>
Naruto RPGAkatsukiNão é o único, mas simplesmente o melhor!
Arco 11:
Reino de Lilith: PesadeloAno: 70DG
Hanatarō olha para a vila do topo do prédio do Departamento de Pesquisa. Há dois anos era uma salinha no fim do laboratório geral da vila, agora tinha seu próprio prédio tão alto quanto o próprio escritório do Kazekage. Hanatarō sorri vendo as pessoas andando felizes na nova vila construída graças aos avanços científicos realizados com a inteligência de Takura, sua mentora. Antes, ele só via uma vila pobre, com construções de areia frágeis, com um horizonte desértico, dependendo de outras vilas, inclusive de Konoha, para conseguir sobreviver, mas agora... Sunagakure estava grandiosa novamente e tinha comprado sua independência. As construções ainda tinham porções de areia, mas eram forjadas em metais nobres, em ouro, em prata, criando grandes casas e prédios. As lojas estavam cheias de especiarias únicas, pois o trabalho de encontrar certos ingredientes se tornou muito mais prático desde que a vegetação voltou a florescer nos arredores da vila; onde antes era só deserto agora possuía vielas de relva, florestas, rios e uma fauna cheia de roedores, mamíferos e carnívoros.
Sumário
Mapa
Staff
Discord
Facebook
Contos
Estação: Inverno

Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

[RP Regresso] O Pão Doce Que Deu Ruim - em Dom 3 Mar - 2:04


Meus olhos se fecharam, para o horror desse mundo
KlotzThe Blind Swordman


Aquela manhã em Kumo, era para como qualquer outra em minha vida. Acordar cedo, antes do sol nascer e começar a correr pela aldeia com meu mascote, Frozen. Sentir a brisa do ar levar meus fios de cabelo e notar o calor do sol tocar minha pele ao subir alto no céu e comer um pão doce na barraquinha da tia no centro da vila. Contudo, algo me aguardava aquele dia em um trecho mais isolado da vila. Eu não esperava por aquilo, não mesmo, ainda mais dentro de Kumogakure.

Permanecia correndo, porém, meus instintos me diziam que algo de errado, não estava certo. Entretanto, eu acreditava estar seguro dentro da vila. Ignorei tal sentimento ruim e mantive minhas passadas largas. Quando percebi, pude ouvir uma movimentar estranha e muito veloz. Quando dei por mim, havia levado um belo soco no estomago e arremessado contra uma árvore. A dor foi instantânea e a baba voando de minha boca, também.

Estava sendo atacado por shinobis devidamente treinados, com a missão de raptar um jovem rico que estaria viajando por Kumo. Para minha infelicidade, tal rapaz era parecido comigo e os ninjas acabaram se confundindo e o "felizardo" da vez, fui eu. Aparentemente o alvo devia ser muito habilidoso, pois a necessidade de me receber com um ataque tão insano, não seria utilizado em alguém ainda em desenvolvimento, como eu.

Frozen, meu lobo, com uma bela mordida, conseguiu rasgar parte da calça de um dos ninjas. Um traço de sangue foi marcado no pano rasgado. O pobre logo fora chutado para longe logo após e ficado um pouco debilitado e fora de combate. Quanto a mim, eu mal conseguia respirar, e ia sendo amarrado nas pernas e em meus braços. Não pude fazer nada, nem mesmo ver meu companheiro sumir da vista, já que eu não via nada mesmo.

O grupo de três shinobis, me levou para outro lugar. Eu não fazia ideia de onde estaria sendo levado, pois além de não ver nada, estava desacordado. Levou várias semanas para chegarmos a nosso destino do contratante do sequestro que deu errado. Durante toda a viagem, eu era colocado sempre em influência ervas soníferas que me mantinha fora de si. O dia da entrega chegou e me mostraram para o sujeito. O mesmo me analisou, enquanto eu estava grogue e notou que eu não era quem ele queria. Houve uma confusão quando ao trabalho e a discussão se tornava bem agressiva. O contratante estava enfurecido que tinham capturado um aldeão de Kumo e queria matar os ninjas com seus próprios capangas. Os ninjas sequestradores queriam me matar, por acharem que eu sabia demais. Quanto a mim, eu apesar de um pouco atordoado, ainda conseguia entender tudo que estava acontecendo. Achei que era a melhor hora tenar fugir, independente de onde eu estivesse. Bastava apenas que a sorte sorrisse para mim.

