>
Naruto RPGAkatsukiNão é o único, simplesmente o melhor!
Arco 11:
Reino de Lilith: PesadeloAno: 71DG
Após uma dura jornada, Shaka finalmente caiu e teve a maldição retirada de seu coração. No entanto, os problemas trazidos pela família Hattori não se extinguiram. Shion revelou ter ajudado a libertar Lilith, uma monarca da dimensão infernal, que agora está possuindo o corpo de Hyuga Katsura e libertando uma horda de seres infernais contra este mundo. O mundo corre risco de ser consumido pela maldade dessa criatura, mas não se o plano de Shion der certo: forçar Lilith a causar um evento chamado de O Grande Eclipse, onde as portas de todos os mundos e dimensões ficarão abertas, e assim permitir a ele ir ao submundo resgatar sua amada Katsura Grey para finalmente selar Lilith.
Sumário
Mapa
Staff
Discord
Facebook
Contos
Estação: Inverno
Últimos assuntos

Seigen
Jōnin
Seigen
Vilarejo Atual
https://www.narutorpgakatsuki.net/t74171-ficha-tobirama-uchiha https://www.narutorpgakatsuki.net/t74173-gestao-tobirama-uchiha#572562

[FILLER - TROCA DE VILA] TATSUMARU. Novos Horizontes. - 23/5/2020, 20:49

Muito antes de tudo acontecer com sua familia, Tatsumaru levava a vida de um jeito tranquilo, sem muitas emoções. Uma casinha no meio do mato, longe das dunas arenosas de suna, onde haviam arvores e água, bem na fronteira, mas ainda território do país. Próximo de la, o apoio “urbano” de sua família estava em uma pequena comunidade rural ali próxima, onde era fácil ir a pé para comprar ou mesmo trocar mantimentos necessários para o cultivo ou mesmo remédios para tratar alguns de seus animais. A pequena comunidade de população pacata, tinha seus mercadores, criações de gado, ovelhas e cabras, plantações diversas e, basicamente,  todos ali conseguiam subsistir com tranquilidade.

Tudo aquilo mudou quando demonios surgiram de forma misteriosa, mudando toda a realidade daquela familia, e trazendo medo para a pequena comunidade que logo teve notícias do que aconteceu. Por medo, aquela área que antes era casa e vizinhança para Tatsumaru, agora não abrigava mais ninguém. Apenas seu pai e sua mãe permaneciam na mesma casinha de madeira, mas todos os outros que moravam ali próximos deixaram tudo para trás. A pequena comunidade virou uma “cidadezinha" deserta, no meio do mato. Tatsumaru observava com tristeza aquela intensa solidão. Pensava consigo a todo momento que um dia obterá força suficiente para resgatar sua irmã e proteger aqueles que tanto gosta.

- Mokuton... – os selos foram feitos e uma densa floresta trouxe novamente vida à aquele lugar abandonado.

Aquele era o seu novo passa-tempo. Alterar a geografia para ter o vislumbre de que agora ele poderia começar a mudar as coisas. Agora poderia mudar... tudo.

“A mudança começou por mim. Convivendo com Honda, percebi que a força do ódio me trouxe até aqui. O desejo de vingança, uma missão impossível que abracei e levarei comigo até o fim dos meus dias. Contudo, não será na força do ódio que triunfarei. A verdadeira força está no apreço imensurável que tenho pela minha irmã desaparecida, e por meu pai, que, apesar dos erros, agiu pelo mesmo amor que carrego no peito. Devo manter o ódio, a ira, a revolta por todas aquelas criaturas que abalaram o nosso mundo, mas além de tudo devo manter o amor, o desejo puro e genuíno de recuperar o que perdemos. Dessa forma, esmagarei a todos que se opuserem ao meu objetivo, com ódio, impiedosamente, mas sempre pautado na calorosa e amorosa lembrança da minha irmã e daquilo que um dia foi a nossa família. Vou atrás de poder. Mais poder. Mais e mais. Só assim conseguirei chegar até ela.. Myu. Eu estou indo.”

