:: Mundo Ninja :: Mapa Mundi :: Kumogakure no Sato :: Centro da vila
12 Anos Online
Alvorecer
Arco 04
Ano 16 DG
Inverno
A queda do pastor cobrou um preço altíssimo do mundo ninja: o golpe final trouxe ao mundo um tempo de dor e sofrimento; fome e pobreza retornaram às ruas, a violência triplicou, os antigos heróis caíram ou ficaram desacreditados. Mas, um pouco perto do amanhecer, a Hydra, que até então se mantivera em silêncio, mostrou-se das sombras, trazendo oportunidades de emprego e uma esperança para salvar o mundo dessa mais nova calamidade. Líderes ninja não tiveram escolha senão se arriscarem em tratados suspeitos para conseguir manter firmes seus lares e seus soldados. No entanto, os reais planos da Hydra ainda continuam sendo um grande mistério.
... clique aqui para saber mais informações
Shion
Fundador do RPG Akatsuki, Shion é responsável por manter o bom funcionamento de todas as áreas do fórum há mais de 10 anos. Completamente apaixonado por RPG e escrever, hoje é o principal responsável pelo desenvolvimento de toda a trama desse universo baseado na arte de Kishimoto.
Shion#7417
Angell
Angell é jogadora de RPG narrativo desde 2011. Conheceu e se juntou à comunidade do Akatsuki em fevereiro de 2019, e se tornou parte da administração em outubro do mesmo ano. Hoje, é responsável por desenvolver, balancear, adequar e revisar as regras do sistema, equilibrando-as entre a série e o fórum, além de auxiliar na manutenção das demais áreas deste. Fora do Akatsuki, apaixonada por leitura e escrita, apesar de amante da música, é bacharela e licenciada em Letras.
Angell#3815
Indra
Oblivion é jogador do NRPGA desde 2019, mas é jogador de RPG a mais de dez anos. Começou como narrador em 2019, passando um período fora e voltando em 2020, onde subiu para Moderador, cargo que permaneceu por mais de um ano, ficando responsável principalmente pela Modificação de Inventários, até se tornar Administrador. Fora do RPG, gosta de futebol, escrever histórias e atualmente busca terminar sua faculdade de Contabilidade.
Indra#6662
Biskath
BisKath é jogador do NRPGA desde julho de 2020, tendo encontrado o RPG por meio de pesquisas e começado a jogar nele, sem pausas desde então. É jogador de RPG desde 2013, mas o Akatsuki foi o primeiro de Naruto em que se aventurou. Apenas começou como moderador em abril de 2022, se dedicando as funções da moderação até se tornar administrador em julho do mesmo ano, auxiliando também na avaliação da área de criações. Fora do fórum cursa desenho, pois tem interesse em artes de forma geral..
BisKath#0666
XXXXX
XXXXX
Discord#1234

[Evento Off] O Iluminado.  SsPcwT6

Sekiro
Jōnin
Sekiro
Vilarejo Atual
[Evento Off] O Iluminado.  SsPcwT6

[Evento Off] O Iluminado. - Publicado Sex 20 Nov - 18:38



Seu vínculo emocional com festejos e datas comemorativas era nulo. Apesar disso, o Halloween parecia ser um pouco mais agradável do que todos eles. Visuais macabros, as obras melancólicas e fúnebres ou mesmo os detalhes mínimos; todos os fatores se anexavam para formar uma data interessante. Enquanto as pessoas saíam de casa com suas máscaras, trajando vestimentas que expressassem um personagem fictício, Yone podia mostrar sua verdadeira face. Ali, naquela noite, não era diferente.

Sentava-se sobre o toco de uma árvore que agora era um banco, com os braços cruzados e o olhar cinzento. Atentava-se, igualmente, aos mínimos detalhes da localização, que em poucas horas se tornaria o palco de um evento. Vegapunk, o estabelecimento de sua família, costumava ser um local para aquele tipo de ocasião, visto que a data aumentava grandemente os lucros recebidos. Ainda assim, trazia certo incômodo a Yone, que constantemente era procurado por conhecidos, principalmente Nobunaga, que lhe pedia convites para participar do festejo.