E ela sorriu. O contratante mandou eliminar os shinobis estúpidos e eles tentaram se defender. A batalha começou. Aproveitei aquele momento para manipular meu chakra e criar um papel afiado suficiente para que cortasse as cordas que me prendia os braços. Com paciência, eu consegui e logo mais me soltava. Removia o pano de minha cabeça e pude respirar ar que não estivesse abafado. Seguindo meus instintos, corri ligeiramente por onde entramos. Um dos sequestradores viu, e correu até mim, após eliminar o inimigo que lhe prendia a atenção. Mantive minha corrida, enquanto o resto se matavam e tinha um em meu encalço.

Quando sai do recinto, saltei dali e pelo que pude sentir, cair em um gramado, rolando e me ralando um pouco. Parecia que eu estava em uma floresta. Me levantei rapidamente e segui rumo a rugidos de feras que ouvia na floresta. O ninja enfim me alcançou e me derrubou.

Achou que conseguiria escapar e contar tudo a sua vila? Vai morrer por nós fazer perder tempo e dinheiro.

Tcs... Tolo são vocês que falei o tempo todo que não era quem vocês queriam. Vocês que perderem o tempo de vocês sequestrando um cego, e não eu.

A raiva tomou conta do inimigo que avançou com tudo. Isso lhe tirou a concentração e eu pude desviar de seu soco com meus instintos. Surpreso, ele olhou arregalado para mim e da mesma maneira que virou sua cabeça, eu fazia ela virar de volta com um murro cruzado que eu lhe acertava no queixo. Sem hesitar, continuei golpeando com um upper cut no pescoço, segurando a seguir seu corpo e entrando com uma joelhada na costela. Empurrei ele a seguir e subi meu pé bem alto, lhe acertando novamente a face. Ele não esperava que eu fosse bom o suficiente para lhe parar usando apenas punhos e pernas, sendo deficiente visual. Ele ficou furioso e me acertou alguns golpes que não consegui defender todos. Porém, no ato, eu surpreendi ele com um pedaço de papel enorme brotando em seu rosto e tirando sua visão de mim. Ele não tinha esse costume e ganhei vantagem nisso. Cobri ele de novas sequências de golpes e o deixei um pouco atordoado.

Aproveitei a brecha e tornei a correr. Ele veio segundos depois, mas para seu azar, eu teria corrido até os rugidos por um motivo, e quando me aproximei, saltei para cima de uma árvore e segui por cima. Quanto a ele, não esperava que um casal de tigres atacariam ele ferozmente. Eu só pude ouvir o som de desespero dele sendo devorado.

Não perdi mais tempo e segui em frente. Caminhei por alguns dias sozinho. Sem comida, sem saber onde estava, sem ninguém e ferido. Trilhei um trajeto que desconhecia totalmente. Meus instintos me diziam para ir em tal direção. Eu achava que era alucinação já. Estava frio, parecia ser inverno. Em um momento de exaustão eu caia de cara no chão sem saber que estaria próximo a uma vila grande do país do Fogo. Fiquei ali deitado e inconsciente por algumas horas, tempo esse que por acaso meu mascote Frozen levou para me encontrar. A lealdade do bichano era maior do que eu poderia imaginar. Ele tentou me acordar com lambidas e cutucões com a pata frontal, mas foi inútil pelo meu desgaste físico. Acabou que ele próprio se deitou ao meu lado e caiu no sono também, me aquecendo um pouco com seu pelo.

[RP Regresso] O Pão Doce Que Deu Ruim Q7ie9Dh
Klotz
[RP Regresso] O Pão Doce Que Deu Ruim Hp10HP: 525/525
[RP Regresso] O Pão Doce Que Deu Ruim Chackr10CH: 525/525

Considerações:
- RP de reativação de personagem.
- Há uma vaga de Shikigami no Mai, o que leva a não ter que matar meu personagem, segundo as regras de Desaparecidos.


Juro que não vi nada
-
Axuul
Chūnin
Axuul
Vilarejo Atual
Ícone : [RP Regresso] O Pão Doce Que Deu Ruim 5988c622114430292c12f1c40722b525

https://www.narutorpgakatsuki.net/t67528-fp-akira-sarutobi?nid=1061#500185

Re: [RP Regresso] O Pão Doce Que Deu Ruim - em Dom 3 Mar - 17:21

@App.

_______________________

Negrito para falas, Itálico para pensamentos.
- FP -
-


Layout com edições de Halloween feito por @Akeido Themes e Senko.