>
Naruto RPGAkatsukiNão é o único, simplesmente o melhor!
Arco 11:
Reino de Lilith: PesadeloAno: 71DG
Após uma dura jornada, Shaka finalmente caiu e teve a maldição retirada de seu coração. No entanto, os problemas trazidos pela família Hattori não se extinguiram. Shion revelou ter ajudado a libertar Lilith, uma monarca da dimensão infernal, que agora está possuindo o corpo de Hyuga Katsura e libertando uma horda de seres infernais contra este mundo. O mundo corre risco de ser consumido pela maldade dessa criatura, mas não se o plano de Shion der certo: forçar Lilith a causar um evento chamado de O Grande Eclipse, onde as portas de todos os mundos e dimensões ficarão abertas, e assim permitir a ele ir ao submundo resgatar sua amada Katsura Grey para finalmente selar Lilith.
Sumário
Mapa
Staff
Discord
Facebook
Contos
Estação: Inverno

Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

[Filler] ─ Grimório: Capítulo 02 - 9/3/2020, 18:37

Perdão pela demora. Bem, na verdade, não é como se você estivesse inquieto, roendo as suas unhas e se balançando na cadeira enquanto aguardava o próximo capítulo desta minha pequena coletânea, não é verdade? Pode ser honesto comigo. Mas, na verdade, eu não demorei a escrever por procrastinação ou por má vontade. Acredito que eu comecei com uma boa história na primeira instalação desta pequena publicação, e custei a me recordar de algum rumor ou conto que tenha sido tão bom quanto. Afinal de contas, meu desejo é que eu atinja algum nível literário relevante através destes contos, embora eu ainda não tenha certeza o intuito por trás disto. Orgulho? Satisfação? Não sei ao certo. Quando crescendo, aprendi que a única fonte de orgulho e de satisfação deveria ser provinda de meus sucessos em missões e em adquirir fundos para a organização à qual eu pertencia, o tema central de meus escritos. Como desejo me manter no tema, logicamente hoje eu irei revelar outro conto. Um bulício na escuridão, detectado por meus ouvidos em algum ponto de minha vida e que me lançou em vários pensamentos interessantes acerca desta ideia inicial. Outro mistério que surge a partir desta ideia é o porquê de eu estar escrevendo contos desta forma. Eu suspeito de que exista um motivo, mas este será debatido no futuro, e não agora. Vamos logo para a história, então.

[...]

Desta vez, a história começa de forma diferente. Ao invés de uma taverna movimentada e amigável, transportamo-nos para um cais abandonado numa localização desconhecida. É noite e está frio. Entretanto, não é um frio desagradável, ao contrário do que Tatara disse. Como sempre, estou bem agasalhado; por baixo do grande manto negro que utilizávamos, eu mantinha outro manto acinzentado por baixo, com um interior de lã que me mantinha bem aquecido apesar da temperatura. Estávamos em três, e nos movíamos silenciosamente entre os telhados. ── Acho que farejo alguma coisa. ── Alardeou Alaxel em baixo tom, atraindo os meus olhos e os de meu mestre para si, sob um canto acinzentado de um edifício qualquer. A partir de agora, Alaxel era aquele que liderava nossa busca com seu olfato apurado e preciso. Aceleramos o ritmo, atravessando dezenas de telhados rapidamente. Antes, a noite estava fatalmente quieta. Depois, quando começamos a correr, fomos agraciados pelo som do vento contra os nossos ouvidos. E, agora, o som da morte era eminente. ── Malditos piratas! ── Vociferou o capitão, realizando um selo com uma de suas mãos e enchendo os seus pulmões. Piratas? Interessante. ── Haseo. ── Entoou Tatara, com um tom sério o suficiente para me dar a entender o que eu deveria fazer. Rapidamente, meus insetos se aglomeraram em torno do corpo do velhote. Quando sua técnica de água foi expelida, ele quase se afogou quando teve sua trajetória bloqueada ainda dentro de sua boca; explodiria a sua própria cabeça se não cancelasse a técnica a tempo. Velocidade invejável para um velho. Caiu no chão, tossindo e tentando livrar-se dos insetos e de sua própria água. Meu mestre levantou a mão e eu entendi a ordem. Meus insetos se dispersaram, parando de se alimentar de sua vítima e se espalhando para todo o perímetro. Seríamos avisados de alguma aproximação desta forma. Rapidamente corri meus olhos pelas duas saídas daquele pequeno corredor de pedras em que nos encontrávamos, e nada nem ninguém mais estava presente. Vi algumas cortinas se fechando e alguns olhos se desviando, dando-me a certeza de que seríamos o assunto dos burburinhos na feira da cidade no dia seguinte. Uma das mãos de Tatara transformava-se em fogo vivo enquanto Alaxel o imobilizava no chão. Seus olhos arregalados lembravam-me de meus próprios olhos de alguns anos atrás. Acho que eu tinha cinco ou seis anos na primeira vez que eu tive que ser.. disciplinado com fogo. Uma característica interessante do fogo de meu mestre é que ele não deixa cicatrizes ou nenhum tipo de marca, de forma que as autoridades não podem reconhecer as causas da morte depois. Um poder muito útil, eu diria. Eu com certeza sou agradecido por não ter centenas de cicatrizes de queimaduras em minhas costas por isto.

