas assisti a sua carne virando cinzas em minha frente.

No mundo real, mais uma cauda da Kyuubi surgiu junto às outras. Já era a quinta cauda, e a cada desafio eu estava mais perto do objetivo. As travas iam se desfazendo como Tanjo previu, uma a uma.

----
A Sexta cauda era a próxima!

Eu me vi em um local amplo, como um grande salão de um castelo medieval, extremamente belo como é contado em livros. Naquele salão havia montanhas de ouro, comidas de todos os tipos, mulheres nuas de beleza esplêndida, artefatos valiosos, e diversos armas lendárias. Era como o paraíso da vaidade, um local em que eu poderia ter tudo o que um homem normal deseja, sem limites e sem ninguém para dividir.

Eu caminhava pelo tapete central do salão, admirando todas as belezas que estavam ali, e senti que minha consciência ficou nublada, ao ponto de eu me esquecer do real motivo de estar naquele sonho. Pior, eu não conseguia me lembrar que se tratava de um sonho. Eu não me lembrava da minha vida como Kazekage, da minha esposa ou de qualquer pessoa com quem eu me importava. Era apenas eu, e só eu.

Quando avancei um pouco mais, eu vi um trono ordenado em jade, brilhante e magnífico, e nele estava sentado um ser de luz que apenas me chamava acenando com uma das mãos. Eu me aproximei e questionei como era possível um lugar como aquele existir, e eu o avisei que parte daquela riqueza eu iria levar comigo, pois nenhum homem poderia aproveitar tudo sozinho.

A entidade levantou do seu trono e me perguntou se eu não queria ficar com tudo para mim, e eu prontamente concordei. Porém, aquele ser disse que haveria um preço a pagar... eu deveria abrir mão de todos os meus afetos em troca daquela riqueza. Mas como eu podia recusar se eu nem mesmo me lembrava da própria vida? Ele gargalhou quando viu que eu caía em sua armadilha como um patinho, me arrastando pela riqueza que me era oferecida. Aquele riso diabólico foi o sinal para eu acordar, afinal, sempre temos um sinal, um instinto, quando optamos por percorrer algum caminho escuro... nós apenas escolhemos ignorar quando somos incapazes de desviar os olhos das tentações.

“Vaidade" eu pensei...

A vaidade é a qualidade do que é vão e vazio, firmada sobre aparência ilusória. É uma mentira materializada em bens e conquistas que nada agregam ao espírito. Eu vi o meu reflexo em um espelho e notei que eu era uma casca oca, pois naquele momento eu joguei o jogo da vaidade. Imediatamente despertei e entendi, balancei a cabeça e percebi que talvez eu tenha perseguido o poder da Kyuubi por motivos errados... talvez pela vaidade de ser o ninja mais forte. Aquele não era o real motivo, não era meu verdadeiro afeto.

Avancei violentamente e degolei aquele ser de luz, este que se apagou e mostrou a sua verdadeira forma, um Duende morto e repugnante. Quando fiz aquilo a sexta cauda apareceu no mundo real, e imediatamente eu compreendi que a Kyuubi não seria domada por desejos mesquinhos de um coração corrompido. Eu deveria me lembrar dos verdadeiros motivos: Proteger o povo de Suna, proteger pessoas que eu amo, e impedir que homens vaidosos transformem o mundo ninja novamente em caos.


Considerações:
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [FILLER - TIME SKIP 10 ANOS] - Publicado Qua 30 Jun - 0:41

Situação: Aprovado
Considerações: Muito massa o rp. Parabéns. Tenho curtido bastante essa jornada de dominar a Kyuubi. Mas ainda sinto falta das interações com o Shukaku kkkk
Recompensas: V1 Kyuubi - Caudas 5 e 6
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [FILLER - TIME SKIP 10 ANOS] - Publicado Qua 30 Jun - 19:43

A sexta cauda viria com muito sangue... e ódio.

O demônio do ódio se apresentou em um salão de opera, um espaço amplo e repleto de cadeiras, camarotes e uma infinidade de pessoas mascaradas. A música era magnificamente bela, porém o volume não me deixava sequer pensar.

