:: Área de Mudanças :: Centro de Melhorias :: Treinamentos de Fillers
Alvorecer
Arco 04
Ano 17 DG
Verão
A queda do pastor cobrou um preço altíssimo do mundo ninja: o golpe final trouxe ao mundo um tempo de dor e sofrimento; fome e pobreza retornaram às ruas, a violência triplicou, os antigos heróis caíram ou ficaram desacreditados. Mas, um pouco perto do amanhecer, a Hydra, que até então se mantivera em silêncio, mostrou-se das sombras, trazendo oportunidades de emprego e uma esperança para salvar o mundo dessa mais nova calamidade. Líderes ninja não tiveram escolha senão se arriscarem em tratados suspeitos para conseguir manter firmes seus lares e seus soldados. No entanto, os reais planos da Hydra ainda continuam sendo um grande mistério.
... clique aqui para saber mais informações
Shion
Fundador do RPG Akatsuki, Shion é responsável por manter o bom funcionamento de todas as áreas do fórum há mais de 10 anos. Completamente apaixonado por RPG e escrever, hoje é o principal responsável pelo desenvolvimento de toda a trama desse universo baseado na arte de Kishimoto.
Shion#7417
Angell
Angell é jogadora de RPG narrativo desde 2011. Conheceu e se juntou à comunidade do Akatsuki em fevereiro de 2019, e se tornou parte da administração em outubro do mesmo ano. Hoje, é responsável por desenvolver, balancear, adequar e revisar as regras do sistema, equilibrando-as entre a série e o fórum, além de auxiliar na manutenção das demais áreas deste. Fora do Akatsuki, apaixonada por leitura e escrita, apesar de amante da música, é bacharela e licenciada em Letras.
Angell#3815
Indra
Oblivion é jogador do NRPGA desde 2019, mas é jogador de RPG a mais de dez anos. Começou como narrador em 2019, passando um período fora e voltando em 2020, onde subiu para Moderador, cargo que permaneceu por mais de um ano, ficando responsável principalmente pela Modificação de Inventários, até se tornar Administrador. Fora do RPG, gosta de futebol, escrever histórias e atualmente busca terminar sua faculdade de Contabilidade.
Indra#6662
Biskath
BisKath é jogador do NRPGA desde julho de 2020, tendo encontrado o RPG por meio de pesquisas e começado a jogar nele, sem pausas desde então. É jogador de RPG desde 2013, mas o Akatsuki foi o primeiro de Naruto em que se aventurou. Apenas começou como moderador em abril de 2022, se dedicando as funções da moderação até se tornar administrador em julho do mesmo ano, auxiliando também na avaliação da área de criações. Fora do fórum cursa desenho, pois tem interesse em artes de forma geral..
BisKath#0666
XXXXX
XXXXX
Discord#1234

Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

[Fillers] Megumi Fushiguro - Publicado 19/5/2021, 13:59

Decidi que à partir de agora (essa fera aí meu), vou ter um post único para os fillers.


[Fillers] Megumi Fushiguro 0cfe261d8527fc4df118002b172f65c9af874ebdr1-1200-1200v2_128