Com o coração repleto de angustias e determinação, Tatsumaru tentou, de todas as formas, alguma autorização para que tivesse a liberdade de viajar, procurar por pistas e informações que o levassem às terras sombrias. Sem êxito algum, sentia-se prisioneiro da vila, repleto de obrigações e sem nenhuma liberdade. E ninguém ficaria em seu caminho, definitivamente ninguém, nem mesmo sunagakure no sato.

“Naquela fatídico dia me veio uma carta de esperança, literalmente uma carta. Abri um envelope com o selo do gabinete do Kazekage, e ali estava escrito talvez uma solução para o que eu buscava.”

“Carta de emancipação Shinobi.
Tatsumaru, genin de Sunagakure no Sato, filho de Senju Hatsumi, aluno exemplar e ninja promissor da nossa tão amada vila da areia. Diante de tantas solicitações, muitas destas escritas diretamente ao daymio de nosso país, percebemos a sua angústia em permanecer sob as regras da vila que o impedem de ir atrás de seus objetivos. Nós da areia não fazemos dos nossos prisioneiros, apenas seguimos os protocolos que foram estabelecidos desde a fundação da nossa vila ninja. Por isso o impedimento até aqui. Zelamos pelas vidas de nossos shinobis, e zelamos ainda mais pela segurança de nossos habitantes, por isso tantas restrições quanto à sua saída. Entretanto apresentamos-lhe uma pacata solução. Você deve ir a Iwa, e lá deve permanecer. Em troca, Iwa mandara um dos deles. Em iwa, você terá mais liberdade para sua jornada, pois em Suna precisamos de shinobis que permaneçam e que queiram de fato permanecer. Não queremos alguém que não queira estar conosco. A partir do momento do recebimento deste documento oficial, você, Senju Tatsumaru, está livre para seguir o seu destino. Lhe desejamos sorte, bons ventos e virtudes por onde passar. Que você tenha uma boa vida e encontre o seu verdadeiro caminho.”
Tatsumaru sorriu em deboche, ao ler aquilo. As maldades da vida lhe ensinaram a ler as entrelinhas em todas as situações.

“Me pergunto qual habilidade especial a moeda de troca de Iwa possui. Claro, na condição de troca, para Suna eu não sou nada valioso. A questão é: será que seria tão fácil assim conseguir essa “transferência” se Sunagakure tivesse conhecimento da minha kekkei genkai? Obviamente que não. Ainda bem que o meu poder Mokuton só foi utilizado sem nenhuma testemunha além de Honda." Pensou o gennin.

Tatsumaru recolheu suas coisas e caminhou naquela tarde ensolarada. A bagagem em suas costas não passava de uma pesada mochila. O que não lhe importava, deixou para trás. Assim como a vila. Com passos largos e sem arrependimento, o garoto cruzou o portão da vila, sem nenhuma oposição daqueles que o vigiavam. A guarita deu o sinal e o portão se abriu, fechando-se em seguida pelas suas costas, assim que o primeiro passo foi deixado na areia em direção à um novo caminho.

A viagem foi longa e cansativa, como esperado, mas a chegada fora recompensadora. Uma grande vila com casas moldadas em rochas, enormes pontes interligando os setores de norte a sul, leste a oeste. De fato, uma arquitetura pra lá de charmosa e harmoniosa com a região na qual se estabelece. O cheiro de argila no ar, estudantes da academia ninja realizando suas primeiras técnicas do elemento terra, estradas de ladrilhos e casas exóticas e tão bem montadas. Tudo encantava Tatsumaru.

“Ali eu pude sentir que uma nova fase em meu caminho se abriu. Iwa... depois de tanto analisar os manuscritos deixados por meu pai, eu finalmente pude concluir que eu estava cada vez mais próximo de descobrir a entrada para as terras sombrias. Tudo indicava que a vila mais próxima do provável local seria, justamente, iwagakure no sato. Sorte? Acaso do destino? Não importa... o contato com uma nova cultura, novos aprendizados disponíveis e a possibilidade de agir com maior liberdade do que em Suna. Sendo sorte ou não, eu posso dizer que fui enviado para o local certo.”

