Sobreviventes
Shaka retornou. O inimigo número um da humanidade num passado apagado da existência retornou ainda mais poderoso. Os fantasmas dos heróis que o aprisionaram no passado solicitaram a ajuda de guerreiros poderosos que estivessem dispostos a selá-lo na cadeia do tempo, porém, algo de errado ocorreu. Shaka não só conseguiu escapar dos inimigos como ainda corrompeu os fantasmas e roubou uma das três marcas sagradas do tempo. Enquanto isso, as vilas sofreram ataques massivos de seguidores da religião de Jashin, todos acreditando que Shaka é o verdadeiro deus da morte. Templos foram encontrados nos arredores de cada vilarejo e aos poucos foram derrubados. Mas o inimigo da humanidade não tinha apenas uma carta na manga; Kinarra, um demônio antigo, voltou do além buscando a destruição do mundo, entretanto, ao enfrentar os novos heróis da humanidade, acabou se aliando aos humanos até que Shaka reapareceu e a selou novamente mostrando todo o seu poder. O mundo se encaminha para uma era sombria ou de paz? Só o tempo dirá.
.
.
.
.
.
Últimos assuntos
» [Treino] Time 69
Hoje à(s) 20:10 por Kai

» [Criação de Jutsus] Gabrielmolina
Hoje à(s) 20:09 por DelRey

» [CRIAÇÃO - JUTSUS] Ban
Hoje à(s) 20:08 por DelRey

» [Criação de Jutsus] Hatake Kai
Hoje à(s) 20:05 por DelRey

» [M.S] Kuro
Hoje à(s) 20:04 por Kuro'

» CJ; Hansen
Hoje à(s) 20:04 por DelRey

» [F] Koyama Kurai - Widowmaker
Hoje à(s) 20:00 por DelRey

» [Capitulo - Victor_calnat] Decisões Fatais
Hoje à(s) 19:55 por Victor_calnat

» [ MORTES ] Cemitério Ninja
Hoje à(s) 19:52 por DelRey

» [Status] Iris Jiyūna
Hoje à(s) 19:52 por DelRey


solo: A VONTADE DE VIVER, por INDRA.

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

solo: A VONTADE DE VIVER, por INDRA. - em Dom 6 Jan - 22:51




KOBAYASHI INDRA

    Indra estava pronto para partir em viagem com a sua mãe. Não sabia muito bem para onde ela o estava levando, mas tinha certeza de que seja onde fosse, ele não estava nenhum pouco afim de ir. Só que se ficasse em casa sozinho, acabaria morrendo de fome, ou por qualquer outro motivo que ele inventaria para cometer suicídio. Por isso a sua mãe foi insistente em levá-lo para a viagem.

    Mesmo não querendo, eles foram assim mesmo, e acabaram chegando em uma fazenda ao Norte de Konoha antes do anoitecer. Era o local onde os tios de Haru viviam, sendo um casal simples, mas de boas posses, algo que não interessava muito a Indra. O casal não devia ter mais do que sessenta anos, e tinham alguns filhos e sobrinhos  que trabalhavam na fazenda com eles, plantando e cuidando dos animais.

    Haru: Indra, esses são os tios Ryohei e Rukia. - apresentou a mãe aos tios.

    - É um prazer conhece-los, apesar de eu não estar nenhum pouco afim de vir para cá. - respondeu sincero, olhando para tudo com expressão de tédio.

    Haru: Indra! – olhou feio para o filho.

    Ryohei: Tudo bem, tudo bem... – ele começou a rir. – Gosto de pessoas honestas. São mais fáceis de lidar do que as pessoas mentirosas. – respondeu, olhando para o garoto. - Irei levar vocês dois aos aposentos, e depois mostrarei a vocês toda a fazenda.

    Indra e Haru foram levados a um quarto cada um. Indra gostou do seu quarto, não tendo muitas coisas desnecessárias, apenas o básico e essencial, e ainda por cima ficava perto do banheiro. Avisou a todos que só sairia do quarto quando fosse a hora de jantar, ficando livre para deitar-se e descansar por algum tempo, afinal não tinha nada para fazer naquela fazenda, ou era assim que ele pensava.


