:: Área de Mudanças :: Centro de Melhorias :: Treinamentos de Fillers
Alvorecer
Arco 04
Ano 17 DG
Verão
A queda do pastor cobrou um preço altíssimo do mundo ninja: o golpe final trouxe ao mundo um tempo de dor e sofrimento; fome e pobreza retornaram às ruas, a violência triplicou, os antigos heróis caíram ou ficaram desacreditados. Mas, um pouco perto do amanhecer, a Hydra, que até então se mantivera em silêncio, mostrou-se das sombras, trazendo oportunidades de emprego e uma esperança para salvar o mundo dessa mais nova calamidade. Líderes ninja não tiveram escolha senão se arriscarem em tratados suspeitos para conseguir manter firmes seus lares e seus soldados. No entanto, os reais planos da Hydra ainda continuam sendo um grande mistério.
... clique aqui para saber mais informações
Shion
Fundador do RPG Akatsuki, Shion é responsável por manter o bom funcionamento de todas as áreas do fórum há mais de 10 anos. Completamente apaixonado por RPG e escrever, hoje é o principal responsável pelo desenvolvimento de toda a trama desse universo baseado na arte de Kishimoto.
Shion#7417
Angell
Angell é jogadora de RPG narrativo desde 2011. Conheceu e se juntou à comunidade do Akatsuki em fevereiro de 2019, e se tornou parte da administração em outubro do mesmo ano. Hoje, é responsável por desenvolver, balancear, adequar e revisar as regras do sistema, equilibrando-as entre a série e o fórum, além de auxiliar na manutenção das demais áreas deste. Fora do Akatsuki, apaixonada por leitura e escrita, apesar de amante da música, é bacharela e licenciada em Letras.
Angell#3815
Indra
Oblivion é jogador do NRPGA desde 2019, mas é jogador de RPG a mais de dez anos. Começou como narrador em 2019, passando um período fora e voltando em 2020, onde subiu para Moderador, cargo que permaneceu por mais de um ano, ficando responsável principalmente pela Modificação de Inventários, até se tornar Administrador. Fora do RPG, gosta de futebol, escrever histórias e atualmente busca terminar sua faculdade de Contabilidade.
Indra#6662
Biskath
BisKath é jogador do NRPGA desde julho de 2020, tendo encontrado o RPG por meio de pesquisas e começado a jogar nele, sem pausas desde então. É jogador de RPG desde 2013, mas o Akatsuki foi o primeiro de Naruto em que se aventurou. Apenas começou como moderador em abril de 2022, se dedicando as funções da moderação até se tornar administrador em julho do mesmo ano, auxiliando também na avaliação da área de criações. Fora do fórum cursa desenho, pois tem interesse em artes de forma geral..
BisKath#0666
XXXXX
XXXXX
Discord#1234

Note
Chūnin
Note
Vilarejo Atual

[Filler] A perda da primeira emoção, empatia - Publicado Seg 28 Jan - 4:51:12


HP: ❲ 675 • 675 ❳ CH: ❲ 1150 • 1150 ❳ ST: ❲ 06 • 06 ❳

Essa é uma história do passado de Ilumi, uma história não muito feliz como muitos leitores podem estar procurando.

A casa Zoldyck, uma família pouco conhecida popularmente, pois seu trabalho é feito na sombra, Silva, pai de Ilumi sempre treinou pessoalmente o jovem, pois era seu segundo mais velho, o primeiro não aparentava ser muito discreto, por conta de tal problema Silva forçou seu filho ser o mais discreto possível.

Era mais uma manhã, o sol mal havia brotado do horizonte, sua luz sequer iluminava sua janela e Ilumi já estava sentado em sua janela com seu olhar vazio focado no horizonte, ele balançava sua pernas para gastar um pouco de sua energia hiperativa que toda criança tem, ela estava ansioso para finalmente começar o treino com seu pai, finalmente… finalmente eu vou treinar com o papai, eu esperava tanto por isso, será que eu vou ter o elemento fogo como meu irmão mais velho Ikki, ele saltava da cadeira, na varando mesmo ele dava chutes e socos sem pretensão alguma, o garoto estava tão engajado em seus movimentos que ele sequer notava ao seu redor, por tal motivo seu pai conseguia entrar no quarto, ele encostava na parede e via os movimentos do filho, ele então batia na porta de seu quarto para chamar a atenção do garoto e dizia -taijutsu não é uma de suas artes mais fortes, por que não focamos em outra coisa?

