:: Mundo Ninja :: Mapa Mundi :: Konohagakure no Sato :: Hospital|Laboratório
Alvorecer
Arco 04
Ano 17 DG
Verão
A queda do pastor cobrou um preço altíssimo do mundo ninja: o golpe final trouxe ao mundo um tempo de dor e sofrimento; fome e pobreza retornaram às ruas, a violência triplicou, os antigos heróis caíram ou ficaram desacreditados. Mas, um pouco perto do amanhecer, a Hydra, que até então se mantivera em silêncio, mostrou-se das sombras, trazendo oportunidades de emprego e uma esperança para salvar o mundo dessa mais nova calamidade. Líderes ninja não tiveram escolha senão se arriscarem em tratados suspeitos para conseguir manter firmes seus lares e seus soldados. No entanto, os reais planos da Hydra ainda continuam sendo um grande mistério.
... clique aqui para saber mais informações
Shion
Fundador do RPG Akatsuki, Shion é responsável por manter o bom funcionamento de todas as áreas do fórum há mais de 10 anos. Completamente apaixonado por RPG e escrever, hoje é o principal responsável pelo desenvolvimento de toda a trama desse universo baseado na arte de Kishimoto.
Shion#7417
Angell
Angell é jogadora de RPG narrativo desde 2011. Conheceu e se juntou à comunidade do Akatsuki em fevereiro de 2019, e se tornou parte da administração em outubro do mesmo ano. Hoje, é responsável por desenvolver, balancear, adequar e revisar as regras do sistema, equilibrando-as entre a série e o fórum, além de auxiliar na manutenção das demais áreas deste. Fora do Akatsuki, apaixonada por leitura e escrita, apesar de amante da música, é bacharela e licenciada em Letras.
Angell#3815
Indra
Oblivion é jogador do NRPGA desde 2019, mas é jogador de RPG a mais de dez anos. Começou como narrador em 2019, passando um período fora e voltando em 2020, onde subiu para Moderador, cargo que permaneceu por mais de um ano, ficando responsável principalmente pela Modificação de Inventários, até se tornar Administrador. Fora do RPG, gosta de futebol, escrever histórias e atualmente busca terminar sua faculdade de Contabilidade.
Indra#6662
Biskath
BisKath é jogador do NRPGA desde julho de 2020, tendo encontrado o RPG por meio de pesquisas e começado a jogar nele, sem pausas desde então. É jogador de RPG desde 2013, mas o Akatsuki foi o primeiro de Naruto em que se aventurou. Apenas começou como moderador em abril de 2022, se dedicando as funções da moderação até se tornar administrador em julho do mesmo ano, auxiliando também na avaliação da área de criações. Fora do fórum cursa desenho, pois tem interesse em artes de forma geral..
BisKath#0666
XXXXX
XXXXX
Discord#1234

O Mal menor para um Bem maior 9cf60763dc0395bb6231cfada13244c8

Takane
Jōnin
Takane
Vilarejo Atual
O Mal menor para um Bem maior 9cf60763dc0395bb6231cfada13244c8

O Mal menor para um Bem maior - Publicado Sex 1 Nov - 1:07

Inicio: Mal menor não existe.


Takane olhou para os céus era um fim de tarde extremamente confortável, não havia nuvens e muito menos trabalho, tinha decidido que aquele seria seu dia de descanso após uma longa e dura fase de treinos das quais Takane impôs que ela a fizesse todos os dias. Taika por sua vez estava revoltada, descanso não era necessário para que as duas evoluíssem, treinar sim era importante, desfrutar do gosto de uma boa luta das dores de uma quantidade de treinos isso sim era interessante, agora ficar ali, parada deitada em uma rede tomando suco de coco e ouvindo a cantoria irritante da namorada de sua irmã fazendo algum tipo de comida, aquilo era uma tortura sem fim da qual ela não podia fugir.

--Então Takane-chá... gostou do que fizemos na noite passada?---

Perguntou a Uzumaki sem rodeios nenhum enquanto deixava na mesa vários tipos de pratos de comidas diferentes, e sorrindo ao ver as bochechas da gennin se tornando vermelhas e ela desviando os olhos heterotróficos das quais ela tanto havia se apaixonado.

--Não sabia que dava pra usar Iryou ninjutsu para outras coisas além de curar...--- Murmurou a gennin se enrubescendo mais ainda.
-
--Takane... você ainda não sabe de nada... das coisas que da pra se fazer com um bom conhecimento anatômico--- Seus olhos brilhavam malicia enquanto ela mordiscava os lábios carnudos.

---Vamos iniciar do sistema digestivo, sabe onde ele começa?--- perguntou Megumi.

---Deixa eu adivinhar no estomago?---
-
--Esta errada, ele se inicia na boca, a mastigação e o inicio do sistema digestivo, nele a salivação da processo e a trituração diminui os alimentos para descer pelo esôfago e ir ate o estomago onde um acido extremamente corrosivo vai diluir o alimento.---

---Pera ta dizendo que dentro de mim tem um acido que derrete coisas... minha deusa, como eu to viva?---. Perguntou Takane assustada enquanto ponhava a mão na barriga e engolia em seco.

--Calma, vamos por partes, dentro do estomago existe uma camada de proteção um tipo de gel que impede o acido de entrar em contato direto com as células do estomago, e quando isso ocorre nos chamamos de gastrite, os sintomas podem ser variados e é por isso que um ninja medico tem prestar bastante atenção no que esta fazendo.--
--Você bem que... sei lá poderia me ensinar... sabe a te fazer sentir bem também, eu quase sempre... não consigo te acompanhar...--- Disse a menina enquanto as palavras sumiam em sua boca e no fim era quase indistinguível de um sussurro.

---"Pelo amor do que e mais sagrado alguém me mate”--- Se Taika tivesse corpo para vomitar já o teria feito.

---Era isso que eu queria ouvir---


A Kunoichi então se jogou na rede e puxou um pequeno livro escondido entre suas vestes, a primeira pergunta de Taika foi onde ela estava escondendo aquilo, mas preferiu efetivamente não saber.

Abriu o livro na primeira parte, a primeira referencia ao corpo humano, descrevia de inicio todo o processo que ocorria dentro dos órgãos internos, era uma maquina complexa que se a pessoa não estivesse interessada não conseguiria aprender nada, no entanto não era o caso de Takane ela estava interessada em aprender e Megumi estava mais do que interessada em ensinar, e nesse caso, o funcionamento do corpo humano era sem sombras de duvidas um bom início, nele explicava coisas como o corpo se utilizava de energia elétrica para manter se ativo e de pulsos de ligação entre o cérebro e o corpo o assunto era interessante e até mesmo Taika que não costumava dar ouvidos as palavras de Megumi acabou caindo nas palavras da Chunin e prestando atenção em como o corpo humano transmitia o alimento e os nutrientes.

---Vamos iniciar do sistema digestivo, sabe onde ele começa?--- perguntou Megumi.

---Deixa eu adivinhar no estomago?---

--Esta errada, ele se inicia na boca, a mastigação e o inicio do sistema digestivo, nele a salivação da processo e a trituração diminui os alimentos para descer pelo esôfago e ir ate o
estomago onde um acido extremamente corrosivo vai diluir o alimento.---


---Pera ta dizendo que dentro de mim tem um acido que derrete coisas... minha deusa, como eu to viva?--- Perguntou Takane assustada.

--Calma, vamos por partes, dentro do estomago existe uma camada de proteção um tipo de gel que impede o acido de entrar em contato direto com as células do estomago, e quando isso ocorre nos chamamos de gastrite, os sintomas podem ser variados e é por isso que um ninja medico tem prestar bastante atenção no que esta fazendo.---


Última edição por Takane em Sex 1 Nov - 20:48, editado 2 vez(es)

_______________________

O Mal menor para um Bem maior Untitled-2
Que se inicie o caos pois a rocha continuara firme!
Template
O Mal menor para um Bem maior 9cf60763dc0395bb6231cfada13244c8

Takane
Jōnin
Takane
Vilarejo Atual
O Mal menor para um Bem maior 9cf60763dc0395bb6231cfada13244c8

Re: O Mal menor para um Bem maior - Publicado Sex 1 Nov - 7:36

Takane e a respiração descontinua

A tarde simplesmente parecia n’ao ter fim, Takane sempre teve uma veia de curiosidade sobre o funcionamento do corpo humano, e em suas aulas particulares o professor nunca havia se aprofundado muito no tema, talvez por desdém ou falta de tempo ninguém dentro do hospital de konoha acreditava que aquela menina com sérios problemas psicológicos poderia se tornar uma Iryo nin de respeito.

-
--Conseguiu compreender um pouco sobre o aparelho digestivo? E meio complexo eu sei, mas da pra acreditar que muito do que e feito dentro do estomago e digerido por bactérias que auxiliam no nosso bem estar? ---- Disse Megumi estendendo uma mão para arrumar uma das franjas que lhe haviam caído sobre os olhos.

---Como assim? Bactérias não deixam as pessoas doentes? ---

--E verdade que boa parte do que conhecemos hoje e do que e espalhado na mídia e de que bactérias são seres malvados prontos para nos matar, mas isso não e bem verdade, existem centenas de tipo de bactérias e todas elas tem uma função benéfica ou maléfica ao organismo.---

Takane pos a mão no queixo, e então deixou que uma baforada de ar saísse dos seus pulmões, já não estava mais com tanta forme sabendo que boa parte do seu alimentos nem seria digerido por ela, mas sim por trabalhadoras terceirizadas.
Bom creio que deu pra entender um pouco sobre um dos órgãos mais interessantes do corpo humano.


---Sim... eu to impressionada com a quantidade de informações que existem sobre um único órgão do nosso corpo---

--Existe muito mais informação, extremamente complexa que por enquanto não iremos abordar.---

Megumi se aconchegou mais perto de sua namorada, no inicio não sabia ao certo o motivo de ter aceitado namorar com Takane, ela era ingênua, tinha dois anos de diferença e era apenas uma gennin, era completamente fora do biotipo da kunoichi que sempre aceitara homens mais velhos que ela e quase sempre com personalidade mais reservada, mas algo em Takane a atraia e chamava sua atenção, de inicio achou que era apenas curiosidade sobre o fato da menina ter sido vitima de experimentos, ela queria entender a dinâmica e o funcionamento por tras daquele experimento, no entanto, isso havia se provado uma completa inverdade, quando Takane foi atacada no templo e a sacerdotisa de la foi morta a menina se refugiou dentro de si mesma, como uma concha em um casulo deixando apenas Taika no controle do corpo, o que a deixou extremamente infeliz e solitária, desde então percebeu que talvez a curiosidade não fosse apenas isso, que o que ela sentia era de certa forma amor pela menina.

