>
Naruto RPGAkatsukiNão é o único, mas simplesmente o melhor!
Arco 11:
Reino de Lilith: PesadeloAno: 70DG
Hanatarō olha para a vila do topo do prédio do Departamento de Pesquisa. Há dois anos era uma salinha no fim do laboratório geral da vila, agora tinha seu próprio prédio tão alto quanto o próprio escritório do Kazekage. Hanatarō sorri vendo as pessoas andando felizes na nova vila construída graças aos avanços científicos realizados com a inteligência de Takura, sua mentora. Antes, ele só via uma vila pobre, com construções de areia frágeis, com um horizonte desértico, dependendo de outras vilas, inclusive de Konoha, para conseguir sobreviver, mas agora... Sunagakure estava grandiosa novamente e tinha comprado sua independência. As construções ainda tinham porções de areia, mas eram forjadas em metais nobres, em ouro, em prata, criando grandes casas e prédios. As lojas estavam cheias de especiarias únicas, pois o trabalho de encontrar certos ingredientes se tornou muito mais prático desde que a vegetação voltou a florescer nos arredores da vila; onde antes era só deserto agora possuía vielas de relva, florestas, rios e uma fauna cheia de roedores, mamíferos e carnívoros.
Sumário
Mapa
Staff
Discord
Facebook
Contos
Estação: Inverno
Últimos assuntos

Lokesh
Chūnin
Lokesh
Vilarejo Atual
Ícone : [Rank D] A procura B1LCdZa

https://www.narutorpgakatsuki.net/t70801-fp-lokesh?nid=7#536645 https://www.narutorpgakatsuki.net/t70799-gf-lokesh#536629

[Rank D] A procura - em 29/2/2020, 02:54

PRIMEIRA MISSÃO

Os raios solares que entravam pela janela começaram a alcançar o guarda roupas, indicando que estava perto das oito horas da manhã. Com as vestimentas trajadas, estava finalizando a alocação dos meus equipamentos, mas o som da porta se abrindo me fez cessar os movimentos. Hyūga Akemi, minha mãe, estava parada na porta, observando. No lugar de um cumprimento verbal, como era de costume ao acordar, levantou a mão esquerda na altura do peito, chamando minha atenção para o que continha nela: um pergaminho. Por um segundo, um sorriso surgiu em minha face, mas se escondeu com a mesma velocidade, ao ouvir a voz da mulher.

— Não me decepcione! — exigiu Akemi, sem esboçar emoções. Ela não queria me ver realizando missões simples como qualquer outro ninja, dizia que eu tinha um potencial grande demais para ser desperdiçado com trabalhos comuns, mas entendia a importância daquilo pra mim. — Me foi dito que o garoto foi visto pela última vez perto das montanhas ao norte — falou, lançando o pergaminho em minha direção e deixando o cômodo. Em um ágil movimento, agarrei e desenrolei o papel, lendo as curtas palavras que ali estavam registradas.* Confesso que me surpreendi com a falta de informações, mas entendi o porquê daquela missão ter chegado até minhas mãos. Não se passa de um treinamento, não é?, pensei. Se, naquele momento, era essa minha tarefa, não poderia desperdiçar meu tempo.

A PROCURA

— Montanhas ao norte é muito abrangente — sussurrei pra mim mesmo, observando as diversas elevações do solo e as inúmeras rochas soltas esparramadas pela paisagem. Se o garoto desaparecido estava tentando se ocultar, com certeza ali era um local com grande variedade de esconderijos. Não tinha a intenção de gastar muito tempo procurando, queria colocar em prática meus conhecimentos adquiridos durante aqueles intensos anos. — Byakugan! — Perto das têmporas, as veias se salientaram. Estreitei os olhos, que teve a coloração azul dissipada, sendo substituída pela branca, algo comum em meio ao meu clã. Minha visão permitiu que eu enxergasse em ângulos e alcances inimagináveis a civis quaisquer. Em pouco tempo fiz uma varredura geral do local, buscando qualquer sinal que pudesse revelar a presença de alguém por ali. Franzi o cenho, aguçando ainda mais o sentido visual, dessa vez observando através dos materiais físicos.

Achei você! Atrás de uma enorme rocha, um corpo jazia ao chão, imóvel. Por uma fração de segundo achei que estivesse morto, mas sua rede de chakra dizia o contrário, ainda que estivesse em níveis baixos. Sem delongas, coloquei meu corpo em movimento, saltando sobre alguns obstáculos que se encontravam no caminho e dando a volta na rocha que separava o garoto de mim. Ele estava em condições deploráveis, com as roupas surradas e o corpo sujo de poeira, além de estar estampado em sua face o cansaço. A bandana da vila estava presa à testa, como costume dos demais ninjas. Não havia visualizado nenhum outro ser vivo naquele local além de insetos e plantas, mas não baixei a guarda mesmo assim. Não sabia o que havia acontecido com o rapaz, não parecia ter sido alvo de algum ataque, porém estava claramente inconsciente.