Fantasma


HP: 340/800 CH: 1199/1300 STA: 01/05

Mais uma vez Megumi se movia pelas ruas de Iwagakure, seu Byakugan ativado e varrendo o ambiente como um radar. Ele resgatava as pessoas que podia, acompanhado de sete shinobis.
- “Rápido. Tem mais uma por aqui!” – Gritava para outros ninjas da aliança enquanto movia parte dos escombros de uma construção derrubada. Outras forças aliadas mantinham os inimigos sob controle, em uma sangrenta batalha entre a humanidade e seus piores inimigos até então. Após resgatar a vítima dos escombros, uma senhora de meia-idade que estava exausta, mas consciente, ela conseguiu falar algumas coisas:
- “Meu filho. Resgatem o... meu garoto...” – A senhora perdia as forças, enquanto era arrastada na direção da barreira de segurança. Megumi, tendo ouvido os apelos da senhora, correu na direção do líder das equipes presentes. Ele era um jounin de Uzushiogakure, chamado Kaethan, mas conhecido principalmente por sua alcunha: “Fantasma”. Suas feições eram comuns. Cabelos negros e curtos, mas não tanto, além de um semblante cansado, com uma barba por fazer. À medida que o jovem de Konoha se aproxima, o veterano, aparentemente sem perceber ou ligar para a aproximação do garoto, dá algumas ordens:
- “Muito bem! O tempo acabou! Hora de voltar para a base! Recuem!”
Alguns membros da equipe já começavam a saltar na direção da segurança, quando o garoto abordou o líder do grupo:
- “Kaethan-dono. Aquela senhora disse ter um filho, podemos procurá-lo ainda.”
O jounin, sem nem mesmo olhar na direção de seu interlocutor apenas disse:
- “Não temos mais potência para seguir adentrando o território inimigo. Essa mulher já foi sortuda o suficiente de sobreviver ao ataque dos demônios, o bombardeamento de relâmpagos que soltamos sobre a cidade e ao conflito que está ocorrendo. É uma tristeza da vida, mas é melhor do que a morte.”
O homem se movia na direção da base, quando Megumi, acompanhando-o falou para o líder:
- “É por isso que te chamam de Fantasma, né? Você não tá preocupado em ser humano, pelo visto.”
Megumi se virou para ir na direção do possível desaparecimento do filho da vítima resgatada e Kaethan não o interrompeu.
Enquanto desbravava as ruas de Iwagakure, o Hyuuga logo encontrou a vítima. Um rapaz de feições pouco memoráveis, cabelos e olhos castanho-escuros com cerca de 20 e poucos anos, se escondendo sob uma construção.
Megumi se aproximava por entre os escombros, enquanto se comunicava com a vítima:
- “Oi. Chegou ajuda! Tu tá bem. Tá tudo bem.”
- “Ahhh... Não. Não tô! Tem eles. Eles estão por toda parte.”
- “Calma. Pega a minha mão.” – Disse o chunnin esticando o braço na direção do rapaz, com a mão estendida. No entanto, a interação foi interrompida por um estrondo. O teto colapsava com monstruosidades que aterrorizavam Iwa vindo do alto.
Os ataques das quatro criaturas vieram ao mesmo tempo, mas sem sincronia. Monstros brutais atacavam o ninja violentamente, uns sobre os outros, como se fossem se canibalizar se necessário para trucidar a presa.
Felizmente a velocidade do ninja era superior. Ele tinha o que era necessário para esquivar dos ataques. No entanto, o civil não era. Dois dos monstros viraram suas atenções para o alvo mais fraco, satisfeitos com o medo daquele que estava diante deles.
O ninja de Konoha ajudou a vítima, utilizando de suas técnicas:
- “Hakke Kushou!” – Dizia com um golpe no ar entre os dois demônios que atacavam Megumi, atingindo um dos agressores do rapaz a ser resgatado. Ainda assim o refém fora pego pela segunda criatura atacante. Megumi esquivou-se de dois socos simultâneos desferidos pelas bestas avermelhadas que estavam diante dele, com um salto mortal por cima de ambos, se posicionando entre as quatro destas. Com um chute ascendente, Megumi golpeou o pulso do monstro que segurava o rapaz, libertando-o da mão da fera. Os ataques vinham de todas as direções, segurando o homem assustado, Megumi pulava de um lado para o outro, até que seria acertado por 4 ataques multidirecionais das feras que o cercavam. O ninja de Konoha abraçou a vítima do ataque e girou:
- “Kaiten!” – Girando no ar, uma esfera de chakra se expandiu cada vez mais até o ponto em que atingiu pilares da construção, abalando a estrutura do prédio, que implodiu...
- “Ahhh... Ah...” – Megumi não conseguia dizer nada, engasgado no próprio sangue. Os demônios estavam mortos, mas os escombros do prédio prendiam o garoto no lugar, cobrindo-o da cintura para baixo. O refém estava a seu lado, também preso, mas apenas por uma perna. E nesse momento, em outro lugar, um homem lembrava-se de sua história:
- “O que sou eu... para você?” – Perguntava uma ninja com a bandana de Uzushio em sua testa, sangrando pelo abdômen, nos braços de Kaethan, que respondia:
- “Como assim? Você é uma shinobi. Uma ótima shinobi, com um futuro brilhante pela frente.”
A moça nos braços da morte não parecia surpresa:
- “É isso. É por isso que te chamam de Fantasma não é? Com emoções passando através de você. Tão frio em cada decisão que toma...” – A fala da moça foi interrompida por um gemido de dor, enquanto a vida se esvaia aos poucos. – “Eu posso te pedir uma coisa?”
- “Diga, shinobi.” – Respondeu prontamente Kaetham.
- “Pelo menos uma vez, você poderia só ser... Humano?”
Kaethan deixou todo o seu time morrer naquela noite, 25 shinobis mortos, pelo bem de uma missão completada.
De volta ao tempo presente, os demônios cercavam Megumi e o cidadão de Iwa, quando foram atingidos por kunais com tarjas explosivas. Nenhuma das criaturas morreu, mas todas viraram suas atenções para o agressor. O fantasma vinha acompanhado da equipe de resgate de antes e uma feroz batalha se iniciava. Dois ninjas do time levantavam escombros libertando Megumi e o civil, levando-os para longe do combate.
- “Ótimo! Agora peguem eles e saiam daqui. Nenhum homem meu vai morrer hoje.”
As feras saiam de todos os lados, aumentando em número a cada segundo.
Kaethan puxava um grande pergaminho e fazia o selo do rato, invocando diversas armas ao mesmo tempo de dentro deste. Ele lutava bravamente, enquanto alguns shinobis ainda insistiam em ajudá-lo.
- “Já falei para saírem daqui! Recuem! Não vai haver um fim para o número deles! SAIAM!”
Os soldados cada vez mais feridos foram obrigados a recuar, acatando as ordens do superior. Megumi era levado por dois ninjas, cada um segurando um braço seu. Tudo que ele podia fazer era olhar para trás e ver as costas do Jounin de Uzushio enfrentando dezenas de monstros sozinho.
Kaethan falava para si mesmo, uma última vez:
- “He... Parece que assim... Eu sou humano de novo.”
Cercado pelo que parece ser uma chuva de criaturas do inferno, o Fantasma abre seu colete, revelando vários papéis bomba, enquanto ele realiza selos de mão que indicam a utilização da liberação do fogo. Era o fim do Fantasma.