---Bom, aprendemos sobre como e o funcionamento desse órgão, agora iremos para os outros órgão dentre ele o pulmão.----


Última edição por Takane em Sex 1 Nov - 20:42, editado 3 vez(es)

_______________________

O Mal menor para um Bem maior Untitled-2
Que se inicie o caos pois a rocha continuara firme!
Template
O Mal menor para um Bem maior 9cf60763dc0395bb6231cfada13244c8

Takane
Jōnin
Takane
Vilarejo Atual
O Mal menor para um Bem maior 9cf60763dc0395bb6231cfada13244c8

Re: O Mal menor para um Bem maior - Publicado Sex 1 Nov - 13:08

A sacerdotisa e o Dia de descanso


Takane e Megumi já não.estavam mais deitadas na rede da casa,i estavam limpando a louça de casa enquanto takane aspiração o tapete da pequena sala, era hora da chunin ir para o próximo tópico.

--- o que você sabe sobre os pulmões, especificamente a dos humanos--- Perguntou Megumi.

---- Usamos eles pra respirar-+- respondeu prontamente.

--- sim ele serve principalmente para a troca de gases entre oxigênio e gás carbonico, essa troca e chamada de hematose pulmonar, elas são necessárias para que o corpo receba o oxigênio.--- a chunin olhou para a genin para ver se a mesma estava prestando atenção e ficou surpresa ao perceber que amenina estava estática com o motor do aspirador de po.

--++ parece bastante complexo.---

--- Sim e não, imagine o pulmão como uma grande sanfona, as células saibas paredes que absolvem esse oxigenio.---

Takane desligou o motor do aspirador, e deitou- se no sofá, aquela tarde era uma tarde para descansar e como ela havia sido pega naquele antro de organização e limpeza nem mesma ela sabia, Megumi era experiente na arte de forçar os outros a fazerem aquilo que ela queria, e Takane era facilmente manipulada por sua namorada.

---eu tô cansada.---suspirou a gennin.

--- vamos lá, vamos continuar com os estudos e principalmente com a limpeza.—Ela sorriu e se aproximou da genin que voltou a corar, trancou os dedos com os dela e a puxou com força do sofá. --- sem preguiça temos que continuar a estudar.

Ela tirou um equipamento de sua bolsa medica, ele possuía duas pontas com fones de ouvidos e um outro circular que ela colocou em seu próprio peito.

--- pra que serve isso?---
-
-- para ouvir os batimentos cardíacos e da respiracao, venha

--Aqui quero que escute meu pulmão,  e meu coracao. --

Takane então pos os dois fones de ouvidos e Megumi respirou fundo, a genin pode ouvir os pulmões se expandido.
-

-- pelas deusas dá pra ouvir.--- a genin riu.

--- agora mova o equipamento para cima quero que escute meu coração, Takane então moveu o equipamento mais ao centro e se surpreendeu ao ouvir o som rítmico do coração, ele estava acelerado e a respiração da chunin um pouco mais ofegante que o normal.

--+porque seu coração está assim, tá batendo muito forte.---

--- e porque não estaria, tô com a menina mais linda desse mundo ao meu lado, e você tem um cheiro gostoso e único.---Takane riu das palavras da chunin.

---- você parece um daqueles velhos tarados que vemos em filmes pornô.---

--- hum então você vê muito filme pornografico---

--+ não... Talvez um pouco---+

---- isso e maravilhoso pois o próximo tema será órgãos reprodutivos.----


Última edição por Takane em Sex 1 Nov - 20:40, editado 1 vez(es)

_______________________

O Mal menor para um Bem maior Untitled-2
Que se inicie o caos pois a rocha continuara firme!
Template
O Mal menor para um Bem maior 9cf60763dc0395bb6231cfada13244c8

Takane
Jōnin
Takane
Vilarejo Atual
O Mal menor para um Bem maior 9cf60763dc0395bb6231cfada13244c8

Re: O Mal menor para um Bem maior - Publicado Sex 1 Nov - 20:39

Pesadelos de uma noite escura.


Takane abriu os olhos, porem ,não conseguiu enxergar nada, as trevas cobriam toda a extensão do seu quarto, e o pavor lhe tomou a mente, das sombras
mais escuras mãos escurecidas surgiam do nada, agarrando-se as trevas ao redor, o pavor havia lhe dominado, a criatura de inicio se manteve atrelada com suas milhares de mãos as paredes do quarto, mas assim que sentiu a presença de sua vitima pos se a marchar.

---Isso não existe... não e real...—

---NÃO...E.REALLLL REALL NÃO REAL REAL NÃO EXISTE--- vociferou a criatura, suas palavras ecoavam na mente da garota.

A criatura prociferou palavras de suas mandíbulas sobressalentes em sua cabeça não haviam olhos exceto por dois buracos negros e ocos que apesar de estarem vazios pareciam fixos na Guang. Ela deu mais um passo, suas mãos se aproximaram ainda mais da gennin e agora a criatura parecia ainda maior transformando o quarto da menina em um lugar pequeno e claustrofobico.
Takane tentou gritar, mas a criatura parecia adivinhar seus pensamentos porque sua primeira ação foi entrelaçar seus dedos gélidos sobre a garganta da menina.


---Isso e um pes...adelo...eu... tenho que ...usar hikariton....---

Takane estava em completo desespero,  suas mãos não se moviam, não a obedeciam e seus lábios se quer conseguiam proferir palavras coerentes, seus olhos estavam vidrados na criatura que a assombrava.
O monstro deu mais uma baforada, sua boca se abriu mostrando infinitas fileiras de dentes que cobriam toda extensão da boca e da garganta.

---REAL... VOCÊ NÃO E REAL....--- Gruniu a criatura em palavras que pareciam vir direto do inferno.

O medo de Takane havia chegado ao seu limite, paralisada, sem poder gritar sentiu suas pernas se molharem com sua própria urina.

---TAKANE, TAKANE ACORDE TAKANE...---

As luzes se acenderam e Takane se jogou para o canto superior de sua cama, encolhida com os olhos cheios de lagrimas,  seu corpo tremia, e ela não conseguia se quer respirar direito, seu coração bombeava tanto sangue que sua cabeça estava zunindo devido ao aumento súbito da pressão arterial, na cama um rastro amarelho de urina acompanhava a garota.

---eu... eu... tinha ...um monstro... aqui... em pé--- A menina tentou dizer algumas palavras mas sua garganta se fechou.

---Se acalme, ta tudo bem... vamos respire comigo.---

Megumi então se aproximou da Guang, mediu seu pulso e sua temperatura, não havia sinais de febre, mas os batimentos cardíacos estavam rápidos de mais como se a gennin tivesse participado de uma maratona.

Ela olhou para a janela e fez um movimento rápido com suas mãos, havia feito uma barreira ao redor da casa para identificar qualquer intruso, mas a mesma não foi rompida, estava mas do que claro que havia sido um pesadelo, ou melhor um terror noturno que foi suficientemente forte para que uma kunoichi urinasse na cama.

---Eu... acho... que tive um pesadelo... ---Disse a Kunoichi mais calma. ---Tenho medo de escuro... nunca te contei isso, mas quando era criança quando não estava sendo usada como cobaia era posta em um quarto escuro... e vez ou outra usavam genjutsu para me aterrorizar...---

---Que tipo de monstro faria isso com uma criança--- Esbravejou Megumi assustada, não sabia daquele lado da vida da gennin do que haviam feito com ela, dos tipos de testes das quais ela passou.

---Hanako Kojima... ele queria saber se os efeitos de medo colaboravam na elaboração do tecnica de transferência de alma.----
Megumi então a abraçou, e um silencio comovente pousou sobre as duas, ela não conseguia compreender como alguém poderia fazer tanto mal a uma única pessoa, que Takane e provavelmente Taika eram pessoas completas por fora, mas quebradas por dentro.

---Vamos descer, vou preparar uma chá quente e algumas torradas.---

As duas desceram juntas, Takane foi ao banheiro se lavar e Taika preparar as torradas, após alguns minutos as duas já estavam sentadas no sofá, Takane ainda encolhida como um animal ferido, Megumi a abraçou novamente e entrelaçou seus dedos com os cabelos negros de sua namorada, acariciando-o gentilmente.

---- desculpa não te contei desse meu medo... ---

---Eu que tenho que pedir desculpas, apaguei as luzes a noite, não sabia que tinha estresse pos traumático com o escuro.---

--estresse do que?--- Perguntou a gennin.

--Já que esta acordada e tenho certeza de que não vai dormir tao cedo que tal falarmos um pouco sobre de onde vem seus pesadelos seus medos e sonhos.---

--Vamos falar sobre alma?--- Os olhos da gennin brilharam, seria o momento ideal para converter sua namorada pagã em sua religião.

---Errado, vamos falar sobre o cérebro---

Megumi levantou-se e foi ate a escrivaninha de onde puxou mais um livro de medicina que havia trazido da biblioteca, já havia um tempo que estava atrás de uma assistente e Takane possuía um bom controle de chakra o que a tornaria uma Iryou melhor que ela.

---A primeira coisa que precisa aprender e  que o cérebro e um tipo de órgão diferente dos demais, principalmente por sua necessidade constante de energia, um cérebro adulto consome cerca de vinte e cinco por cento da energia que e ingerida no corpo, e isso e muito a segunda coisa e que nosso cérebro e composto por varias partes cada uma dela administra uma parte do corpo, respiração olhos e tudo o que esta direcionado ao corpo, se alguém sofre algum tipo de memoria muito forte o cérebro grava aquela informação para se proteger de eventuais perigos.----

Megumi continuou a falar das áreas do cérebro formas de transmissão de energia e de como as sinapses trabalham, além de explicar alguns funcionamentos de ninjutsu elétricos que funcionam contra adversários já que o exterior pode ser melhorado mas o interior de um shinobi continua maleável.


