:: Área de Mudanças :: Centro de Melhorias :: Treinamentos de Fillers
O Dia Mais Claro
Arco 02
Ano 13 DG
Verão
Com o fim da guerra em Oto, o mundo estava se reajustando uma vez mais. Embora se vendo como inimigas, as Cinco Grandes Nações se reergueram novamente, cada uma à sua maneira. Suna e Iwa ainda se mantinham sem Kages, e em cada uma um conselho de alto nível foi formado. Em Kumo, Kagaya focou em deixar seus ninjas mais poderosos e passou a exigir deles ainda mais comprometimento em batalha. Kaden, mesmo emocionado com a difícil vitória, levou novas esperanças à sua vila, Konoha, e, aliviado pela renúncia de Kamata ao posto de Senhor Feudal, via na nova Senhora do Fogo uma forma de deixar tudo que aconteceu em Oto enterrado em Oto, para que todos seguissem em frente, para o futuro. Em Kiri, Jyu apresentou um novo investimento, e, agora, a vila investia na área cientifica, trabalhando com engenharia genética e mecânica; um jovem engenheiro, Moira O'Deorain, lançava um produto que alavancaria Kiri e todo o mundo ninja, sua nova criação: “Vita”. Ao mesmo tempo, saindo das sombras, a organização privada HYDRA se apresentava ao mundo, investindo pesado em tecnologia e criações para torná-lo um lugar melhor.
... clique aqui para saber mais informações
Shion
Fundador do RPG Akatsuki, Shion é responsável por manter o bom funcionamento de todas as áreas do fórum há mais de 10 anos. Completamente apaixonado por RPG e escrever, hoje é o principal responsável pelo desenvolvimento de toda a trama desse universo baseado na arte de Kishimoto.
Shion#7417
Angell
Angell é jogadora de RPG narrativo desde 2011. Conheceu e se juntou à comunidade do Akatsuki em fevereiro de 2019, e se tornou parte da administração em outubro do mesmo ano. Hoje, é responsável por desenvolver, balancear, adequar e revisar as regras do sistema, equilibrando-as entre a série e o fórum, além de auxiliar na manutenção das demais áreas deste. Fora do Akatsuki, apaixonada por leitura e escrita, apesar de amante da música, é bacharela e licenciada em Letras.
Angell#3815
Oblivion
Oblivion é jogador do NRPGA desde 2019, mas é jogador de RPG a mais de dez anos. Começou como narrador em 2019, passando um período fora e voltando em 2020, onde subiu para Moderador, cargo que permaneceu por mais de um ano, ficando responsável principalmente pela Modificação de Inventários, até se tornar Administrador. Fora do RPG, gosta de futebol, escrever histórias e atualmente busca terminar sua faculdade de Contabilidade.
Indra#6662
Salvatore
Salvatore é parte da comunidade de RPG narrativo desde meados de 2013. Conheceu o Akatsuki nessa época, mas começou a fazer parte como jogador ativamente em 2021, sempre com muita dedicação e compromisso com o fórum. Hoje, atua no fórum como narrador e administrador, focado nas partes administrativas do ON. Fora do fórum se considera um amante de futebol, adora cozinhar pratos exóticos e é estudante de Engenharia Civil.
Salvatore#1234
Sr. L
Sr.L apelido recebido pelos players do fórum, devido ao seu sobrenome Sinhorelli, joga em fóruns narrativos desde 2010. Encontrou o Akatsuki no final de 2020, mas manteve-se ativo no início de 2021. Desde então se empenhou como player e se sentiu na obrigação de ajudar os demais e hoje auxilia o fórum como Narrador, Moderador e Administrador. Fora do forum, trabalha e possui formações acadêmicas, voltadas a área de gestão de pessoas.
Sinhorelli#1549

[Fillers] Youhune 100x100

Youhune
Genin
Youhune
Vilarejo Atual
[Fillers] Youhune 100x100

[Fillers] Youhune - Publicado Sab 22 Ago - 0:31

Já passava das seis horas da manhã quando Youhune sentiu a necessidade de despertar-se. Mais uma vez o clima chuvoso e frio de Amegakure o convenceu a ficar mais alguns minutos na cama. Minutos que teriam que ser retirados do seu treinamento matinal. Ele se senta cama e ainda se acostumando com o ambiente escuro, vai passando a mão na escrivaninha ao lado da cama procurando uma caixa de fósforos. Ao acender a vela nessa mesma mesa, percebe que ainda tem uma ponta de cigarro da noite anterior jogada no cinzeiro, mesmo assim não a fumou.