Considerações:
Jutsus usados:
Bolsas de itens:
Itens usados:
Databook:
Qualidades e defeitos:
-x-

Bahko
Chūnin
Bahko
Vilarejo Atual
-x-

Re: [Fillers] Megumi Fushiguro - Publicado 19/5/2021, 20:04

Ok, RIP Fantasma.

_______________________

[Fillers] Megumi Fushiguro Dcaa73310219fb06ecbf84af7785edc2e56f56af49f5b80f1431685fc6c8a7d8_1
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [Fillers] Megumi Fushiguro - Publicado 20/5/2021, 04:01


[Fillers] Megumi Fushiguro 0cfe261d8527fc4df118002b172f65c9af874ebdr1-1200-1200v2_128

Behelit


HP: 800/800 CH: 1300/1300 STA: 00/05

Dentre as várias tarefas passadas a Megumi em meio à batalha de Iwagakure, uma era particularmente perigosa. Aparentemente um item possuía com uma quantidade anormal de chakra havia sido detectada pelo esquadrão de ninjas sensores da aliança pela humanidade.
À medida que os ninjas caminhavam pelo cenário de terra arrasada, tudo era estranhamente tranquilo. Era como se as criaturas monstruosas que costumavam caminhar consumindo o sofrimento, as lágrimas e o sangue da humanidade, estivessem... esperando.
- “Ei companheiros, vamos seguindo, mas estejam atentos... Tudo parece uma armadilha por aqui.”
Dizia o jovem Hyuuga, líder do esquadrão dessa vez. E tudo parecia mesmo suspeito, Megumi em meio a isso decidia ativar o seu byakugan e como consequência percebia algo assustador. Vários demônios estavam vigiando os ninjas, mas sem se aproximar. Eles pareciam até mesmo sorrir.
- “Pessoal. Preparem-se para a batalha. Provavelmente essas feras estão esperando que baixemos a guarda. Mas tem outro problema. Talvez o objeto tenha alguma proteção em forma de técnica, fuinjutsu ou algo assim. Temos como nos preparar para isso?”
Um rapaz de cabelo loiro longo, mas nem tanto, com rabo de cavalo, dizia:
- “Sim. Eu sou capaz de desfazer selos, caso venhamos a detectá-los.”
Megumi olhava em sua direção e assentia com a cabeça, em sinal de aprovação. Isso sem baixar sua guarda, uma vez que enxergava em quase 360 graus. Infelizmente, mesmo com o Byakugan ele não conseguia ver o item em questão. Tudo que enxergava era uma onda de chakra gigantesca que os guiava como uma lâmpada trazendo moscas para si.
Um dos ninjas, com feições angulares, pontiagudas, olhos estreitos e cabelo preto partido ao meio, claramente tremendo de medo sugeria a desistência:
- “Ei, chefia. Acho que a melhor coisa a se fazer é vazar. Podemos dizer que não achamos o item.”
Não demorou até que Megumi retrucasse:
- “Não seja tolo. O esquadrão sensorial continuaria detectando a assinatura do item. Não temos escolha se não ir até ele. Mas você tem razão em querer fugir. Algo não cheira bem. Tudo é muito claramente uma armadilha, mas ainda estamos sem escolha. É como se... estivesse nos atraindo.”
A atmosfera se tornava mais pesada, Megumi andava cada vez mais devagar, até que uma grande mão tocou seu ombro:
- “Não perca seu foco. Você é o líder desse time, garoto. Você enfrentou um general dos demônios, não enfrentou?”
O indivíduo que apoiava Megumi era outra figura destacável. Um shinobi robusto, entre o gordo e o forte, com olhos ainda mais estreitos do que seu outro colega, parecendo até mesmo fechados, com cabelo bem cortado, raspado dos lados e uma aparência firme e centrada. Era o último formando o time de 4 membros, incluindo o próprio Fushiguro.
- “Ah, sim. Tem razão.” – Respondeu hesitante o garoto tentando repor sua compostura.
Todos se aproximavam do lugar. Os demônios de vigia se aproximavam, deixando seus olhos cintilarem em vermelhos das sombras de Iwa. A chuva de sangue camuflava seus semblantes dos ninjas que não possuíam doujutsu. Mas suas risadas começavam a ficar audíveis à medida que estes se moviam.
Naturalmente todos os ninjas ficavam em alerta, aproximando-se uns dos outros, com as costas se tocando, em uma formação sem pontos cegos. O único que deixava de lado a formação era Megumi, que ouvia algo, como um chamado. Seus olhos detectavam uma coluna de chakra pouco à frente de todos. Era o item em questão.