CHAKRA (425/425) - HP (425/425)

Considerações:


303/200 Palavras
Solo para superar defeito Suicídio (2)
Ficha de Indra - Traje do Personagem
Indra
Chūnin
Chūnin
Ver perfil do usuário




KOBAYASHI INDRA

    No dia seguinte, Indra foi com Ryohei passear pela fazenda de cavalo. Não gostava muito do ambiente, afinal não era acostumado com ele, mas admitia para si mesmo que o clima era muito mais agradável daquele lado de Konoha, com todas aquelas árvores e animais, que eram muito melhores do que seres humanos. O senhor mostrava toda a fazenda para ele, que ficava impressionado com as suas posses.

    Ryohei: Do que você mais gosta daqui, Indra-chan?

    - Do fato de não haver muitas pessoas por aqui... Elas são chatas a beça. - respondeu de forma sincera, fazendo o velho rir.

    Ryohei: Sua sinceridade é formidável, menino... Nunca vi um jovem que fosse tão honesto durante todos esses anos. As pessoas costumam ser falsas umas com as outras, para conseguir vantagens ou favores. Por respeito a você, eu lhe serei sincero também: sua mãe anda preocupada com você e com suas atitudes e pensamentos.

    Aquilo não deixou Indra mais confortável. Sua mãe andava contando sobre os seus problemas pessoais para outras pessoas, como se já não bastasse os vizinhos e ex-colegas de Academia lhe perturbando sobre as suas ineficiências em conseguir se envolver socialmente com as pessoas da vila.

    - Não é nada demais... Quer dizer, é alguma coisa sim, mas eu estou lutando contra isso. Apesar de... - pensou em falar sobre os seus desejos de morte para Ryohei, mas mal o conhecia. Por que desabafaria com um homem com quem não tinha nenhum laço? - Eu já estou superando o meu medo das pessoas. Faz um bom tempo que eu não tenho algum tipo de ataque.

    Ryohei: Se você está melhorando, deixa eu lhe fazer uma pergunta: por que você vive, Indra? Qual é o seu motivo para continuar vivo?

    A pergunta acabou pegando Indra de surpresa. Ele nunca tinha pensado naquilo, nem mesmo quando estava prestes a pegar qualquer objeto afiado para enfiar na sua garganta. Em cima do cavalo, Indra começou a ficar pensativo. Será que vivia para dar alegria para a sua mãe? Era um bom motivo, mas não forte o bastante, afinal ela não viveria para sempre.

    Então por que Indra vivia?


CHAKRA (425/425) - HP (425/425)

Considerações:


357/200 Palavras - Parte 2/8 "Superando Suicídio"
Ficha de Indra - Traje do Personagem
Indra
Chūnin
Chūnin
Ver perfil do usuário




KOBAYASHI INDRA

    - Honestamente, eu não sei porque eu estou vivendo ainda. Eu entendo que tenho tudo o que eu preciso, pelo menos o básico. Mas ainda não tenho o motivo certo, algo que me faça acordar todos os dias, nada além de não querer a ajuda de ninguém para mais nada. - respondeu Indra, coçando a cabeça.

    Ryohei: Bom, quando você descobrir, logo entenderá porque estava sempre cabisbaixo por aí, pensando em ideias estupidas como tirar a própria vida. – respondeu o senhor, piscando para ele. – Eu entendo como se sente, menino. Já passei por situação igual quando eu tinha a sua idade.

    Os dois continuaram andando a cavalo pela floresta, quando foram surpreendidos por cinco homens, na maioria jovens, parados em uma árvore, contando algumas notas que pegavam em um saco. Eles não pareciam ser o tipo de pessoas que inspiravam confiança, e quando olhavam para Indra e Ryohei, pareciam enxergar novas vítimas em potencial. Sorriam debochados, respiravam como se fossem deuses na terra.

    Ryohei: Continue andando, Indra... Não dê confiança para eles. – pediu o mais velho, voltando a olhar para frente, assim como fez o Gennin de Konoha. Ver ladrões como aqueles caras fazia lembra-lo do seu pai, que tinha fugido da vila para se tornar um criminoso.