- Cigarro da noite é cigarro da noite, cigarro da manhã é cigarro da manhã.

Já ciente da necessidade de enrolar o seu cigarro matutino, ele abre a primeira gaveta da escrivaninha e pega um pedaço de papel de seda e um saquinho de plastico contendo um mix de ervas selecionadas. Começando a enrolar o seu cigarro ele percebe que os poucos raios solares estão mais verticais do que ele esperava. Talvez ele esteja mais atrasado do que imaginava. Tinha que chegar cedo na floricultura para ajudar a Srta. Taisuke. Ele troca de roupa correndo, acende seu kumbaya e da uma ultima olhada em direção ao quarto das plantas antes de sair.

- Mais tarde falo contigo, vó.

Ao chegar na Floricultura, Srta. Taisuke já está na porta, aflita e pronta para sair. Apesar de chegar antes do horário combinado, tinha avisado que tentaria chegar mais cedo, o que gerou expectativa da contratante do serviço.

- YOUHUNE!!! Estou te esperando a mais de uma hora, tenho muitas coisa para fazer. Toma aqui a chave, o que tem pra fazer e se precisar comer alguma coisa, é só subir na sobre loja e pegar uma fruta.

Mesmo se apresentando antes do horário oficial da missão, Youhune sabia que deveria estar na floricultura mais cedo. Ele abaixa a cabeça, pede desculpas, pega a lista de tarefas, a chave e foi entrando na loja enquanto Srta. Taisuke se despedia e desaparecia entre os grossos pingos de chuva. As tarefas pareciam muito complexas, criar alguns arranjos, molhar algumas flores. Entrando na loja, Youhune se depara com uma bagunça fora do comum, flores morrendo e poucos arranjos prontos. A lista de tarefas estava tão correta quanto a pontualidade do ninja.

Youhune aproveita que não precisava abrir a loja e as vendas e prefere começar arrumando o local que ia passar a manhã toda. Seu amor pela vida imóbil o fez cuidar das flores mais machucadas primeiro, foi sentir a umidade da terra de cada vazo e assim regou as mais carentes, depois disso fez a troca da água de todas as flores que precisavam. Indo olhar os arranjos, Youhune se entristece bastante, poucos parecem prontos para exposição. Como abrir a loja sem arranjos bonitos para vender? As flores que acabará de cuidar ainda não estavam prontas para compor buquês. “E se desses 20 arranjos, eu conseguir montar pelo menos uns cinco bonitos?” pensou Youhune.

Assim que ele começa a organizar as flores por tipo e depois por cores semelhantes, após isso, Youhune continua selecionando quais estavam mais bonitas e quais precisariam de tratamento mais delicado. Facilmente já é possível montar um arranjo de lírios e outro de “botão-de-ouro”, até sobraram algumas para serem vendidas de forma avulsa. As calêndulas e os girassóis não tinham a quantidade o suficiente para completar um arranjo, mas por ter aparências semelhantes, Youhune monta mais um arranjo combinando ambas. Os demais buques são todos compostos de rosas, das mais diversas cores. Youhune começa a pegar as as cores de tons parecidos e consegue montar mais três arranjos. Um inteiro de rosas brancas, um com rosas vermelhas e um mesclando rosas vermelhas e brancas.

Tudo pronto para abrir a loja, Youhune caminha em direção a porta e percebe que, mais uma vez, demorou mais tempo que esperava, porém surpreendentemente uma luminosidade acima do comum o esperava na porta. A chuva pesada se dissipou e os únicos vestígios dela eram poças nas vielas e gotas de água tão finas que pareciam ignorar a gravidade, correndo de um lado para o outro em encontro as janelas mais altas dos edifícios frios e cinzas de Amegakure. No céu pequenos feixes de luz tentam escapar entre as pesadas nuvens negras que faziam ali sua morada, raios luminosos que até ensaiavam algum arco-iris uma vez ou outra. Talvez depois de tanto trabalho no escuro, o dia fique com mais vida.