Com os braços cruzados e o suspiro cansado, Yone mantinha o desânimo. Enquanto Silvers, Hinowa e Alice tentavam decorar o lugar, desmontando e remontando pela falta de itens comprados, Kendo andava de um lado ao outro, e sua expressão era de confusão. O mancebo fitou a criança, e então a chamou. — Está com medo da abóbora? — zombou, e o garoto constrangeu-se, visto imaginar que não notariam seu dilema. — Sério, pode me dizer o que está rolando.

É... E-eu nunca fui a uma festa assim. — o garoto disse, e Yone pôs-se a refletir. "Certamente não, viveu por anos na rua, jamais teve essa oportunidade.".

É o seu primeiro Halloween? — perguntou, e a criança assentiu. O Zoldyck fitou Hinowa de soslaio, ela escutava a tudo com o semblante triste. Provavelmente sentia-se mal por seu filho. — Quer saber? Que tal irmos comprar uma fantasia para você? Eles precisam de espaço e estamos só atrapalhando, posso levá-lo para pegar doces! — deixou que parcelas de sua personalidade heroica viessem à tona, sendo abraçado pela criança.

Sim!

(...)


Ambos vagaram pelas ruas da Nuvem. Yonji fitava o ponteiro de seu relógio, denotando que faltava pouco mais de duas horas para o início do evento, sendo perceptível principalmente na locomoção das crianças pela área. Todas passavam fantasiadas, e quando elas recitavam o famoso bordão de travessuras, Kendo lhes entregava alguns doces tragos especialmente para a ocasião.

Os olhos do garoto brilhavam, principalmente quando os dois foram a uma loja comprar fantasias. Dado o momento e horário, além de ser um feriado, não encontraram grandes opções. A busca por um traje heroico por parte do Zoldyck terminou sem vitória, restando-lhe a fantasia de um serial killer. Utilizava um grande macacão azul escuro, com uma máscara branca e inexpressiva, enquanto o cabelo anexado à fantasia possuía a coloração amarronzada. Em seu peitoral possuía o crachá com o nome "Myers".

Kendo, por sua vez, trajava um macacão azulado infantil, com uma camisa de mangas longas listradas em diversas cores, além de tênis infantil e uma peruca avermelhada até a altura de sua nuca. Em sua face foram maquiadas diversas cicatrizes em forma de costura, o que o fazia assimilar-se grandemente a uma...

Você é uma criança assassina. — o Jōnin disse, traçando o caminho que fariam.

Não, eu sou um boneco assassino! — ele respondeu automaticamente, correndo com sua sacola de doces para a casa mais próxima. Tocou a campainha, fingiu assustar os moradores dali, e então partiu para a próxima casa após ter sua bolsa preenchida com balas.

A hora seguinte fora dedicada completamente ao ato. Enquanto Yone acenava para os conhecidos da Nuvem e acompanhava Kendo com um sorriso no rosto, o garoto deleitava-se de seu primeiro Halloween, como se estivesse em êxtase. Observar aquele semblante preenchia o Zoldyck de alegria, dado que os mínimos detalhes lhe traziam paz interior.

Abstraindo-se dos pensamentos, olhou mais uma vez para o relógio, percebendo que faltava muito pouco para o evento. Se não levasse Kendo imediatamente, teria de ouvir horas de reclamações vindas de Hinowa, portanto, solicitou para que o menino se apressasse. Em meio a movimentação das ruas vazias, já que a grande maioria das pessoas se locomovia para eventos privados, denotou uma silhueta entre a relva. Não era capaz de discernir de quem se tratava, mas cada novo passo rendia uma estranha movimentação por parte dele.

O Zoldyck, portanto, iniciou uma leve sequência de passos, sapateando na calçada para averiguar se a criatura repetiria seus movimentos. Quando pisoteava fingindo que finalmente andaria, ela avançava, quando interrompia os passos, ela parava, e mesmo quando recuava, o indivíduo retornavam à relva. "Ele certamente está nos seguindo", pensou.

