>
Naruto RPGAkatsukiNão é o único, simplesmente o melhor!
Arco 11:
Reino de Lilith: PesadeloAno: 71DG
Após uma dura jornada, Shaka finalmente caiu e teve a maldição retirada de seu coração. No entanto, os problemas trazidos pela família Hattori não se extinguiram. Shion revelou ter ajudado a libertar Lilith, uma monarca da dimensão infernal, que agora está possuindo o corpo de Hyuga Katsura e libertando uma horda de seres infernais contra este mundo. O mundo corre risco de ser consumido pela maldade dessa criatura, mas não se o plano de Shion der certo: forçar Lilith a causar um evento chamado de O Grande Eclipse, onde as portas de todos os mundos e dimensões ficarão abertas, e assim permitir a ele ir ao submundo resgatar sua amada Katsura Grey para finalmente selar Lilith.
Sumário
Mapa
Staff
Discord
Facebook
Contos
Estação: Inverno

Revouv
Chūnin
Revouv
Vilarejo Atual
Ícone : [Filler] ▸ Suisen Kitsune Fukuwa.full.923643

https://www.narutorpgakatsuki.net/t74385-fp-yukikitsune-kaonashi https://www.narutorpgakatsuki.net/t72868-gf-kaonashi-yukikitsune

[Filler] ▸ Suisen Kitsune - 1/12/2020, 03:04



 

 
狐狸精. ~ 水仙Um pouco do perfume sempre fica nas mãos daqueles que oferecem flores
 

Vamos logo Suisen! Você vai ficar para trás! — Diz Kuzōsu enquanto vira-se para mim no topo de uma escadaria, acompanhado por mais algumas outras crianças: — Você sempre é tão lerdo Suisen... Quer ajuda aí? — Ele se pronúncia novamente, com seus curtos cabelos molhados pela chuva típica de inverno de Amegakure no Sato: — Vocês... São tão... Rápidos... Não é justo... — Eu respondo ofegante e com algumas gotas de suor escorrendo pela superfície de minha testa. Nós estávamos correndo por entre as várias ruas de Ame, seja pelas pontes que interligam as áreas superiores ou simplesmente as estradas mais movimentadas, em cada ponto da aldeia de cima a baixo. Eles haviam me chamado para alguma coisa que recusaram-se a contar enquanto nós não estivéssemos lá. As luminárias de papel reluziam com uma luz alaranjada. Eu prefiro essas luminárias de papel ao invés das lâmpadas comuns, elas enfeitam muita bem as ruas úmidas da vila. Uma pena que normalmente essas luminárias estão sendo protegidas nas fachadas das casas, afinal, o papel ficaria aquoso demais. Nós percorremos alguns vários metros, por arredores vezes próximos a bares abertos aos domingos, como homens ébrios e risadas que ecoavam de forma ensurdecedora, vezes com anciões da aldeia sentados na sala de suas casas jogando uma partida de xadrez. Foi divertido ver Kuzōsu e os outros, Chiemi e Yukioshi. Havia tempos que nos passamos pela semana de provas na academia, então eu não tive muito tempo para vê-los, me alegro em saber que continuam entusiasmados com o final do bimestre e com nossa graduação para gennins.

Não tardou muito desde que eles haviam me chamado na porta de casa e finalmente nos havíamos chegado onde eles queriam chegar. Eu estava bem atrás dos demais, então demorou alguns poucos segundos para que eu conseguisse me aproximar: — Olha! Olha! Olha! Chegamos! Caramba deu tempo! Chegamos! — Chiemi cantarola enquanto agarrasse em meu pescoço quase lançando-me contra o chão: — Calma! Eu vou cair e me sujar! Não me segura! Você tá molhada! — Irrompo-a tentando manter o equilíbrio. Eu não tive tempo de observar aquilo que eles queriam me mostrar. Não havíamos chegados na beirada de um grande edifício. De onde estávamos, tínhamos vista da região mais alta da aldeia. Eu conseguia ver facilmente minha própria casa da distância onde estávamos. Lá do alto, também, conseguíamos ver através da muralha que cercava a aldeia. Aonde nossa vista alcançava, apenas era visível um grande oceano que alastrava-se até os confins de uma grande bruma: — Sabia! Aqui é o lugar mais alto do mundo se bobiar! Você acha que tem lugar mais grande no mundo? — Kuzōsu diz: — Você quis dizer “mais maior”, né? — Retruca Chiemi enquanto sorri de forma presunçosa, tentando parecer inteligente: —Aqui não é “mais maior” nem “mais grande”, e muito menos o maior lugar do mundo... — Yukioshi divaga aos sussuros, tentando não chamar muita atenção, mesmo que visivelmente interessado em participar da conversa.