O menino então parava com um susto assim que via que seu pai, ele logo tentaria se recompor com sua postura, colocaria a mãos em seus bolsos e olharia para seu pai, ele sequer ria da piada que seu pai soltava, pois no fundo Ilumi sabia que seu pai não soltava piadas, seu pai logo saia do quarto sem falar mais uma palavra, Silva falava novamente -você já sabe qual é sua natureza elemental?- Ilumi não demoraria nem um segundo sequer e responderia -tenho afinidade com doton, senhor- ele não chamava seu pai de pai e sim de senhor, o garoto nunca entendeu direito, mas ele apenas seguia aquilo que lembrava.

Ambos seguiam para uma sala no subsolo da grande mansão Zoldyck, dentre muitas câmaras Ilumi entrava em uma que soltava um som peculiar, era como um chocalho, o som de coisas se rastejando no chão davam um leve calafrio ao garoto, ele hesitaria por um momento, mas no exato segundo que o garoto fazia tal ação seu pai olharia para trás com um olhar de assassino, ele olhava de tal forma para seu próprio filho, para sua prole, nenhuma palavra era trocada entre os dois, Ilumi apenas seguia para dentro da sala com seu medo exalando pela sua pele.

O salão de pedra era bem simples, mas amplo, no cômodo havia buracos que aparentavam ser a origem dos sons que escutava do corredor do subsolo, o garoto ousava se aproximar de uma das bordas dos buracos, ele curvaria um pouco seu torso e olharia para dentro do buraco escuro, seu pai logo aparecia ao lado com uma tocha em mãos iluminando o fundo do buraco, Ilumi se surpreendia e ficava paralisado de medo no ato, eram cobras de grande quantidade que se entrelaçam, passam uma por cima das outras, era uma cena certamente grotesca para as pessoas comuns, mas seu pai dizia -seu treinamento será o de ficar imune a todos dos venenos- o pai apontava para o resto dos buracos e continuava -em cada buraco a cobras e neles um tipo de veneno diferente, apenas venha falar comigo quando estiver imune a todas as cobras que aqui habitam- o pai do jovem se retirava do local deixando a tocha ali queimando, aquele objeto era a única coisa que emanava calor naquele lugar frio, silencioso e grotesco para Ilumi.

O menino com a tocha em mãos andava mais pelo local, pois ele já sabia muito bem que passaria um bom tempo frequentando aquele lugar, havia exatamente quinze buracos cheio de cobras, o garoto apenas andava ali, eu serei deserdado da família se hoje eu não ficar imune a pelo menos um tipo de cobra, o menino andava mais um pouco voltando ao primeiro buraco que havia visto, ele prendia a tocha no seu devido lugar que iluminava o fundo do buraco mostrando as cobras, ele ficaria de joelhos na borda, sua respiração ficará mais acelerada, ele passava a respirar não só pelo nariz mas pela boca também, as cobras pareciam responder ao medo do jovem, elas se atissavam, faziam mais barulhos, o fundo do buraco parecia ficar mais próximo, o número de cobras era incontável naquele buraco, Ilumi fechava uma de suas mãos enquanto com a outra ele iria estendendo lentamente, assim que seu braço ficava semi estendido ele via sua própria mão tremer, uma das cobras dava um salto tentando morder a mão do jovem, mas ela não chegava na altura necessária para dar sua mordida e colocar seu veneno, o jovem voltaria com sua mão direto ao seu peito, ele voltava a sua respiração ofegante, ele engolia sua saliva a seco e continuava a olhar para o buraco.

Ilumi falhava no primeiro treinamento que seu pai dava pessoalmente, ele estava com medo das cobras, mas agora além do medo das cobras ele sentia um desgosto sobre si, era algo dificil de explicar, ele se sentia vazio, só, como as cobras naquele lugar, por mais que existissem outras iguais a eles literalmente ao seu lado, de nada importava.

Num ato desesperado o garoto apenas corria do subsolo do escuro e frio mesmo que o local proporciona e seguia direto para seu quarto, ele não queria ver ninguém no momento, ele até mesmo trancava a porta, seguia para a suíte de seu quarto e trancava a porta também, ele se enchia de barreiras físicas de todos ao seu redor, ele escorregava de costas pela porta do banheiro até sentar no chão, ali ele ficaria apenas olhando para o nada sem entender direito tudo que havia acontecido naquelas poucas horas do seu dia.



Palavras: 1016

_______________________

[Filler] A perda da primeira emoção, empatia 01YWM7A

Marudashi
Genin
Marudashi
Vilarejo Atual
[Filler] A perda da primeira emoção, empatia 01YWM7A

Re: [Filler] A perda da primeira emoção, empatia - Publicado Seg 28 Jan - 10:57:13

@

_______________________

[Filler] A perda da primeira emoção, empatia BuYpCsE