>
Naruto RPGAkatsukiNão é o único, mas simplesmente o melhor!
Arco 10:
RemanescentesAno: 70DG
Hanatarō olha para a vila do topo do prédio do Departamento de Pesquisa. Há dois anos era uma salinha no fim do laboratório geral da vila, agora tinha seu próprio prédio tão alto quanto o próprio escritório do Kazekage. Hanatarō sorri vendo as pessoas andando felizes na nova vila construída graças aos avanços científicos realizados com a inteligência de Takura, sua mentora. Antes, ele só via uma vila pobre, com construções de areia frágeis, com um horizonte desértico, dependendo de outras vilas, inclusive de Konoha, para conseguir sobreviver, mas agora... Sunagakure estava grandiosa novamente e tinha comprado sua independência. As construções ainda tinham porções de areia, mas eram forjadas em metais nobres, em ouro, em prata, criando grandes casas e prédios. As lojas estavam cheias de especiarias únicas, pois o trabalho de encontrar certos ingredientes se tornou muito mais prático desde que a vegetação voltou a florescer nos arredores da vila; onde antes era só deserto agora possuía vielas de relva, florestas, rios e uma fauna cheia de roedores, mamíferos e carnívoros.
Sumário
Mapa
Staff
Discord
Facebook
Contos
Estação: Outono

Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

[Filler de Time Skip] Dominando a arte das espadas - em 27/1/2020, 18:54


[Filler de Time Skip] Dominando a arte das espadas Original
HP:1050 • CK:1075 • ST:00/04

Alguns meses haviam se passado depois de minha promoção de graduação, assim já poderia ser considerado um ninja de elite, assim como meus pais eram e isso os deixava muito orgulhosos, pois esse sempre fora o sonho que eles tanto planejavam desde meu nascimento. Porém as coisas estavam mais calmas do que o normal, nenhuma missão de elite havia sido enviada para mim nos últimos tempos, no máximo missões bobas como resgatar gatos, ajudar alguns ricos em seu trajeto para outros países e espionar atividades suspeitas no vilarejo, mas nada muito especial. Mas uma coisa fazia com que eu ficasse muito animado nos últimos dias, pois com o tempo se passando, meu aniversário  havia chego e seria no dia depois de hoje e aquela era uma data comemorativa que eu fazia muita questão de comemorar, pois era a data que marcava o nascimento de uma das pessoas que eu mais admirava Exatamente, eu mesmo. Como em todos anos, meus pais planejariam uma festa apenas para nós três, nada muito grande, porém sempre ganhava ótimos presentes de minha mãe e era presenteado por meu pai com grandes ensinamentos de batalhas, nunca soube escolher muito bem qual desses presentes eram meus favoritos, pois eu adorava ganhar roupas novas de minha mãe, mas também gostava muito de aprender com meu pai, afinal o mesmo era um grande guerreiro.

O dia antecessor de meu aniversário já estava no fim, estava em meu quarto e resolvi passar por minha janela e sentar no telhado para observar as pessoas que caminhavam pela minha rua, puxei um cigarro de minhas vestes enquanto meus olhos acompanhavam uma bela moça que passava com algumas sacolas em mãos, porém quando perdi a visão da bela moça, acendi meu cigarro com um estalar de dedos que criou faiscas que fizeram com que o mesmo fosse acesso e tragado – Mais um ano de vida, estou me sentindo cada vez mais velho... – tirei o cigarro de minha boca e soltei a fumaça que se encontrava em minha boca, o coloquei entre meus lábios novamente enquanto encostava minhas costas na parede e aproveitava para descansar um pouco e pensar um pouco sobre meus aniversários passados. Horas depois, abri meus olhos e percebi que havia adormecido naquele local e a escuridão havia tomado conta do céu  - Bosta, quiemei minha roupa – comentei enquanto limpava as cinzas e o cigarro que haviam caido em cima de minhas vestes Eu ficaria mais irritado se fosse a primeira vez que isso tivesse acontecido pensei enquanto abria um curto sorriso. Não demorei muito para sair daquele telhado e adentrar em meu quarto e depois de uma rapida arrumada em minha cama, me joguei nela e fechei meus olhos torcendo para continuar meu sono pré-aniversário.

Que porra de barulho é esse? pensei ainda de olhos fechados enquanto escutava um barulho ensurdecedor invadir meus ouvidos, mas depois de abrir os olhos, um sorriso foi aberto em meu rosto, pois tive a visão de minha mãe com uma bandeija de café da manhã e meu pai batendo as palmas das mãos e cantando parabéns – Péssima maneira de acordar um aniversáriante, não acham? – brinquei com um sorriso no rosto enquanto me sentava na cama e recebia abraço dos dois que de certa forma sempre era muito reconfortante – Obrigado, mãe e pai, agora me deixem comer isso aqui e tomar um banho, daqui a pouco irei descer para conversarmos – pegava um dos pães que estavam na bandeja e dava algumas mordiscadas enquanto observava os dois saindo de meu quarto Eles me mimam demais, imagina o dia que tiverem um neto sorri e dei uma leve risada pensando que nenhuma mulher seria louca o bastante para ter um filho comigo. Depois de me deliciar com aqueles alimentos da bandeja e tomar um banho, me vesti e resolvi que seria finalmente a hora de ir para sala e conversar um pouco com meus pais Conversar quer dizer enrolar, enrolar e receber meus presentes.