Eu estava sentado em uma mesa com diversos drinks refinados, rodeado por damas mascaradas e vestido com um smoking preto e bastante elegante. E ao centro do palco o demônio fazia seu show antes de revelar-se a mim. Um cantor talentosíssimo, alcançando notas que nunca imaginei um ser humano conseguir. Mas, afinal, ele não era humano. A música se estendeu por vários minutos, embalada por uma orquestra afinada com diversos músicos e instrumentos valiosos. Ao fim da terceira música ele finalmente se apresentou, removendo a máscara e olhando diretamente para mim.

Aquele rosto eu reconheci prontamente, era o rosto do meu pai, Fujiki, e logo todos do salão removeram suas máscaras e mostraram fisionomias que eu odiava do fundo do meu coração. Antigos membros do clã Uchiha de Konoha, Rukawa O Colecionador, entre tantos outros inimigos que eu desprezava profundamente. As damas ao meu redor eram kunoichis que trabalharam e morreram a serviço de Suishu, e o próprio Suishu estava em um camarote vip no alto do salão com diversos capangas que trouxeram muita morte durante a guerra. Ao seu lado estava Sanosuke, segurando a cabeça do meu amigo Mirai.

Eu me enfureci e saquei a Matadora de Deuses para ataca-los, mas eram adversários persistentes. Eles pareciam não representar um perigo real, pois eram lentos e não usavam as suas técnicas ninja contra mim, e recorriam apenas a um taijutsu deficiente e vergonhoso. O problema era que quando morriam, eles logo se levantavam, e cada vez mais o salão se enchia de sangue. Cada vez mais sangue escorria pelo chão ao ponto de me cobrir os joelhos. Deus, como sangravam!

A piscina de sangue subia de nível a cada golpe, e logo eu percebi que o liquido vermelho era pegajoso, pesado, ao ponto de me tornar tão lento quanto eles quando o nível subiu acima da minha barriga. Eu estava literalmente me afogando em sangue... ou melhor, eu estava me afogando no meu próprio ódio. A raiva aumentava e a minha respiração ficava comprometida a cada novo golpe. Era isso... o meu fim estava próximo, pois eu me afogaria com todo aquele sangue pesado e não conseguiria enfrentar aqueles zumbis imortais.

A sétima cauda surgiu no mundo real quando eu assassinei o alvo correto... com meu Sharingan eu percebi que o verdadeiro demônio estava oculto por uma cortina, caindo na gargalhada e ficando maior à medida em que meu ódio crescia. Ali eu entendi que a raiva inunda o meu coração e me impede de abrir as portas para o poder da Kyuubi fluir.

Quando matei o demônio do ódio, as portas se abriram e todo sangue escoou para fora, e no mundo real a sétima cauda apareceu diante de todos.

Só mais dois passos!


--



O penúltimo demônio foi talvez o mais cruel e inescrupuloso deles.

Eu me vi na floresta de Konoha, em uma clareira rodeada por árvores imensas e um forte vento as balançava repentinamente. Logo, o clima virou em uma intensa nevasca, limitando a minha visão além de alguns passos a frente, o que me fez entrar em estado de alerta por consequência. Permaneci olhando para todas as direções, esperando que logo mais algum maldito demônio fosse aparecer para mim. Contudo, o que apareceria era algo bastante chocante.

Eu vi a minha falecida mãe caminhando através da neve, de mãos dadas com uma mulher encapuzada que eu temia conhecer. A minha mãe me olhava com tristeza, seu rosto ainda era pálido e doente como no passado, e a misteriosa mulher finalmente removeu o capuz, revelando ser Mahina. Eu permaneci estático, sem saber o que pensar a respeito daquela visão, e as coisas pioraram quando silhuetas surgiram das sombras e se mostraram atrás das duas únicas mulheres que amei. Eu vi Kaden, Musashi, Angel, Isirus, entre tantos outros aliados... e também vi o povo sofrido e carente de Sunagakure em uma multidão atrás deles.