    - Conhece esses caras?

    Ryohei: São uns ladrões de uma vila vizinha, que as vezes passam por Konoha, roubando e extorquindo pessoas, inclusive perturbando os fazendeiros da região. Já solicitamos ajuda dos shinobis da vila, mas eles sempre somem quando começam a ser caçados. Vermes idiotas...

    - Entendo... - sussurrou, olhando para trás e vendo os cinco ladrões contando dinheiro. - Espero que um dia esses caras parem de perturbar vocês. - disse para o senhor.

    Depois de passearem pela redondeza a cavalo, os dois voltaram para casa, onde se preparam para almoçar junto com os outros. Indra parecia menos deprimido e mais pensativo, querendo entender mais sobre o questionamento que o seu anfitrião fez. Tinha vontade de largar o almoço e se colocar em posição de meditação, para poder refletir mais sobre as palavras do senhor.

    ”Por que eu ainda vivo? Será que é por causa da minha mãe?”, olhou para ela ao se perguntar aquilo. ”Se um dia morrer, o que eu vou fazer?


CHAKRA (425/425) - HP (425/425)

Considerações:

377/200 palavras, segundo o Word360Count
Parte 03/08 superando suicídio
Ficha de Indra - Traje do Personagem
Indra
Chūnin
Chūnin
Ver perfil do usuário




KOBAYASHI INDRA

    Depois que almoçou, Indra passou a tarde inteira caminhando pela fazenda de Ryohei, vendo como os filhos dele e alguns sobrinhos ajudavam nas plantações e cuidavam tão bem dos animais. Nessa altura, o seu anfitrião estava trabalhando, enquanto o garoto apenas observava. Enquanto isso, ele continuava querendo encontrar uma resposta para o seu dilema.

    ”Essas pessoas daqui são tão simples, e mesmo assim parecem ser tão alegres. Será que elas pensam no que fazer das suas vidas, ou elas simplesmente não possuem qualquer tipo de motivação? Será que elas realmente pensam na vida delas, no objetivo, em um futuro?” Aquelas perguntas deixavam Indra concentrado, olhando para todos aqueles jovens trabalhadores, imaginando-se no lugar deles.

    - Hey, han... Yamamoto? - chamou por um jovem. Lembrou do nome dele assim que viu-o. Ele devia ser dois anos mais velho, era mais alto, mas era tão magro quanto Indra. - Posso fazer uma pergunta?

    Yamamoto: Claro. – ele demonstrou ser uma pessoa extrovertida e bem-humorada.

    - Você não se formou na Academia, não é? Quer dizer, você poderia ser um ninja, mas decidiu ficar aqui, trabalhando na fazenda, ou foi forçado a isso?

    Yamamoto: Decidi não ser um shinobi, por vontade própria. Meu pai já foi um shinobi da vila há muito tempo, mas acabou adquirindo muitos traumas por causa disso. Eu decidi, quando eu ainda era uma criança, que não queria passar pelas mesmas coisas que ele, então não me formei. Preferi estudar o básico de calculo e aprender a ler e escrever, depois comecei a trabalhar com o meu pai.

    - Entendi... Então, qual é o seu motivo para viver?

    Yamamoto: O meu motivo para viver? – ele não entendeu a pergunta, fazendo a mesma expressão surpresa que Indra fez quando foi questionado. Mas ao invés de ficar pensativo, ele começou a rir, deixando o Gennin confuso. – Acho que não sei responder isso não.

    - Então você simplesmente vive? Sem motivo algum?

    Ryohei: Hey, Indra! – chamou-o alto, mas com uma voz tranquila. Ele chegou no seu cavalo, parando em frente ao filho e ao seu visitante. – Não vale trapacear. Deve descobrir a resposta por si mesmo.

    Aquilo deixou Indra chateado. Como iria descobrir o seu motivo para viver, se não tinha nenhuma base para tal coisa? Mas enquanto ele continuava a pensar naquelas coisas, alguém parecia observá-lo de longe, como se tivesse interesse em ver até onde ele iria. Esta pessoa ansiava pelo momento de se revelar para o garoto.