_______________________

O Mal menor para um Bem maior Untitled-2
Que se inicie o caos pois a rocha continuara firme!
Template
O Mal menor para um Bem maior 9cf60763dc0395bb6231cfada13244c8

Takane
Jōnin
Takane
Vilarejo Atual
O Mal menor para um Bem maior 9cf60763dc0395bb6231cfada13244c8

Re: O Mal menor para um Bem maior - Publicado Sex 1 Nov - 23:50

O passado sombrio de Uzumaki Megumi



O corpo humano era incrível disso Takane já sabia a muito tempo, porem em cada nova área em cada novo detalhe que sua namorada ensinava para ela mais sua curiosidade aumentava, desde o começo de suas aulas havia aprendido sobre células coração transferência de energia e outras centenas de nomes difíceis de se pronunciar, mas que estavam fielmente gravados na mente da gennin, principalmente porque Megumi não abria espaços para que a atenção da gennin fosse para outros lugares se ela parecia desconcentrada a chunin a provocava fazendo perguntas do que ela havia acabado de ensinar e se ela não repetisse com exatidão tudo o que havia dito Megumi fazia algumas caretas, ou a seduzindo com algum tipo de salgado que a gennin gostava.

---Agora me diga para que serve a coluna vertebral e os ossos?--- Perguntou Megumi em um tom.

---Serve para deixar a gente em pé e não como geleias de brincar--- Disse a gennin com um sorriso no rosto e orgulho de dizer o que achava ser a resposta.

---Errado Baka— A chunin suspirou com certo desanimo, Takane era inteligente, poderia facilmente dominar ninjutsu que outras pessoas demorariam dias e havia boatos entre os gennin que ela havia conseguido criar seu próprio técnica, mas ao mesmo tempo ela era uma completa idiota e o pior acreditava na sua própria idiotice o que fazia com que a chunin não soubesse quando a mesma estava sendo ignorante sobre o assunto ou se estava caçoando. ---Primeiro vamos começar com a coluna vertebral, ela tem a característica de sustentação, mas não só isso, serve para que o corpo se comunique com o cérebro através de uma cadeia de nervos e neurônios, se algum shinobi sofre alguma pancada muito forte nessa região pode ate mesmo perder os movimentos do corpo, por isso a primeira coisa que gennin aprendem e como cair sem se machucar.

Takane riu se lembrando de quando tentou fugir do hospital através de um gigantesco carvalho em frente a sua ala medica, não deu certo, acabou caindo lá de cima e quebrando os dois braços e fraturando varias vertebras, ela na época estava cansada de médicos de experimentos de viver dentro de uma caverna cercada de aparelhos que mediam tudo desde sua respiração até seus impulsos nervosos.

--Do que está rindo?--- Indagou Megumi desconcertada.

---E que passei boa parte da minha vida dentro de um hospital, meio que passei a odiar médicos... --- ela pausou por um instante ao ouvir suas próprias palavras e viu o rosto de Megumi se contorcer em um sorriso amargo

--Quer dizer que você me odeia?--- Indagou.

--Claro que não... você sabe... a como posso explicar... os médicos que eu vi são sempre chatos---

--- “você quis dizer cusões, filhos de uma puta desgraçados que me impediam de conhecer o mundo”--- Complementou Taika em sua mente, Taika odiava mais médicos do que Takane, entendia a razão da existência deles, mas toda vez que via um jaleco branco.

--Sei que passou por muita coisa, mas quero te mostrar  o lado positivo nos tão “odiados jalecos brancos” ---

---Traduzindo você quer que eu vou no hospital com você---

--Adivinhou, vamos ao hospital quero te mostrar algo... pessoal...---

As duas caminharam em silencio pelo que parecia ser uma eternidade, era a primeira vez que via Megumi tão séria, ela não comentou uma palavra enquanto caminhava sobre a multidão de pessoas que havia nas ruas, até atravessarem por um beco e darem de cara com o enorme prédio esverdeado de onde vez ou outra saia homens e mulheres com jalecos brancos e alunos de medicina,  a medica mancava com certa dificuldade, quando anoitecia os estilhaços da explosão que a deixou manca faziam doer e como não havia conseguido pregar os olhos com Takane apavorada daquele jeito no outro dia a perna parecia simplesmente mais dolorida do que o de costume.

--Você está bem?--- Perguntou Takane preocupada com a chunin.

--Estou, e que minha perna decidiu doer, mas está tudo bem eu sobrevivo.---

--Quer se escorar em mim?---

A pergunta foi ingênua, mas Megumi havia se sentido um pouco ofendida, havia sobrevivido sem se escorar em ninguém, e não queria que sua namorada se tornasse uma muleta para sua própria deficiência.

---Não muito obrigada---

As duas adentraram pelos corredores brancos onde vez ou outra a chunin era parada por um medico diferente, Takane sentiu se enciumada pois muita das vezes eram outros chunin que não sabiam do relacionamento das duas e acabavam flertando com Megumi, sentiu raiva, mas preferiu ficar em silencio enquanto sua amante desviava de todos os flertes lançados a ela.

--Que bando de babacas--- vociferou.

---Está com ciúmes? Se quiser poderia ser minha assistente, poderia me vigiar --- Brincou Megumi.

---Não preciso te vigiar, você é ---Ela pausou por um instante e sentiu suas bochechas vermelhas. ---Você e uma loirona de olhos azuis e corpo de dar inveja... poderia escolher qualquer pessoa do mundo..., mas se está comigo e porque quer... nunca poderia competir com outros caras ou outras garotas...---

---Eu não me acho tão bonita assim, além disso está certa em partes, não existem outras Takane no mundo, logo só posso ficar com a única que existe.--- Brincou Megumi. --- Somos mulheres e no final não importa em que mundo estamos, sempre haverá homens que nos veem como objetos.---

---Se bem que você seria um baita de um objeto --- Brincou Takane enquanto caminhava pelos corredores.

As duas finalmente pararam em frente a uma das alas medicas de número quatro com um único paciente, uma menina de pouco mais de cinco anos, cabelos loiros e pele branca pálida, ela havia aprendido como era o funcionamento da maioria dos equipamentos apesar de ter vários fuinjutsus sobre toda a extensão do corpo da menina que Takane desconhecia completamente.

--Ela e minha irmã... eu meio que fui culpada por isso, já faz dois anos que ela está nesse estado---

--Como assim culpada? --- Perguntou Takane assustada.

---Nem sempre morei em konoha, na verdade vim de uma família distante do sul, meu sonho sempre foi ser uma ninja, e meus pais mesmo sem condições venderam tudo que tinham para vir para cá, realizar meu sonho, quando estávamos chegando em konoha nossa família caiu em uma emboscada de bandidos... meu pai.. coitado... morreu tentando nos proteger...--- As palavras da Kunoichi se enchiam de amargor --- Minha mãe morreu poucos dias devido a uma infecção causada pela lamina cega de um deles... e minha irmã tivemos um destino bem pior, fomos estupradas, usadas torturadas, não me lembro por quantas vezes... sei que depois disso o choque na mente da minha irmã foi tão forte que simplesmente ela não acordou mais.---

Os olhos de Takane se encheram de lagrimas e ela abraçou Megumi com força.

--Eu não sabia... --- gritou Megumi chorosamente --- Me desculpe... por dizer que odiava médicos...---

--Porque está chorando sua boba, isso já faz tempo.---

Takane se debruçou em lagrimas  segurando com forças os vestidos da Kunoichi, não sabia dizer ao certo, mas aquilo era doloroso, e ela se achando sofrida, mas se esquecia que haviam tantos outros que sofreram ate mais do que ela.


---Depois de dias e dias que pareciam eternos eu consegui achar uma saída... quando eles pensavam que eu já estava domada... eu os seduzi, deitei por vontade própria não conseguiria sair de lá se não fosse dessa forma, quando confiaram em mim para me deixarem andar pelos arredores colhi algumas plantas que sabia que causava sono e então coloquei na comida, adormeceram como gatinhos... ---Takane sentiu um arrepio em sua espinha na medida que o rosto de Megumi se contorcia em um sorriso tão maligno quanto o de sua irmã --- Cortei a garganta de cada um deles e sai de lá com minha irmã, fomos resgatadas por um grupo de médicos e desde então trabalho aqui para pagar esse alojamento...---

---Eu fui salva por médicos... e sei que o que fizeram com você e ruim, mas a ciência medica pode salvar tanto quanto matar, basta você desejar ajudar as pessoas e uma vida salva pode valer por mil no futuro.
Houve duas batidas rápidas na porta que quebrou o silencio fúnebre que pairava entre as duas.

Um homem entrou seu qualquer tipo de cerimonia, era um outro Iryou nin nele estava uma carta que ao ler o semblante de Megumi mudou completamente, de inicio surpresa, e então desconcertada por fim fechou o cenho.

--Quando começou isso?--- Perguntou em um tom de seriedade que Takane desconhecia.

---Faz três dias que nos recebemos a informação, mas a ordem foi expedida agora---

---O QUE DIABOS ELES ESTÃO PENSANDO... ISSO E MAIS GRAVE DO QUE PENSAM...—

--Sim nos sabemos por isso estamos te recrutando, você foi a melhor em virologia da sua sala de aula e precisamos do melhor, mas não podemos prometer grandes recompensas, parece que todos enlouqueceram e tivemos que nos virar com que temos.---

--Dinheiro... porra dinheiro e a única coisa que esse povo rico pensa...---

O homem desviou o olhar, Megumi estava furiosa e com razão, naquela carta estava um pedido de socorro feito por um dos moradores aos anciões uma peste estava se espalhando em um bairro pobre de Konoha e ninguém havia dado nenhum tipo de ajuda aquelas pessoas por não serem “financeiramente ativas”

--de qualquer forma... --- O homem se ajoelhou para Megumi --- Peço sua ajuda, e descrição, se uma noticia dessa se espalha por konoha o caos pode ser facilmente instaurado, nasci naquele bairro odiaria ver as pessoas de lá morrer.---

--Não se preocupe e claro que irei com você, ainda somos parceiros do time dois ---- A mulher se virou para a Guang --- Takane, preciso da sua ajuda... ---

--Iria com você mesmo que não quisesse.--- Sorriu a Gennin.