Apesar do prenuncio ligeiramente positivo, não se via movimento algum na rua da floricultura mal localizada. De volta para atras do balcão, não demora cinco minutos para Youhune ficar entediado e começar a balançar uma das pernas em inquietude. Sem muitas opções para passar o tempo ele vai em direção a sobre-loja a procura de algo para se ocupar, até porque se alguém chegar, o sininho da porta irá avisar. Entre caixas velhas de papelão e vasos empilhados, é possível ver uma pilha de pergaminhos da coleção de botânica da Srta. Taisuke. Youhune pega os dois primeiros pergaminhos que vê e leva para o balcão da loja, lá ele poderia prestar mais atenção na loja.

Chegando no balcão ele reconhece os dois pergaminhos que alimentarão o seu conhecimento nesse dia, Botanicum Maegaki e Rosaceae Dominationem. Apesar de ter demostrado curiosidade em Rosaceae Dominationem, a opção de leitura foi pela mais fácil, botânica não era sua área de especialidade. O baixo movimento da loja o ajuda a se concentrar e a reler os parágrafos que não entende muito bem. Caso houvesse algum tipo de movimentação, Youhune teria que apelar para sua táctica pessoal de concentração, mas isso seria exposição demais pro gosto dele.

- YOUHUNE!!! Como foi seu dia?

Srta. Taisuke já perguntava antes mesmo de entrar na loja. Ao se deparar que ela já havia voltado, Youhune percebe que passou a manhã inteira lendo e ao levantar o rosto e ve-la entrando na loja teva a mesma surpresa que a Srta. Taisuke.

Srta. Taisuke: Quem fez isso, Youhune?
Youhune: Desculpe-me, Srta. Taisuke! Eu fiz o melhor que pude, se a senhorita quiser os arranjos do jeito antigo eu dou um jeito, coloco tudo do jeito que estava.
Srta. Taisuke: Não, não. Assim está melhor, me lembra dos bons momentos que tive com o meu pai aqui. Ele amava essa loja, cuidava mais das flores do que dos clientes- Ela sorriu. –Talvez eu devesse cuidar mais do legado dele, cuidar mais da loja, aprender mais sobre as flores.
Youhune:  Me desculpe a intromissão, Srta. Taisuke. Mas faça o que você tem que fazer, o legado do Sr. Taisuke sempre vai estar no amor que ele sente por você. Flores sempre terá alguém pra cuidar, como eu!
Com os olhos emocionados Srta. Taisuke responde: Certo, Youhune. Mas se precisar de alguma coisa da loja só precisa me avisar.
Youhune: Já que a senhoria ofereceu... Eu me interessei bastante no pergaminho Rosaceae Dominationem, se a senhorita pudesse me emprestar para eu estudar...
Srta. Taisuke: Considere seu, eu preciso estudar para minha carreira médica. Como você disse, tenho que fazer o que preciso fazer.
Youhune pega o pergaminha e coloca em um bolso interno de seu sobretudo, estava ansioso para chegar em casa e contar tudo que aprendeu para a sua vó. Com o coração preenchido e com a sensação de missão cumprida ele entregou a chave de volta para a Srta. Taisuke que assumiu o controle da loja novamente. Entre os pingos finos, era a vez dele desaparecer entre as vielas de Amegakure.

Considerações:
1250 palavras

Objetivos:
Qualidade: Conhecimento Botânico (1)
Missão: Rank D — Floricultura da Vila

-x-

Bahko
Shodaime Tsuchikage | Heroína
Bahko
Vilarejo Atual
-x-

Re: [Fillers] Youhune - Publicado Sab 22 Ago - 11:38

Reprovado, não colocou os status. Toda narrativa que conte para o on, necessita colocar o status.

