>
Naruto RPGAkatsukiNão é o único, mas simplesmente o melhor!
Arco 11:
Reino de Lilith: PesadeloAno: 70DG
Hanatarō olha para a vila do topo do prédio do Departamento de Pesquisa. Há dois anos era uma salinha no fim do laboratório geral da vila, agora tinha seu próprio prédio tão alto quanto o próprio escritório do Kazekage. Hanatarō sorri vendo as pessoas andando felizes na nova vila construída graças aos avanços científicos realizados com a inteligência de Takura, sua mentora. Antes, ele só via uma vila pobre, com construções de areia frágeis, com um horizonte desértico, dependendo de outras vilas, inclusive de Konoha, para conseguir sobreviver, mas agora... Sunagakure estava grandiosa novamente e tinha comprado sua independência. As construções ainda tinham porções de areia, mas eram forjadas em metais nobres, em ouro, em prata, criando grandes casas e prédios. As lojas estavam cheias de especiarias únicas, pois o trabalho de encontrar certos ingredientes se tornou muito mais prático desde que a vegetação voltou a florescer nos arredores da vila; onde antes era só deserto agora possuía vielas de relva, florestas, rios e uma fauna cheia de roedores, mamíferos e carnívoros.
Sumário
Mapa
Staff
Discord
Facebook
Contos
Estação: Inverno
Últimos assuntos

Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

[Capítulo // Solo] Terras Amaldiçoadas - em 29/10/2019, 13:02


Tanjirou Kamado
水の達人

Plot: Movido por Urokodaki, Tanjiro é guiado até Nakedo, uma pequena vila de curandeiros no devastado País das Águas. O mestre diz ter encontrado uma possível solução para o Juinka de Nezuko e encaminha os irmãos pelos mares até lá. Um local movido pela pesca e assolado por forças que se veem aproveitando de um local desprovido de segurança e de uma população abatida pelo descaso, encontram Yori(Kanchi), kunoichi anciã e ritualística do local que negocia uma proteção temporária do local em troca dos serviços prestados à Tanjiro.

Um homem com uma máscara de oni narigudo andava pelas bandas de Konoha. O mais incrível é que, de algum modo, ninguém parecia notar que apesar de usar roupa que demonstrava seu kimono esverdeado exuberante, ele então tinha uma máscara cobrindo a face no lugar da liberdade facial de uma pessoa normal, isto, por algum motivo não assustava ninguém que passasse ao seu lado, e nem mesmo as que olhavam para ele não se assustavam. Talvez pelo fato de acharem que ele estivesse usando alguma combinação de Ninjutsu Kombi Henge, que deixava a sua aparência assim. Ele parecia bastante apressado por ora dado circunstâncias.

Ele se movia como um vulto através do mar de pessoas, serpenteando entre elas até que resolveu dar um salto e rodopiar no ar, caindo em direção a um edifício alto e bater os pés ali, de modo a erguer uma das mãos acima dos olhos azuis. — Que cara complicado de achar... — Mumurrou ele, movendo seu nariz de cabeça de porco enquanto rodopiava os olhos novamente. — É um garoto que tem uma cicatriz na testa né não? É sim, Tanjiro seu afobado, onde está você. — Questionou a si mesmo, estreitando os olhos. Até que os arregalou os mesmos, saltando no ar. Após alguns saltos em frente, parou, apontando o indicador para o garoto. — Vocêêê! — Clamou. — Precisamos ir para sua irmã... Mas antes tem algo que preciso te ensinar, você tá atrasado eu tive que te procurar, Tanjiro! — Ralhou.

O aprendizado das cobras trazia ao jovem um grande encorajamento, o que deixava ele mais empolgado e destemido para encontrar a cura para sua irmã. Porém, nem tudo era de seu próprio mérito. Urokodaki era seu mestre, e mais que isso. Ele cuidou de Tanjirou e Nezuko assim que o incidente acotneceu com sua família. Então, a relação entre eles é muito mais de pai e filho do que mestre e aluno. Esse relação era tão forte, que Urokodaki de forma desesperada e afoita, buscava por Tanjirou no meio da Vila da Folha, como se o garoto estivesse prestes a morrer.

Ei velho, você está ficando caduca a cada dia que passa. Que pressa é essa? — Perguntava ao sensei, enquanto ajeitava a Samehada que tombava um pouco para sua direita, devido o susto que tomara. Quando Urokodaki mencionava Nezuko na história, quase que no mesmo instante a expressão de Tanjirou mudava, fazendo ele ficar muito mais sério e fechado. — Nezuko? O que mais tem pra me ensinar? Sabe, as vezes tenho vergonha e orgulho de ser seu aluno, tudo ao mesmo tempo... Vamos. — Fazia uma breve brincadeira, e assim, seguia rumo a casa do velho, ou seja lá para onde ele fosse o levar.


Considerações:
- Aparência: A aparência atual é exatamente essa: link, com Samehada na transversal, igual o Kisame usava.
- Adendos: Nada.
- Solo: Jiongu (05 posts) + Kanchi (05 posts) + Corpo Jugo.
- Post: 446 palavras, 01/10
- Redutores: 02x Redutores de Quest e 01x Redutor de Tempo de Solo.
- Vício: 00/03.
Itens:

[Capítulo // Solo] Terras Amaldiçoadas 761653730
Samehada (鲛肌) [500/500]
Rank: S
Descrição: Samehada (鲛肌; Literalmente significa "Pele de Tubarão") é uma grande espada senciente, comparável em tamanho ao Kubikiribōchō. Ela é descrita como "a mais terrível de todas as sete espadas da névoa" e até ganhou o título de "Grande Espada" (大刀, Daitō), acrescentando ainda mais fama em sua reputação temível.
Bolsa Ninja:
[10] Shuriken (20)
[10] Kunai (20)
Usados:

HP: 3900 • 3900 | CH: 3900 • 3900 | ST: 00 • 06
-


Layout com edições de Halloween feito por @Akeido Themes e Senko.