CHAKRA (425/425) - HP (425/425)

Considerações:


407/200 palavras
Parte 04/08 de Superando Suicídio
Ficha de Indra - Traje do Personagem
Indra
Chūnin
Chūnin
Ver perfil do usuário




KOBAYASHI INDRA

    Quando anoiteceu, Indra estava exausto mentalmente, ao contrário dos filhos e sobrinhos de Ryohei, que estavam famintos e devoravam tudo que tinha sido feito para o jantar. O Gennin, pelo contrário, não comia muito, afinal não tinha tanta fome quanto os outros, preferindo encher-se o bastante para não sentir fome quando fosse madrugada.

    Ele não participou das conversas animadas que aconteceram durante a mesa, preferindo ficar na sua, comendo e bebendo a vontade. Não gostava muito de conversas, nem mesmo de jantar com muitas pessoas, mas já não sentia mais o medo e as dores que sentia antes. Foi quando ele percebeu que uma garota de cabelos castanhos, que deveria ter a sua idade, mas parecia ter mais, encarava-o o tempo todo. Não sabia dizer o porque, nem ao menos lembrava o seu nome, mas acabou desviando o olhar diversas vezes.

    “Por que será que essa garota olha tanto para mim? Será que eu estou com alguma coisa no dente?”, perguntou para si mesmo.

    Tentou ignorar os olhares dela até finalmente poder subir para o seu quarto, onde arrumou as suas coisas para dormir. Na noite anterior, ele tinha sentido algumas dores nas costas por ter que dormir no chão, mas acabou se acostumando a dormir ali naquele tapetinho tão liso que podia sentir o quão frio era o chão ao seu redor.

    O garoto estava quase dormindo, quando sentiu que tinha alguém no quarto. Seriam os bandidos que tinham invadido a casa e queriam roubá-lo? Indra rapidamente enfiou a mão no estojo de armas e colocou a kunai na mão esquerda, segurando-a com força.

    - Quem é que... Você? - Indra ficou rubro na mesma hora. A garota estava usando roupas de dormir, deixando-o tímido.

    Kyoko: Meu nome é Naomi, e eu sei como você pode descobrir mais sobre o seu dilema.

    - Seu pai disse que fazer isso seria trapaça. Que eu não poderia ter ajuda, que eu deveria fazer isso sozinho. - recusou a ajuda da moça, apesar de achar ela muito atraente, o que queria dizer que ela iria embora.

    Kyoko: Não se preocupe, eu não irei ajuda-lo. Só irei dizer onde você pode encontrar a resposta que você precisa.

    - Onde fica isso?


CHAKRA (425/425) - HP (425/425)

Considerações:


368/200 palavras
Parte 5/8 (Superando Suicídio)
Ficha de Indra - Traje do Personagem
Indra
Chūnin
Chūnin
Ver perfil do usuário




KOBAYASHI INDRA

    Indra e Kyoko conseguiram sair escondidos da fazenda, indo para o estábulo, onde a garota pegou um dos cavalos, deixando que Indra guiasse o animal, enquanto ela ia atrás dele, guiando-o pela floresta. O garoto estava devidamente armado, preparado para qualquer eventualidade. Ao contrário do que ele imaginava, não se intimidou diante da sua presença tão próxima, nem mesmo quando sentiu o cheiro bom dela.

    Os dois não demoraram nem cinco minutos para chegarem ao local indicado pela garota, que saltou do cavalo primeiro, enquanto Indra amarrava o cavalo ao tronco de uma árvore com uma corda. Os dois caminharam por mais alguns metros, até chegar perto de um rio, que corria para leste.

    - O que estamos fazendo aqui exatamente? - toda a atração que Indra sentia pela garota começava a desaparecer ali. Não que ela não fosse bonita, mas estava focado em algo mais importante do que relacionamentos de adolescente.

    Kyoko: Quando o meu pai se sentia mal, ele costumava vir aqui refletir. Dizia que o rio era capaz de levar os seus problemas embora, sempre quando ele encontrava a resposta que queria.

    - O que eu devo fazer, exatamente? Ficar olhando para o rio até dormir? - questionou-se, olhando para ela e depois para o rio.

    Kyoko: Deveria se concentrar. Fique em silêncio, pense em seu problema.