_______________________

[Fillers] Youhune 363d9efe6164d517e2bff7a891188d58
[Fillers] Youhune 100x100

Youhune
Genin
Youhune
Vilarejo Atual
[Fillers] Youhune 100x100

Re: [Fillers] Youhune - Publicado Sab 22 Ago - 11:59

Já passava das seis horas da manhã quando Youhune sentiu a necessidade de despertar-se. Mais uma vez o clima chuvoso e frio de Amegakure o convenceu a ficar mais alguns minutos na cama. Minutos que teriam que ser retirados do seu treinamento matinal. Ele se senta cama e ainda se acostumando com o ambiente escuro, vai passando a mão na escrivaninha ao lado da cama procurando uma caixa de fósforos. Ao acender a vela nessa mesma mesa, percebe que ainda tem uma ponta de cigarro da noite anterior jogada no cinzeiro, mesmo assim não a fumou.

- Cigarro da noite é cigarro da noite, cigarro da manhã é cigarro da manhã.

Já ciente da necessidade de enrolar o seu cigarro matutino, ele abre a primeira gaveta da escrivaninha e pega um pedaço de papel de seda e um saquinho de plastico contendo um mix de ervas selecionadas. Começando a enrolar o seu cigarro ele percebe que os poucos raios solares estão mais verticais do que ele esperava. Talvez ele esteja mais atrasado do que imaginava. Tinha que chegar cedo na floricultura para ajudar a Srta. Taisuke. Ele troca de roupa correndo, acende seu kumbaya e da uma ultima olhada em direção ao quarto das plantas antes de sair.

- Mais tarde falo contigo, vó.

Ao chegar na Floricultura, Srta. Taisuke já está na porta, aflita e pronta para sair. Apesar de chegar antes do horário combinado, tinha avisado que tentaria chegar mais cedo, o que gerou expectativa da contratante do serviço.

- YOUHUNE!!! Estou te esperando a mais de uma hora, tenho muitas coisa para fazer. Toma aqui a chave, o que tem pra fazer e se precisar comer alguma coisa, é só subir na sobre loja e pegar uma fruta.

Mesmo se apresentando antes do horário oficial da missão, Youhune sabia que deveria estar na floricultura mais cedo. Ele abaixa a cabeça, pede desculpas, pega a lista de tarefas, a chave e foi entrando na loja enquanto Srta. Taisuke se despedia e desaparecia entre os grossos pingos de chuva. As tarefas pareciam muito complexas, criar alguns arranjos, molhar algumas flores. Entrando na loja, Youhune se depara com uma bagunça fora do comum, flores morrendo e poucos arranjos prontos. A lista de tarefas estava tão correta quanto a pontualidade do ninja.

Youhune aproveita que não precisava abrir a loja e as vendas e prefere começar arrumando o local que ia passar a manhã toda. Seu amor pela vida imóbil o fez cuidar das flores mais machucadas primeiro, foi sentir a umidade da terra de cada vazo e assim regou as mais carentes, depois disso fez a troca da água de todas as flores que precisavam. Indo olhar os arranjos, Youhune se entristece bastante, poucos parecem prontos para exposição. Como abrir a loja sem arranjos bonitos para vender? As flores que acabará de cuidar ainda não estavam prontas para compor buquês. “E se desses 20 arranjos, eu conseguir montar pelo menos uns cinco bonitos?” pensou Youhune.

Assim que ele começa a organizar as flores por tipo e depois por cores semelhantes, após isso, Youhune continua selecionando quais estavam mais bonitas e quais precisariam de tratamento mais delicado. Facilmente já é possível montar um arranjo de lírios e outro de “botão-de-ouro”, até sobraram algumas para serem vendidas de forma avulsa. As calêndulas e os girassóis não tinham a quantidade o suficiente para completar um arranjo, mas por ter aparências semelhantes, Youhune monta mais um arranjo combinando ambas. Os demais buques são todos compostos de rosas, das mais diversas cores. Youhune começa a pegar as as cores de tons parecidos e consegue montar mais três arranjos. Um inteiro de rosas brancas, um com rosas vermelhas e um mesclando rosas vermelhas e brancas.

Tudo pronto para abrir a loja, Youhune caminha em direção a porta e percebe que, mais uma vez, demorou mais tempo que esperava, porém surpreendentemente uma luminosidade acima do comum o esperava na porta. A chuva pesada se dissipou e os únicos vestígios dela eram poças nas vielas e gotas de água tão finas que pareciam ignorar a gravidade, correndo de um lado para o outro em encontro as janelas mais altas dos edifícios frios e cinzas de Amegakure. No céu pequenos feixes de luz tentam escapar entre as pesadas nuvens negras que faziam ali sua morada, raios luminosos que até ensaiavam algum arco-iris uma vez ou outra. Talvez depois de tanto trabalho no escuro, o dia fique com mais vida.

