>
Naruto RPGAkatsukiNão é o único, simplesmente o melhor!
Arco 11:
Reino de Lilith: PesadeloAno: 71DG
Após uma dura jornada, Shaka finalmente caiu e teve a maldição retirada de seu coração. No entanto, os problemas trazidos pela família Hattori não se extinguiram. Shion revelou ter ajudado a libertar Lilith, uma monarca da dimensão infernal, que agora está possuindo o corpo de Hyuga Katsura e libertando uma horda de seres infernais contra este mundo. O mundo corre risco de ser consumido pela maldade dessa criatura, mas não se o plano de Shion der certo: forçar Lilith a causar um evento chamado de O Grande Eclipse, onde as portas de todos os mundos e dimensões ficarão abertas, e assim permitir a ele ir ao submundo resgatar sua amada Katsura Grey para finalmente selar Lilith.
Sumário
Mapa
Staff
Discord
Facebook
Contos
Estação: Inverno
Últimos assuntos

Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

[Filler - Troca de Clã] - O Paradoxo da Memória - 26/8/2019, 09:36


O Paradoxo da Memória

O peso do mundo nas costas de uma criança é um sentimento completamente inapropriado, nem mesmo adultos deveriam se sentir assim, mas infelizmente a realidade não pode ser desviada a partir do momento em que decidimos nos tornar shinobis. Não podemos evitar certas coisas, mas nossas escolhas a partir do momento em que a nossa consciência é moldada está sobre nossa responsabilidade, sejam essas escolhas mentais ou físicas. Contudo, cabe a todos os shinobis desenvolver suas próprias características nesse mundo tão cruel, indiferente e com falsos heróis com seus mantos e chapeis enfeitados. A sensação de estar completamente afundado em um mundo escuro começava a me corromper cada vez mais, como um tsunami escuro que inundava meu apartamento e corria cada pedaço do meu corpo, derretendo minha pele e desfazendo minha mente até afundar e sumir na imensidão daquelas aguas escuras. Afundado, jogado como comida para os seres que habitavam as águas, me senti inerte em outra dimensão, interrupto até o momento do choque, onde cada vivencia, memoria e conhecimento pareciam parte de algo maior, tudo havia dado certo demais para me permitir chegar onde cheguei com tanta facilidade, cada mudança parecia fácil demais para acontecer em tão pouco tempo e não havia nada no mundo que me provasse que eu estava realmente sendo merecedor de tudo aquilo, muito menos de que o que eu estava vivendo era real.

Na altura do campeonato, já não sabia ao certo se o que vivi durante minha história de fato aconteceu, se as vidas perdidas e tiradas por mim mesmo de fato haviam sumido, se de fato minha família verdadeira estava na linhagem dos guerreiros Kaguya, tão conhecidos por suas incríveis habilidades de manipulas os ossos, por sua incrível habilidade de serem poderosos guerreiros. As lembranças que possuía de uma bela mulher me ensinando, treinando para ser gentil e me livrando de um destino fatal, entregando toda sua vida para me proteger e mesmo assim permitindo que eu me corrompesse com o passar dos tempos, transformando o meu ser em alguém frio e cruel, o oposto do que fui ensinado, levando as lembranças de minha mãe para o caixão, existindo apenas a natureza guerreira em mim. Naquela imensa área escura pude enxergar cada momento da minha vida, desde os primeiros dias com minha mãe até o último dia antes deste acontecimento, onde a pouco havia conhecido uma figura interessante com incríveis habilidades de manipular a sombra ao seu redor, me dando grande dificuldade para atacá-lo. Contudo de que serviria a experiência adquirida se não fizesse parte da realidade? Isso está piorando cada vez mais e a cada segundo me encontro ainda mais distante da aclamada sanidade mental.

No início, meus primeiros treinos na dominação da arte dos Kaguya não mostravam nenhuma aptidão para o ninjutsu, mostrando claramente para minha mãe que meu domínio nas artes marciais era superior a muitos shinobis treinados e graduados, mesmo ainda criança. A herança do clã era fortíssima em mim, como nenhum outro e o instinto assassino adormecia em baixo de camadas e mais camadas de amor, carinho e esperança. Mas como tudo na vida, as limitações chegaram para tirar de mim a única importância nessa vida, o único motivo que me fez continuar e me fez treinar para ser o melhor, que me levou a níveis inimagináveis e me proporcionou uma bagagem de conhecimentos inesquecíveis. Tudo seria perdido se fosse uma mera ilusão, não poderia distinguir a verdade da mentira e tão pouco a vida da morte. Abri meus olhos e a paisagem agora era a floreta da Aldeia da Folha, enfeitada com inúmeras flores e uma cabana de madeira iluminada ao centro, inteira, antes de ser devastada pela explosão que viria a seguir. Eu parecia estar observando um fato histórico de outra perspectiva, podendo olhar a explosão e todos os acontecimentos de longe, contudo, aquilo não estava mais mexendo comigo, parecia ignorar o fato de uma vida ser perdida naquele momento e a minha própria vida ser mudada de uma hora para a outra.

Em outro piscar de olhos, lá estava eu ajudando a Aldeia da Folha em um momento de dificuldade, em meio a chuva pesada que inundava uma região da Aldeia e afetava a casa dos moradores, principalmente de uma senhora que teve sua casa praticamente destruída. Em outro momento, meu exame chunin mostrava minha verdadeira essência, a crueldade Kaguya despertando em mim me fazendo atacar o oponente de maneira fatal. Mais um piscar, estava na floresta da Folha com um time, correndo atrás de uma organização chamada Tentáculo, onde minha força bruta foi o suficiente para matar muitos deles, marcando o solo fértil com o ferro do sangue, tirando um sorriso em meu rosto ao sentir a carne se rasgar. Contudo, mesmo após cada experiência eu me senti incompleto, faltava uma essência para criar liga entre todos esses fatos, nada me prendia aquele mundo a não ser meu próprio sonho de brilhar. Em poucos segundos estava eu novamente preso na imensidão negra, como se fosse o efeito de um ácido forte a dominar toda a minha cabeça.

