>
Naruto RPGAkatsukiNão é o único, simplesmente o melhor!
Arco 11:
Reino de Lilith: PesadeloAno: 71DG
Após uma dura jornada, Shaka finalmente caiu e teve a maldição retirada de seu coração. No entanto, os problemas trazidos pela família Hattori não se extinguiram. Shion revelou ter ajudado a libertar Lilith, uma monarca da dimensão infernal, que agora está possuindo o corpo de Hyuga Katsura e libertando uma horda de seres infernais contra este mundo. O mundo corre risco de ser consumido pela maldade dessa criatura, mas não se o plano de Shion der certo: forçar Lilith a causar um evento chamado de O Grande Eclipse, onde as portas de todos os mundos e dimensões ficarão abertas, e assim permitir a ele ir ao submundo resgatar sua amada Katsura Grey para finalmente selar Lilith.
Sumário
Mapa
Staff
Discord
Facebook
Contos
Estação: Inverno
Últimos assuntos

Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

[Filler de retorno] fijanfwiwytb - Dom 17 Nov 2019 - 12:16

 Por onde eu estive.
Se isso é uma pergunta, então não sei a resposta.

Lydia está morta. Ao menos, a probabilidade é grande. Os sapos do monte já não respondem mais aos meus chamados, então imagino que outra pessoa tenha ficado com meu contrato. Onde quer que eu esteja, não é o País da Neve nem a Areia. Só pode ser o purgatório — é para onde vão todos aqueles que falharam em suas jornadas, assim como eu, que falhei miseravelmente na minha. O vento sopra forte em minhas costas e não sei se faz isso para me consolar, me empurrar ou me castigar. Vai ver é um pouco de cada coisa. Estou de volta à estaca zero, a mente meio ausente, tentando refazer os passos dos últimos anos. Chego diante de um espelho e me vejo. Mas só consigo prestar atenção aos aspectos próprios ao espelho: a moldura de madeira está comida por cupins nos quatro cantos, aparentando ser isso parte do modelo original; o espelho, que deve ser de prata, está todo enferrujado nos cantos e tem uma grande mancha de ferrugem bem ao centro, de modo que tenho que me deslocar um pouco à esquerda ou direita para enxergar o reflexo. Ao redor de mim, um quarto. Pouco mobiliado. Estou sentado numa cama e o espelho fica ao lado dela, na parede, virado para a porta, o que me é um tanto estranho. Há um candelabro sobre um criado mudo que repousa bem abaixo da janela, o fogo está apagado, mas deve ser por volta de meio-dia, pois ao invés de um breu o que vejo é luz inundando o pequeno quarto. Ao tentar me levantar, percebo o corpo fraco, como que malnutrido. Passo os dedos na maçã do rosto e sobre o queixo, apalpo a nuca. Meus cabelos estão grandes, devem beirar a cintura. A barba alcança o peito. Apesar de tudo, sinto que o tempo se congelou para mim e sua passagem foi meramente ao meu redor; eu, ao centro, incólume senão pela aparência física de um vagabundo qualquer. Tento me levantar e dessa vez vejo uma cabeça através do corredor, esticando o pescoço para ver o que eu fazia, imaginei. Ela veio correndo e colocou um braço debaixo de minhas axilas, me envolvendo e levantando meu corpo fraco. Sussurrou algo que não entendi, talvez por ser rápido demais ou por ser uma língua que não a minha. Ela me levou através do corredor, passos lentos, arrastando meus pés por tábuas de madeira. Começo a perceber a passagem do tempo diferente. As coisas não mais são, agora, eram. Perdi o controle, é isso.

Ela me colocou numa banheira, a água muito quente pareceu desencadear uma febre escondida dentro de mim e passei a ter lapsos de consciência. Quando acordei já estava de cabelos cortados e barba feita, o corpo limpo, exalando um cheiro agradável. A mulher me encarava com seus olhos grandes e a roupa acinzentada. Por um segundo, imaginei que pudesse ser ela. Lydia. Não era. Ela estava viva? Estava morta? As certezas e confusões se embaralhavam em minha mente e cada minuto de certeza logo era substituído por um tempo igual de confusões e choro soluçante. Difícil, o quão difícil seria voltar a normalidade, se é que ainda existia alguma perspectiva quanto a isso. Passei a língua sobre os lábios: eu havia comido algo, o que foi evidenciado também pela força que voltara a mim. Levantei da cadeira, ainda com um pouco de dificuldades pois era como se meu corpo tivesse desaprendido a se mover. A mulher me entregou uma trouxa com roupas e uma espada embainhada, além de uns objetos brilhantes que reconheci de pronto. Meus adornos. Vesti-me e pus a espada à cintura. Quando saí e olhei por sobre os ombros, vi um casarão todo de madeira, com amplo quintal na lateral, cores vivas de flores e arbustos. O lugar destacava-se da paisagem ao redor, picos nevados ao longe, o som de água corrente vindo de algum lugar que eu não podia ver então, o vento que soprava forte descendo daqueles mesmos picos e os pássaros passando em revoada por cima de mim. Importava — algo além de Lydia e meu futuro importava? Não, é claro que não. Caminhei sem olhar para trás, caminhei até meus pés doerem e eu encontrar um porto maltrapilho e cheio de ratos, com meio dúzia de embarcações, das quais somente uma poderia ter uma chance sólida de sobreviver ao alto mar e me devolver ao continente ninja, que instintivamente eu sabia não estar. Arrisquei a sorte, dei um dos adornos dourados ao homem e ele me levou. E depois de ser levado, eu cheguei, cheguei em algum lugar.

783/500 necessárias.
Ficha reativada.
-
Erza
Genin
Erza
Vilarejo Atual
Ícone : [Filler de retorno] fijanfwiwytb Asami-sato-40a725ea-2f50-4573-a298-4393288c70a-resize-750

https://www.narutorpgakatsuki.net/t69301-ficha-de-personagem-saori-miyamizu https://www.narutorpgakatsuki.net/t69331-gf-saori-miyamizu

Re: [Filler de retorno] fijanfwiwytb - Dom 17 Nov 2019 - 12:38

@ Autorizado

Por favor, tenta aumentar o tamanho da fonte nos próximos posts pra facilitar a vida dos avaliadores. <3
-


Edição de Aniversario por Shion e Senko.