    Indra tentou raciocinar por alguns segundos, mas não conseguia fazer muita coisa com a garota perto dele lhe olhando. Não que estivesse tímido ou com vergonha, mas era o tipo de coisa que Indra preferia fazer sozinho.

    - Desculpe, acho que não vou conseguir fazer muita coisa hoje não. - avisou, coçando a cabeça e dando uma risada de quem acabou de pagar o maior mico. - Me perdoe por isso. Acho melhor irmos para casa.

    Ladrão 1: Mas já? Vão embora assim tão cedo? – de repente, cinco jovens de vinte e poucos anos saíram da floresta, com espadas e kunais na mão. Kyoko ficou assustada, ficando atrás de Indra, que não sabia o que fazer. Todos eles tinham sorrisos malignos no rosto, demonstrando as suas más intenções. – Relaxem... A diversão está só começando.


CHAKRA (425/425) - HP (425/425)

Considerações:


354/200 palavras
Parte 6/8 de Superando Suicídio
Ficha de Indra - Traje do Personagem
Indra
Chūnin
Chūnin
Ver perfil do usuário




KOBAYASHI INDRA

    - Diversão... Roubar pessoas e forçar as pessoas a fazerem aquilo que não querem, isso é diversão para vocês? - perguntou Indra, a voz embriagada de raiva. Os punhos se fecharam lentamente, virando o rosto e olhando para os ladrões que se aproximavam. Apenas o líder, que devia ter uns vinte e cinco anos, parecia ter vontade de responder.

    Ladrão: Gostamos de ter o poder nas nossas mãos. Agora passe a garota para cá... Você não sabe o que fazer com ela, mas nós sabemos. – os seus amigos começaram a rir, chegando cada vez mais perto de Indra e Kyoko.

    Indra então realizou selos manuais e o seu corpo simplesmente desapareceu, sendo sugado pelo solo. Os ladrões ficaram assustados inicialmente, mas como nada aconteceu segundos depois, eles acharam que Indra tinha fugido. Eles acabaram ficando com o caminho livre para chegarem até a garota, que dava alguns passos para trás, achando que o garoto tinha lhe abandonado.

    De repente, o Gennin saiu da terra, saltando acima dos cinco ladrões, caindo em cima de um deles, acertando uma joelhada em seu cóccix, o jogando de cara no chão. Isso assustou-os de uma maneira que acabaram dando passos para trás. O rapaz apenas puxou a pequena Tantõ que estava na mão dele, não se preocupando em pegar a sua, e então correu na direção de outro ladrão.

    Ladrão 2: Ele é rápido! – gritou, antes de ter a Tantõ fincada em sua barriga, jogando sangue pela boca.

    Depois de acertar um, Indra correu na direção de um outro, que já puxava duas kunais do bolso e jogava de forma desajeitada contra o ninja de Konoha, que no meio da corrida, jogou o corpo para frente e deu uma cambalhota no chão, indo parar próximo o bastante do inimigo, girando o corpo e acertando um chute com a sola do pé em seu queixo, o jogando para cima com toda a sua força.

    Kyoko: Que incrível... VAI, INDRAAAAAA!

    Os dois ladrões ouviram os gritos da garota e ficaram amedrontados. Eram apenas ladrões comuns, sem nenhuma aptidão ninja. Apenas muitas armas e habilidades de roubo, enquanto Indra era um shinobi de Konoha, inteligente e cada vez mais evoluído.

    De repente, Indra tinha a resposta em mente. Um motivo para viver? Ele sempre teve um, desde o dia em que foi abandonado pelo próprio pai, que se tornou um criminoso de Konoha.

    - Então vocês acham justo roubar, matar e estuprar? Sentem-se melhores assim? Sabem... Eu achava que seria difícil encontrar o meu caminho, um motivo para viver. Viver por alguém é difícil, mesmo que seja alguém que eu ame, como a minha mãe. Mas olhando para vocês, eu sei exatamente o que fazer da minha vida... Existem muitos como vocês por aí, fazendo o que querem, como se fossem donos do mundo. Bandidos, criminosos, corruptos... Não vou descansar enquanto não matar cada um de vocês. Minha motivação é... Matar toda a escória que existe no mundo. - ele caminhava e ia discursando, realizando selos manuais lentamente, até completar um jutsu Raiton. - Raiton... - esticou a mão esquerda para os dois ladrões. -JIBASHIIIIIIIII! - uma descarga elétrica atingiu ambos os ninjas, que caíram duros no chão.



