Não é o único, mas simplesmente o melhor!
Naruto RPG
Akatsuki
A doce melodia dos ventos atravessando o deserto não era mais querida por absolutamente ninguém. Ele sabia muito bem disso, por mais que odiasse o fato. Concordava que sua vila estava morta há muitos anos, entendia que seu povo sofrera, e, mesmo assim, não entendia como. Parecia um absurdo sem precedentes como uma vila tão renomada como Sunagakure no Sato, organizador do primeiro Chunin Shiken mundial desde a formação das novas nações, havia sido destruída, afundada nos seus próprios desertos, graças a uma única entidade chamada Okina. Mas isso aconteceu. Muitas pessoas inocentes morreram, muitas fugiram, e os vastos desertos dentro de Kaze no Kuni tornaram-se morada de aldeias e mercenários, todos tentando sobreviver na jornada. Muitos ficavam nos arredores com esperança do retorno da gloriosa Sunagakure no Sato, outros porque não eram aceitos em outros lugares e, alguns ainda não tentavam, pois tinham idosos e doentes consigo. Um verdadeiro caos. A economia despencou; começaram os gastos com população, poucos impostos recebidos e mais gastos com mercenários contra outros mercenários. Acreditava que a iniciativa destrutiva de Okina não visava aquelas consequências, mas eram reais e ele precisava enfrentá-las.
Trama Atual:
Novo Horizonte
O Leilão de YamazakiOs líderes militares das três grandes nações ninja remanescentes se uniram em um leilão para auxiliar na reconstrução das capitais destruídas por Otsutsuki Okina. Em meio a lances de alto poder monetário, um homem misterioso surge com uma proposta ambiciosa para revolucionar o mundo shinobi.
Prelúdio da guerraAs três grandes vilas ninja sofrem com ataques. Os ninjas agora têm de lidar com criminosos da mais alta estirpe. Com a ausência da elite das vilas em função do leilão, é a hora de novos heróis nascerem e novas lendas serem contadas... ou um fim trágico recair sobre eles.
Estação: InvernoAno: 66DG


