Acesso Rápido
10 anos onlineNaruto RPGAkatsukiNão é o único, mas simplesmente o melhor!
Estação: VerãoAno: 67DG
A AlvoradaUzushiogakure e Sunagakure estão reconstruídas, marcando uma nova era para as nações shinobi, que agora são cinco uma vez mais. Os Shodaime Kazekage e Mizukage comandam as novas gerações de seus vilarejos, iniciando uma série de planos governamentais para garantir que o mal não os assole como ocorreu no passado.
RelíquiasAs facções caminham em direção à calamidade, e os líderes de cada grupo correm contra o tempo para adquirir novos seguidores. Da mesma forma, os mais ferrenhos seguidores se enfrentavam, e a ínfima possibilidade de relíquias do passado se revelarem ao mundo deu início a uma nova corrida por parte das facções.

[Filler] ─ Aventuras Estelares: Cap. 01
  
Skywalker
Genin
Skywalker
Vilarejo Atual
Ícone : [Filler] ─ Aventuras Estelares: Cap. 01 EeYBdl7

https://www.narutorpgakatsuki.net/t69537-ficha-de-personagem-enmei#521378 https://www.narutorpgakatsuki.net/t69558-gestao-de-ficha-enmei#521613

[Filler] ─ Aventuras Estelares: Cap. 01 - em 26/3/2020, 00:15

Eu encontrei estas coletâneas empoeiradas quando estava mexendo em meu armário, rebuscando-o por algum item específico que deixaria o mestre Haseo irritado caso eu não apresentasse alguma justificativa por sua perda. Creio que eram umas duas ou três resmas de papel unidas por alguns elásticos igualmente gastos. Olhando-os com o meu rosto entre algumas roupas penduradas, com um rosto comicamente curioso, eu tentava entender o que exatamente eram aqueles “documentos”. Apenas depois de abri-los e começar a ler que me lembrei do que se tratavam; impedi que algumas lágrimas que umedeceram meus olhos corressem por meu rosto quando o fiz. Aquela montoeira de papéis era um conjunto de ideias que eu tinha ao longo da peregrinação que fiz. Histórias heróicas sobre eu, ou eu e meu mestre, combatendo super vilões ou coisas deste tipo. Desde então, já que ainda gostava de escrever, decidi recontar algumas destas histórias; realizei algumas alterações aqui e ali e reescrevi a maioria. Penso que os primeiros contos de um escritor devem partir de algo muito pessoal para ele, e estas histórias parecem ser justamente isto. Apenas precisam de alguns toques que eu estou dando para que fiquem bonitas aos meus olhos. Decidi manter o nome que decidi quando criança: “Aventuras estelares”. Eu já tenho algum material pronto, e, então, vamos ver o que consegui escrever.

[...]

Hunf, hunf, hunf. Era difícil manter meu fôlego depois de tanto tempo correndo. Fugindo. Os homens que estavam atrás de mim, entretanto, eram implacáveis e não parariam por nada. Fiz diversas curvas, pulei por cima de várias vinhas e desviei de centenas de árvores. Mas, mesmo assim, o sentimento que eu tinha era de que eles estavam a dois ou três passos de distância de me capturar. Estes homens, com suas armaduras brancas e utensílios tecnológicos, eram soldados imperiais: Defensores ferrenhos do monárquico e opressivo regime vigente. Este pântano chamava-se “Dente da Serpente”. E, desde que o novo rei ditador expandiu as suas fronteiras militares para conquistar mais territórios, este lugar foi renomado para “Posto Avançado Dente da Serpente”. Estas três palavras que vinham antes do nome verdadeiro deste belo pantanal causavam calafrios em mim e em toda a rebelião. Os outros eram, assim como eu, lutadores da liberdade. Mas eles não estariam por perto agora, independente do quão alto eu pudesse clamar por ajuda. Mas eu não era um completo idiota. Ainda era um idiota, infelizmente devo reiterar, mas não um completo idiota. Faltavam poucos passos, agora, para que eu chegasse no local determinado. No xis de meu mapa. Afinal de contas, assim como eu não era um completo idiota, eu também não estava completamente sozinho.

── Agora, En!! ── Vozeei, olhando para as copas de algumas árvores aparentemente aleatórias. Entre vários projéteis de chakra que buscavam as minhas costas, pude buscar refúgio atrás de um tronco que parecia ser espesso o suficiente para suportar alguns disparos até que tudo estivesse pronto. Enma, normalmente meu único companheiro em tempos de provação como estes, disse-me que tudo que eu precisaria fazer se me encontrasse em uma situação complicada demais era correr para a direção em que ele se esconderia na floresta. E, agora, cá estava eu. Ofegante, sobrepujado, sendo perseguido, escondido atrás de um tronco de árvore que provavelmente já havia recebido uma centena de tiros. Quais as chances daquele macaco ter roubado a nossa nave?!? O solo rapidamente começou a tremer. A primeira evidência que tive disto foi proveniente do praguejar de alguns dos soldados da “Elite Branca”, cogitando um terremoto ou alguma técnica que eu estivesse preparando. Eu, também, me perguntava o que era aquilo. Entretanto, assim que enormes luzeiros do céu começaram a invadir a penumbra projetada dentro do pântano, eu imediatamente soube quem era o primata por trás disto. Arregalei meus olhos e usei a distração causada por aquele negócio gigante para correr o mais longe possível dali, imaginando o pior. E o pior veio, na forma de um inferno flamejante.