Toda aquela contemplação e encantamento inicial foi interrompida por uma voz que se destacou em meio ao barulho do vento.

- Ohayo... então você é o produto de troca de Suna. Como foi de viagem, novato? – a voz vinha do alto de um muro ao oeste. Um rapaz de cabelos loiros e olhos azuis, com uma aparência muito similar ao lendário quarto hokage, se é possível tal comparação.

Tatsumaru olhou desconfiado e, timidamente acenou com a mão direita.

- Yo... sim, sou eu. – respondeu o garoto.

O rapaz salta do muro com uma grande agilidade e, de repente desaparece no ar, deixando apenas um pequeno relâmpago amarelo e surgindo ao lado do recém chegado Gennin.

- Me chamo Namikaze Kabuto. Prazer em conhecê-lo, discípulo de Honda. Hehehe. – disse o misterioso Kabuto.

“Naquele momento eu me espantei, mas no final entendi tudo. Suna fora enganada. Como Iwagakure haveria de saber da minha relação com Honda? Estávamos sendo vigiados? E por qual motivo Honda teria sua vida monitorada por uma vila tão distante de seu oásis? Se Honda é alvo desses caras, então, de alguma forma, aqui em Iwa é possível que eu encontre muitas informações sobre os demônios das terras sombrias, já que tudo o que diz respeito a Honda está ligado à aquele mistério.”

- C...Como sabe disso? Quem é você de verdade? – Tatsumaro indagou, surpreso e receoso.

- Hahaha se acalme. Você não achou mesmo que nós de Iwa mandaríamos para Suna um dos nossos talentos sem ter certeza que estamos pegando algo melhor, não é mesmo? Honda não é um homem qualquer, ele é praticamente uma entidade da natureza, seu poder é imensurável. A existência de alguém assim, bem como bestas de chakra ou outras aberrações, devem ser monitoradas sempre, pois nunca sabemos do dia do amanhã. É uma precaução, não queremos nada com aquele velho, e nem se quisessemos... não podemos com ele. – respondeu Kabuto.

- E quanto a mim? – perguntou o genin.

- Você? Com uma habilidade como a sua, é claro que queremos que fique do nosso lado. Somo uma vila em evolução, precisamos de grandes talentos e... armas. Você se encaixa nos dois quesitos. – respondeu o rapaz.

- E vocês acham mesmo que serei um instrumento para usarem como desejarem? Cai fora. – respondeu Tatsumaru, afastando Kabuto com um leve empurrão em seu ombro. O jovem começa então a seguir o caminho que pretendia desde o início, rumando em direção ao gabinete do Tsuchikage. Já estava na hora de se apresentar.

- Hahaha calma! Como quiser. Mas estou de olho em você, Mokuton-nin. - debochou.


“Algo me dizia que aquele tal Namikaze Kabuto me traria alguns problemas. Aquele jutsu, desaparecendo como um relâmpago e surgindo sem que eu possa vê-lo... devo ficar atento, pois caso se revele um inimigo, ou simplesmente um obstáculo, devo lidar com ele e tirá-lo do meu caminho. Mas não vou ficar paranoico. Devo me apresentar agora, pois a partir de hoje eu, Senju Tatsumaru, sou cidadão de Iwagakure.”


Fim.

_______________________

"Você pode se vingar do mal, sem se tornar parte dele?"
-
Indra
Juuichidaime Hokage
Indra
Vilarejo Atual
Ícone : [FILLER - TROCA DE VILA] TATSUMARU. Novos Horizontes. Tumblr10

https://www.narutorpgakatsuki.net/t73475-fp-sarutobi-kaden https://www.narutorpgakatsuki.net/t73468-gestao-sarutobi-kaden

Re: [FILLER - TROCA DE VILA] TATSUMARU. Novos Horizontes. - 23/5/2020, 23:09


_______________________

[FILLER - TROCA DE VILA] TATSUMARU. Novos Horizontes. Tumblr_pl035uEflG1uocgm5o2_500

-


Edição de Aniversario por Shion e Senko.