:: Mundo Ninja :: Mapa Mundi :: Konohagakure no Sato :: Campo de Treinamento
O Dia Mais Claro
Arco 02
Ano 13 DG
Verão
Com o fim da guerra em Oto, o mundo estava se reajustando uma vez mais. Embora se vendo como inimigas, as Cinco Grandes Nações se reergueram novamente, cada uma à sua maneira. Suna e Iwa ainda se mantinham sem Kages, e em cada uma um conselho de alto nível foi formado. Em Kumo, Kagaya focou em deixar seus ninjas mais poderosos e passou a exigir deles ainda mais comprometimento em batalha. Kaden, mesmo emocionado com a difícil vitória, levou novas esperanças à sua vila, Konoha, e, aliviado pela renúncia de Kamata ao posto de Senhor Feudal, via na nova Senhora do Fogo uma forma de deixar tudo que aconteceu em Oto enterrado em Oto, para que todos seguissem em frente, para o futuro. Em Kiri, Jyu apresentou um novo investimento, e, agora, a vila investia na área cientifica, trabalhando com engenharia genética e mecânica; um jovem engenheiro, Moira O'Deorain, lançava um produto que alavancaria Kiri e todo o mundo ninja, sua nova criação: “Vita”. Ao mesmo tempo, saindo das sombras, a organização privada HYDRA se apresentava ao mundo, investindo pesado em tecnologia e criações para torná-lo um lugar melhor.
... clique aqui para saber mais informações
Shion
Fundador do RPG Akatsuki, Shion é responsável por manter o bom funcionamento de todas as áreas do fórum há mais de 10 anos. Completamente apaixonado por RPG e escrever, hoje é o principal responsável pelo desenvolvimento de toda a trama desse universo baseado na arte de Kishimoto.
Shion#7417
Angell
Angell é jogadora de RPG narrativo desde 2011. Conheceu e se juntou à comunidade do Akatsuki em fevereiro de 2019, e se tornou parte da administração em outubro do mesmo ano. Hoje, é responsável por desenvolver, balancear, adequar e revisar as regras do sistema, equilibrando-as entre a série e o fórum, além de auxiliar na manutenção das demais áreas deste. Fora do Akatsuki, apaixonada por leitura e escrita, apesar de amante da música, é bacharela e licenciada em Letras.
Angell#3815
Oblivion
Oblivion é jogador do NRPGA desde 2019, mas é jogador de RPG a mais de dez anos. Começou como narrador em 2019, passando um período fora e voltando em 2020, onde subiu para Moderador, cargo que permaneceu por mais de um ano, ficando responsável principalmente pela Modificação de Inventários, até se tornar Administrador. Fora do RPG, gosta de futebol, escrever histórias e atualmente busca terminar sua faculdade de Contabilidade.
Indra#6662
Salvatore
Salvatore é parte da comunidade de RPG narrativo desde meados de 2013. Conheceu o Akatsuki nessa época, mas começou a fazer parte como jogador ativamente em 2021, sempre com muita dedicação e compromisso com o fórum. Hoje, atua no fórum como narrador e administrador, focado nas partes administrativas do ON. Fora do fórum se considera um amante de futebol, adora cozinhar pratos exóticos e é estudante de Engenharia Civil.
Salvatore#1234
Sr. L
Sr.L apelido recebido pelos players do fórum, devido ao seu sobrenome Sinhorelli, joga em fóruns narrativos desde 2010. Encontrou o Akatsuki no final de 2020, mas manteve-se ativo no início de 2021. Desde então se empenhou como player e se sentiu na obrigação de ajudar os demais e hoje auxilia o fórum como Narrador, Moderador e Administrador. Fora do forum, trabalha e possui formações acadêmicas, voltadas a área de gestão de pessoas.
Sinhorelli#1549

Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

[TREINAMENTO] por que o apreço? - Publicado 22/1/2020, 01:48



[TREINAMENTO] por que o apreço?  Ff5d26c76a4e7617c045ca4168237318
por que o apreço?


Adiar minha dívida com Kaname novamente seria um sacrilégio indesejável, ela havia separado as missões que especifiquei e agora era hora de retribuir o agrado. Minhas exigências pelos mais variados acordos eram sempre diferentes, mas a garota reivindicava o mesmo toda vez. Deste modo, quando cheguei no campo de treinamento vazio e isolado que sempre usava, já era impacientemente aguardado.  

- Hoje você receberá novamente um pouco do de ontem e provavelmente de amanhã também. Falei alto enquanto me aproximava, mirando a atenção da menina sentada ainda um pouco distante. Sem deixar a realeza escapar do ar ao seu redor, virou calmamente na minha direção e se colocou de pé para me cumprimentar. - Espero que o de hoje seja tão bom quanto de ontem e pior que o de amanhã, então. Também pode ser melhor que o de ontem se você quiser. Respondi com um sorriso calculadamente tímido antes de apertar sua mão e vê-la sentar-se novamente. - É provável que hoje seja melhor que o de ontem e pior que o de amanhã. Mas pode não ser também. Como você está? Caí ao seu lado logo no engajamento inicial das suas aventuras vividas desde a última vez que nos vimos e que construíam cada detalhe de como ela estava.  

