>
Naruto RPGAkatsukiNão é o único, mas simplesmente o melhor!
Arco 11:
Reino de Lilith: PesadeloAno: 70DG
Hanatarō olha para a vila do topo do prédio do Departamento de Pesquisa. Há dois anos era uma salinha no fim do laboratório geral da vila, agora tinha seu próprio prédio tão alto quanto o próprio escritório do Kazekage. Hanatarō sorri vendo as pessoas andando felizes na nova vila construída graças aos avanços científicos realizados com a inteligência de Takura, sua mentora. Antes, ele só via uma vila pobre, com construções de areia frágeis, com um horizonte desértico, dependendo de outras vilas, inclusive de Konoha, para conseguir sobreviver, mas agora... Sunagakure estava grandiosa novamente e tinha comprado sua independência. As construções ainda tinham porções de areia, mas eram forjadas em metais nobres, em ouro, em prata, criando grandes casas e prédios. As lojas estavam cheias de especiarias únicas, pois o trabalho de encontrar certos ingredientes se tornou muito mais prático desde que a vegetação voltou a florescer nos arredores da vila; onde antes era só deserto agora possuía vielas de relva, florestas, rios e uma fauna cheia de roedores, mamíferos e carnívoros.
Sumário
Mapa
Staff
Discord
Facebook
Contos
Estação: Inverno
Últimos assuntos

Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

[QUEST] Kaze no sō - em Sab 1 Fev - 0:42


Narrador: Flacko

Teste

@Tekoha

Ecanis estava chamando a atenção dos ninjas de elite por conta de seu numero de missões realizadas com sucesso, isso era algo muito útil para o vilarejo, pois por conta de problemas passados, a vila estava com um numero muito baixo de ninjas de patente alta e por conta disso estavam observando muito bem os gennins do vilarejo da folha e o jovem Ecanis era um dos que mais se destacavam.

Uma carta seria entregue para Ecanis por um corvo e o mesmo deveria seguir as ordenadas que lá estavam.

Explicações:
[01/10] Caminho Chunnin
Narra um pouco do teu dia e depois indo para o local que está na carta.
Carta:

Olá @Ecanis, você foi selecionado para um teste que irá acontecer na floresta dos arredores de Konoha, esse teste servirá para analisar sua performance como ninja, caso você vá bem, provavelmente terá boas noticias no final do teste.
Post 01/10
[
-
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [QUEST] Kaze no sō - em Sab 1 Fev - 2:23



[QUEST] Kaze no sō E283cbb54c91dd6df9f3c002889757fc
som do lar


Enquanto me aproveitava do desjejum farto daquela manhã, pensava no quanto havia me familiarizado com o selo confinado no centro do peito. Mesmo depois de dominá-lo até certo ponto, por semanas sua existência ainda lembrava a minha de que estava ali, olhando e desejando coisas das quais eu sequer imaginaria. Agora não, era apenas uma marca quando fora dos pensamentos e uma aliada considerável quando com as garras à mostra.

Seria um dia normal se eu não fosse surpreendido pelo corvo parado na janela, observando-me estaticamente. Devolvi a intensidade no olhar ao notá-lo e me aproximei, alcançando-o rapidamente com o abrir da janela. Sabia que ao mesmo tempo em que poderia ser apenas um pássaro mensageiro, não trataria nem um pouco como incomum se observações secundárias sobre a minha pessoa também fosse o objetivo do animal. Um detalhe insignificante talvez, mas invadia a privacidade que eu tanto gostava de manter. Pensei em pegá-lo pelos pés com rapidez e praticidade, retirar o pergaminho e mandá-lo embora logo sem mesmo fechar a bolsinha de coro, mas fiz tudo o contrário, em respeito a ave claro.  