Acenando para que Kendo não se preocupasse, pegou a criança no colo e assim cruzou a rua, evitando as residências e adentrando em um hotel. Utilizava uma velocidade considerável, e de soslaio podia notar que o indivíduo o seguia. Ele trajava-se com uma camisa verde com estampa de porco, calça jeans, máscara de pele e erguia uma motosserra até então desligada, bufando por ser bastante robusto e igualmente por manter o grito de guerra; "Cinquenta e um!".

Yone manteve a corrida, interrompendo seus passos apenas ao perceber que o corredor não possuía um fim. Dois adolescentes de mãos dadas e vestidos peculiares apontavam para a única porta do local, onde o mancebo escondeu-se. Adentrou o cômodo, trancou-o e recostou-se no canto da parede, verificando se estava tudo bem com Kendo. Ele parecia levar tudo como uma brincadeira, pois um sorriso estampava seu rosto.

Os sons interromperam-se por um momento, e mesmo os passos. O silêncio tornou-se seu companheiro absoluto em um singular instante, no qual ouviu a porta ser golpeada por um machado. Assustou-se, gerando ruídos que entregaram sua posição. O homem ao lado de fora continuou golpeando a porta com o armamento, abrindo uma grandiosa fresta na madeira apodrecida, e ali alocando sua face.

Here's Johnny! — ele gritou, intentando assustar Yone e Kendo. Contudo, quando foi golpear a porta pela última vez, viu seu machado se quebrar. O homem mudou a expressão de psicopatia para completa decepção, perdendo toda a determinação de outrora.

Uma machadada, ok, duas, está certo, três faz parte, mas cinco? Esse equipamento é uma porcaria. — o Zoldyck comentou, já sem quaisquer temores, por ter reconhecido a voz. Os orbes analisaram o corpo do homem, e ele então levou a palma da mão à face. — Puta merda. Nobunaga? — questionou. O indivíduo o olhou, jogou a motosserra para um lado qualquer, e retirou a máscara.

Como me reconheceu?

Você está pedindo bebida.

Cinquenta e um não é bebida, é um mund...

Não importa. Qual a razão para isso? — disse, deixando que Kendo se desvinculasse de seus braços. A criança se aproximou de Nobunaga que abria as pernas e deu-lhe um chute na canela. O velho gritou com o incômodo.

Eu te pedi uma vaga para a festa de Vegapunk, ainda estou esperando ela!

Ah, é isso? — o moreno maneou a cabeça negativamente, entregando o seu convite para o indivíduo. Nobunaga abraçou Yonji, pegou sua fantasia novamente, bem como a motosserra falsa e o grupo seguiu para Vegapunk.

(...)


Hinowa fitou a chegada do trio, denotando a face animada de seu filho. Ele se aproximou de sua cadeira de rodas, contando-lhe sobre tudo o que havia acontecido com bastante empenho. Curiosamente, não havia temido em qualquer momento, pensando se tratar de uma brincadeira tradicional de Halloween.

Yone manteve o sorriso no rosto, afastando-se da aglomeração para observar o ambiente ao lado de fora. Notou, de soslaio, a chegada de Hinowa, que arrastava sua cadeira de rodas. Nada disse, apenas fitando a luz do luar.

Obrigada, Yone. — seu semblante reluzia. — Esse foi o melhor dia da vida dele. Ninguém nunca fez nada assim por Kendo.

O mancebo manteve os orbes atentos ao luar. Embora aquela data não significasse nada para si, um mínimo ato a tornou um momento inesquecível para a criança. Novamente, felicitava-se com o prazer alheio. Um sorriso brotou em sua face, observando-a de canto.

Não se preocupe. No próximo ano, nós faremos tudo novamente.
 


Considerações:
HP: 2500/2500 — CH: 4000/4000 — ST: 00/07 — CN: 000/400