Nós nos sentamos sobre a beirada do topo do edifício e observamos por algum tempinho toda aquela imensidão. É quase imperceptível quando estamos lá em baixo a vastidão da aldeia. O quão longe ela alcança e quantos telhados há paralelamente a cada uma das estradas da vila. O sol começou a se por e decidimos então que já estava tarde e que deveríamos voltar para nossas casas. Novamente o mesmo cenário, com todos eles indo a uma velocidade que eu mal consigo acompanhar com meus olhos. Mal consigo me lembrar de quantas pessoas eu acabei esbarrando acreditando serem meus amigos ou simplesmente enquanto eu tentava segui-los.
No final do dia, todos haviam retornados para suas casas e tudo estava terminado. O dia tinha sido uma correria desenfreada e uma pausa longa para respirar e aproveitar uma vista incrível. Não parece nada muito interessante e provavelmente, na época, um momento como esse não era tão representativo ou relevante para criar como recordação. Nós acordaríamos e faríamos tudo novamente, como sempre fizemos. Mas, de um dia para o outro, nós mudamos. Algo mudou, e muito. De um dia para o outro, tudo havia mudado. Nós viramos gennins, tivemos novas responsabilidades e novas tarefas cotidianas. Repentinamente, não havia mais tempo para momentos como aqueles. Kuzōsu decidiu abandonar a carreira como shinobi e dedicou-se em tornar-se um artesão como seu pai, ajudando-o em sua oficina. Chiemi e Yukioshi tornaram-se shinobis como eu, mas não ouço a respeito deles desde os incidentes que aconteceram em Ame e minha mudança para Iwagakure.

Eu repentinamente desperto deitado sobre minha cama, com uma palpitação agitada em meu peito e um tanto eufórico. Tudo não passava de uma vaga lembrança. Eu estava muito mais agitado do que deveria, e com toda certeza auqilo não estava fazendo bem para minha saúde, estar em estado de vigilância total e não me adaptando a realidade de agora. Eu deveria esquecer tudo que havia passado e seguir em frente, mas algo estava me prendendo a Amegakure, algo que eu simplesmente não conseguia tirar da cabeça. Tudo aquilo era tão estranho, uma sensação de um nó sobre minha garganta, pressionando-a e interrompendo minha respiração, mas eu não consigo me livrar dessa amarra. Eu caminho até o banheiro e lavo meu rosto e em seguida, visto-me com uma roupa típica para o frio e parto em direção a rua. A nevasca estava mais branda que outrora, um pouco menos violenta e deixando a sensação climática mais amena, mesmo que ainda estivesse frio. Eu caminho em direção aos arredores da aldeia correndo, usando da maior velocidade que consigo atingir. Eu estava tentando me livrar de alguma coisa, talvez fugindo ou apenas perdendo de vista, mas estava com certeza tentando deixar alguma coisa para trás. Eu salto sobre a telha de uma casa e começo a caminhar por cima das casas da vila. Em algum ponto, eu alcanço alguns grandes pedregulhos e começo a escala-los concentrando chakra me meus pés. Eu começo a ficar ofegante, mas precisava correr, sentia meu coração bater e alcançar minha garganta. Minha respiração tornava-se visível. Eu me viro e grito: — ONDE ESTÁ?! — E quanto percebo, eu estava no alto de uma grande rocha, e conseguia ver minha casa de onde eu estava. Sentia a ventania balançar os fios grisalhos do meu cabelo e roçar em meu pescoço. Não sei o porquê eu fiz tudo aquilo, o porque Amegakure era tão importante, mas com certeza eu acho que de onde eu estava, eu achei o que eu deveria me importar. Eu podia ver que não importa aonde eu estivesse, meu lar seria aonde minha família estivesse.

HP: (400 • 400) | CH: (1250 • 1250) | ST: (01 • 04)

Considerações:

> Número de palavras: 1119.

Considerações narrativas:
Filler de Status com o personagem Suisen Kitsune.

Aparência:
Suisen é um garoto jovial e sua característa facial mais notável são seus cabelos grisalhos naturais. Seus olhos são da cor avelã, uma coloração quase dourada. Suisen é um garoto particularmente baixo e com um corpo fraco. Comumente, traja um haori com capuz branco com um tom semelhante a pele de uma raposa mística, com adornos ao redor da roupa e abas que chegam na altura de seu calcanhar, com linhas pretas na parte onde se fecha a roupa e no contorno das mangas. Por fim, um par de luvas e um pingente dourado na região de seu pescoço e que desce até seu busto. Mesmo com a roupa tipicamente usada com temperaturas mais baixas, sente-se confortável como em um dia de temperatura amena. Sua bandana é pendurada em seu pescoço como seu colar.

Atributos:

Atributos primários:

Ninjutsu: (03)
Genjutsu: (06)
Taijutsu: (00)
Inteligência: (05)
Força: (00)
Velocidade: (02)
Stamina: (02)
Selos: (02)

Atributos secundários:

Regeneração: (00)
Recuperação: (00)
Shurikenjutsu: (00)
Cura: (00)
Absorção: (00)
Ninshu: (00)
Combate: (00)
Ilusão: (06)

Técnicas usadas:

Técnicas ilusórias:

Genjutsus são técnicas que são empregadas do mesmo modo que o ninjutsu, requerendo chakra e selos de mão. Porém, a diferença primária entre ambos é que os efeitos do genjutsu são ilusórios; ao invés de atacar o corpo da vítima, como taijutsu ou ninjutsu, técnicas de genjutsu criam falsas sensações no sistema nervoso da vítima, alterando fluxo do chakra dela e, consequentemente, causando uma perturbação nos sentidos.
Técnicas ofensivas:
Técnicas defensivas:
Jutsus armadilhas:
Invocações:

A Técnica de Invocação é um ninjutsu de espaço-tempo que permite que o invocador transporte animais ou pessoas através de longas distâncias instantaneamente através do sangue do usuário.
Jutsus em preparo:
Jutsus passivos:

Bolsa de armas:
--

_______________________


Yukikitsune Kaonashi


FICHA  |  GF  |  BANCO
-


Edição de Aniversario por Shion e Senko.