__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

Explicaçoes :


Última edição por Takane em Sab 2 Nov - 14:21, editado 1 vez(es)

_______________________

O Mal menor para um Bem maior Untitled-2
Que se inicie o caos pois a rocha continuara firme!
Template
O Mal menor para um Bem maior 9cf60763dc0395bb6231cfada13244c8

Takane
Jōnin
Takane
Vilarejo Atual
O Mal menor para um Bem maior 9cf60763dc0395bb6231cfada13244c8

Re: O Mal menor para um Bem maior - Publicado Sab 2 Nov - 4:35


Disfuncional mas efetivo




Takane nunca se imaginou naquela situação, ela estava em pé, ao lado da ninja medica Megumi, que por sua vez mantinha os dedos entrelaçados enquanto mordiscava a ponta da unha do anelar, nunca havia visto sua namorada tão seria e so então foi perceber, que ali naquele centro hospitalar Megumi era outra pessoa, centrada e de poucas palavras seus olhos se mantinham fixos sobre uma quantidade enorme de papeis e documentos, seus olhos azuis perpassavam as folhas com certa rapidez enquanto em alguns momentos específicos ela voltava e relia alguns outros relatórios.

--Desculpe Takane... te coloquei em algo e se quer tive tempo de explicar.—Murmurou a Chunin. ---Tenho algo a te pedir... vai parecer estranho mas quero que você me trate como se fosse sua tutora de medicina, e quando os outros médicos estiverem falando preste sempre bastante atenção, talvez não tenha muito tempo de te expli....---

A porta da sala de reuniões se escancarou com violência, fazendo com que o coração da gennin quase saísse pela boca.
Em pé de frente a porta havia um homem que Takane julgava ter dois metros e vinte de altura, tanto que precisou se abaixar para que a cabeça passasse sobre o umbral da porta, em media homens muito altos costumavam ser magros, mas não era o caso, ele era um homem musculoso ao extremo, e isso era visível mesmo que ele tentasse esconder atrás de roupas folgadas e tingidas de flores, era alguém que parecia ter sido tirado de um filme de ficção cientifica, em seu pescoço havia grossos e enormes colares de kotodama feitos de algum matéria que parecia ferro ou prata.

O gigante olhou ao redor, e fez um breve e desconcertante sorriso para Megumi.

--Então, você foi a primeira a chegar Megumi, que mancada minha---

Os olhos de Takane faiscaram de raiva e ela não pode deixar de esconder em seu semblante o que vinha na mente, ele estava claramente cacoando do defeito físico de sua namorada, mordiscou os lábios e fechou os punhos, mas não se moveu, não sabia se eles tinham algum grau de intimidade, mas tinha certeza de que ele era mais um babaca.

--Bom dia para você também Hideoki-san, creio que você seja o segundo a aparecer.--- As palavras de Megumi saiam frias e pouco convidativas, mas isso não intimidou o gigante de tentar provoca-la.

---Agora conseguiu a missão dos sonhos pronta para remexer o esqueleto e dançar um pouco.---

---Se você e grande de mais, provavelmente pisaria em meu pe---

Os dois riram, era evidente que ali a amizade não era mutua, na verdade parecia mais uma rixa antiga da qual Takane uma hora teria que tirar a duvida.

---Então quem e a menina do seu lado--- Perguntou o gigante, puxando uma cadeira para mais próximo dele e se sentando desconfortavelmente já que a mesma com certeza não havia sido projetada para um homem daquele tamanho.

--Takane Guang , ela quer ser medica então estou ensinando ela.---

--E bom ter um aprendiz, lembro me quando você veio até mim querendo aprender, ficou enchendo meu saco até que te ensinasse tudo que sei e depois desapareceu atrás de outro medico que ensinasse sobre outras áreas---

A voz do homem tinha certo rancor e agora Takane começou a compreender o que havia acontecido, possivelmente ele achou que tinha chances com a Uzumaki e não percebeu que estava sendo usado.

--Meu nome e Takane guang muito prazer em conhece-lo---

-- O prazer e meu... --- Disse o homem desconcertado com a apresentação da gennin.

Logo em seguida outros dois shinobis chegaram com certa pressa pela porta era visível que eles eram gêmeos já que não havia nenhuma diferença entre um e outro.

--Me desculpe pela demora, tive alguns imprevistos--- Disse os dois ao mesmo tempo.

---Tayan e Chin a quanto tempo... bom queria ter mais tempo para cortesias mas segundo esses relatórios as coisas estão bem fora de controle.

Os shinobis se sentaram e então Takane percebeu que aquele grupo apesar de ser pequeno era formado por pessoas que entendiam do assunto, eles tinham pouco tempo para agir, a doença era contagiosa por saliva e secreções, mas nada havia sido identificado no ar o que era uma boa noticia, já que um vírus transmitido no ar era bem mais complicado de se vencer, eles ficaram ali por cerca de sete horas enquanto Takane permanecia em pé recolhendo alguns papeis trazendo café quando era requisitada e principalmente aprendendo, suas pernas doiam e seus joelhos latejavam mas não queria perder nenhuma informação se quer.

Hideoki aparentava não ser so o mais velho mas também o que tinha maior conhecimento em campo ele foi o que fez medidas preventivas com mais rapidez, desviou rotas de acesso ao bairro e outras coisas menores que não levantassem suspeitas dos outros moradores dos bairros ao redor, o que eles queriam manter era o sigilo, se um vírus esta se espalhando, fazer com que as pessoas migrassem para outras áreas seria apenas aumentar o raio de transmissão.

Tayan e Chin estavam cuidando dos requerimentos de remédio e de alguns tipo de remédios que pudessem usar, infelizmente ninguém estava disposto a fornecer ajuda o que levantava certas suspeitas na mente da gennin, eles também ficaram encarregados de reunir informações que estavam na mesa.


Quando concluiram de reunir e discurtir as informaçoes Takane foi junto aos outros quatro carregar alguns medicamentos basicos como antibioticos e remedios para febre, as caixas eram extremamentes pesadas e todos estavam ocupados de mais para se preocupar com o bem estar de uma menina de doze anos, seja como fosse ela carregou os remedios em uma carroça e suspirou, o suor escorria do seu rosto e sentia como se seus braços pesassem uma tornelada.

Grande durabilidade:


Última edição por Takane em Dom 3 Nov - 0:54, editado 1 vez(es)
O Mal menor para um Bem maior 9cf60763dc0395bb6231cfada13244c8

Takane
Jōnin
Takane
Vilarejo Atual
O Mal menor para um Bem maior 9cf60763dc0395bb6231cfada13244c8

Re: O Mal menor para um Bem maior - Publicado Sab 2 Nov - 14:14

Ciumes, carroça e  remedios






Konoha estava ridicularmente quente para uma estação que tinha como tendência ser mais amenua, o suor escorria do seu rosto enquanto pegava as caixas de remédios e de outros itens de saúde, seus braços estavam doloridos, se sentia isolada em meio aquele grupo tão diferente, Hideoki era um homem que para os outros era calado e reservado mas sua atitude variava entre ser gentil com os outros membros e alfinetar os outros, os gêmeos por sua vez era de longe os mais esquisitos que Takane já havia visto, um complementava a frase do outro faziam os mesmos gestos e eram simplesmente indistinguíveis, exceto por Megumi que parecia reconhecer quem era quem naquele grupo estranho.

Takane não tinha tempo para conversar com a Uzumaki, ela estava sempre ocupada de mais revendo os produtos as roupas que seriam usadas e os equipamentos que apesar de serem poucos e bem rudimentares já que foram retirados do deposito do hospital.


--Eles vão funcionar? Isso parece ter cem anos de idade... ---

Indagou a menina enquanto pegava algumas das roupas de esterializadas e colocava no fundo da carroça.
Hideoki riu das palavras da gennin.

--Nos não temos a minima ideia, se quer sabemos direito o que estamos enfrentando... --- O gigante coçou o queixo ---E parece que ninguém esta disposto a ajudar os mais pobres mesmo que com risco de contagio.---

Takane achou a abertura necessária para perguntar qual era o relacionamento dele com Megumi, não queria ser intrusiva na vida pessoal das pessoas mas as vezes um pouco de ousadia era necessária.

---Como você conheceu Megumi San? –Takane fez uma pausa estratégica nas palavras, queria que a frase soasse o mais natural possível.

---Eu era o professor dela, mas decidimos que era melhor cada um seguir seu rumo--- O homem ficou em silencio, Takane pressentiu que havia tocado em uma ferida muito particular.

--“Aposto minha virgindade que ele a comeu soube que estava sendo usado e depois foi embora”

–“Cala boca Taika, você so pensa mal das pessoas ao seu redor...”—vociferou
[i] –“Voce e ingênua Takane, observe melhor o mundo ao seu redor, veja como aqueles irmãos gêmeos olham para Megumi, como se fossem cachorros no cio, na minha opinião, ela usou pegou o que queria e foi embora, e chamou os de volta assim que percebeu que essa missão era maior do que ela poderia enfrentar, estou começando a gostar da sua vadia”—[i]

Takane respirou fundo  sua irmã era uma merda como ser humano, mas as vezes seu defeito de desconfiar de tudo e de todos ajudava bastante.

--Takane-san, preciso conversar com você em particular--- Disse Megumi ao perceber que Hideoki e Takane estavam conversando.
As duas caminharam ate  uma distancia segura.


--O que foi? ---

---Eu não posso te obrigar a nada, mas se possível fique longe daquele homem, ele parece ser uma boa pessoa, mas... se descobrir que você e a menina do experimento de dupla alma vai saber o que ele pode fazer.---

A gennin franziu o cenho.

---Não e pra todo mundo que eu conto sobre minha vida particular, não se preocupe—

---Me desculpe por dar pouca atenção para você, mas e que minha profissão e tudo que tenho e se ficar sempre ao seu lado não poderei dar tudo de mim.

Takane entendia bem o que Megumi queria dizer, mas ao mesmo tempo as palavras a machucaram.

--Não se preocupe, estou aqui para aprender, se não quer contato comigo dentro do âmbito de trabalho eu entendo.—

As palavras da chunin não conseguiram alcançar a gennin que se virou e voltou a pegar as ferramentas medicas, estava com tanta raiva que mal percebeu quando pegou uma caixa extremamente pesada e pos na carroça finalizando assim a maioria dos produtos.


Grande Durabilidade:


Última edição por Takane em Sab 2 Nov - 20:48, editado 2 vez(es)

_______________________

O Mal menor para um Bem maior Untitled-2
Que se inicie o caos pois a rocha continuara firme!
Template
O Mal menor para um Bem maior 9cf60763dc0395bb6231cfada13244c8

Takane
Jōnin
Takane
Vilarejo Atual
O Mal menor para um Bem maior 9cf60763dc0395bb6231cfada13244c8

Re: O Mal menor para um Bem maior - Publicado Sab 2 Nov - 16:55

Utilidade publica a bateria Guang


Takane estava chateada com sua namorada, por que ela escondia coisas dela, sentia isso, mas o que era de tão terrível a ponto de não contar para a sua confidente? Ela não sabia e Taika perturbava a cada vez mais com teorias de conspiração envolvendo o fato das duas serem experimentos com o fato da kunoichi estar junto a ela, no fundo, talvez fosse verdade, mas isso não importava, Takane a amava apesar de estar magoada e não se importava se aquele era de fato uma verdade ou mentira.