Chegando perto ele conseguiria ver o objeto oval, pequeno o suficiente para caber na palma da mão de Megumi estava posto em uma espécie de pedestal improvisado de pedra. O objeto profano parecia atrair o garoto cada vez mais. À medida que seus dedos se esticavam na direção dessa fonte tão poderosa de chakra, vozes sussurravam nos ouvidos de Fushiguro:
- “Isso... Mais um pouco... Toque esse objeto e terá poder. Poder o suficiente para curar Okabe...”
A sedução dessas palavras era forte. Por mais que fosse um objeto infernal, Megumi não conseguia deixar de se perguntar “e se?”
Finalmente, com seu indicador tocando o artefato, os demônios ocultos começavam a se aproximar. As vozes advindas do item se intensificavam:
- “Todos os seus sonhos serão verdade! Você terá poder ilimitado! Poderá curar todos que amar! Apenas diga: Eu sacrifico.”
Megumi, confuso, pensava no que isso significava. Para os demais ninjas, cada vez mais suados e acuados, parecia que ele falava para si mesmo:
- “Mas o que eu sacrificaria?”
E em um instante um flash passou em sua mente. Isirus, Kaonashi, Ran, sua sensei... O que seria deles se falasse as palavras? As mãos de Megumi alcançaram o objeto e simultaneamente os monstros que estavam quietos até então, em números que chegavam à centena, falavam entre si ao sair das sombras:
- “É este. Este é o escolhido. Matem o resto!”
Megumi ainda estava em transe por um momento, mas a sua decisão foi a necessária. Entendendo o significado do peso de suas ações, usando toda sua força de vontade, ele respondeu, motivado não apenas pela vontade de fazer o certo, como por uma ganância talvez infantil:
- “Não. Eu não sacrifico nada! Eu vou alcançar os meus objetivos sem pisar em ninguém!”
Com isso, todos os demônios entraram em frenesi. Sua fúria acumulada tornava seus gritos um coro macabro. As chances de vitória eram baixíssimas e para piorar, o artefato infernal se agarrou à mão de Megumi. Ele não conseguia se libertar, balançava a mão de um lado para o outro enquanto sentia a sua vitalidade sendo absorvida.
- “Aaaaaaaah!” - Gritava. Enquanto sentia dor como nunca sentira. A punição por recusar o tratado com o demônio era uma sensação excruciante de perda da própria vida.
Os 4 shinobis batalhavam com cada vez mais demônios, um atrás do outro eles investiam em ataques contra a equipe que se defendia da maneira como podia. O ninja de Konoha precisava constantemente de ajuda, sendo coberto pelos demais a cada poucos metros. A dor se acumulava. A sensação e que sua vida estava sendo roubada aumentava. Era uma batalha entre sua vitalidade e a vontade do inferno.
Os ninjas viam a barreira dos aliados, estavam chegando até a segurança, quando Megumi desmaiou.
Quando acordou, todos estavam na enfermaria.
- “O que? Como sobrevivemos? Onde está o objeto?” – Indagou o chunnin para um de seus aliados. O loiro foi o primeiro a responder:
- “Um indivíduo misterioso nos ajudou quando você desmaiou. Todo mundo achou que a gente ia morrer até ele aparecer. Ele destruir o objeto com um golpe de espada ainda na sua mão. Um pouco mais forte e você iria acabar maneta.”
O ninja de cabelo preto partido o continuou:
- “Na verdade é incrível como ele conseguiu controlar aquele golpe tão precisamente. Aquilo não era uma espada. Era grande, pesada e espessa demais para ser uma espada... Era como um pedaço de ferro feito para matar...”
Confuso, mas satisfeito, Megumi ficou curioso sobre o salvador:
- “E onde ele está? Esse indivíduo misterioso.”
Finalmente o ninja parrudo respondeu:
- “Ele não era um de nós.”
- “O que?” – Indagou Megumi.
- “Ele certamente parecia um humano, tinha as proporções de humano, mas ele foi na direção dos demônios com um ódio maior do que o deles mesmos. Eu acredito que... ele está em casa lá fora.”