Por fim, a neve desapareceu e revelou uma horda de Demônios famintos liderados por um ser de gigantes proporções. Aquele, ironicamente se revelou como o demônio do amor. Como podia? Um ser tão horrendo e diabólico carregar esta alcunha.

Ele apontou o dedo e os seus servos atacaram o povo de Suna, avançando pouco a pouco na direção dos meus familiares e aliados. Eles não reagiam, apenas aguardavam para serem mortos. Eu corri para protege-los, e eles não me atacavam, apenas passavam por mim e continuavam a massacrar todas as pessoas que eu me importo. Me senti impotente e destruído por não ser capaz de defende-los sozinho. Eu lutei e lutei, mas todo esforço era inútil. Eu vi minha mãe ser morta na minha frente, e aquilo me destruiu. Puxei Mahina, Angel e tantos quando eu podia para longe, mas cada vez mais eles chegavam perto.

Foi quando eu finalmente desisti... mas não de lutar por eles. Eu apenas desisti de lutar sozinho! Emanei o Rikudo Yin em uma grande redoma à minha volta e gritei por ajuda. Eu entendi que o Amor me faz abraçar a responsabilidade por todos, e isso me sabota, mas ama-los não me faz dono da vida daqueles que amo... eu entendi que amor é compartilhar, inclusive os deveres. Assim os meus aliados despertaram daquele sono e me ajudaram a extinguir a horda. Lutamos mais uma vez como uma Aliança, e o mal não conseguiu tirar mais nenhuma vida.

A oitava cauda surgiu no mundo real, fazendo a sala estremecer diante de tanto poder. O meu corpo parecia estar quase em colapso total, pois já fazia 6 dias que eu estava em sono profundo. Os sinais vitais apitavam nervosamente, indicando que talvez eu não tivesse tempo para chegar ao final da jornada. Mas Tanjo insistiu, confiou em mim, e pediu a Mahina mais algum tempo.
Considerações:
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [FILLER - TIME SKIP 10 ANOS] - Publicado Qua 30 Jun - 20:40

Situação: Aprovado
Considerações: Muito legal esse RP dos demônios. Legal que se esperaria algo como o demônio do ódio ser um bichão bruto e do amor ser sedutor, mas tu foi pra um outro lado e bem criativo. Massa demais.
Recompensas: Caudas 7 e 8 - Kyuubi V1
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [FILLER - TIME SKIP 10 ANOS] - Publicado Qua 30 Jun - 22:07

Diferente dos outros demônios, aquele era algo muito mais, digamos, familiar. O último demônio não representava nenhum tipo de sentimento, pecado ou defeito. Tampouco tinha chifres, aparência grotesca ou qualquer similaridade a seres do inferno. Definitivamente não era personagem de nenhum conto de terror.

Eu surgi em um lugar completamente vazio. Não se via horizonte, céu ou qualquer limite de território, era apenas uma sala branca sem fim, vazia de elementos.

O meu derradeiro desafio veio até minha caminhando a passos lentos, e sua silhueta me parecia q de um homem normal. Quando chegou próximo o suficiente, eu pude ver melhor a sua aparência. Ou melhor... a minha.

O guardião da nona cauda era Eu mesmo. Um ser idêntico a mim, em cada detalhe. A única diferença eu podia notar em sua expressão, pois o mesmo carregava um semblante cruel e ostentava um sorriso sádico no rosto. Alguém já ouviu uma história parecida antes? Pois bem... eu estava pronto para enfrentar a versão maligna de Tobirama Uchiha.

Enfrenta-lo foi, digamos, cansativo. Um combate totalmente equilibrado, parelho em cada ação, cada ofensiva. Afinal, eu conhecia bem as minhas técnicas e os meus limites, e a recíproca era verdadeira. Uma luta sem fim, onde não haveriam vencedores, apenas perdedores. E este último detalhe diz muita coisa, pois quando você é o seu maior obstáculo, a vida tende a não andar para frente caso você não perceba em qual ponto você próprio está se combatendo. Tendemos a não enxergar que lutamos contra os nossos próprios instintos, nos tornamos racionais demais ao ponto de não dar créditos à nossa intuição. Acredite, a intuição existe por algum motivo... nada do que a natureza nos dá é sem valor.