Flutuando naquele ambiente, a única coisa que podia ser sentida era o doce som de uma flauta a se tocar, uma melodia totalmente diferente que parecia possuir um efeito sobre o corpo, tornando-o dormente com a exposição a música, aumentando aquele efeito conforme a música continuava a tocar. Meu corpo começou a ser atraído pelo som, puxado como se uma corda o guiasse na escuridão, levando meu corpo a um novo ambiente dentro da Folha, não era mais a floresta mas sim uma casa abandonada, em uma área mais pobre da vila onde não se possuía muitas condições para sobreviver. Eu pude me ver, pude observar a mim mesmo com aquela flauta nas mãos, tocando de uma maneira que nem sequer poderia imaginar saber tocar ou mesmo causar aquele efeito em uma pessoa, como uma técnica sensorial que se assemelhava aos Genjutsus. A cada centímetro de aproximação a música aumentava seu volume, chegando ao toque no meu próprio ombro por eu mesmo, criando uma intensa luz que cegava, sentindo uma formigação forte em todo o corpo sentindo a pele rasgar como acontecia durante o Shikotsumyaku.

Senti como se meu corpo se unisse a aquele eu diferente, me vendo em um ambiente com inúmeras memorias, uma mistura das memorias Kaguya com memorias que nunca havia tido, com pais músicos e um ambiente propício ao aprendizado daquela técnica, focada em ilusões manipuladoras e ninjutsus variados que teriam diferentes efeitos. Desde o início das memorias meu nome continuava o mesmo, Jyuu, mas o Kaguya se apagava como pó. A morte da minha mãe era trocada por uma bela família sem problemas de refúgio e mortes misteriosas. Eram shinobis da folha, trabalhavam secretamente para o alto escalão interrogando vítimas com seus genjutsus sonoros. Em casa, eram ótimos pais e professores de música, me ensinando desde criança a utilizar uma flauta, guiar meu chakra através das vibrações no ar e infundir aquilo de diferentes maneiras, desde ninjutsu e genjutsu. Pude vislumbrar a minha própria trajetória, o exame da academia, o exame chunin onde não havia despertado um ser monstruoso que corromperia qualquer outro ser e agiria friamente para conquistar os objetivos. Vi ali um ser com bondade no coração e ao mesmo tempo ciente do que precisaria fazer para conquistar seus objetivos no mundo ninja, não havia inocência ali mas também minha crueldade não existia me deixando instantaneamente acostumado com a situação. O exame para Tokubetsu Jonin naquele novo Jyuu era mais semelhante do que eu poderia imaginar. Um time atrás da Tentáculo, buscando parar o avanço de uma organização que estava prestes a atacar pequenas aldeias e ganhar espaço, ameaçando a paz dentro da Aldeia da Folha.

A equipe havia se superado, dominando o espaço da Tentaculo e criando abertura para a ANBU da Folha agir, sem causar muitas baixas como aconteceu com o antigo Jyuu Kaguya, o sangue derramado na floresta havia sumido, estava tudo tão diferente que nem parecia real. No mar de memorias, pude ver algumas sumirem, as antigas que me acompanharam até ali tornavam-se paginas em brancos para seres completadas com novos acontecidos e de fato eu não conseguia me lembrar, sentindo a reconstituição do meu braço, perdendo completamente a noção do porque eu estava ali, eu teria caído em algum Genjutsu durante a missão da Tentaculo? Não... eu sou um mestre nas ilusões e não poderia cair tão facilmente assim. O que estava acontecendo? O que é Kaguya? Senti meu corpo doer um pouco ao levantar da cama naquele dia, com os sonhos esquisitos que estavam dominando minha mente. Eu morava em uma parte mais nobre da Aldeia, como Tokubetsu Jonin e pais que trabalhavam para a ANBU, a qualidade de vida era interessante, não poderia reclamar. – Bom dia pai, bom dia mãe... tive um sonho muito esquisito, sonhei que eu não tinha um braço e era um assassino, eu tenho que parar de ir dormir tarde, hehe – Me sentei junto aos meus pais naquela manhã, preparando meu café para sair caminhar e praticar um pouco de flauta.

FILLER OFF PARA TROCA DE CLÃ (de KAGUYA para SHIIN) 1516 palavras

Informações:
Meus pedidos de Mod de AG e compra da Troca de Clã já foram feitos mas não foram vistos e eu preso no ON por conta disso. Me falaram que eu poderia continuar com as atividades para não ficar preso enquanto aguardo o @ nas coisas.
-
'Schrödinger
'Schrödinger
Vilarejo Atual
Ícone : [Filler - Troca de Clã] - O Paradoxo da Memória 8e54bf24474c86b68496ba784ed7878a

https://www.narutorpgakatsuki.net/t63640-fp-schrodinger-1-5#456006 https://www.narutorpgakatsuki.net/t62242-g-ficha-schrodinger

Re: [Filler - Troca de Clã] - O Paradoxo da Memória - 26/8/2019, 10:06

@

_______________________

[Filler - Troca de Clã] - O Paradoxo da Memória ?imw=512&imh=288&ima=fit&impolicy=Letterbox&imcolor=%23000000&letterbox=true
O sistema me usa e eu uso o sistema.
King Of The Dead - B.B
One Who Has Triumphed Over Adversity
-


Edição de Aniversario por Shion e Senko.