[Treino Solo] Corpo-a-corpo

[Treino Solo] Corpo-a-corpo em 27/6/2019, 14:06

[Treino Solo] Corpo-a-corpo Datura-ievgeniia-lytvynovych


01/02
A vida de Moriyama era um eterno conflito entre dois opostos, primeiramente entre si e Himori, a energia que sempre lhe acompanha e tenta tomar sua consciência, e em segundo lugar sua vida dupla: é ao mesmo tempo um monge e um shinobi. Como monge, busca uma vida de paz, harmonia e disciplina, e como shinobi proteger os inocentes, defender sua vila e, de uma forma geral, “lutar contra o mal”. No monastério que frequenta – um antigo monastério cavado em pedra nos arredores de Iwa – muitos questionam sua dualidade, não seriam duas forças quase opostas? Afinal a vida shinobi envolvia enganações, ilusões, assassinatos e muito sangue fora de seu corpo, o que os que frequentam o monastério evitam ao máximo.
A verdade é que para Moriyama há o complemento perfeito entre esses seus dois lados, aprendia a ter parcimônia, equilíbrio e plena consciência com os ensinamentos da iluminação, e como shinobi tinha a oportunidade de praticá-los na tola tentativa humana de exercer um senso de “justiça”, e, além disso, praticar o ninshuu, que complementa de forma extremamente positiva seu compreendimento sobre si mesmo e o domínio de sua “maldição” sanguínea, visando usá-la como uma bênção. Criado como monge, o rapaz adentra o mundo ninja com passos pequenos, pois por muitos anos evitou a luta, mas hoje em dia entende que ela é necessária, o que fez com que Moriyama decidisse treinar primeiramente lutas corpo-a-corpo, já que seu corpo era sua principal arma.
Era uma tarde típica de inverno, conforme o sol se distanciava o vento levava embora seu calor, e a temperatura caía vertiginosamente, talvez nevasse aquela noite, que levantava um sorriso no rosto do jovem shinobi que caminhava até a academia, onde lá encontraria seu sensei, aguardou que terminasse sua conversa para que, após uma respeitável reverência, começasse a falar com ele, onde lhe apresentou seu desejo de treinar a arte que chamavam de Taijutsu, seu mestre Chinosuke no entanto não era o mais proficiente nessa área, preferindo ninjutsus e fuuinjutsus como sua especialidade, no entanto ele tinha um mestre e amigo que poderia ajudá-lo nesse caso, era o tal Harakura, o “Shakutai”, como era chamado devido à resistência de pedra que seu corpo possuía, mesmo sendo um senhor que já tinha quase seus 60 anos, Harakura tinha suas dívidas com Chinosuke, que tinha certeza de que o mestre lhe ajudaria a aprimorar o básico de seu combate corpo-a-corpo.
A academia do Shakutai era de difícil acesso, sendo necessário caminhar uma trilha subindo as montanhas de trás da vila para chegar onde vivia o homem e seus aprendizes, Moriyama não sabia o quão bem recebido seria, então estava apreensivo. Já era noite quando deparou-se com um grande pátio que continha organizadamente diversas largas rochas (deviam ter cada uma um metro de altura), todas aproximadamente do mesmo tamanho, mais ou menos redondas, e ao lado de cada uma havia uma marca redonda no chão, como se elas fossem constantemente passadas de um lado para o outro, tudo lá já era iluminado por poderosas luminárias de fogo, uma voz ressoou não sabe-se de onde:
“Alto lá! Se quiser chegar ao Shakutai Dōjō deverá mover uma das pedras com sua própria força! Não aceitamos fracotes aqui!” disse. Moriyama olhou para uma rocha que estava à sua frente, era enorme e com certeza pesada, mas o monge não fraquejou, respirou fundo, agachou-se e abraçou a enorme rocha, encheu novamente seu pulmão e esforçou-se o máximo que podia, seu rosto ficou vermelho mas conseguiu levantar a pedra, nem que por pelo menos 3 centímetros, e com o que sobrava de seu fôlego moveu-a ao mesmo tempo que deixou-a cair no buraco ao lado, miseravelmente realizando a tarefa, uma gargalhada se aproximou dele, que estava respirando sentado ao chão, pela aparência já era deduzível que fosse Harakura, um homem adulto, alto, careca, pele escura de sol, quase na tonalidade do solo local, corpo absolutamente definido, parecia fazer o chão tremer com seus passos, e seu rosto tinha a firmeza da mais pesada montanha da região, grandeza influenciada pelo seu espesso e pontudo bigode branco. “O que um monge faz aqui?” questionou, baseado nas vestimentas do rapaz, que se levantou, reverenciou-o e se apresentou: “Meu nome é Moriyama, sou aluno de Chinosuke, busco aperfeiçoar meu taijutsu e minha força física e ele disse que você me ajudaria”, o homem riu novamente, fazendo o corpo do monge vibrar “Chinosuke sempre empurrando seus alunos para mim, mas eu lhe devo uma, e além do que, faz anos que não treino um monge aqui. Não garanto que lhe aceitarei em meu Dōjō, mas posso ajudá-lo a levantar melhor essa rocha que quase te derrotou!” gargalhou vigorosamente mais uma vez.

225 ; 225 ; 00|03



Observações:
Treino buscando aprimoramento em Taijutsu e em Força (aproveitando o mês do UP)
- 780 palavras

Técnicas usadas:



_______________________

[Treino Solo] Corpo-a-corpo Shiere
Brugmansia
[Treino Solo] Corpo-a-corpo 27961

Brugmansia
Chūnin
https://www.narutorpgakatsuki.net/t67214-brugmansia-moriyama

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Treino Solo] Corpo-a-corpo em 27/6/2019, 14:40