Foi percebendo isso que eu “me desliguei", passei a ouvir o meu corpo, os meus sentidos, e a minha própria intuição. A partir dali eu comecei a encaixar alguns bons golpes, enquanto o meu outro Eu permanecia se perdendo na própria racionalidade, usando de informações sobre mim, sobre ele próprio, para atacar e se defender da forma que se é esperado.

Eu fiz o inverso, eu lutei com o cotação, sem amarras, sem me limitar a imaginar: “este sou eu, então nesta situação eu usaria aquela técnica, eu me esquivaria para aquele lado". NÃO! Quando você é seu maior inimigo, você tem que agir diferente, tem que se reinventar. E eu demorei a perceber, mas eu estava me reinventando a cada desafio, a vada demônio eliminado um novo Eu surgia. Eu só precisava deixa-lo sair.

E foi assim que a batalha se tornou fácil, pois aquele inimigo não mais me lia, não mais me compreendia. Já eu, eu me sobressaía ao ponto de compreender que a minha cópia, era apenas uma versão “não atualizada" do meu novo eu. Uma versão defasada, condenada a perder para a minha própria evolução.

E quando aquele adversário caiu, eu nunca me senti tão vitorioso! Despertei do meu sono profundo e vi ao meu redor as nove belas caudas de chakra. E, cara! Que poder incrível!
Considerações:
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [FILLER - TIME SKIP 10 ANOS] - Publicado Qui 1 Jul - 0:27

Situação: Aprovado
Considerações: Parabéns pela jornada. E bem legal que a jornada deu uma volta até seguir o que rolou com o Naruto de novo.
Recompensas: A nona cauda da V1
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [FILLER - TIME SKIP 10 ANOS] - Publicado Sex 2 Jul - 0:00

Hoje vou contar para vocês a minha tentativa frustrada e também o meu acerto em dominar a segunda versão do modo Kyuubi!

Tanio foi fazer uma longa viagem, algo relacionado a domar uma fera enlouquecida solta por ai, pra variar... então eu decidi seguir sozinho com a minha evolução, pois Suna ansiava pelo meu progresso. Infelizmente isso acabou sendo um erro daqueles.

Tentando usar mais chakra guren do que eu estava acostumado, acabei acessando uma transformação que eu ate então desconhecia. Me transformei numa espécie de miniatura da Kyuubi, e o poder foi tão grande que logo a minha consciência se foi. Acabei causando um grande estrago na vila e coloquei pessoas importantes em perigo, inclusive a minha própria esposa. Por sorte, os ninjas da Areia conseguiram me distrair por bastante tempo, o suficiente para o reforço chegar. O nome do reforço era Senko Matsuda, sim, o próprio Mizukage.

Graça à intervenção do Mizukage, vidas foram salvas. Aquele habilidoso shinobi conseguiu me parar num momento crucial, e por um segundo eu não matei a Mahina. Devo dizer que minha gratidão a Senko será eterna. Eu não lhe devo a minha vida, eu lhe devo algo muito mais importante... a vida da minha amada.

Pelos meses seguintes eu ajudei os trabalhadores a consertarem o estrago que fiz na vila e prestei assistência aos feridos. E quando tudo voltou ao normal, eu parti em viagem para tentar de novo controlar aquele poder.

Viajei para o meio do deserto e por la eu treinei, seguindo as dicas que Senko me deu. Me concentrei em controlar o Chakra dispersado pela Kyuubi, mantendo aquela energia em meu corpo para que a raposa não despejasse mais chakra em toda sua agressividade. Manter os Tenketsus cheios, sem exagerar, me pareceu uma boa estratégia para evitar o sobrecarregamento, e tambem facilitou para que minha mente não se entregasse facilmente. Afinal, eu descobri que quanto mais poder eu acessava, mais os instintos animais da raposa se sobressaiam aos meus. Então controle foi a palavra chave!