Não me surpreendia a convocação para um teste por parte da vila. Desde que eu havia chegado na Folha, tudo baseava-se em testes. Alguns escondiam-se atrás de aparentes simpatias, concessões e carismas, mas um pouco de avidez no olhar faria vê-lo que as partes agradáveis serviam apenas para amansar sua visão a respeito das precauções e desconfianças das pessoas que administram a vila. De qualquer forma, eu mesmo não era alguém que saía depositando confiança em qualquer pessoa, então entendia os cenários onde eu deveria encenar.

Senti o aconchego de casa assim que o cheirinho de verde abraçou o olfato. A convocação me levava ao lugar onde minha infância contou-se ao mundo, onde cresci, brinquei, aprendi, observei e me tornei. Conhecia cada conjunto de árvore como se fossem meu quarto, de forma que inúmeras possibilidades e estratégias já caminhavam a bom ritmo pela cabeça quando os últimos passos me aproximaram de onde eu deveria estar. Diminuí o ritmo até quase parar, como uma criança recém chegada e rodeada de fascínios pela floresta. Dois pássaros cantavam na copa de uma das duas árvores não mais que dois metros atrás de mim, acompanhados pelo farfalhar leve das folhas secas ao chão, lembrando-nos que mesmo mortas, ainda estavam ali. Era um teste afinal de contas, independente da familiaridade com o local. Tanto minha mente quanto o corpo tinham completa ciência dessa condição, a todo instante. Ser pego despercebido ou deixar qualquer detalhe passar seria um desafio a todos os meus sentidos.

HP [475/475] | CH [400/400] | ST [0/5]

Considerações:

Condições do personagem: Como todo bom acadêmico aplicado e inteligente, cheguei considerando a possibilidade de já estar em teste. Dessa forma, considere-me em busca discreta, mas não ineficiente, não só dos detalhes mais óbvios (como chegada por baixo da terra, stealth, voando, caindo, sendo rápido), mas os inesperados também. Mas, por serem inesperados, tudo que tenho preparado de antemão é minha observação assídua e a busca por indícios de um ataque já em andamento.

Aparência e afins: A aparência do personagem é esta, tendo bolsas de equipamentos na coxa direita e um pouco acima da lombar.

Cenário e ambientação: Narrei poucos aspectos do cenário do teste por não saber exatamente até que ponto e já poderia começar com as minhas considerações, então deixo isso para o próximo post, onde terei mais liberdade.
Equipamentos:

+20 Kibaku Fuda
+5 Kunai
+5 Shuriken
+25m Fio
-
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [QUEST] Kaze no sō - em Sab 1 Fev - 12:30


Narrador: Flacko

Teste

@Tekoha

Ecanis fora o primeiro dos convocados a chegar no local, mas não demoraria muito para que outros três garotos chegassem, todos eles haviam sido convocados para aquele teste de performance, um dos garotos era muito alto e forte, outro deles era bastante franzino, mas com muita confiança no olhar e o ultimo que chegou tinha um olhar cabisbaixo e sem nenhuma esperança.

Não demorou muito para que o Jonin que seria o instrutor daquela missão chegasse, o mesmo usava vestes estranha, pois usava um quimono totalmente branco, seus pés eram descalços, mas sua maior peculiaridade eram os óculos escuros, com bastante calma nas palavras o Jonin começou a explicar - O teste de vocês irá se basear em tentar encostar nisso aqui - o mesmo mostrou o guiço que estava em sua mão e logo continuou a falar - Vocês não precisam tira-lo de mim, apenas encostar.. - o mesmo depois da explicação, pulou de forma muito rápida para o galho de uma arvore e deu a ultima explicação - Se quiserem fazer duplas não me importo, cada um com sua estratégia - no mesmo momento que essa frase foi dita, o jovem forte se juntou com o confiante, deixando Ecanis e o menino triste terem a decisão de lutar sozinhos ou em conjunto, isso seria escolha deles. Após decidir isso, os ninjas deveriam ir atrás do instrutor para tentar realizar a tarefa.