A gennin sentia as mãos doerem, as caixas não não couberam dentro da carroça erma carregadas nas mãos e todas elas pareciam ter sido preenchidas com chumbo, a cada passo era um sacrifício suas costas formigavam o calor não dava trégua nem por um instante e para ajudar, nenhum dos outros médicos dava a mínima para o esforço da gennin, todos preocupados de mais com seus próprios pesos para carregar divididos igualmente para cada um, o que de certa forma era desigual já que o medico e brutamontes Hideoki com aqueles músculos carregaria sem problema nenhum todas aquelas caixas, mas ali, não havia menor ou maior de idade, mais fraco ou mais forte, apenas shinobis cumprindo uma missão, e ela era o burro de carga do grupo, a novata que não se encaixava.

--Takane-san, se quiser eu carrego um pouco.—Disse Megumi preocupada ao ver o esforço que a mesma fazia.

---Não se preocupe Megumi-sensei eu sou pau pra toda obra--- Resmungou a gennin.

Continuou a caminhar até que finalmente chegaram ao um beco escuro, adentraram sem cerimonia, e caminharam por cerca de cinquenta metros ate que chegaram a um conjunto de prédios pinchados, suas ruas estavam cheias de lixos espalhados, o cheiro de morte, vomito e exclementos cobriam o ar e o tornava quase irrespirável, as ruas estavam vazias, e o silencio dominava todo o lugar, exceto por sons de tosse e de gritos de dor que vez ou outra surgiam.

Takane sentia olhos por toda parte vigiando-os através das janelas e frestas.

---vamos nos vestir adequadamente, não podemos nos dar ao luxo de entrarmos em contato direto com os pacientes – Orientou Megumi enquanto pegava as roupas típicas dos Iryou nin cobrindo toda sua pele e pondo luvas nas mãos. ---Você também precisa Takane...--- ordenou a Kunoichi entregando para ela uma das roupas.

Após terminarem um dos gêmeos se virou para o grupo.


--tomem cuidado, aqui pode ser considerado um lugar a parte de Konoha... drogas, e tantas outras coisas que as pessoas de Konoha preferem ocultar também passam por aqui.--- O segundo gêmeo então concluiu ---Doentes com fome e desesperados... e a formula para que nossa ajuda possa servir de estopim para a fúria de pessoas.----

---Mas estão doentes... devemos ajuda-las --- Disse Takane.

---E vamos, mas e claro, nós iremos, você e só nossa bateria--- Sorriu um dos gêmeos.

---Bateria? Como assim?--- Indagou Takane.

---E simples todos esses equipamentos médicos precisam de energia elétrica, e sabemos que o clã guang tem uma afinidade muito boa com eletricidade--- Eles sorriram.

---Como sabem de tudo isso?--- Disse Takane assustada.

---Sabemos de tudo que nos interessa, e você e um artigo interessante de estudos...--- Completou o outro gêmeo.

Takane franziu o cenho, estava odiando aquela missão, aquelas pessoas, a si mesma.

   
Spoiler:

_______________________

O Mal menor para um Bem maior Untitled-2
Que se inicie o caos pois a rocha continuara firme!
Template
O Mal menor para um Bem maior 9cf60763dc0395bb6231cfada13244c8

Takane
Jōnin
Takane
Vilarejo Atual
O Mal menor para um Bem maior 9cf60763dc0395bb6231cfada13244c8

Re: O Mal menor para um Bem maior - Publicado Sab 2 Nov - 20:44

Tumulo a ceu aberto

Takane sabia muito bem que de inicio o ninjutsu não se chamava assim ele se chamava ninshu o chakra proveniente de hagoronomo foi distribuído para que as pessoas pudessem usa-lo para se tornar mais sabia ou ajudar as outras pessoas, a religião do próprio clã dela também advertia os Guang a procurarem o bom uso dos dons dados pela Deusa Maior, mas nunca nos seus pensamentos mais insanos a gennin se imaginou no lugar de uma bateria de caminhão, ela segurava dois fios que estavam ligados a equipamentos médicos ultrapassados o que não so a obrigava a ficar parada em pé, modulando seu chakra para os aparelhos mas também contendo-o para que ele não se excedesse, o grande problema estava em uma das pernas do fio, ao passar por todos aqueles equipamentos a energia elétrica proveniente dela parecia que mudava de polaridade e ela sentia a eletricidade percorrer seu braço e endurecer um lado de seu corpo.

--takane, você esta bem?---

Megumi se aproximou iria tocar em seu ombro quando foi repelida pelo campo elétrico em volta da mesma.

---Eu to bem, eu aguento.... --- Mentiu a menina.

De os gêmeos foram os primeiros a sair de porta em porta, esse necessário usando da força para abri-las, so para encontrar corpos em putrefação, em alguns casos havia crianças sozinhas, mas a pior parte era como a doença se espalhava, de inicio como uma pequena pinta ppreta que se espalhava com uma velocidade tremenda se tornando uma verruga negra que estourava e deixava a pele em decomposição, as pessoas estavam apodrecendo aos poucos.

---Isso parece ser um favilo vírus... --- Disse um dos gêmeos.

So então Takane percebeu que as veias ao redor dos olhos deles estavam sobressalentes e que a íris dos olhos deles estavam completamente brancas.

---Nunca vi nada parecido, as taxas de cortisol e adrenalina não param de subir.--- Completou o outro.

---Não me parece com o tipo de padrão de vírus e não vi nada assim nos livros que trouxe... – Megumi coçou o queixo preocupada com o que estava acontecendo ali.

---Vamos continuar retirando os corpos... talvez seja melhor dar inviabilidade nas casas ao redor e impedir que qualquer pessoa venha morar nessa área.---

Takane suspirou, os equipamentos estavam consumindo seu chakra mais rápido do que ela imaginava, mas era necessário se manter, haviam crianças ali, que teriam mais chances de sobreviver se o medidor de batimentos cardíacos continuasse a mostrar os dados.

---Como um vírus letal desse entra em konoha e so atinge essas pessoas em especifico, não importa da forma que eu vejo, isso e estranho.---

--Não sei, me parece muito pouco natural, e também, a fiação dos prédios e da própria rua foram roubados impedindo que a energia viesse até aqui, e como se todo esse lugar tivesse se tornado um tumulo.--- Ponderou a Uzumaki.

A noite se aproximava e com ela a escuridão, Takane não tinha medo dos mortos, ou dos vivos, mas sim daquela criatura que a assombrava na escuridão, as alucinações que ela tanto tentava manter distancia quando acendia as luzes de sua casa e a transformava em um verdadeiro templo da luz, mas ali, não era sua casa, ali era um tumulo de a ceu aberto de onde apenas alguns poucos se rastejavam para a vida, ela tremia e Megumi conseguiu perceber isso, puxou de uma de suas bolsas uma pequena lanterna de onde acendeu a a pos em um lugar que iluminasse ao redor da gennin.

---Obrigada... eu... não saberia o que fazer se tivesse que ficar no escuro.---

--Estou aqui pra te proteger Takane, bem os equipamentos de analise já fizeram seu trabalho pode parar de usar seu chakra, vou precisar de você essa noite para verificarmos o paciente 22---

--Ele tem um nome...--- Disse Takane enfurecida, ela se lembrou de quando era apenas um numero em uma papel na mão de um cientista maluco.

---Quando damos nomes aos pacientes, deixamos que nossas emoções tomem o rumo que deveria ser da razão, lembre-se estamos aqui para ajudar essas pessoas---

Ao total pouco mais de setenta pessoas ainda estavam vivas, muitas delas com a inflamação se espalhando pelo corpo, outras implorando pela morte enquanto seus órgãos internos ardiam em febre, seria mais uma noite exaustante onde a gennin seria induzida a altas doses de cafeína e de remoção das verrugas negras nos pacientes, tomando todo cuidado do mundo para não tocar em nenhuma delas.

Spoiler:

_______________________

O Mal menor para um Bem maior Untitled-2
Que se inicie o caos pois a rocha continuara firme!
Template
O Mal menor para um Bem maior 9cf60763dc0395bb6231cfada13244c8

Takane
Jōnin
Takane
Vilarejo Atual
O Mal menor para um Bem maior 9cf60763dc0395bb6231cfada13244c8

Re: O Mal menor para um Bem maior - Publicado Dom 3 Nov - 0:11

Entre o Dever e o instinto! A furia da sacerdotisa da luz

Terceira noite sem saber o que era pregar os olhos, cafeína e altas doses de energéticos faziam com que a mente da gennin trabalhasse a milhão, entre alguma das coisas trazidas do hospital estavam pastilhas e pílulas entregues a cada membro do grupo, essas pastilhas possuíam drogas pesadas que mantinham todos eles despertos, mas Takane era um caso especial, a droga fez apenas parte do efeito e também ela era a responsável por ligar os equipamentos elétricos quando eram necessários.

Ela olhou em volta, os gêmeos mantinham -se centrados em remover a praga, Megumi estava com olheiras profundas aos redores dos olhos, suas mãos tremiam enquanto ela usava um microscópio para poder avaliar a evolução da bactéria.

Na segunda noite, eles conseguiram estabilizar o vírus diminuindo a temperatura dos corpos das pessoas, e isso foi feito com a ajuda de Hideoki um homem versado em um clã que misturava agua e vento para criar gelo, uma técnica que ela mesma não sabia ser possível, e Megumi aplicou um genjutsu em cada um deles para que esses acreditassem que estavam em um lindo mar de flores, algo incrível porem na visão de Takane perturbador.

--Takane-san...--- Murmurou Megumi enquanto fazia um movimento com as mãos para que ela se aproximasse.—o que você ve?---

Takane pos os olhos próximos ao microscópio e ficou surpresa ao ver que as bactérias estavam se devorando.

---Por isso que e uma doença tão perigosa--- Ela suspirou --- A velocidade com que ela se espalha nos tecidos mais moles do corpo principalmente órgãos internos faz com que se torne muito difícil o tratamento---

---Mas elas melhoraram quando removemos aquelas verrugas... --- Disse Takane.