CHAKRA (375/425) - HP (425/425)
Música Tema

Considerações:


531/200 Palavras
Parte 7/8 Superando Suicídio
Ficha de Indra - Traje do Personagem

Jutsus Usados:

Nome da Técnica: Doton: Dochu Eigyo no Jutsu
Rank: C
Descrição: Esta técnica é usada para esgueirando e marcante em silêncio, como um submarino de peixe, e então de repente aparecer à superfície do solo. Além disso, é ainda mais eficiente quando empregado em uma área lotada de que, se o alvo percebe algo, pode ser invadida pelas massas próximas, ou com distrações como uma técnica Clone para chamar a atenção do inimigo.

Nome da Técnica: Raiton: Jibashi
Rank: C
Descrição: Esta técnica permite que o usuário crie uma onda de eletricidade a partir de suas mãos. O usuário pode variar seu poder a partir de uma pequena onda de choque em um adversário à uma poderosa corrente de relâmpagos capaz de rasgar através da rocha sólida.
Indra
Chūnin
Chūnin
Ver perfil do usuário




KOBAYASHI INDRA

    Indra e Kyoko tiveram trabalho para limparem as evidências de que houve um ataque ali perto do rio. Eles voltaram para a fazenda para pegarem materiais o suficiente para se livrar dos corpos, que Indra tinha matado antes com golpes na cabeça, para não dar nenhuma chance deles acordarem e fugirem.

    Depois disso, eles voltaram com tudo o que precisavam, e o garoto acabou cavando um buraco enorme, grande o bastante para que pudesse enterrar os cinco. Demorou mais de uma hora para conseguir colocar todos no buraco, jogar álcool em seus corpos e então queimá-los, usando a água do rio para apagar as chamas, evitando assim causar um incêndio. Depois de queimar os corpos, eles voltaram para casa.

    Dois dias depois, Indra e Haru já estavam indo embora. Todos caminhavam juntos, com Indra e Ryohei na frente. O garoto parecia ter mudado de personalidade nos últimos dias: estava mais fechado do que antes, mas parecia estar focado em algo. Indra e Kyoko acabaram combinando de nunca falarem sobre o episódio, nem mesmo para os seus pais. Ninguém precisava saber que eles tinham se livrado de cinco criminosos procurados.

    Ryohei: Então você encontrou um motivo para viver?

    - Encontrei, sim senhor. Existem muitas pessoas ruins por aí. Bandidos, malandros, corruptos, aproveitadores. Enquanto existirem pessoas assim, Konoha e todo o mundo ficará em perigo. Eu não pretendo achar todos, mas o máximo que eu puder. - sussurrou, caminhando ao lado do senhor.

    Ryohei: Hmmm... Então você pretende virar membro da Polícia de Konoha?

    - Não, senhor... Eu não pretendo. - então ele saiu andando sozinho, esperando que sua mãe o acompanhasse em seus passos. Olhava sempre para frente, determinado, com uma grande força dentro de si empurrando-lhe para o seu destino. A sua guerra pessoal tinha acabado de começar.


CHAKRA (425/425) - HP (425/425)

Considerações:


298/200 palavras
8/8 Superando Suicídio
Ficha de Indra - Traje do Personagem
Indra
Chūnin
Chūnin
Ver perfil do usuário

@ Parabéns, o solo ficou muito bem descrito. Superação de defeito concluída. (Não se esqueça de colocar nas Modificações primeiramente > e logo depois pôr na ficha.)

_______________________


(— Mod. de FichaBanco — )



Naomi
Genin
Genin
Ver perfil do usuário

Conteúdo patrocinado
Conteúdo patrocinado

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

resposta rápida

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Naruto RPG Akatsuki (c) 2010 — 2019
Layout por Dorian Havilliard e Akeido.