Explicações:
[02/10] Caminho Chunnin
Narra um pouco da tua perspectiva sobre os outros ninjas que chegaram, sobre o instrutor e por fim decida se vai querer trabalhar em dupla ou sozinho, caso escolha dupla, narre um pouco do dialogo de vocês dois.
Carta:

Olá @Ecanis, você foi selecionado para um teste que irá acontecer na floresta dos arredores de Konoha, esse teste servirá para analisar sua performance como ninja, caso você vá bem, provavelmente terá boas noticias no final do teste.
Post 02/10
-
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [QUEST] Kaze no sō - em Sab 1 Fev - 15:07



[QUEST] Kaze no sō E283cbb54c91dd6df9f3c002889757fc
som do lar


Em geral eu me sentiria feliz em partilhar da companhia e ajuda de shinobis da mesma vila, criar contatos, ganhar um pouco de experiência com habilidades alheias. Naquele momento, porém, ver o rapaz se aproximar invocava rapidamente a parte egoísta e narcisista da minha mente. Conseguia sentir a brisa ritualística e de considerada relevância no teste, também sabia que o desenvolvimento de trabalho em equipe era visto como uma característica importante a ser aperfeiçoada no militar, mas nisso já havia me aprofundando durante missões e eventos extraordinários. Ali, no meu quintal, meu foco seria eu.

Deixei-o se aproximar por conta própria. Ator como eu me constituía, escondi a desconfiança atrás da melhor expressão de ambiente e simpatia e analisei os detalhes visíveis do rapaz. Tinha pouca capacidade, isso era inegável, apesar de toda a musculatura, tamanho e postura corporal, andava entre as folhas e arbustos como um filhote de urso gigante, talvez pior. Os olhos não se mostravam astutos e se perdiam com frequência na mata, isolando-o da possibilidade de ser a pessoa a me avaliar. O segundo ninja que eu julgava também ser participante do teste destoava nitidamente do anterior. Para quem é observador assíduo como eu, os olhos são grandes contadores de histórias e reveladores involuntários a respeito dos que olham. O primeiro a chegar depois de mim, por exemplo, observava como um garoto ignorante sobre as próprias capacidades e coisas que o cercam, havia pouca curiosidade no olhar e muita vontade de ter. O segundo era o reflexo oposto do anterior, a musculatura havia abandonado os dias de glória há muito, se é que algum dia havia alcançado, mas os passos eram leves e a visão sempre evitava acomodar-se em um só lugar por mais que dois segundos.  

O terceiro no rastro do segundo me fez pensar que ele o seguia. É o mais interessante de todos, apesar do clima melancólico que o vestia. Na verdade, era a melancolia que me atraía. Talvez fosse a cautela, grande necessidade de observação, timidez ou só a antipatia dos ninjas militares, mas cada um deu ao outro apenas um aceno e um pouco da proximidade de seus corpos, inclusive eu. Houve um breve momento em que o som do vento nas folhas cessou e o de tecido esvoaçante inundou o ar. Tentei correr os olhos na direção, mas a branquitude das vestes barulhentas já nos observava de perto, estático e sorridente. Admirei-o por chegar tão perto sem ser notado no meu território.

Incomodava-me ouvir as instruções sem os olhos do instrutor acompanharem a performance das palavras. Apesar da qualidade na alta patente da vila, o que eu supunha que o homem possuía, surpreendia-me os óculos escuros como uma cortina sobre as informações transparentes na forma de olhar. Não só era incomum por implicar em algumas desvantagens incômodas contra o oponente certo, como não impedia qualquer luz incômoda de chegar aos olhos protegidos, estávamos em meio a inúmeras árvores. Por mais contraditório que aparente ser, apreciava os detalhes da sensação boa que tudo aquilo causava. Sempre me agradavam os mistérios por mais simples que fossem, e o homem tinha de sobra.  

