>
Naruto RPGAkatsukiNão é o único, simplesmente o melhor!
Arco 11:
Reino de Lilith: PesadeloAno: 71DG
Após uma dura jornada, Shaka finalmente caiu e teve a maldição retirada de seu coração. No entanto, os problemas trazidos pela família Hattori não se extinguiram. Shion revelou ter ajudado a libertar Lilith, uma monarca da dimensão infernal, que agora está possuindo o corpo de Hyuga Katsura e libertando uma horda de seres infernais contra este mundo. O mundo corre risco de ser consumido pela maldade dessa criatura, mas não se o plano de Shion der certo: forçar Lilith a causar um evento chamado de O Grande Eclipse, onde as portas de todos os mundos e dimensões ficarão abertas, e assim permitir a ele ir ao submundo resgatar sua amada Katsura Grey para finalmente selar Lilith.
Sumário
Mapa
Staff
Discord
Facebook
Contos
Estação: Inverno

Note
Chūnin
Note
Vilarejo Atual

[Filler] O sonho daquele que queria ser livre - 22/2/2019, 07:20

O ninja se deitava na sua cama para ter algumas horas de sono, sua mente se acalmava, enfim, depois de tanto tempo...

O sol estava lindo, Ilumi aproveitava aquele momento mais introspectivo, sua posição em que se e sentara era bem confortável, mas isso não parecia deixar a escrita do mesmo mais bonita, pelo contrário, ela continuaria a mesma letra de sempre, legível, mas feia. O som das aves retiraria a atenção do jovem por alguns segundos que apenas olharia para céu, tentaria fugir daquele local até onde sua vista alcançasse.

O menino se levantaria do lugar em que estava sentado guardando o papel em seu bolso mais próximo a nádega esquerda. Sua pequena bolsa presa na altura da cintura como um cinto balançaria no ato fazendo um som metálico, o jovem rapidamente se surpreenderia, suas sobrancelhas arqueariam junto com uma frase que sairia de sua garganta:

–Quem diria, ainda tem dinheiro aqui… deixe-me contar isso logo.

Ele se mostraria estar surpreso consigo mesmo por deixar algo tão importante passar despercebido, contaria quanto de dinheiro teria dentro da pequena bolsa enquanto daria suas passadas para se locomover daquele local. Enquanto caminhava em direção ao porto branco ele iria ponderar sobre o que fazer com o dinheiro que achou, pois sua barriga pedia prioridade a enviar uma carta, ai ai, não sei o que fazer, preciso comer o mais breve possível, meu estômago deve estar de saco cheio de ficar vazio… boa época quando meu estômago sempre estava cheio quando vivia sobre a mordomia de meus pais, assim que a imagem de seus pais passasse pela sua cabeça, o jovem rapidamente faria um sinal de negação com a mesma, não, eu não vou voltar para a casa deles, pelo menos não ainda, concluiria mentalmente mostrando um certo orgulho em não voltar para a casa de seus pais tão cedo. Depois de se perder em seus pensamentos o jovem olharia para o horizonte, pois percebia que o sol não estava o mesmo, era o castelo de pedras que se encontrava quase que tomando toda sua visão, era algo muito grandioso, o jovem jamais havia pensado em como seria viver em uma moradia assim, ele se questionaria:

–Será que a família que vive neste castelo usa todos os cômodos?

Olharia para ele por mais alguns tempo até que desistiria de encontrar uma resposta por si só, começaria a coçar seus cabelos rapidamente e voltava a seu foco, procurar por algo que pudesse enviar sua carta.

O som do ambiente estava diferente do local onde escrevera a carta, estava mais urbano, as vozes das pessoas eram mais altas, o garoto parecia até mesmo ouvir gritos de pessoas vendendo os mais variados itens, continuaria sua caminhada pelo porto, o cheiro salgado já não parecia mais irritar tanto seu nariz, continuaria a andar pelas ruas da cidade.