Considerações:
Jutsus usados:
Bolsas de itens:
Itens usados:
Databook:
Qualidades e defeitos:
-x-

Bahko
Chūnin
Bahko
Vilarejo Atual
-x-

Re: [Fillers] Megumi Fushiguro - Publicado 20/5/2021, 10:08

Ok

_______________________

[Fillers] Megumi Fushiguro Dcaa73310219fb06ecbf84af7785edc2e56f56af49f5b80f1431685fc6c8a7d8_1
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Tai Pride pt.1 - Publicado 2/8/2021, 18:31



Megumi Fushiguro —

1300 1300 1300
2100 2100 2100
00 05 05




Fushiguro mais uma vez visitava o zoológico onde estava a família Hachidori. As várias pessoas estavam felizes e sorridentes, colocando tudo em ordem, instalando suas casas, trazendo seus pertences e mercadorias. Não havia sido fácil a travessia até o País da Terra. Izanami, estava chegando ao local com compras, quando cumprimentava Megumi, que consertava a roda de uma carroça:

- Bom dia, Megumi. Como vai? - Perguntava com um saco de compras nas mãos.

- Vou bem, Iza. Só ajudando o chefe aqui rapidinho a consertar uma carroça. - Megumi olhava para Iza, principalmente quando ela ia andando de costas pra ele.

- He... Você devia pedir para sair com ela qualquer dia desses. - Quem dizia isso era o Chefe, um homem alto e forte, primo de Izanami.

- Oi? - Indagou confuso Megumi, uma vez que nunca havia pensado em ninguém assim. Logo ele se recompôs e voltou a falar com o Chefe sobre o assunto que estava tratando anteriormente.

- Ainda vai lutar naquele campeonato para conseguir comprar o zoológico?

- Claro que vou. A gente tá quase terminando de arrumar tudo. O lugar vai ficar lindo. - O Chefe voltava sua atenção para o que mudou desde a última vez que Megumi esteve ali. As jaulas haviam sido removidas, os ambientes estavam limpos e a vegetação rasteira havia sido removida. Restavam apenas campos gramados, onde herbívoros uma vez ficavam pastando, além de árvores que mantinham o lugar fresco e bem colorido. O lugar estava bonito. Logo seria chamado de lar pelos membros daquela família. O problema é que a propriedade tinha um dono, claramente desinteressado, visto o estado abandonado do lugar e o fato de ele não ter movido ninjas para afugentar os imigrantes daquele lugar.

Após terminarem de consertar a roda, ambos se levantaram e continuaram a conversar:

- E o dono deu trabalho? - Indagou Fushiguro, tirando o suor da testa.

- Não. Mas vai. - Olhando para trás, o Chefe e Megumi se viraram, seus olhos se arregalando ao ver a figura. Um homem baixinho e com roupas extravagantes, óculos vermelhos, um colar de penas brancas e um terno amarelo. Era o dono do lugar, acompanhado de dois seguranças que se vestiam como arruaceiros, de roupas largas com capuz ainda nas costas, cicatrizes e rostos de feições fortes.

