>
Naruto RPGAkatsukiNão é o único, mas simplesmente o melhor!
Arco 10:
RemanescentesAno: 69DG
Hanatarō olha para a vila do topo do prédio do Departamento de Pesquisa. Há dois anos era uma salinha no fim do laboratório geral da vila, agora tinha seu próprio prédio tão alto quanto o próprio escritório do Kazekage. Hanatarō sorri vendo as pessoas andando felizes na nova vila construída graças aos avanços científicos realizados com a inteligência de Takura, sua mentora. Antes, ele só via uma vila pobre, com construções de areia frágeis, com um horizonte desértico, dependendo de outras vilas, inclusive de Konoha, para conseguir sobreviver, mas agora... Sunagakure estava grandiosa novamente e tinha comprado sua independência. As construções ainda tinham porções de areia, mas eram forjadas em metais nobres, em ouro, em prata, criando grandes casas e prédios. As lojas estavam cheias de especiarias únicas, pois o trabalho de encontrar certos ingredientes se tornou muito mais prático desde que a vegetação voltou a florescer nos arredores da vila; onde antes era só deserto agora possuía vielas de relva, florestas, rios e uma fauna cheia de roedores, mamíferos e carnívoros.
Sumário
Mapa
Staff
Discord
Facebook
Contos
Estação: Primavera
Últimos assuntos

Zeitgeist
Shodai Otokage
Zeitgeist
Vilarejo Atual
Ícone : O Governante GM22dSN

https://www.narutorpgakatsuki.net/t68386-fp-lawliet-hawk-scarlet#509119

O Governante - em 7/11/2019, 12:10

O silencio que pairava na estrutura de madeira do pequeno salão da Goei era instigante. O pouco que Lawliet ouvia era o som dos ventos chicotearem os grãos de areia e as arvores do lado de fora da construção. A escuridão definitiva criada pelos seus olhos fechados, fazia-o refletir sobre o presente. Tal como as ínfimas mudanças que achava que viriam haviam se tornado tão drástica com o passar de um único inverno. As peças já estavam sobre o tabuleiro, mas dificilmente não encontraria alguém que tentasse espalha-las ao ver a derrota eminente. Talvez até mesmo ele pensasse em fazer isso em dado momento. O que lhe instigava era a necessidade de deixar algo claro aos descendentes daquelas terras. A visão de que um futuro se constrói sobre os alicerces de atitudes, não apenas ideais. Uma visão futurista ou, talvez, um tanto quanto antiquada. Seus desejos já eram outros dos de antigamente, apesar de não serem claros. Não. Não eram propriamente desejos. Objetivos seria uma melhor definição naquele momento. Não podia se dar ao luxo de ter desejos, apesar de se sucumbir a muitos deles a maior parte do tempo. Sua luxuria era diferente da maioria das pessoas. Um luxo baseado na independência; e era este gosto que ele queria dar àqueles homens. O gosto da liberdade.

[...]

Uma leve brisa amena adentrou os portões da Goei, abraçando o corpo de Lawliet, como se o despertasse de um transe profundo. Seus olhos se abriram devagar, percebendo o vazio que se encontrava ali. Não havia ninguém. Apenas tabuas de madeira que se estendiam sob seus pés, até as bases das paredes de cimento pintadas em tinta branca, onde pilares se estendiam nos vértices do salão. Seus olhos percorreram o salão, como se quisesse ter certeza que não havia ninguém; apesar de já o tê-la. Se levantou devagar aos sons do ranger das tabuas; seus movimentos eram tão lentos como os de um homem a beira da idade, apesar de não demonstrarem qualquer tremulação. Sua espada embainhada estava em sua destra, pois repousava ao seu lado enquanto meditava e logo o mesmo a pegou enquanto se levantava, aproveitando que sua mão apoiara-se no chão. A colocou em posição diagonal, sobre as camisa que caia sobre a cintura e parte traseira da coxa; utilizou de uma amarra para que ela ficasse firme ali. Andou em passos calmos até o portão do Goei. Pela posição do sol a pico, já era cerca de metade do dia, pelo menos era o que parecia; não era especialista em observar horários através do sol, entretanto, aquele era o horário mais fácil de se identificar. O sol sobre sua cabeça. Entretanto, manteve-se ali, parado, por alguns instantes; sentindo a brisa amena abraças seu peito desnudo.


1025 HP
1025 CH

ST: 00/05

Considerações:
- Roupas e aparência idêntica a esta imagem. Sem blusa, tipo Kimimaro no anime/mangá, a blusa pendurada pelo cinto, sem atrapalhar o possível saque da espada.
- Kokutou embainhada, colocada na parte traseira da cintura.
- Atributos usados ao mínimo do personagem.
- Kanchi ativo passivamente.

OUTROS:

Kokutō
Rank: A
Descrição: O Kokutō (黒 刀, Literalmente significado: Black Blade) é uma espada única exercida por Raidō Namiashi. Esta katana tem uma superfície escurecida e não reflexiva e está fortemente revestida de veneno que Raidō geralmente usa para realizar suas missões de assassin;ato. Ele usou isso em conjunto com Aoba Yamashiro's Scattering Thousand Crows Technique para ocultar-se e a lâmina e defender com sucesso Akatsuki membro Kakuzu.

O Governante E5db9ee08df122719dcc3b700f9882b165891f52r1-512-205v2_00
Kanchi [600 metros]
Requerimentos: Sensor & Quest: Sensitivos.
Descrição: A Técnica Sensorial, usada pelos shinobi tipo sensor, permite ao usuário detectar chakra. Isso permite que eles detectem e localizem alvos através de suas assinaturas de chakra. O alcance dessa técnica varia entre os sensores.

Bolsa de armas 05/70:

_______________________

-


Layout por @Akeido Skins, @Loola Resources e Naru.