[Treino Solo] Corpo-a-corpo Datura-ievgeniia-lytvynovych


02/02
Naquela noite Harakura apresentou-lhe seu lindo e enorme dojo, construído primordialmente em pedras, mas com muitos detalhes em madeira, incluindo o piso, havia também um largo alojamento onde ficavam os alunos mais dedicados. O intuito de Moriyama não era – a princípio - inscrever-se na academia, mas ficou tentado à tal, no entanto naquela noite os treinos já estavam encerrados e o rapaz deveria voltar lá amanhã cedo (cedo mesmo) se quisesse treinar. E assim o fez, nos primeiros raios de sol Moriyama estava novamente no pátio do Shakutai Dojo, onde dezenas de aprendizes já exercitavam-se, à distância Harakura indicou com a cabeça para que Moriyama aderisse ao grupo, iniciando os exercícios com o obrigatório alongamento, seguindo uma série de alongamentos próprios do dojo (que por si só, junto à exaustiva caminhada que era necessária, já endureciam o indivíduo), seguido da prática de diversos golpes sincronizados que foram difíceis de acompanhar de primeira, mas o monge esforçou-se o bastante para não estar dessincronizado, executando no ar socos, chutes e giros, que logo seriam postos em prática.
Após algumas horas dos treinamentos básicos os alunos treinavam um contra o outro, e Moriyama não ficou de fora dessa, sendo posto para batalhar contra um grande rapaz que tinha aproximadamente sua idade, porém maior em estatura, nos primeiros golpes que dava e recebia já era possível entender como o corpo do mestre era duro como pedra (quiçá até mais), pois até os jovens alunos já possuíam uma resiliência impressionante, e mesmo sendo um simples treino o monge passou certa dificuldade, comprovando a eficiência daquela academia, por sorte o rapaz com quem batalhava não aproveitou-se de sua vantagem para humilhar Moriyama, respeitando seu limite porém sem dar nenhuma vantagem à ele, forçando-o ao seu limite na batalha corpo-a-corpo, tudo na base de socos e chutes, é claro que Moriyama poderia simplesmente utilizar de sua força secreta (que estava sedenta para lutar contra aqueles alunos) e derrotá-lo, mas concentrava-se para não cair nessa tentação, pois sabia que não era esse o objetivo.
Os dois terminavam o treino cansados e em um ar amigável, e antes da pausa para o almoço Moriyama foi chamado para outro campo de treino com o mestre, era um pátio aberto porém bem menor que o principal, e lá repousavam diversas pedras em progressivos tamanhos, a menor tendo o tamanho das rochas no pátio de entrada, e a maior era do tamanho de uma pequena casa, algo virtualmente impossível de ser erguido por meios normais, e Harakura parecia ler a mente de Moriyama, pois deu um riso debochado e aproximou-se desta, respirou fundo e, grunhindo, levantou-a lentamente com os próprios braços até acima de sua cabeça (agora vermelha como um hibisco), em seguida deixando-a cair novamente no lugar em que estava, criando um estrondo e um tremor que com certeza haviam sido percebidos por toda a academia, mas que dificilmente espantariam qualquer um dos habituados alunos. O feito por demais impressionou Moriyama (que não sabia que parte era feitio de certos ninjutsus de terra), e Harakura, respirando fundo, indicou com seu queixo a menor das pedras.
O aprendiz sentiu-se obrigado a levantá-la respeitosamente frente ao tamanho feito do mestre, pôs-se em frente a pedra e respirou fundo agachou-se, agarrou bem a pedra, sentiu-a, e quase gritando conseguiu lentamente levantá-la até meio metro, em seguida largando-a no chão novamente. “Já foi bem melhor que sua primeira performance, mais algumas semanas aqui e talvez já não reclame mais ao levantar a Pedra 1. Agora vá almoçar com os meus alunos, se não não aguentará o treino do resto do dia.” E assim Moriyama foi, o almoço era simples, arroz, peixe cozido, legumes e caldo de misso, o que era do agrado do monge. Após o almoço tinham uma hora para descansarem, que Moriyama utilizou para meditar, buscando pôr sua atenção em seu corpo, suas necessidades e seu potencial.
O restante da tarde foi árduo, eram sequências de diversos tipos de treinamento para aumentar a força e resistência dos alunos e também aplicar esta em batalhas. Alguns treinos envolviam arrastar pedras (do tamanho da Pedra 1), vezes arrastando-as por cordas com as mãos, vezes arrastando-as por cordas pelo abdome, vezes pelos ombros, e os mais casca-grossa arrastavam-nas com a cabeça, feito que estava longe de ser alcançado pelo rapaz, outras horas eram reservadas para o clássico levantamento de rochas; socar e chutar rochas; alguns treinos em dupla envolviam jogar rochas para o parceiro e vice-versa, um dos mais interessantes era uma espécie de cabo-de-guerra feito com uma larga pedra, onde dois oponentes tentariam a todo momento empurrar a pedra contra seu adversário, tudo isso alternado com 30 minutos de luta corpo-a-corpo entre os alunos.
O treino havia sido absolutamente exaustivo, no entanto extremamente produtivo, o monge agradeceu profundamente ao mestre por seus ensinamentos àquele dia “Espero que retorne, talvez um dia seja aceito como membro do Dojo, se se esforçar o bastante! Sei que tem potencial” dizia Harakura, com suas palavras abrasadoras, Moriyama voltou de noite para casa, onde tomou um banho e apagou em sua cama, acordando extremamente dolorido no dia seguinte.

225 ; 225 ; 00|03



Observações:
Treino buscando aprimoramento em Taijutsu e em Força (aproveitando o mês do UP)
- 848 palavras

Técnicas usadas:



_______________________

[Treino Solo] Corpo-a-corpo Shiere
Brugmansia
[Treino Solo] Corpo-a-corpo 27961

Brugmansia
Chūnin
https://www.narutorpgakatsuki.net/t67214-brugmansia-moriyama

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Treino Solo] Corpo-a-corpo em 27/6/2019, 15:35

Aprovado.
2 pontos em Tal jutsu e 2 pontos em Força.
Mokaccino
Mokaccino
Game Master
https://www.narutorpgakatsuki.net/t67013-f-mokarzel

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Treino Solo] Corpo-a-corpo

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo



Você não pode responder aos tópicos neste fórum