── Eu irei perguntar apenas uma vez. ── Calmamente iniciou o homem de cabelos brancos cujo braço havia se transformado em labaredas de fogo. A sua calma que precede momentos de tortura sempre instaura o pânico na psique de suas vítimas. Já vi funcionando mais vezes do que sou capaz de contar. E, a julgar pelo quanto o velhote gordo começou a se debater no chão quando ouviu a voz de Tatara, presumi que esta era mais uma das vezes. Ele aproximava o fogo cada vez mais da barriga do marinheiro. ── Onde. Está. O. Nosso. Pagamento? ── A leve irritação na voz de meu mestre fez com que as suas últimas palavras invocassem um pequeno grito de medo daquele que estava quase sendo consumido pelo fogo. Para ser sincero, eu não era capaz de sentir nada além de repulsa por aquele capitão asqueroso. Você não pode simplesmente realizar o ritual para nos invocar, ordenar que matemos uma tripulação inteira e tentar fugir sem nos pagar. É como se você fosse burro o suficiente para confiar em nossa reputação de arcar com um contrato, mas não em nosso ímpeto em cobrar aquilo que nos é devido? Simplesmente patético. ── Argh. Meu deus! Eu sabia que não deveria ter confiado em vocês, piratas... ── E lá estava, esta palavra mais uma vez? Qual era o significado disto? Rapidamente olhei para Alaxel. Estava concentrado nas feições do capitão, com um sorriso que mostrava o seu prazer. Típico. Olhei para meu mestre, e este estava concentrado em fazer o marinheiro mijar as suas calças. Então, aparentemente, nenhum deles ligava para o termo? Pensei em questionar agora a origem desta palavra, mas isto apenas me renderia uma queimadura tão severa quanto a que o gordo estava prestes a receber. E eu sou mais inteligente do que isto.

── Mestre. ── Finalmente perguntei. Agora, estávamos retornando para a carruagem cujo dono havia entrado em um “arranjo” conosco. Nas mãos do homem que direcionei a palavra, duas grandes maletas com o nosso pagamento. Ele realmente era efetivo. Assim que virou parte de seu rosto para mim enquanto corríamos, senti que poderia prosseguir. ── Ele nos chamou de.. piratas? ── Revelei minha indagação. Alaxel se manteve indiferente, continuando em sua corrida depois de me olhar brevemente com algum tipo de desprezo por querer conhecimento. ── Nós recrutamos assassinos de uma tribo ao oeste periodicamente, como prate de um acordo. “Escamas negras”. Eles são tradicionalmente conhecidos por suas embarcações velozes que os auxiliam em atividades de pirataria. Desta forma, os locais acreditam que somos piratas. É melhor manter assim. ── Bem, não é como se eu pudesse esperar muita informação de um homem como o meu mestre. Alguém, essencialmente, parecido comigo. Entretanto, aquilo foi informação suficiente para que a minha curiosidade fosse atiçada para realizar as minhas próprias pesquisas quando retornássemos para nosso esconderijo.


healthpoints: 225/225
chakrapoints: 425/425
staminapoints: 00/03


Considerações:
Mil cento e cinquenta e duas palavras que me concedem cem pontos de status.
-
Mokaccino
Game Master
Mokaccino
Vilarejo Atual
https://www.narutorpgakatsuki.net/t67013-f-mokarzel

Re: [Filler] ─ Grimório: Capítulo 02 - 9/3/2020, 21:05

Ok.
-


Edição de Aniversario por Shion e Senko.