Aprendi sozinho a liberar as caudas de forma gradativa, e então fui me aventurando a invoca-las em números maiores. Mantive o meu próprio chakra como uma espécie de “guardião", usando-o para suprimir tentativas nervosas da raposa em emanar mais chakra. Aquilo me deu segurança, pois o meu chakra ainda era maior que o dela, pois eu ainda sou considerado uma “besta sem caudas", não é mesmo?

A parte divertida da história é que eu fiz o caminho de volta para a vila com a transformação sob o meu controle, testando meus limites. Eu corri contra o vento e rompi as areias do deserto como um raio vermelho, ultraveloz! e então voltei para a minha mulher com as boas notícias.

Então é isso, pessoal. Naquele verão escaldante eu me tornei ainda mais próximo de dominar a Lendária raposa de nove caudas... Isso mesmo, a cada dia se aproximava o momento de eu finalmente conhece-la, encara-la de frente e acabar de vez com as nossas “diferenças”.
Considerações:
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [FILLER - TIME SKIP 10 ANOS] - Publicado Sex 2 Jul - 0:01


Na semana seguinte algo estranho aconteceu.

O chakra da Raposa de Nove Caudas já estava sob meu domínio, ao ponto de eu não ter mais dificuldades para acessar a nona cauda, sem grandes prejuízos. Porém, Kurama não se dava por vencida e encontrou uma outra forma de continuar sua rebeldia. Afetar o meu chakra ou o meu psicológico não era mais possível para ela, então a Raposa começou a se manifestar fisicamente. Maldita...

Eu estava em uma sala de jantar com alguns aliados, era uma noite comum e agradável. Conversamos sobre política e resoluções de problemas simples em Sunagakure, mas algo em meu corpo não estava normal. Eu senti uma dor na coluna quando estava prestes a me levantar, e logo Tanjo olhou para mim com uma cara estranha, desconfiado. Então, antes que eu me retirasse, duas caudas vermelhas simplesmente brotaram das minhas costas, e longas garras afiadas se projetaram em minhas mãos.

As garras não eram problemáticas, mas as caudas começaram a se expandir e tentar atacar os presentes, estes que prontamente se afastaram. Elas destruíram mobílias, pratos, copos e causaram uma grande bagunça ao fim do jantar. Tanjo ria, me dizendo que eu teria que lidar com aquilo sozinho.

Inicialmente tentei me comunicar com a Kurama, mas eu nem mesmo sabia qual caminho tomar. Dentro de mim ainda era uma completa escuridão. Eu gritei, ordenei para que aquilo parasse, mas imagino que a raposa velha nem mesmo ouviu a minha voz. Então aquilo continuou por vários minutos e a bagunça aumentou.

Eu percebi que aquela manifestação estava de alguma forma atrelada à minha energia física, pois senti que o ritmo das caudas sofria influencia do meu ritmo respiratório e até mesmo o meu tato estava alterado, sentindo calafrios diversos e reflexos corporais que eu não sabia de onde vinha.

Como Iryou-nin, eu entendia que a frequência respiratória podia guiar o ritmo de processos físicos e até fisiológicos, influindo diretamente em diversas funções do corpo humano. Então eu tentei a sorte, fechei os meus olhos e comecei a focar em minha respiração, abaixando a minha frequência e procurando sentir aquelas mudanças em minha estrutura.

Aquilo foi quase uma meditação, e aos poucos fui domando os movimentos das caudas ao ponto de conseguir controla-las em alguns momentos.

Tanjo finalmente resolveu ser útil e me explicou que os próprios pensamentos também influenciam em diversos processos, e que inclusive seria mais prudente fazer com que a minha frequência mental preceda o controle respiratório. E foi com aquela dica que eu encontrei a chave para o controle. Foi como se meu cérebro criasse novas sinapses nervosas, e passei a sentir as caudas como parte do meu próprio corpo. Como um pássaro aprendendo a usar as asas, eu experimentei a novidade e fui me ajustando até atingir a autonomia necessária para domar as projeções da raposa.

Quando “peguei a manha", Tanjo bateu em meu ombro e disse que já estava na hora de eu conhecer a velha Kurama. Aquilo não podia ser mais adiado.

