>
Naruto RPGAkatsukiNão é o único, simplesmente o melhor!
Arco 11:
Reino de Lilith: PesadeloAno: 71DG
Após uma dura jornada, Shaka finalmente caiu e teve a maldição retirada de seu coração. No entanto, os problemas trazidos pela família Hattori não se extinguiram. Shion revelou ter ajudado a libertar Lilith, uma monarca da dimensão infernal, que agora está possuindo o corpo de Hyuga Katsura e libertando uma horda de seres infernais contra este mundo. O mundo corre risco de ser consumido pela maldade dessa criatura, mas não se o plano de Shion der certo: forçar Lilith a causar um evento chamado de O Grande Eclipse, onde as portas de todos os mundos e dimensões ficarão abertas, e assim permitir a ele ir ao submundo resgatar sua amada Katsura Grey para finalmente selar Lilith.
Sumário
Mapa
Staff
Discord
Facebook
Contos
Estação: Inverno
Últimos assuntos

Tamashi
Genin
Tamashi
Vilarejo Atual
Ícone : [Filler] A festa  ECbhQux

https://www.narutorpgakatsuki.net/t72871-fp-okakura-kakuzo#558620 https://www.narutorpgakatsuki.net/t69760-gf-tamashi#523883

[Filler] A festa - 1/6/2019, 19:09


A festa


[Filler] A festa  Original

Mais um dia comum na vida de Tamashi, até que sua mãe o chama, gritando de forma escandalosa por ajuda, o garoto depressa desse correndo a escada, afim de tentar protegê-la, porém chegando lá se encontra com algo engraçado, ela estava com um convite na mão, o que levou o garoto logo perguntar — O que aconteceu? Você está bem? Onde ele foi? — confuso procurando o perigo que a fazia gritar tanto.

— não seu bobinho, eu estava gritando por felicidade, olha só o que temos aqui, um convite para uma festa de gala dos amigos do teu pai, você não está contente raio de sol? — dizia enquanto apertava as bochechas do garoto.

— Não, não estou nem um pouco — respondeu com dificuldade, com sua fala dificultada com os carinhos em suas bochechas

— Não importa, amanhã você ira para a costureira fazer um kimono para ir, estou cansado desse comportamento desleixado seu

Havia chegado o dia em que teria que ir a costureira, assim que chegou na porta, viu uma placa, que estava escrito com uma letra antiga “Às vezes o coração, rasgado pela dor, vira retalho. Recomenda-se, nestes casos, costurá-lo com uma linha chamada recomeço. É o suficiente. “ o que fez logo Tamashi se questionar com sua Mamma — Isso é um psicólogo ou uma costureira? — com a cara emburrada e inflando as bochechas, porém ela não deu ouvido, o puxando pelo braço para dentro da loja, assim que entrou viu do lado de uma velha senhora, uma linda garota, ela era incrivelmente bela, seus cabelos negros e olhos castanho claro tomavam toda reação de Tamashi, que ficou de boquiaberto por alguns instantes, logo a Mamma se afasta de Tamashi, chegando perto da velha senhora, as duas foram para os fundos da lojas, estavam resolvendo os assuntos sobre as roupas.

Agora Tamashi sozinho com a bela moça ficava mais envergonhado, e olhando para cima como quem não queria nada se aproximou da jovem menina dizendo — Frase legal a do lado de fora, seu slogan? — e sem hesitar a menina logo o cortou — na realidade eu odeio aquela frase, parece um psicólogo não uma costureira — o garoto envergonhado tentando puxar assunto continua — então você não gosta de poesias e sei la? — sem muita confiança perguntava, esperando a sua responda que foi — eu gosto, mas não quando elas estão ligadas a frases relacionadas a costura —

Os dois começaram a rir daquele papo estranho, mas a cada tempo iam se aproximando mais, mas antes que pudessem perceber as duas senhoras voltaram — Então Tamashi, essa e uma grande amiga da familia, e fará suas vestes o mais rápido possível, infelizmente eu não posso ficar aqui, então assim que estiver ajustado o kimono em você volte para a casa — respondeu a mãe do garoto — Tudo bem, Mamma, até mais — animado por poder ficar mais tempo com sua mais nova amiga, e a primeira.

Ajustes são dados aqui, ajudes são dados lá, e o kimono fica pronto e perfeito para Tamashi, ele estava impressionado com a velocidade da velha senhora, aquilo realmente parecia um “ninja”
— Tamashi, você parece uma garota de Kimono — a nova amiga do garoto falava isso em meio a risos

— não diga isso, Uta, é vergonhoso e maldoso — respondia Tamashi tentando esconder seu rosto ao meu as mangas do kimono

— Não tem problema nenhum nisso, você continua lindinho — respondeu a garota fazendo com que o garoto ficasse corado, se escondendo ainda mais, porém ali a hora de se despedir havia chegado, desanimado, Tamashi se despedia da garota e de sua avó, antes de ir a menina disse em voz baixa — “A palavra é uma magnífica máquina de costura. Ela alinhava vidas em vidas, borda sorrisos, reforma histórias, customiza amores e nos veste em sonhos...a dois!” eu mentir, eu gosto dessa frase — beijando o rosto do garoto enquanto se despedia.