Chegando na sala, observei meus pais sentados no sofá, minha mãe com uma caixa de presente na mão e meu pai com um largo sorriso no rosto que mostrava que ele tinha algo muito bom para me ensinar naquele dia, então me aproximei primeiramente de minha mãe e peguei o presente que estava na mão dela – Muito obrigado, mãe. Estou agradecendo antes, pois já sei que irei adorar – comecei a abrir o pacote e aos poucos percebi que tratava-se de uma capa preta que por conta de seu tamanho provavelmente cobriria meu corpo todo, com atenção escutava minha mãe dizendo que a capa seria importante para futuras missões que precisassem de disfarce, então depois de um abraço a agradeci Você sempre pensando em mim, não é mãe?. Depois dos agradecimentos para minha mãe, fitei meu pai por alguns instantes e questionei – Vamos lá para fora, não é? – abri um sorriso por perceber a resposta positiva, então rumei em direção a nosso quintal.

Depois de me colocar no centro do local, observei meu pai empunhando uma espada e me fitando como se estivesse me convidando para um duelo, então puxei as Kibas de minha cintura e corri em direção dele tentando alguma ofensiva que no máximo causasse algum arranhão nele, porém como um verdadeiro perito, meu pai desviou do golpe com certa facilidade e fez com que eu caísse no chão como um idiota – Parece que você não está nada enferrujado, não é velhote? – comentei enquanto me levantava e esperava desta vez uma ofensiva do homem, sem nenhuma demora o mesmo avançou em minha direção com a espada e antes mesmo que eu pudesse perceber notei que a manga de minha camisa estava cortada, algo que me deixou com certa irritação – Porra, vai ter que pedir para a mamãe costurar isso daqui – depois de ter analisado todos movimentos do homem, percebi que o mesmo usava da própria espada para me confundir e fazer um ataque totalmente inesperado, então pensei Posso usar de minha vantagem de ter duas espada e fazer uma ofensiva que ele pense que eu vá usar uma, mas ataque com a outra, não custa tentar – avancei em direção de meu pai e quando cheguei perto levantei o braço direito e fingi tentar acerta-lo, isso fez com que ele corresse para o lado esquerdo e fosse atingido pela minha outra espada, um pequeno corte foi feito, acredito que mesmo sem sair sangue, talvez estivesse doendo um pouco – Me desculpa, papai.. Mas acho que entendi o que você quis me ensinar – percebi o quê ele estava querendo me ensinar, você não precisa apenas prestar atenção em sua espada, mas também em tudo a seu redor, posição do oponente, velocidade e estratégia, aquele era um dos muitos ensinamentos que meu pai me dava principalmente em meus aniversário Muito obrigado, pai... Isso vale muito mais que qualquer presente que você poderia me dar

Considerações:
 Filler de Time Skip
Prêmio escolhido: Qualidade Perito Armamentista: Kenjutsu
1.140 palavras.
Jutsus Usados:
Armas:

[/i][/i]
[Filler de Time Skip] Dominando a arte das espadas Images?q=tbn:ANd9GcRNHHrY8c7_JcMmKPzbsJkn1UCYGs_1Qkc-UHg4y8IdbbdVPZ5j&s

Hakkō Chakura Tō
Rank: A
Descrição: O Hakkō Chakura Tō foi um Tanto que originalmente pertencia a Sakumo Hatake, que passou para o seu filho, Kakashi. Foi um Tanto reta de lâmina com um pequeno, mão-guarda circular. Ele exalava um faixa branca de chakra quando foi balançado, este ganho Sakumo seu título de "White Fang de Konoha" (木 ノ 葉 の 白 い 牙, Konoha não Shiroi Kiba). Esta lâmina foi destruída durante a Terceira Guerra Mundial Ninja durante a luta de Kakashi com Kakko. No anime, que mais tarde foi mostrado reparado com Kakashi ainda usá-lo para as missões.


[Filler de Time Skip] Dominando a arte das espadas 4fab01cdc6d9dbd1498d74b782fcdd222eeb1ef1_00

Kibas
Rank: S
Descrição: Kibas (牙, literalmente significando: Fangs) é uma das espadas famosas dos Sete Espadachins da Névoa. Cada um deles foi imbuído de relâmpagos, exibindo poder de corte aprimorado de forma semelhante às vibrações de alta freqüência do fluxo de chakra baseado no relâmpago. É essa capacidade que resultou nesses "trovões" (雷 刀, raitō) sendo reivindicados como as espadas mais afiadas existentes.
-
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [Filler de Time Skip] Dominando a arte das espadas - em 27/1/2020, 19:06

Aprovado.
-


Layout com edições de Halloween feito por @Akeido Themes e Senko.