---Aqui era apenas a infecção cutânea o vírus provavelmente se espalha daquela forma, por dentro essas pessoas devem estar todas infeccionadas, principalmente a área do pulmão.---

---Então esta dizendo que elas vão morrer que não podemos fazer nada?---

Megumi negou com a cabeça.

--Existe uma maneira... perigosa, e  é apenas uma teoria... ---

---Mas tudo o que temos e a falta de esperança, qualquer coisa serve para salva-las. ---ponderou a gennin.

---na hora em que fui te tocar no ombro estava com uma plaqueta de vírus em uma das mãos, quando tomei o choque e fui ver a plaqueta o vírus estava desativado... não morto, mas perdeu uma boa parcela do seu material genético.---

--Isso e estranho, parece que foi projetado para ter uma chave de auto destruição.--- Indagou a gennin.

---E isso que pensei, um vírus normal não sofreria com esse tipo de coisa---

---Eu ainda preciso de mais testes, mais provas para fazer minha conclusão, mas tenho quase certeza de que esse vírus foi testado nesse lugar.---

Megumi foi se levantar, quando tropeçou e caiu desmaiada, quando Takane a segurou com um dos braços.

---- MEGUMI... HEI ACORDE... MEGUMI--- Takane gritava desesperada, até que os outros se aproximaram.

---Deixe a gente ver o que houve.--- Disse um dos gêmeos.

---Takane... por favor solte Megumi, se não, não  poderemos ajuda-la--- Disse Hideoki.

Takane então se afastou, seus olhos estavam cheios de lagrimas, de inicio todos achavam que era pelo cansaço, mas os fatos não colaboravam com isso, eles então decidiram remover suas roupas para ver se suas suspeitas estavam certas, foi então que Takane avançou em cima dos três, como uma gata em defesa de sua cria.

---EU IREI FAZER ISSO, NÃO TOQUEM NELA---- Esbravejou a pequena enquanto abraçava o corpo da chunin, era possível ver faíscas elétricas saltando pelos fios de cabelos e fazendo com que a descarga elétrica deixasse as pontas erguidas.

---Takane, eu sou o líder dessa operação no lugar de Megumi-san... e uma ordem, se afaste para que eu possa avaliar o caso.---

As faíscas agora saltavam por todos os lados, Takane sentiu aquela fisgada seguido de uma forte dor de cabeça, era sempre assim, quando desobedecia uma ordem seu cérebro parecia que iria explodir, mais um presente dado pelo cientista que havia transformado ela numa aberração.

--“Pretende brigar com três shinobis médicos? Pare de ser criança e entregue Megumi “--- Ordenou sua irmã

---Não, CALA A BOCA.... ---

Taika estava surpresa, sua irmã nunca havia gritado com ela, muito menos agido contra as ordens de alguém superior, e aquilo deveria ser resolvido rápido antes que aqueles shinobis perdessem a paciência com Takane.

----CHEGA DISSO, ESTA ACHANDO QUE QUEREMOS FAZER ALGO DE MAL COM ELA? SOMOS MEDICOS E NOSSO PROFISSIONALISMO ESTA EM PRIMEIRO LUGAR--- Gritou  Hideoki enquanto se aproximava, mas as ondas elétricas se amplificaram, os olhos marejados e com a mente perturbarda por uma dor de cabeça intensa, Takane continuava firme em sua posição.

---Esta bem, Takane-san... você pode avaliar sua professora...--- disse um dos gêmeos --- Se acha que da conta de descobrir algo ---Complementou o outro.

---Do que estão falando? Isso e insubordinação, vindo de uma gennin.--- Respondeu o gigante.

---E dai? Da pra ver na cara que essa menina não vai colaborar...--- O outro se voltou para shinobi ---Alem disso Hideoki essa área foi selada com um fuinjutsus para impedir que o vírus se espalhe mais ainda, em poucas palavras precisamos da eletricidade dela se quisermos achar uma forma de salvar essas pessoas--- Concluiu.

O gigante deu de ombros e saiu praguejando.

---Obrigada--- Disse Takane.

---Não precisa nos agradecer.... estamos apenas fazendo nosso papel --- Sorriu o outro misteriosamente.


Spoiler:
Spoiler:


_______________________

O Mal menor para um Bem maior Untitled-2
Que se inicie o caos pois a rocha continuara firme!
Template
O Mal menor para um Bem maior 9cf60763dc0395bb6231cfada13244c8

Takane
Jōnin
Takane
Vilarejo Atual
O Mal menor para um Bem maior 9cf60763dc0395bb6231cfada13244c8

Re: O Mal menor para um Bem maior - Publicado Dom 3 Nov - 4:13

A sacerdotisa e o Metodo Cientifico de observação


Takane estava desesperada, e sua primeira reação foi carregar Megumi até uma das casas que não foi atingida pela praga, era um simples quarto de cortiço, onde a mesma pos as luvas e a mascara de rosto, tinha que verificar com urgência se Megumi estava sofrendo ou não com o vírus e sua primeira reação foi retirar as roupas da Chunin e começar a pesquisar cada canto do corpo da mesma, de inicio procurou entre os dedos, se ela entrou em contato com o vírus os dedos eram os primeiros a estarem contaminados, mas ela não encontrou nada, não havia as famosas pintas pretas e então pos se a olhar minuciosamente para os braços, axilas ombros e peitoral, tinha que ter algo ali, mas não havia nada, nem nas pernas pescoço, nada e mesmo assim a febre continuava a aumentar.

--“Já olhou em tudo?”--  Indagou sua irmã

---Sim...sim, não encontrei nada... ---

--“não seja tola, sorte não existe, e ela tem todos as características de estar doente, olhe no cabelo”---

---Mas para olhar e verificar com certeza teria que corta-los---

--“Cabelo cresce de volta Takane, já vidas não”—Argumentou sua irmã.

Takane então puxou uma das tesouras de kit medico que havia recebido, as lagrimas desciam a cada corte nos enormes e cacheados cabelos loiros da Uzumaki até que Takane chegou ao couro cabeludo, e la estava as pintas negras com uma pequena porem visível verruga negra nascendo junto a um inchaço no topo do crânio.

---Já encontrei você seu desgraçado, e obrigada Taika... não acharia se não fosse com sua ajuda---

---“Fiz isso apenas porque não quero você me atormentando... agora vista sua puta com uma roupa de paciente e leve-a para fora”---

Aika era impaciente, sem piedade e principalmente fria, mas odiava mortes desnecessárias, principalmente de pessoas que sua irmã mostrava certo apreço, porque no fim Takane era que tinha o dom para saber se as pessoas eram boas ou mas já ela, como havia perdido a habilidade de confiar nos outros, não conseguia se ligar a ninguém nem emocionalmente nem fisicamente, era um simples espectro um fantasma que ainda persistia no mundo dos vivos.

Ela incinerou as roupas que Megumi havia trazido, deixar o mínimo de coisas contagiosas para traz, e dentre elas estavam as roupas que sua namorada tanto amava.

--Não se preocupe Megumi... eu vou... te ajudar você vai ver... prometo a você que estará recuperada e seus cabelos longos logo estaram nas escovas de pentear cabelo e no ralo do banheiro como você sempre deixa.---

As lagrimas molhavam o rosto da menina, ela por vezes sentia seu corpo pesado, e sua cabeça latejar, desobedecer ordens mais as pílulas para se manter acordado tinha seus malefícios e um deles era uma dor de cabeça tremenda e tontura.

Os outros se surpreenderam ao ver que Megumi estava com o cabelo raspado.

---O vírus pegou ela... ---Disse Takane. ---Encontrei claros sinais da doença.---

---Mas como ele se propagou? Estávamos todos usando luvas, mascaras e uma quantidade considerável de remédios para evitar contagio.--- Perguntou um dos gêmeos, já olhando em seu corpo para ver se não tinha as manchas.

---eu não sei, pode ser que os uzumakis sejam mais propícios a doença, pode ser que todos estejamos infectados e as pintas pretas sejam apenas quando já estamos em caso terminal--- Ponderou Takane.

---Seja como for... não podemos ficar aqui parados, vamos continuar com a pesquisa, se não acharmos um tratamento esse pode ser o nosso tumulo.--- o homem voltou seu olhar para Takane ---Eu tenho que pedir desculpas por minha atitude... não te contei nada, mas Megumi era minha aluna de medicina mais aplicada, não consegui pensar direito.---

--Eu que devo pedir desculpas... –disse Takane.---Mas não tenho tempo para isso, tenho que salvar a minha Megumi.---

Takane então se jogou em meio aos livros e anotações que Megumi havia deixado para tras, entendia muito pouco, no entanto, Megumi havia ensinado tudo o que ela sabia, e talvez a chave para salva-la estivesse dentro daquelas folhas ou em seu palácio mental.

As horas se passavam, Takane se entupia de mais remédios e cafeína para se manter desperta e com o cérebro em pleno funcionamento.

---Ginka e Kinka preciso que vocês me ajudem com algo.---

Takane então explicou que não tinha conhecimento tão abrangente em dissecar um cadáver, e nem tinha as ferramentas necessárias para isso, dessa forma, tinha que contar com o apoio dos dois shinobis com os olhos mais poderosos que ela tinha ciência o byakugan.

Após mais de três horas vendo os pacientes novos e os cadáveres eles chegaram com os pontos específicos de onde o vírus parecia se unir para se propagar.

---Eles estão fazendo o caminho do chakra... --- Disse Ginka ----- Sim isso e incrível, em todos esses anos de carreira nunca vi algo assim.---

Taika havia estudado sobre as técnicas do clã Hyuga em um antigo livro que havia encontrado na biblioteca e entre eles estava que eles podiam fechar os tenketsus ou abri-los se fosse verdade aquilo seria de grande ajuda para delimitar os pontos.

--Ginka, quero que você feche os tenketsus de Megumi e você Kinka sera meu guia para aplicar as agulhas nos pontos certos do mesmo.---

---Hei o que pretende fazer? Fechar os tenketsus dela nessa condição pode ser perigoso.--- Disse o líder do esquadrão.---Takane estou pedindo para que você pare.

