>
Naruto RPGAkatsukiNão é o único, simplesmente o melhor!
Arco 11:
Reino de Lilith: PesadeloAno: 71DG
Após uma dura jornada, Shaka finalmente caiu e teve a maldição retirada de seu coração. No entanto, os problemas trazidos pela família Hattori não se extinguiram. Shion revelou ter ajudado a libertar Lilith, uma monarca da dimensão infernal, que agora está possuindo o corpo de Hyuga Katsura e libertando uma horda de seres infernais contra este mundo. O mundo corre risco de ser consumido pela maldade dessa criatura, mas não se o plano de Shion der certo: forçar Lilith a causar um evento chamado de O Grande Eclipse, onde as portas de todos os mundos e dimensões ficarão abertas, e assim permitir a ele ir ao submundo resgatar sua amada Katsura Grey para finalmente selar Lilith.
Sumário
Mapa
Staff
Discord
Facebook
Contos
Estação: Inverno

Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

[Filler] Um dia no Inferno. - 6/2/2019, 03:10

Axuul escreveu:
Axuul escreveu:
Um dia no inferno




Mais um dia na vida de Akechi. Hoje ele irá fazer algo que não faz há muito tempo: pescar. Era um passa-tempo de infância que acabou se tornando um pesadelo mais tarde, o que o causou uma fobia de ondas, e por isso, nunca mais pescou. Mas, algo que nem ele acreditou aconteceu: Ele perdeu no shogi. Era mais um dia normal, como qualquer outro, Akechi fazia seus deveres como ninja, visitava a biblioteca, caminhava pela vila e se encontrava com seus amigos, mais precisamente, com Furuta, era uma amizade que tinha feito recentemente. Era seu parceiro de shogi e de treino. Após um dia cheio de exercício e missões, Akechi o convidou para jogar shogi, como sempre fazia, e Furuta, aceitou, como sempre também.

Ambos foram para casa de Akechi, prepararam um chá, e então começaram a partida. A primeira, Akechi venceu sem maiores problemas, como o esperado, a segunda e a terceira também. Após o fim da terceira, Akechi foi pegar mais chá. E continuou a sequência de vitórias... Ao fim da quinta partida, Furuta tinha percebido algo de estranho. Quando ele foi dar um gole no seu chá, sentiu um cheiro diferente, e por fim, deu um gole.

— Akechi... Isso é saquê? Perguntou Furuta.
— Quêêê?? Do que você tá falando, cara isso é chááá... Respondeu Akechi

Furuta não tinha nenhuma dúvida, aquilo com certeza era saquê, e Furuta perdeu as contas de quantos copos Akechi já tinha tomado, com certeza, ele estava completamente bêbado. Enquanto Akechi se gabava de mais uma vitória, Furuta olhava para o rosto de Akechi, rindo com um tom bem baixo. Quando Akechi percebeu isso, já era tarde demais, sua outra personalidade tomou o controle.

— Tá rindo do quê, seu babaca? Tem algo na minha cara?
— Lá vem ela de novo... Diz Furuta sobre a outra personalidade de Akechi
— Me responde, seu otário! Eu te venci mil vezes no shogi! Você TÊM que me responder.... Diz Akechi, ainda bêbado.
— Eu aposto que você vai perder dessa vez, do jeito que está bêbado, vai nem pensar direito. Provoca Furuta
— AH, É!? Vamos ver então, vou te destruir! Se eu ganhar, você me deve cem mil ryous! ouviu? Diz Akechi
— Hahaha! Feito! Mas se eu vencer, você vai ter que vir pescar comigo! Diz Furuta

Então, no momento que a partida vai começar, Akechi retorna a si. Ele não se lembra de nada, apenas lembra que está jogando shogi com o seu amigo Furuta, uma partida normal. Furuta percebe de primeira que Akechi está diferente, está fazendo movimentos mais rápidos, como se estivesse pensando menos,
E a partida continuava, parecia que Akechi não percebia que estava perdendo, ele só movia as peças sem propósito algum.

— Há! Eu venci! Toma essa, Akechi! Diz Furuta
— Ah, é mesmo... e o quê você ganha com isso? Diz Akechi
— Não vai me dizer que já se esqueceu da aposta!? É bom não estar se fazendo de burro.
— Hein? Mas que aposta, você tá louco?
— Puts! Esqueci que quando você volta a si, você não se lembra de nada...

Furuta explica toda a situação para Akechi, desde o momento que perdeu o controle até o momento que voltou a si.

— AHH! EU TE ODEIO! Exclama Akechi sobre sua outra personalidade

Por fim, Akechi não tinha escolha, ele tinha que cumprir com a "sua" palavra... Mas enfrentar ondas é quase impossível para ele. Após todas as partidas, eles se despedem e Furuta vai para a casa, Akechi não acreditava que teria que ir pescar mais uma vez. Pelo menos é daqui a uma semana. Ele vai ter tempo pra se preparar psicologicamente.

Uma semana se passou e chegou o dia. Akechi já estava todo preparado para enfrentar o mar mais uma vez, sem nenhum problema! Ele se encontrou com a família de Furuta, lá estava o pai e a pequena irmã de Furuta. todos pescavam por passa-tempo. Enfim, eles tinham que ir paras as docas dessa vez.