Deixamos o tempo livre e à vontade por um bom período. Éramos jovens e não tínhamos compromisso com nada, podíamos encher nossos relatos de detalhes sobre como nos sentíamos, o que acontecia e as tramas por trás do mais importante. Só me levantei quando nossas curiosidade e saudade foram extinguidas com tudo que possuíamos. Livrei o corpo de tudo que não era tecido; as pequenas bolsas com armamentos, dinheiro, livro, pergaminhos e anotações. Tudo parecia ritualístico, calmo e contínuo como o vento fresco que delineava nossas peles.  

Iniciei os movimentos acompanhado por Kaname, ainda sentada e movendo as mãos em sincronia ao ritmo do meu corpo, como uma maestra e sua orquestra. Guiava-me enquanto eu a guiava, cada um dos meus músculos desempenhando diferentes papéis no decorrer da calma dança marcial. Se observado por mais de um segundo, talvez eu dançasse com passos engraçados, arriscados, muitos antinaturais e todos estranhos. Definitivamente não era agradável de se ver, mas arrancavam de mim um orgulho tremendo. Toda a coreografia fazia parte de uma criação ainda em construção, movimentos que tiravam da musculatura, tendões, nervos e de todo o organismo desempenhos naturalmente difíceis de alcançar. De forma resumida, era um alongamento estranhamente longo e lento, mas que forçava o organismo, principalmente os músculos, a estar preparado da forma mais eficiente.

No último movimento da dança meus músculos eram cavalos recém aquecidos, prontos para quilômetros de chão a galope, flexíveis como felinos. Movi o braço esquerdo de forma antinatural algumas vezes até a pele do ombro começar a rasgar e expelir uma formação óssea. Corri com os olhos ao encontro de Kaname a tempo de apreciar o sorriso largo sempre disparado em resposta a qualquer habilidade ninja mais elaborada que ela visse. Brandi a espada de osso já empunhada e cortei o ar com um avanço rápido, desviei de golpes imaginários e tornei a avançar, dessa vez cortando por trás um boneco de palha. Conforme a sequência de movimentos de uma luta imaginaria prosseguia, a velocidade com que eram executados aumentava.  

Repentinamente os movimentos das mãos de Kaname mudaram completamente. Até aquele momento ela mantinha o padrão contínuo da linguagem de sinais que havia criado para decifrar, ou transcrever minha movimentação. Os sinais indicavam movimentos completamente diferentes, com velocidades e direções estranhas, ritmos desconexos. Era nosso método de treinar a aleatoriedade e velocidade de reação dos meus “passos”, eu deveria responder de forma imediata e exata ao que ela exigia através da nossa língua. E assim erq feito, ou tentado muitas vezes.

No começo o desafio era quase inalcançável, os movimentos das mãos eram complexos demais para serem associados na velocidade de um combate. Depois de revisarmos os sinais já criados e dar à luz a mais alguns, tivemos a dificuldade cortada quase pela metade. Mas ainda era difícil, não se engane. Manter a atenção nos movimentos, no alvo e em sinais aleatórios que guiam seu corpo era de uma complexidade sedenta por meses de treino. Com exceção de alguns vacilos, agora a resposta era imediata; ela quebrava o pulso pro lado e movia o indicador e do meio rapidamente, quase como espasmos, e a espada estacava e acompanhava a retomada do braço direito no sentido oposto ao que vinha, como uma flecha ricocheteada. Dessa forma o treino seguia, cada vez mais rápido e mais preciso.

Seu sorriso era o cair e descansar na cama depois de um dia longo, um pouquinho antes de mergulhar no sono. Deixei-me despencar ao seu lado, encharcado de suor nos tecidos que ainda resistiam pendurados no corpo. - Definitivamente foi melhor que ontem. Balbuciei enquanto meus pulmões brigavam por ar. Kaname também se descarregou na grama, com um suspiro infantil realizado. - Definitivamente! Você progride rápido às vezes. Ou seria melhor dizer em algumas coisas? A risada custou parte do ar duramente capturado. Um preço injustamente baixo eu diria.  

HP [525/525] | CH [525/525] | ST [0/3]

Considerações:

Aparência: Clique
Equipamentos:

+20 Kibaku Fuda
+5 Kunai
+5 Shuriken
+25m Fio
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [TREINAMENTO] por que o apreço? - Publicado 23/1/2020, 15:10

Aprovado.

Resposta Rápida

Área para respostas curtas