Rapidamente, toda aquela porção do pântano havia sido acendida por um dos canhões da gigantesca Tormenta ─ uma espaçonave de combate utilizada pelo Império. Deitado no chão, parcialmente coberto pela folhagem natural que se esparramava pelo solo daquele bioma, sentia as fortes ondas de calor constantemente transpassando meu corpo, balançando minha capa e o capuz que vinha nela para lá e para cá. Tive de afastar os meus olhos durante certo ponto das explosões, já que o brilho era insuportável. De fato, por enquanto a Rebelião não tinha equipamentos, armas e tecnologia suficientes para enfrentar o Império em uma guerra; a grande frota de Tormentas era apenas uma das evidências da diferença de poder. ── Criativo, En. ── Comuniquei ao meu companheiro símio através do comunicador que nos interligava, pressionando um pequeno botão próximo de meu pescoço. ── Ainda temos que pegar aqueles arquivos, garoto! Não fique aí parado! ── Rapidamente relembrou-me, pondo-me de pé apenas com as suas palavras. Enquanto Enma avançava aos poucos, utilizando aquela imensa nave para brandir o caos nas fileiras dos soldados de elite, eu buscava um atalho pelo pântano, aproveitando-me da distração criada para avançar o mais rápido possível. Pulando de galho em galho, eu era acompanhado por nada além dos sons de guerra; armas de chakra sendo disparadas de um lado e os canhões da Tormenta expelindo fogo e mísseis do outro.

Tive sorte, e, de fato, a grande maioria dos soldados daquela base haviam se movido para a vanguarda nas esperanças de manter aquela nave do lado de fora do posto avançado. Eu, por outro lado, já estava do lado de dentro. A base consistia em algumas paredes de barro, lama e cimento cobrindo um pequeno complexo de pequenas bases no formato de tendas que se espalhavam por alguns metros. Não possuía ótimas defesas, mas visava misturar-se com o restante da planície para passar despercebido; e, é claro, a Tormenta que repousava do lado de fora era o suficiente para manter ladrões e gangues de bar bem longe dali. Com cuidado e me movendo lentamente para escapar detecção, finalmente pude entrar na barraca que parecia ser o quartel general daquela base. Estava vazia, indicando que o comandante também estava na luta. Isto poderia ser problemático para Enma, então eu redobrei minha velocidade no ato de investigar, buscando em todas as gavetas da mesa central pelo arquivo. Quando abri a última, um documento fechado com o selo do Imperador se revelou diante de meus olhos, que apreciaram aquela visão como fazem os olhos de um minerador que encontra ouro. ── Vocês rebeldes são previsíveis. ── Ouvi, de uma voz lamentavelmente familiar. Levantei meus olhos, pronto para lutar.

[...]

Detesto ter de acabar a história em um momento tão interessante, mas na verdade não é minha escolha; entre tantas missões e treinamentos, eu só tive tempo de escrever até aqui. Será que está bom até agora? Estou pecando em algum aspecto? Oh, bem. Espero que possa melhorar todas estas coisas até a próxima semana, onde apresentarei a continuação para esta história. Desta forma, pus o pincel na mesa, fechei o tinteiro e observei por alguns segundos a bela página escrita à mão que eu havia acabado de confeccionar. Manteria ela ali, em cima da mesa, por enquanto, pois era um trabalho que me trazia satisfação e me lembraria de bons momentos.


HP: 500/500 ─ CH: 900/900 ─ ST: 00/05

Considerações:
01. Mil duzentas e quatro palavras para me conceder cem pontos de status;
02. Período de up ativo, dobrando a(s) recompensa(s).

_______________________

[Filler] ─ Aventuras Estelares: Cap. 01 4UBswn4
"Gazing into that emptiness is painful.
It's hard.
But if you can face it, unfaltering, it will eventually give you the answer you seek...
How you want to live your life."
-
Zeitgeist
Líder de Otogakure | Nukenin A
Zeitgeist
Vilarejo Atual
Ícone : [Filler] ─ Aventuras Estelares: Cap. 01 GM22dSN

https://www.narutorpgakatsuki.net/t68386-fp-lawliet-hawk-scarlet#509119

Re: [Filler] ─ Aventuras Estelares: Cap. 01 - em 26/3/2020, 23:03

@

_______________________

-


  
 
Ir para Primeira Mensagem

Layout desenvolvido por Akeido, Dorian e Naru
Naruto RPG Akatsuki (2010 - 2020)
Hospedado por Criar um fórum grátis - FORUMEIROS.com
.