Ao chegar num local alto, eles conseguiam ter visão do mar, no momento que Akechi viu a cena, ele paralisou e caiu no chão. Akechi desmaiou por completo.
Akechi foi acordar, muito tempo depois, em um local desconhecido, ele percebeu que estava balançando bastante... Akechi ainda estava deitado, se questionando do porquê estar balançando, e logo ele se levanta, e o quê ele vê? O Inferno. Era onda para todos os lados, não tinha fim. Akechi desmaiou mais uma vez.

Tempos depois, Akechi acorda novamente, mas dessa vez, fica deitado, não quer levantar de jeito nenhum.

— Aí, Akechi! Não precisa ter medo dessa vez, você tá dentro da cabine do piloto, é só não olhar para as janelas. Fica olhando pro chão. Diz Furuta
Akechi confiou em Furuta e ficou olhando para o chão, mas, ele sabia que de qualquer forma teria que enfrentar o seu medo, então, bravamente, olha mais uma vez. Ele vê uma imensidão de água. Akechi dessa vez não desmaia, ele fica muito ofegante e começa a suar frio, logo, começa a olhar pro chão novamente. Enquanto olhava para o chão, ele pensa como o barco que está se parece, pelo pouco que olhou ele deduziu algo assim:

Barco:
[Filler] Um dia no Inferno. Fishin10

— Furuta! Cuidado com a pedra! Vira, vira! Diz o pai de Furuta

Quando Akechi percebe o grito de pai de Furuta, o barco já tinha batido, o barco começa a balançar muito, por sorte, Akechi consegue ficar dentro do barco pois está dentro da cabine, e ao olhar o chão novamente, vê Furuta desmaiado no chão. Akechi começa a ouvir mais e mais gritos do lado de fora.

— Socorro! Eu não sei nadar! Diz a irmã pequena de Furuta.

Furuta estava desmaiado na frente de Akechi, o pai de Furuta não disse nada, Akechi deduziu que ele era o único que poderia salvar a pequena garotinha. Certamente, não fui uma escolha muito fácil para Akechi, mas a vida de alguém é algo muito importante e não pode ser perdido. Ele tinha que ir.
Akechi, dessa vez, não exitou. Saiu da cabine do piloto e pulou no mar na direção de onde a voz estava vindo.

Se o cada pessoa tivesse um inferno próprio, esse seria o de Akechi. Nada podia ser pior do que ele estava vendo. Era algo terrível, era onda para todos os lados. Mas, Akechi continuou, pegou a garotinha e a jogou dentro do barco, Akechi acabou de salvar uma vida. Enquanto Akechi subia no barco novamente, ele ouve outra voz, dessa vez, a voz do pai de Furuta. Ele tinha que ajudá-lo.

— Aqui! Eu estou aqui! Socorro! Alguém me ajude! Gritou o pai de Furuta.

Pelo som da voz, que não estava tão quanto a voz da irmã de Furuta, ele com certeza estava mais longe. Então, Akechi nadou, nadou e nadou. Parecia que ele passou horas nadando, sendo que na verdade não passou de segundos. Ele pediu para o pai de Furuta se apoiar nele, e o auxiliou para voltar para o barco, por fim, Akechi salvou a todos.

Após Akechi salvar o pai e a irmã de Furuta, ele olha em volta e fica parado por alguns segundos em pé. Segundos depois, ele solta um grito extremamente alto, e então ele despenca, desmaiando mais uma vez. Dessa vez, Akechi acorda em um lugar familiar, é o seu quarto. Ele olha em volta, e recorda o que aconteceu, ele enfrentou o seu medo, da maneira mais louca possível.

Akechi continuou a olhar em volta, e percebeu uma carta do lado de sua cama, ele a pega e começa a ler.

Para Akechi:
Oi! Cara, segundo meu pai e minha irmã, o quê você fez lá foi incrível! Não consigo acreditar que eu fiquei desmaiado todo tempo... Eu bati minha cabeça no momento da batida na pedra... Mas, você conseguiu, parabéns!
Não se esqueça de continuar treinando!


— Furuta.

Furuta deve tê-lo deixado em casa enquanto Akechi estava desmaiado, bom, era o mínimo que ele podia fazer!

Akechi realmente enfrentou o seu medo, e dessa vez, se sentia mais forte do que qualquer um! Ele podia nadar quilômetros se quisesse! Akechi nunca tinha se sentido dessa maneira antes, era algo realmente formidável. Por fim, Akechi deixou a carta de lado. Ainda não acreditou que seu medo de infância tinha sido superado, e ainda de uma maneira incrível como aquelas!

Enfim, Akechi se deita novamente, e volta a dormir, depois de enfrentar uma fobia e ainda salvar vidas, certamente ele está muito exausto.



HP: 200/200 | Chakra: 200/200 | Stamina: 00/02


Notas:

Palavras: 1408
Objetivos:
+100 de status e superar o defeito "Quimofobia" (medo de ondas)



XIII
-
Note
Chūnin
Note
Vilarejo Atual

Re: [Filler] Um dia no Inferno. - 6/2/2019, 03:28

Akechi ainda vira marinheiro, certeza

Aprovado

_______________________

-


Edição de Aniversario por Shion e Senko.