Considerações:
[FILLER - TIME SKIP 10 ANOS] Ba3293b0d1e3d0e8dff4a8030bec76a2

Revouv
Tokubetsu Jonin
Revouv
Vilarejo Atual
[FILLER - TIME SKIP 10 ANOS] Ba3293b0d1e3d0e8dff4a8030bec76a2

Re: [FILLER - TIME SKIP 10 ANOS] - Publicado Sex 2 Jul - 8:20

Player: @Seigen
Situação: Aprovado.
Considerações: Vida de crime deu sucesso na carreira. Pretty Good~
Recompensas: Transformação Parcial.

_______________________


Yukikitsune Kaonashi


FICHA  |  GF  |  BANCO
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [FILLER - TIME SKIP 10 ANOS] - Publicado Sex 2 Jul - 12:48

7DG

Numa noite fria eu acendi uma fogueira no deserto e tentei me conectar com a Raposa Demônio. Eu estava pronto para uma conversa, mas me deparei com algo totalmente diferente.

Eu me vi em um lugar escuro, e notei que havia uma jaula de grades vermelhas robustas, aprisionando a Bijuu. Me aproximei dela, e o que vi foi... insanidade! Os olhos dela não tinham sinais de lucidez, era um animal louco acorrentado, entregue a instintos básicos. Ela estava abalada, raivosa e temia a minha aproximação. Foi ai que percebi... seu antigo Jinchuuriki, Sanosuke, havia colocado a Kyuubi em uma espécie de jutsu que a escravizava, tirou dela a consciência e a transformou em um animal de guerra.

Aquelas grades representavam minha própria mente, e abri-la poderia significar o meu fim como homem... era a brecha necessária para Kurama tomar o controle e eu me perder no abismo. Mas eu precisava tentar! Eu abri a jaula e lutei com ela, tentando não feri-la, mas eu não podia deixa-la sair sem antes fazer com que me escutasse. A batalha era difícil, e o poder da raposa me obrigou a explodir o meu chakra Rikudo Yin como eu nunca havia feito antes.

Emanou de mim uma luz branca que a paralisou instantaneamente, fazendo-a se curvar perante a mim. Era como se inconscientemente Kurama reconhecesse aquele poder, e aquele encontro fez a raposa se livrar da técnica nefasta que a mantinha insana. Foi então que vi os seus olhos recobrando a cor natural e a lucidez voltando à mente da Bijuu.

Eu a libertei!

Kurama me olhou e disse apenas uma palavra: “Obrigado".

Quando ela me reconheceu como aliado, eu senti o meu corpo vibrar e retornei ao mundo material. Me vi prostrado no chão com muitas dores, e o meu chakra bailava com o chakra Guren em uma sintonia bastante agressiva. Eu contorcia entre dores indescritíveis, e senti como se uma nova transformação estivesse acontecendo. Eu me tornei a Kurama, corri pelo deserto em sua forma, corri com o vento e senti o mesmo que ela... Liberdade!

Quando a transformação acabou, eu vi o meu reflexo nas águas de um oásis, iluminado pela luz da lua. Meus cabelos estavam brancos, orelhas pontudas e eu tinha marcas vermelhas nas bochechas. Claramente, um reflexo físico da nossa união.

Kurama me disse que nossas essências interagiram de forma incomum devido ao Chakra Rikudo Yin, pois aquele chakra tinha sua origem atrelada a sua criação, uma benção do sábio dos seis caminhos. São muitas teorias, e ainda luto para entender aquele poder que nem mesmo a Kyuubi entende.

Naquela mesma noite eu deixei a Kurama a vontade, permiti a ela se deliciar com a liberdade que a tanto tempo foi tirada dela. Ela tomou forma através do meu corpo, mais uma vez, e correu pela noite com bastante alegria. Confesso que me fez bem ver aquela criatura feliz.

Até os dias de hoje nossos corações caminham juntos, e a minha ligação com ela se tornou inabalável!