---Sim eu sei disso, e entre fazer algo e não fazer nada, prefiro fazer algo. Essa bactéria segue o fluxo de chakra das pessoas, por isso causa a morte tão rápido, se fecharmos os mesmos podemos desorganizar o que esta a matando.---

A cabeça da menina parecia que ia explodir, estava desobedecendo outra ordem direta, mas não tinha tempo para obedece-lo, não queria que as ultimas palavras entre as duas fosse sobre um vírus desconhecido que algum filho da puta havia criado em laboratório.

--Você esta dando um palpite? Quer mesmo arriscar a vida dela por um maldito palpite, já disse pare com isso vamos analisar a situação, voltar ao básico, se der algo errado com Megumi você sera responsável.---

---Estou pronta para arcar com as consequências de meus atos--- respondeu a Gennin enquanto suas mãos eram guiadas pelo Hyuuga para injetar as agulhas nos pontos certos.

Ao fim das agulhas a mesma foi em direção a um dos equipamentos, arrancando com violência os fios elétricos e os amarrando na ponta das agulhas, ate então se sua teoria estivesse certa doses pequenas de eletricidade poderiam ser o suficiente para desarmar aquela bomba biológica e deixar com que os glóbulos brancos fizessem sua parte.

Spoiler:
Spoiler:
O Mal menor para um Bem maior 9cf60763dc0395bb6231cfada13244c8

Takane
Jōnin
Takane
Vilarejo Atual
O Mal menor para um Bem maior 9cf60763dc0395bb6231cfada13244c8

Re: O Mal menor para um Bem maior - Publicado Dom 3 Nov - 12:26

A Herdeira da vontade do fogo.


Takane continuava a gerar pequenas ondas elétricas de suas m’aos, que por fim serviam para serem injetados nas agulhas que estavam presas ao corpo de Megumi,aquilo de alguma forma estava ajudando, desativando as bactérias o que levava a suspeia de que realmente, n’ao era um vírus nascido na natureza, estava mais para um vírus forjado em laboratório.
Mordiscou o lábio esquerdo, lembrou se do ataque que ocorreu com ela no templo dos Guang, e se aquilo tivesse sido armado para ela? Se de alguma forma aquilo foi feito para que ela ficasse isolada com poucas pessoas em um local onde nenhum outro pelotão de konoha ousaria entrar.

---Não pense de mais... isso e impossível... --- Suas mãos tremiam de cansaço.

“Não tão impossível quanto queira imaginar”

A gennin se assustou ao ver na sua frente a sua própria imagem, vestida se short curto e roupa regata, so podia ser uma alucinação pelo cansaço, não havia outra explicação, ela olhou para os lados, já não havia mais ninguém e quando voltou a piscar o olho ela se encontrava em um local completamente branco, sem paisagens ou mesmo fim, mas em sua mão, ela continuava a segurar os fios elétricos que ,mantinham Megumi viva.

---O que raios esta acontecendo?---

--“Sua mente, nossa mente, esta em colapso... provavelmente pegamos a infecção, mas de forma muito mais fraca” --- Taika suspirou ---”Sente aqui Takane... vamos bater um  papinho de irmãs”

Antes que Takane pudesse perceber na sua frente surgiu um banco completamente feito de fótons de luz. Taika se jogou no mesmo e olhou para cima, estava estranhamente calma para alguém que estava com um vírus mortal no corpo.

--Que lugar e esse?—Indagou Takane.

---E a primeira vez que vem para aqui né? Esta surpresa, essa e a minha casa, nossa casa, nosso palácio mental... costuma chama-lo de limbo... podemos passar as nossas ultimas horas juntas, venha largue esse amontoado de fios que esta segurando.---

Takane sentia que algo estava errado, sua irmã não era calma daquele jeito não era uma pessoa que se entregava a morte sem lutar ate as ultimas gotas de esperança.

--Vai simplesmente desistir? Deve haver um jeito de ganharmos tempo.---

Takane era o pináculo da esperança se havia alguém que não desistiria sem lutar era ela, e porque sua irmã insistia em pedir que ela largasse aqueles fios, sabendo que aquilo estava salvando Megumi.

--“Bom se largar esses fios podemos nos concentrar no que e importante, na nossa sobrevivência, mas não podemos fazer isso enquanto estamos preocupados em ajudar sua vadia loira”—

---Como assim?----

---"Se soltar esses fios podemos usar um ninjutsu elétrico em nosso corpo, isso não vai nos matar mas vai ser o suficiente para eliminarmos a bactéria”---

---Esta dizendo que a vida dela, e menos valiosa que a nossa? Que eu devo jogar meus princípios meu amor, para viver uma vida miserável sozinha de novo?---

--"Estou mandando Takane se salve, nos salve da morte certa”---

Takane sentiu a nova fisgada na mente seguido de uma dor escrutinante, a mesma dor que sentia quando desobedecia uma ordem como era possível que Taika conseguisse criar o mesmo efeito , sua mente estava uma bagunça, mas mantinha firme os fios em sua mãos, aquilo era a unica coisa que fazia a permanecer humana de se livrar de uma vida solitaria que Taika insistia em ter.
Taika franziu o cenho e se levantou furiosa, as duas tão idênticas em aparência e tão diferentes em personalidade, uma reflexo da outra, distantes apenas por uma parede invisível.

--“ACORDE GAROTA, ESTAMOS NO INFERNO, ESSE MUNDO E UMA PRISÃO E NOS DUAS SOMOS SERES AMALDIÇOADOS QUE DEVERIA JÁ TER IDO PARA O OUTRO LADO” --- Taika esbravejava e vociferava palavras que Takane de certa forma entendia.

---Se estamos mesmo amaldiçoadas, se estamos no inferno... quero ficar nele um pouco mais... Taika, você nunca quis ver como esse mundo e grande? Como existe uma vastidão de pessoas que poderemos conhecer... a morte não e uma escolha...---

--“Você que decide... no final sempre foi assim, você esta no controle do corpo.--- ela sorriu--- Por quanto tempo seu sonho vai durar, até que seja despertada pelos seus próprios pesadelos.

Uma pequena rachadura se formou no chão, derrepente todo aquele lugar estava desmoronando, partículas feitas de luz que caiam em um buraco negro sem fim.

--O que esta acontecendo?---

--“Vou te dar a chance de voltar... bom preciso de uma soneca...---Taika então desapareceu em meio a vasta escuridão, e logo em seguida uma fonte de luz gigantesca surgiu no local. ---"Agora acorde”---

Takane abriu os olhos surpresa, estava de novo nos “mundo real.” Ela ainda mantinha os olhos fixos nos fios que ainda conduziam eletricidade, parecia estar dando certo, se rastejou até a maca de Megumi e pos as mãos em sua cabeça a febre estava passando, aquele tipo de coisa estava dando certo, mas havia outras pessoas.

Para sua surpresa, ao olhar para os lados todos os outros membros estavam caídos no chão, suando frio e delirando, o vírus os havia atingido e agora a situação era desesperadora.

Spoiler:
O Mal menor para um Bem maior 9cf60763dc0395bb6231cfada13244c8

Takane
Jōnin
Takane
Vilarejo Atual
O Mal menor para um Bem maior 9cf60763dc0395bb6231cfada13244c8

Re: O Mal menor para um Bem maior - Publicado Dom 3 Nov - 19:36

No limiar da vida


Takane sentia o verdadeiro desespero, o suor escorria de sua testa, a sua traqueia estava simplesmente fechada fazendo com que o próprio ar tivesse dificuldade em percorrer seu caminho natural até os pulmões, ela sentia seu estomago revirar e uma das pernas ficar paralisadas, mas o que a deixava mais aterrorizada era a escuridão a sua volta, se onde ela só conseguia fugir com a pequena lanterna que Megumi havia lhe dado, era ali onde os pavores da noite estavam escondidos, prontos para destruir o pouco de vida que ela possuía.

---Esperem, vou ajuda-los---

Ela puxou mais alguns fios dos aparelhos médicos, e começou aplicar as senbons nos corpos dos amigos que estavam caídos, sem o byakugan dos gêmeos para auxiliar a única coisa que podia fazer era aplicar o seu conhecimento de anatomia para aplicar nos pontos próximos as veias de chakra.

---Vou salvar vocês.---

Takane se concentrou e respirou fundo, sua vida lhe passava em flashes na cabeça, lembrou-se do que Megumi havia contado que o cérebro ao estar se desligando fazia isso por partes, e por isso algumas pessoas tinham a impressão de estar vendo a vida passar diante dos próprios olhos.
A dor excruciante percorria seu corpo, os pontos que percorriam seu chakra pareciam simplesmente em chamas, enquanto suas mãos tremiam com violência, mas não deixou com que os fios que ela segurava escapassem, se caíssem no chão ela com aquela visão turva não conseguiria encontra-los.
Suspirou dessa vez lançando uma corrente elétrica nos fios e sentindo parte delas voltarem para a gennin em uma das pontas, um diferencial elétrico que causava ainda mais dor para o corpo frágil da mesma.


Takane já estava no seu limite, os equipamentos que ainda funcionavam diziam que os batimentos e respiração de Megumi haviam tido uma boa melhora, até que ela escutou um sibilar no ouvido, uma voz que ela conhecia bem.


---Isso e uma coisa interessante... usar correntes elétricas alternadas nos pontos de chakra para manter o vírus sobre controle, se manteasse assim provavelmente a quantidade de vírus no corpo seria exterminada em questão de duas a três horas----

A gennin sentia um frio no coração, todos os seus sentidos voltaram a ficar alerta, se virou com dificuldade e no meio daquela escuridão, um jaleco branco emergiu.

---E você.... mas como... ---

---Cobaia numero quarenta e quatro, e quarenta e três, arriscando a vida que eu dei para vocês em shinobis? Isso e incrível---

O homem era o mesmo que Megumi havia encontrado no hospital, que havia pedido para que ela aceitasse a missão, mas sua voz estava diferente.
Takane se levantou sentindo a dor excruciante em seu corpo caminhou até Megumi, e fez os selos de mão.


---Técnica do Clã Guang, Nikko no jutsu---

Os fótons de luz se projetaram como uma redoma de vidro.


---Cobaia quarenta e quatro, que incrível isso e uma técnica do clã Guang? Como ela e feita... pelo jeito a fótons de luz se formando na forma de uma esfera para proteger o que está dentro de ataques esternos.--- O homem sorria, parte do rosto dele se desmanchava mostrando que por trás daquela pele morta tinha um segundo rosto escondido.