Deixei que minha expressão discreta e implícita lamentasse e informasse ao rapaz melancólico que eu faria o teste por conta própria. Seria inteligente da parte dele manter-se na sombra da dupla formada sem muita hesitação, se aproveitando das brechas e colhendo o que fosse possível. Apaguei-os momentaneamente dos pensamentos no instante em que os músculos do instrutor o levaram com velocidade e graça ao galho da arvore ao lado. Acompanhei ritmicamente o estopim inicial, com calma e graça espelhados nos movimentos de tirar a parte de cima da veste. Senti o frio do metal, agarrei duas kunais e seus trajetos foram limpos e curtos na direção das canelas escondidas por trás do quimono branco.

HP [475/475] | CH [400/400] | ST [0/5]

Considerações:

Cenário e ambientação: Estamos em uma clareira rodeada pela extensão de floresta, em círculo, com uma ou outra árvore espalhadas pelo espaço limpo (de árvore) onde não deveriam estar. Do chão ao instrutor, calculo precisos dois metros. Da minha pessoa até ele, exatos quatro metros. Os outros participantes posicionaram-se ao meu redor, os componentes da dupla mais próximos um do outro, qualquer um tendo no mínimo três metros de percurso entre nós e cinco metros mínimos entre eles e o avaliador.

Condições do personagem: Tenho a atenção focada no ataque, certamente, mas como todo bom ninja não deixo minha percepção ignorar os arredores. Mantive-me a par dos movimentos dos participantes (por mais que não tenham boa parte da minha atenção), pronto para me retirar do caminho ou desviar de qualquer ataque precário que pudesse me atingir. Os participantes eram só detalhes, todo o ambiente está sob percepção, dentro do que é possível sem diminuir minha efetividade. Observo o instrutor sem arma alguma sacada, calmo e sem tensão muscular.

Ataques, defesas e ações: Mantive o intervalo mínimo nas ações de tirar a parte superior da roupa, sacar e lançar as kunais. Ambas as armastiveram suporte de força 2 (databook). O intuito de mirar nas duas canelas é fazer com que o instrutor saia do lugar pulando, seja para qual direção for. Quando/se acontecer, já estarei com os músculos inferiores preparados para saltar com velocidade e tentar atingi-lo no peito com um chute assim que deixasse o galho e ficasse sem apoio no ar (para isso minha velocidade é equivalente a 2 pontos). Tenho a qualidade "Inteligência Matemática" e, segundo ela, "pode-se calcular tudo, inclusive probabilidades de ação com perfeição". Dessa forma, eu sabia que pra frente havia quatro oponentes e um ataque direcionado, pouca chance de ser um trajeto de fuga. Ao lado esquerdo, parte da copa da árvore em que estava e o tronco que dá suporte ao galho que o aguenta. Mais que cinquenta centímetros acima da cabeça, a continuação da composição da árvore (copa, mais galhos e folhas). Dessa forma, imaginei que as saídas mais prováveis se dariam pela direita e para trás (talvez pra baixo). Tendo-as em mente, calculei com facilidade, agilidade e precisão a velocidade mínima e máxima com que ele poderia saltar nas atuais circunstâncias, os movimentos físicos que poderiam acompanhar a ação e para onde era possível correr. A precisão do meu possível ataque estará (se acontecer) suportada por todos esses fatores. Ah, é bom salientar que todas as ações direcionadas aos outros personagens foram meras tentativas, vai que há um erro ou outro que dê a entender o contrário.


Aparência e afins: Na verdade eu errei o link da aparência, sendo esta a verdadeira.
Equipamentos:

+20 Kibaku Fuda
+5-2 Kunai
+5 Shuriken
+25m Fio
-
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [QUEST] Kaze no sō - em Sab 1 Fev - 23:58

@Quest cancelada, o mesmo me chamou no discord para pedir pelo cancelamento de seu teste Chunin.
-
Conteúdo patrocinado
Vilarejo Atual

Re: [QUEST] Kaze no sō -

-


Layout com edições de Halloween feito por @Akeido Themes e Senko.