Em uma rápida avaliação, principalmente baseada na sua rede de chakra e nas pequenas rachaduras deixadas na rocha, presumi que estivesse treinando e ocorreu algum acidente. Ainda que não fosse aquilo, não importava muito, a prioridade era levar o corpo de volta à vila, como ordenava o pergaminho. Hesitei em mover o jovem caído ao chão, já que não tinha conhecimento dos seus ferimentos e podia agravar a situação. Olhei através de sua carne, avaliando, ainda que leigamente, sua situação. Busquei por ossos quebrados ou algo incomum, mas parecia estar tudo dentro do esperado, apesar de ser uma opinião com quase nenhum conhecimento sobre a área em questão. Naquele momento, desejei ter a sabedoria para poder ajudar, mas percebi que estava fora de meu alcance, o que era um tanto quanto frustrante. Desativei o byakugan, me concentrando em tentar despertar o rapaz.

— Ei, garoto! — chamei, balançando seu corpo com cautela. Suas pálpebras tremularam e os olhos se abriram vagarosamente, ao som de um gemido baixinho. — Consegue se mover? — perguntei, sem esboçar emoções. O estudante assentiu com dificuldade, começando a se mexer, ainda que lentamente. Com a intenção de ajudar, passei um de seus braços sobre meu pescoço e segurei próximo a sua cintura, tentando dar uma base de apoio. Com uma contagem verbal de um a três, o jovem se ergueu, ficando alguns segundos parados para recuperar o fôlego. Em seguida, começamos a traçar o caminho, desviando de lugares que pareciam complexos naquela situação. Por sorte, o garoto, que aparentava ter uns dez anos, era pequeno e magricela, caso contrário teria sido ainda mais trabalhoso sair dali.

Era notável que o rapaz estava usando todas suas energias para se locomover, pois se manteve calado no percurso inteiro, o que pareceu o tornar ainda mais longo. Ao chegarmos nos portões de Konoha, um dos jounnins ali presente se aproximou, oferecendo auxílio. Não hesitei em aceitar, tinha sido cansativo chegar até ali. Transferi o estudante para os braços do adulto, que se prontificou em ir até o hospital. Era bom saber que existiam pessoas pró ativas e dispostas a prestar auxílios, ainda que fosse algo básico, ensinado na academia ninja.

— Obrigado... — murmurou o garoto, enquanto se apoiava no outro homem. Sua boca estava seca e inexpressiva, mas seus olhos, ainda que entreabertos, sorriram. Um sentimento incomum me inundou. Não sabia muito bem o que era, mas trouxe um ar de estranha felicidade. Por que estava sentindo aquilo? O garoto havia provocado algo que fugia do meu controle, me deixando, além de levemente frustrado, curioso.

Observei os dois se distanciar, até se esconderem atrás dos prédios.

Lokesh: 400 [HP]; 545 [CK]; 00/04 [ST]

[Considerações]
Aparência e vestimentas.

Descrições:
*Missão: A Procura
Descrição: Recentemente um estudante da Acadêmia Ninja sumiu, sua missão é encontrá-lo e trazê-lo de volta a vila.

Byakugan
Requerimentos: Ser Hyūga.
Descrição: O Byakugan (白眼; Literalmente significa "branco do olho") é o dōjutsu kekkei genkai do clã Hyuga. É um dos Três Grandes Dōjutsu (大三 瞳 术, Daisan Dōjutsu), juntamente com o Sharingan e o Rinnegan. Aqueles que herdam o sangue deste clã quase inexpressivo, tem olhos brancos. Quando o Byakugan é ativado, as pupilas do usuário se tornam mais distintas, e as veias se elevam perto dos olhos. Parece também que ao contrário dos outros dois grandes dōjutsu, todos os membros do clã possuem e podem usar a kekkei genkai desde o nascimento, em oposição à necessidade de despertar ou mais, não herdá-lo em tudo.

As Habilidades do Byakugan deixa-o muito cobiçado por outras aldeias, como evidenciado por Kumogakure que tentou roubá-lo, um evento que levou até o que é conhecido como a "Questão dos Hyūga". Ao de Kirigakure foi capaz de obter um único Byakugan de um Hyūga que ele derrotou, e utiliza grandes forças para protegê-lo. Ao mesmo tempo, Danzō Shimura tentou igualmente recuperar ou destruí-lo. Ao contrário de um Sharingan transplantado, um Byakugan transplantado pode ser ativado e desativado a vontade.

Bolsa ninja:
+ Kibaku Fuuda [08]
+ Kunai [06]
+ Shuriken [06]
+ Kemuridama [04]
+ Fios de aço: [10m]
-
Indra
Juuichidaime Hokage
Indra
Vilarejo Atual
Ícone : [Rank D] A procura Tumblr10

https://www.narutorpgakatsuki.net/t73475-fp-sarutobi-kaden https://www.narutorpgakatsuki.net/t73468-gestao-sarutobi-kaden

Re: [Rank D] A procura - em 29/2/2020, 21:48


_______________________

[Rank D] A procura Tumblr_pl035uEflG1uocgm5o2_500

-


Layout com edições de Halloween feito por @Akeido Themes e Senko.