Tamashi passou toda a semana pensando naquilo, ele estava feliz por ter uma nova amiga, porém aquela sensação, junto com a Idea de não poder vê-la o deixa um tanto quanto confuso, o fazendo repetir varias vezes sobre a janela a frase da garota.

O dia da festa havia chegado, Tamashi estava vestido com o kimono e esperava vê-la na festa, quando o doutor viu Tamashi com o kimono começou a rir, dizendo — Eu não sabia que tínhamos um filha, Mamma — o fazendo ficar com mais vergonha, e continuou sua piada — Você está uma linda mocinha, Tamashi — se gargalhando de rir no chão — Você já tentou ser menos infantil doutor? — depois de toda aquela conversa e do douto recompor sua postura, todos partiram para festa, isso claro, não antes da Mamma aperta a bochecha de Tamashi enquanto falava o quão elegante ele estava.
Chegando a festa, foram recebidos por um grande medico que trabalhava com o Doutor, logo ele elogiou a Mamma e em seguida disse — Olha, mas que bela mocinha, tão parecida com a mãe — e logo Tamashi retrucou — Eu sou menino e adotado... — com a cabeça baixa já não agüentava mais aquilo, ficou alguns minutos na varanda, enquanto tocava uma musica estrangeira, foi quando apareceu Uta, a garota do vestido, repetindo aquela ultima frase, enquanto o abraçava de costa — Tamashi, você está aqui, que ótimo te ver — falava feliz — onde estar sua avó? — perguntou de maneira seca, tentando esconder sua timidez
— ela não veio
— Está sozinha?
— Não, o meu pai é quem recebe vocês, ele foi quem propôs a festa
—... Eu não sabia que também era filha de ... — Tamashi não completava a festa, por conta de que o Doutor nunca gostava de ser chamado de médico
— Medico?
— Isso mesmo, medico — Tamashi respondeu friamente, ficou calado por alguns segundos, até que ela o puxou para dançar, ele não sabia lidar com aquilo, mas sua vontade de te-la como amiga era uma espécie de chave para suas personalidades não saltarem de forma aleatória para fora, a dança demorou alguns segundos, estavam cada vez mais próximo, quando um grupo de bandido entrou no salão de forma totalmente brusca e altera, logo o doutor olhou para Tamashi, acenando com a cabeça, a garota nem viu quando Tamashi desapareceu de perto dela.

Tanto o doutor quanto Tamashi haviam se desaparecido, varias flores começaram a cair “Na cabeça de Toki: Todos da sala ficaram paralisados, Tamashi pulou no centro do salão, um sorriso tomava seu rosto de forma macabra — Como vocês ousam invadir onde eu o próprio Baal estou? Eu vou cortar todos vocês, e aos convidados me desculpe pelo que vai acontecer aqui — terminava rindo, andava lentamente entre as pessoas do salão, todas paralisadas pelo seu genjutsu sadsdas, Tamashi passava de pessoa a pessoa, e chegando aos bandidos os cortavas com uma kunai que havia escondido na sua manga, eram tantos cortes que o sangue sujava todo o salão, todos paralisados gritavam de medo, a cada corte choro e soluço tomava o lugar, mesmo que Tamashi não estivesse mirando neles, apenas acertando os bandidos, aquela imagem era um tanto quanto traumatizante, mas ele nem parecia perceber isso continuou seus trabalho, abrindo um por um —morra, morra, morra — repetia essa palavra de forma acelerada a cada segundo que fazia um corte, e se dirigia a outro inimigo, no final só se podia ver sangue nada mais” isso era o que se passava na cabeça de Tamashi, enquanto ele e o doutor pensavam em formas de controlar a situação, sem trazer tantos problemas.

Os dois pularam juntos no centro do salão, todos do salão começaram a correr para fora, Tamashi com seu genjutsu paralisou apenas os bandidos, e o doutor e o pai de Uta os nocauteavam enquanto paralisados, não era o que tinha passado na cabeça de Tamashi, nem perto, mas tinha funcionado, e Uta ainda o via como um garoto normal, talvez Tamashi estivesse percebendo como deveria agir, como as pessoas são fracas para essas coisas, logo o menino sorriu de forma carinhosa, olhando para Uta que o respondeu com outro sorriso.

A festa acabou ali, todos agradeceram a Tamashi e ao doutor, viraram as estrelas daquela noite, em meio aos elogios o doutor falava — é minha filha é uma ótima kunoichi — aquilo o fazia rir como uma palhaço, mas Tamashi não ligava mais, apenas olhava para Uta, enquanto seus pais se despediam, mesmo com todos os problemas aquele tinha sido legal, talvez se tivesse agido como Baal agiria, não teria sido, aquilo era tudo tão confuso, mas seus resultados eram simples, assim que chegou em casa ele foi direto para a cama, já cansado e não se agüentando mais em pé

Cosiderações :

+1400 para superar Falta de Habilidade Social (1)

-
Urameshi
Chūnin
Urameshi
Vilarejo Atual
Ícone : lathe biosas

https://www.narutorpgakatsuki.net/t70850-berserker

Re: [Filler] A festa - 1/6/2019, 19:28

@

_______________________

[Filler] A festa  Susanoo-no-Mikoto-slaying-Yamata-no-Orochi-in-Kojiki
-


Edição de Aniversario por Shion e Senko.