---E você mesmo... Hideki Kojima?---

---Oras está me chamando pelo meu nome, o que ocorreu com as palavras de afeto, quando me chamada de papai---

---Você não é meu pai, e um monstro que me transformou em um monstro---

O homem sorriu com as afirmações da gennin, ele se aproximou da cúpula e apenas com uma mão quebrou a barreira que protegia Takane.

---Já aprendi como essa técnica funciona, ela e muito forte, mas tem duração curta, vamos lá cobaia quarenta e quatro, não é possível que um simples vírus possa te quebrar dessa maneira, você e melhor do que isso.---

O homem deu mais um passo em direção a Takane que estava completamente exausta para criar qualquer técnica de defesa, além disso, Taika que era sua alma gêmea simplesmente não respondia a sua voz.

---PORQUE ESTÁ FAZENDO ISSO, PORQUE NÃO ME DEIXA SER LIVRE, DESGRAÇADO, VOCÊ MATOU A MINHA MÃE TRANSFORMOU EU E MINHA IRMÃ NESSA COISA E AGORA VAI MATAR A MULHER QUE EU AMO---

O homem parecia surpreso até que um sorriso de escarnio se formou entre os lábios mortos, seguido de gargalhadas que ecoavam por todos prédios ao redor e se misturavam a escuridão do firmamento.

---Te tirei tudo? Esta louca cobaia quarenta e quatro, tudo que você é hoje, seus sonhos suas ilusões, seu desespero, suas alegrias, tudo isso veio de mim, você achou que havia fugido do experimento quanto Konoha inteira faz parte de tudo isso---

Takane não entendia o que as palavras daquele homem significavam, sua mente estava em um turbilhão de desespero, suas mãos tremiam, seu corpo não a obedecia, aquele homem na sua frente tomava qualquer tipo de auto controle que a gennin possuía do seu próprio corpo.

--- O que está dizendo--- Indagou Takane.

---Isso não importa, você aqui foi apenas um bônus extra, minha missão era eliminar os bairros  pobres dessa área e acho que isso foi concluído com sucesso---

---Então o vírus, foi projetado por você... porque?---

O homem sorriu e deu mais um passo  na direção da gennin, dessa vez seus olhos felinos se moveram na direção da Kunoichi que estava deitada.

---Loira?? Uma Uzumaki de cabelos loiros e não ruivos, isso sim e uma surpresa ---Desconversou.

---Tire seus olhos dela seu desgraçado.--- Arfou a gennin caindo de joelhos e sentindo um formigamento no peito.

---E verdade você queria saber o motivo de ter feito tudo isso... bom apenas negócios, já percebeu que ninguém da alta classe se mobilizou? Essa área vai dar espaço a um incrível shopping e a única coisa que impedia disso ocorrer eram esses humanos.---

---Está dizendo que tudo isso... todas essas mortes foram para derrubar essas casas?---

---Você ficou mais inteligente do que eu imaginava numero quarenta e quatro, onde esta sua irmã? Queria conversar com ela.---

Takane fez os selos de mão para lançar outro ninjutsu, mas não tinha forças para aplicar uma técnica, o que saiu foi apenas um relampejo de luz que atingiu o homem, mas não surtiu nenhum efeito.

---Desgraçado vou te matar...----

---Numero quarenta e quatro, você não tem a força necessária nem psicológica nem física, o vírus deve estar me faze terminal no seu organismo, por isso vim aqui, para te salvar--- Murmurou o mesmo enquanto retirava do seu jaleco uma seringa com um conteúdo verde musgo

Takane não conseguia entender as palavras do cientista.


---Me salvar? O que tem dentro dessa seringa?--- Indagou a mesma enquanto pegava o mesmo na mão.

O homem suspirou desapontado.

---Anticorpos universais, como disse minha missão era limpar essa área desses excrementos humanos, você foi apenas um bônus---

Takane não tinha tempo para duvidar das palavras daquele homem, sabia muito bem que o seu “pai” não era um homem de mentir, ele acima de tudo nos longos anos que passou com Takane sempre impôs que ela dissesse a verdade. Ela correu e injetou a seringa no braço de Megumi.

---Você ao menos vai sobreviver.... me desculpe por não ter tido mais tempo... ao seu lado... me perdoe....---

A gennin perdeu a consciência se debruçando sobre o corpo da Uzumaki.

Ela sentia todo seu corpo dolorido e suas pálpebras não se mexiam mesmo que ela desejasse que isso ocorresse, havia luz por todos os lados, vozes, algumas conhecidas, outras completamente desconhecidas, passos ao seu redor e um constante e gentil calor na mão esquerda.

---Takane acorde... vamos... acorde, por favor não quero te perder.---

  A voz ressoava distante, um chamado que ela não conseguia responder.

De repente se sentiu naquele mesmo lugar que havia se encontrado com sua irmã, um local coberto por um branco e por luzes infinitas.

---o que está acontecendo?—Perguntou Takane.


---Estamos no limite...já estivemos aqui uma vez, lembra-se quando éramos crianças... foi num passado distante, ou num presente, não sei dizer ao certo---

A voz distante ressoava em sua cabeça, e aos poucos uma imagem escura tomou forma de um rosto, mãos, ossos de um corpo nu, era o seu corpo e ao mesmo tempo não era.

--Taika e você?---

---Sim achei que ia ficar dormindo para sempre... se bem que ate o sempre e relativo aqui nesse lugar...---

---Estamos mortas?---

---Depende...  se esta cansada de tudo isso, desse inferno então estamos mortas, mas se quiser podemos continuar existindo... estamos no limite... podemos tanto seguir a luz no fim do túnel, quanto podemos voltar para a realidade, você e a dona do corpo, você escolhe.--- Disse Taika enigmaticamente.

---então já sabe a minha escolha, quero pedir desculpas para Megumi... quero fazer amigos... quero continuar viva...---Takane sentiu seus olhos arderem, e suas pálpebras se abrirem com dificuldade, seu corpo estava simplesmente imóvel, enfaixado com gases e ervas, além de várias agulhas em seu corpo, tentou mover a cabeça, mas os seus músculos não obedeceram ao seu comando.---Onde estou?---

Sua voz saiu como um grunhido baixo, a Chunin abriu os olhos chorosos.

---Takane... achei que ia te perder... não me deixe preocupada desse jeito----

Megumi chorava enquanto segurava as mãos da gennin.

---O que aconteceu?---


---Você não se lembra? Você usou seu raiton para manter o vírus sobre controle... e deu certo...---

---Onde este aquele cientista maluco... ---

---Cientista? Não havia ninguém lá, a não ser os membros do esquadrão... talvez você estivesse alucinando...---

---Eu.... será que tudo aquilo não era real?---

Takane então permaneceu no hospital por cerca de três semanas, o até terem certeza de que o vírus não estava no corpo dela, exames de sangue preliminares haviam dado que os anticorpos de Takane haviam enfrentado a infecção, os outros membros quando recuperados foram ver a Gennin elogiando-a pelo método que havia aplicado neles, foi isso que fez com que a equipe medica de auxilio conseguisse encontrar e os resgata-los, infelizmente as outras setenta pessoas que estavam lá morreram pela doença, já que não receberam o tratamento que Takane havia aplicado neles.


Em um outro ponto distante, dois shinobis olhavam a distancia a gennin, que recebia alta, um deles era Kojima, que mantinha seu típico sorriso no rosto.
O outro era o Senju que quase havia lutado contra a gennin na luta dos espinhos no templo dos Guang.

---Vai deixa-la viva? Ela pode acabar lembrando-se do que ocorreu e isso iria expor nossos clientes---

Kojima sorriu, sua técnica de apagar memorias havia funcionado na gennin e ela não teria chances de se lembrar do pequeno encontro.

---Está tudo bem, a cobaia numero quarenta e quatro não se lembra de nada—

---Mas e se...---

Kojima olhou furioso para o Senju, seus olhos frios dominaram e instintos assassinos dominaram por completo o shinobi que ficou paralisado de medo.

---Nem mas... minha pobre cobaia número doze, eu já disse ela não vai se lembrar de nada, além disso, não tinha a intenção de que ela fosse fazer aquilo, se sacrificar por alguém, uma surpresa que devo anotar para o futuro dos experimentos.---

Os dois então desapareceram com a mesma velocidade com que haviam aparecido.

Spoiler:

Spoiler:
O Mal menor para um Bem maior 789e0fc5dd4eb4bd8dab8250ccf4dcaf

Zeitgeist
Zeitgeist
Vilarejo Atual
O Mal menor para um Bem maior 789e0fc5dd4eb4bd8dab8250ccf4dcaf

Re: O Mal menor para um Bem maior - Publicado Dom 3 Nov - 21:13

@ Takane - Vou te dar alguns avisos que futuramente podem compremeter o seu solo e até mesmo a sua ficha por inteiro. Um erro pequeno, foi o nome do tópico, é necessário especificar que é um capitulo e uma solo, no caso o certo seria [Capitulo - Solo] Nome do Tópico. Um erro pequeno, mas que pode criar muitos problemas; confia em mim, já passei por isso. Agora alguns erros bem graves. Editar post não é permitido, mesmo em caso de RP's, você editou mais de um post, mais de uma vez; eu poderia dar uma punição, baseado na regra, tranquilamente de que seu personagem está morto e até mesmo desqualificar sua rp simplesmente por isso. Outra coisa que você errou durante toda a solo, foi a falta de status, ou seja, chakra, rp e stamina. Isso também desclassificaria sua solo como valida e provavelmente tornaria invalidado tudo que você treinou aqui. Sem contar que, novamente, eu poderia lhe dar uma punição mais severa por isso. Entretanto, levando em conta que você é novo no fórum, não darei nenhuma punição a você, deixando a mercê do meu cargo como narrador a minha parcialidade quanto ao erro de uma pessoa que começou a jogar a pouco tempo e ainda não está totalmente acostumada com determinados estilos de plott, mesmo que já tenha acostumado com alguns outros. Eu mesmo que jogo a muito tempo, cometo erros, então deixarei passar dessa vez, mas estou fazendo isso por julgamento próprio; não é algo obrigatório de ser feito. Qualquer narrador poderia dar as punições que citei acima. Aprovarei a solo, mas deixo explicito que caso ocorra de novo, não terá tal abertura. Não precisa responder nesse tópico, se quiser falar comigo me procure no discord ou mp; pra evitarmos floods.

@

_______________________

Conteúdo patrocinado
Vilarejo Atual

Re: O Mal menor para um Bem maior - Publicado