Considerações:
[FILLER - TIME SKIP 10 ANOS] D08b07ef0bf98b6b11ca607569f49e1d839f756b

Skywalker
Nukenin A
Skywalker
Vilarejo Atual
[FILLER - TIME SKIP 10 ANOS] D08b07ef0bf98b6b11ca607569f49e1d839f756b

Re: [FILLER - TIME SKIP 10 ANOS] - Publicado Sex 2 Jul - 13:01


_______________________

[FILLER - TIME SKIP 10 ANOS] E61d9053d0ce1422ba25de28b0cd7fa2464294b3
"I Just live to Fall."

FP | R.D. | CJ | Banco | GF
| MOD AG | Inventário AG || [História] — Blood Moon
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [FILLER - TIME SKIP 10 ANOS] - Publicado Sex 2 Jul - 23:28

9DG.

Com o fim da guerra, shinobis de todo mundo se embriagaram com anos de paz. Sem mais batalhas, massacres ou missões lendárias... viver passou a ser fácil. Guerreiros forjados com sangue e aço, como eu, lutam para alcançar a paz, mas quando conseguem, não sabem o que fazer com ela. O tédio consome, fazendo ter saudades dos gritos de batalha, do sangue fervendo e de ter  chance de se por à prova. É irônico e errado de tantas formas... mas, em segredo ou inconscientemente, nos desejamos que o inimigo bata em porta algum dia.

Assim também era com um sujeito chamado Sasaki Kojiro, um shinobi da nova era, um gênio pródigo de Sunagakure.

Kojiro passou os últimos oito anos treinando e estudando a arte ninja em toda sua profundidade, e clamando pelo dia em que poderia marcar o mundo com o seu poder. Um guerreiro dedicado e exaltado como o maior talento dos últimos anos em Suna. Assim como eu, Kojiro foi abençoado pelo sangue... portador de uma Kekkei Genkai nunca antes vista, seu potencial era praticamente incalculável. Entretanto, o jovem não soube esperar, e abandonou a vila em busca de desafios.

No último ano ele voltou, um nukenin como um dia fui, e entrou pelos portões para me desafiar. Eu entendia aquele desejo... o desejo advindo da frustração de não ter encontrado um adversário digno, e no fundo me senti honrado por sua procura terminar aqui. Como Kazekage eu desejava puni-lo pela deserção, mas desejava ainda mais lhe dar o combate que ele tanto queria.

Foi uma luta longe dos muros da vila, pois eu sabia que pegaria fogo. E devo dizer que lutar contra Kojiro foi quase tão difícil quanto enfrentar Takuan. Eu estava mais forte contra aquele garoto, contando com o poder da Kyuubi, e mesmo assim consigo compara-lo a Takuan.

Matar Kojiro foi, de fato, uma tristeza, pois eu queria muito saber até quando aquele poder cresceria. As vezes me paro a imaginar o quão forte ele estaria em alguns anos...

Devo ainda dizer que quase tive a minha vida ceifada pelo pivete, e só escapei graças à Kurama. Um poder novo, algo que eu ainda não havia experimentado. Quando eu não tinha mais chakra ou forças para lutar, Kurama me cedeu uma parte até então desconhecida do seu poder... o Modo Manto de Chakra! Força, velocidade, Chakra... enfim, o pacote completo.

O chakra da Raposa se uniu ao meu produzindo algo magnífico, uma união de dois poderes, alcançando um novo patamar que me permitiu escapar com vida daquelas explosões psíquicas. Foi graças ao presente da Kyuubi que eu pude mudar o destino da luta e me consagrar vitorioso contra aquela... criança... Kojiro tinha apenas 15 anos, e nunca me esquecerei da sua Força. Não me orgulho de mata-lo, mas me orgulho de ter sido o seu último adversário.

O mundo está cheio de monstros adormecidos... as vezes tenho medo do futuro, ao pensar nos desafios que podem aparecer. E as vezes... mal posso esperar.
Considerações:
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [FILLER - TIME SKIP 10 ANOS] - Publicado Sab 3 Jul - 2:27

Situação: Aprovado
Considerações: -x-
Recompensas: Kyuubi Chakura Modo
Conteúdo patrocinado
Vilarejo Atual

Re: [FILLER - TIME SKIP 10 ANOS] - Publicado