Ilumi se depararia com um grande casarão branco, as colunas chamariam a atenção do garoto com sede de descoberta, se aproximaria de uma delas e a apalparia com uma de suas mãos, olharia para o alto dela pensando em quanto metros aquilo teria e o quanto suportava a casa. Assim que levasse seu olhar para o alto, ele logo perceberia o grande símbolo de uma gaivota com papéis, esse pode me ajudar ou ao menos me guiar para alguém que possa… BirdEX, leria mentalmente o nome do estabelecimento ao final de seus pensamentos.

O jovem alcançaria a carta em seu bolso traseiro e a traria para perto de seu peito, ele se encontraria um pouco apreensivo naquele momento, mas mesmo assim ele seguiria para dentro do estabelecimento, ele estaria um pouco perdido por um momento, olharia para seus arredores para tentar se localizar, assim que olhasse para a fila ele concluiria:

– Só pode ser ali.

O jovem então entraria no final da fila, assim que estivesse posicionado ele recurvaria, um pouco, o seu torso fazendo com que sua cabeça ficasse um pouco fora da fila, ele contaria quantas pessoas haviam em sua frente, um, dois, três… dez, onze, doze… é bastante gente, espero que não demore muito, pensaria o jovem um pouco estressado, ele bateria seu pé no chão com o ritmo de uma música que sempre escutou sua mãe cantar, enquanto cantaria a letra em sua mente o tempo parecia passar mais rápido e aquela fila infernal se movia num piscar de olhos, o menino sequer notaria a presença de alguns idosos que tinham preferência na fila.

Finalmente a vez do garoto havia chego, ele já estaria com a carta em mãos, se dirigiria para mais próximo da moça que proferia algumas palavras, o jovem atentamente formulava uma resposta mesmo que se olhar fosse se perder nos lábios carnudos da mulher:

– Er… eu quero enviar essa carta para Shells Town, mais especificamente para a família Krewella que mora naquele ilha, quanto isso custará?

Perguntaria o jovem agora um pouco mais à vontade, apoiaria uma de seus cotovelos no balcão de mármore que separava Ilumi da moça, seguiria apoiando seu queixo na mão de tal braço e seguiria dizendo caso não tivesse dinheiro para pagar a entrega ou se comprometesse mais da metade do seu atual orçamento:

– Tudo isso moça, não teria como fazer um preço mais – ele daria uma pausa, com sua outra mais ele desenharia um círculo imaginária com a ponta de seu dedo indicador, voltaria com seu olhar focado nos olhos da moça – em conta para… sabe, posse fazer o que a senhora desejar – daria a entender assim um certo interesse do jovem pela mulher dos grandes lábios carmesins.

Se Ilumi ainda sim não tivesse dinheiro para tal ele sairia do estabelecimento com a carta e buscaria algum método fácil para conseguir o dinheiro que precisasse, eu preciso fazer algo logo, não precisa ser algo correto, apenas quero dinheiro logo. Seguiria em direção a alguma área que tivesse um ar mais perigoso, seu intuito era assaltar ladrões, mas para isso ele precisaria de alguma arma como uma faca, talvez se eu comprar uma faca com esse dinheiro que tenho, eu possa ter mais sucesso na minha empreitada, concluiria o jovem seguindo para alguma loja de armas para comprar aquilo que buscava.

Se encontrasse tal loja ele iria adentrar e falaria com o vendedor:

– Olá, busco algum par de facas barato ou apenas uma mesmo, quanto isso custará?

Perguntaria ao vendedor, daria o dinheiro necessário para pegar a arma e logo partiria para pôr seu plano em ação, ele pretendia ser uma vítima, para isso ele entendia que apenas necessita andar nas áreas mais perigosas do porto.


Ilumi acordaria se surpreendendo por conseguir lembrar do sonho que teve, pois ele havia pego o sonho no meio.

Palavras:1097 vide contador do word

_______________________

-
Shiro
Tokubetsu Jonin
Shiro
Vilarejo Atual
Ícone : [Filler] O sonho daquele que queria ser livre 100x100

http://narutorpgakatsuki.net

Re: [Filler] O sonho daquele que queria ser livre - 22/2/2019, 08:22

Dinheiro é tudooooooooo. (Não esquece de por status na próxima, okay?!)

[Filler] O sonho daquele que queria ser livre Jbc8Apt

_______________________

-


Edição de Aniversario por Shion e Senko.