- Muito bonito o que fizeram com o lugar, uma pena que ele é meu... - Comentou sorrindo sarcasticamente o homem de cabelos pretos e curtos.

- Um inst... - Antes de protestar, a mão do Chefe ficou à frente de Megumi.

- Quanto você quer pelo lugar? - Indagou o Chefe com um rosto sério e determinado.

- Acredito que ele vale 100.000.000 de Ryou, não concorda? - Comentou o magnata, com uma mão no queixo e um sorriso de canto de boca.

O valor era completamente absurdo, Megumi mesmo não estava nem perto de ter uma quantia como aquela e não havia como conseguir tanto dinheiro. Era como completar 100 missões de Rank S. O que estava acontecendo? Por que uma quantia tão exorbitante? Olhando no rosto do Chefe, Megumi entendia: Os dois tinham alguma rivalidade. Não comentou nada, apenas observou.

- Me dê uma semana. - O rosto do Chefe era implacável.

- He! Tudo certo, só não acredito que você vá conseguir sobreviver.  - Retrucou o Magnata se virando e saindo com seus capangas.

Após alguns instantes, Megumi voltou a falar:

- Que diabo foi isso, Chefe? - Indagou ao amigo, com um rosto sério.

- Me dê uma semana.  - Respondeu o chefe.

- E ele sabe que você vai participar? - Continuou a perguntar o ninja.

- Sim...

Foi então que o chefe se sentou na beira de tanque seco onde ficava alguma espécie aquática anteriormente. Ele explicou tudo para Megumi. O preço do lugar era 10.000.000 de Ryou e os Hachidori não tinham o dinheiro. O Chefe foi até o proprietário, chamado Kakku, pedindo para ele ter paciência e pelo menos parcelar o valor. O que ele cobrou foram as mulheres da família. Queria que elas trabalhassem em um bordel dele. Chefe se irritou e atacou Kakku, que foi protegido por um dos homens dele. Machucando o capanga gravemente, Chefe fugiu. Mais tarde ele soube que o capanga lutaria no Tai Pride em nome de Kakku. Por isso ele começou a se preparar para o campeonato, além de estar esperando pela visita do magnata a qualquer momento. Obviamente ele cobraria o prêmio e foi isso que ele fez.

Com isso, Fushiguro se levantou e disse:

- Então vamos começar, não é mesmo?

- O que? - O chefe não entendia, mas Fushiguro decidiu treiná-lo. Sendo um ninja de elite, tinha várias formas de ajudar o Chefe, que não teve escolha se não aceitar. Ambos então começaram a passar por uma rígida rotina de treinamento, onde ambos se exercitavam todos os dias. Corridas, levantamento de pesos e claro, sparring. Fushiguro utilizava de seu punho gentil para preparar o homem para o campeonato. O estilo de luta de Fushiguro causava sérios danos até mesmo com o mais leve toque, além de ser muito rápido. Provavelmente ninguém no Pride seria capaz de lutar tão rapidamente quanto Megumi. Além de usar golpes com as palmas das mãos, Fushiguro falava para o Chefe como era importante a luta agarrada. Ao longo de sua vida ninja o próprio Fushiguro chegou à conclusão de que isso seria importante e era algo que ele colocava em prática, apesar de não ser algo comum em seu clã. O treinamento foi bem intenso para o tempo que o Chefe tinha disponível e felizmente ele já era alguém muito forte e bem preparado, visto que já esperava pelo Tai Pride. Utilizando de sua habilidades enquanto médico, assim como seu taijutsu, Fushiguro treinou o chefe basicamente matando-o e fazendo-o renascer.

Finalmente chegava o dia do campeonato e ele estava pronto. Estando como novo graças ao cientista-médico, quem mais tinha lesões era Fushiguro. Com um olho roxo e alguns curativos no rosto o próprio até o local do campeonato, carregava a toalha e estava pronto para agir como técnico do Chefe. O que Megumi não esperava era que tudo iria dar errado tão rapidamente.

Considerações:

[Fillers] Megumi Fushiguro 42AtZ2x

SirSalvatore
Raikage | Herói
SirSalvatore
Vilarejo Atual
[Fillers] Megumi Fushiguro 42AtZ2x

Re: [Fillers] Megumi Fushiguro - Publicado 3/8/2021, 14:26

Ok

_______________________


[Fillers] Megumi Fushiguro Pngwin11
Conteúdo patrocinado
Vilarejo Atual

Re: [Fillers] Megumi Fushiguro - Publicado