Apesar do prenuncio ligeiramente positivo, não se via movimento algum na rua da floricultura mal localizada. De volta para atras do balcão, não demora cinco minutos para Youhune ficar entediado e começar a balançar uma das pernas em inquietude. Sem muitas opções para passar o tempo ele vai em direção a sobre-loja a procura de algo para se ocupar, até porque se alguém chegar, o sininho da porta irá avisar. Entre caixas velhas de papelão e vasos empilhados, é possível ver uma pilha de pergaminhos da coleção de botânica da Srta. Taisuke. Youhune pega os dois primeiros pergaminhos que vê e leva para o balcão da loja, lá ele poderia prestar mais atenção na loja.

Chegando no balcão ele reconhece os dois pergaminhos que alimentarão o seu conhecimento nesse dia, Botanicum Maegaki e Rosaceae Dominationem. Apesar de ter demostrado curiosidade em Rosaceae Dominationem, a opção de leitura foi pela mais fácil, botânica não era sua área de especialidade. O baixo movimento da loja o ajuda a se concentrar e a reler os parágrafos que não entende muito bem. Caso houvesse algum tipo de movimentação, Youhune teria que apelar para sua táctica pessoal de concentração, mas isso seria exposição demais pro gosto dele.

- YOUHUNE!!! Como foi seu dia?

Srta. Taisuke já perguntava antes mesmo de entrar na loja. Ao se deparar que ela já havia voltado, Youhune percebe que passou a manhã inteira lendo e ao levantar o rosto e ve-la entrando na loja teva a mesma surpresa que a Srta. Taisuke.

Srta. Taisuke: Quem fez isso, Youhune?
Youhune: Desculpe-me, Srta. Taisuke! Eu fiz o melhor que pude, se a senhorita quiser os arranjos do jeito antigo eu dou um jeito, coloco tudo do jeito que estava.
Srta. Taisuke: Não, não. Assim está melhor, me lembra dos bons momentos que tive com o meu pai aqui. Ele amava essa loja, cuidava mais das flores do que dos clientes- Ela sorriu. –Talvez eu devesse cuidar mais do legado dele, cuidar mais da loja, aprender mais sobre as flores.
Youhune:  Me desculpe a intromissão, Srta. Taisuke. Mas faça o que você tem que fazer, o legado do Sr. Taisuke sempre vai estar no amor que ele sente por você. Flores sempre terá alguém pra cuidar, como eu!
Com os olhos emocionados Srta. Taisuke responde: Certo, Youhune. Mas se precisar de alguma coisa da loja só precisa me avisar.
Youhune: Já que a senhoria ofereceu... Eu me interessei bastante no pergaminho Rosaceae Dominationem, se a senhorita pudesse me emprestar para eu estudar...
Srta. Taisuke: Considere seu, eu preciso estudar para minha carreira médica. Como você disse, tenho que fazer o que preciso fazer.
Youhune pega o pergaminha e coloca em um bolso interno de seu sobretudo, estava ansioso para chegar em casa e contar tudo que aprendeu para a sua vó. Com o coração preenchido e com a sensação de missão cumprida ele entregou a chave de volta para a Srta. Taisuke que assumiu o controle da loja novamente. Entre os pingos finos, era a vez dele desaparecer entre as vielas de Amegakure.

HP: 200/200 CH: 200/200
-x-

Bahko
Shodaime Tsuchikage | Heroína
Bahko
Vilarejo Atual
-x-

Re: [Fillers] Youhune - Publicado Sab 22 Ago - 12:01

Aprovado. Na próxima coloque também stamina, está tudo na Regra de Databook.

_______________________

[Fillers] Youhune 363d9efe6164d517e2bff7a891188d58
Conteúdo patrocinado
Vilarejo Atual

Re: [Fillers] Youhune - Publicado

Resposta Rápida

Área para respostas curtas