>
Naruto RPGAkatsukiNão é o único, simplesmente o melhor!
Arco 11:
Reino de Lilith: PesadeloAno: 71DG
Após uma dura jornada, Shaka finalmente caiu e teve a maldição retirada de seu coração. No entanto, os problemas trazidos pela família Hattori não se extinguiram. Shion revelou ter ajudado a libertar Lilith, uma monarca da dimensão infernal, que agora está possuindo o corpo de Hyuga Katsura e libertando uma horda de seres infernais contra este mundo. O mundo corre risco de ser consumido pela maldade dessa criatura, mas não se o plano de Shion der certo: forçar Lilith a causar um evento chamado de O Grande Eclipse, onde as portas de todos os mundos e dimensões ficarão abertas, e assim permitir a ele ir ao submundo resgatar sua amada Katsura Grey para finalmente selar Lilith.
Sumário
Mapa
Staff
Discord
Facebook
Contos
Estação: Inverno

S. Law
Genin
S. Law
Vilarejo Atual
Ícone : [Filler maykeren] 100x100

http://narutorpgakatsuki.net

[Filler maykeren] - 7/11/2018, 21:37



Escuridão
 
Era fim de tarde na vila de konoha, o sol já ia se despedindo dos moradores e aos poucos a escuridão ia tomando conta da vila, Maykeren caminhava a passos curtos em direção a sua residência, diversos moradores já iam adentrando as suas casas, alguns estabelecimentos já iam se fechando era mais um final de dia para todos. Maykeren andava com as mãos no bolso usando seu sobretudo azul preso por 3 botões mostrando a tonificação de seus músculos elevada devido seu alto rendimento nos treinos. No momento em que ia se aproximando de sua residência um barulho vindo de seu estomago.. Maykeren sentia fome, afinal não havia comido nada o dia inteiro por estar ocupado treinando. ‘’ksoo.. Sem condições de cozinhar algo agora..” maykeren olhava para o lado e notava um restaurante de ramen aberto, ele puxava sua carteira de ryous e contava para saber se teria o suficiente para saciar sua fome. –ksk, ainda não fui pago pelas missões feitas e meu salario não caiu, será que consigo enrolar o tio dessa barraquinha?--  Adentrava no recinto e dava de cara com o cozinheiro. (Cozinheiro)—Boa noite! Como posso servi-lo.—Maykeren levava a mão a cabeça e com sorriso no rosto tentando não demonstrar que estava duro fazia seu pedido. --aaaa boa noite! Vejamos, ahhhh, eu gostaria de um ramen de carne de vaca por favor. –O cozinheiro então assinalava com um positivo e ia preparando a refeição do garoto, maykeren ficava pensando em formas do que fazer havia uma placa grande dizendo que não faziam fiado, porém a fome de Maykeren era muita, ele precisava comer alguma coisa, e assi era surpreendido pelo cozinheiro que tentava puxar assunto enquanto cozinhava. (cozinheiro)—Escuta, você é novo por aqui certo? –Maykeren estava de costas para o cozinheiro com os dois braços encostados na bancada virava a cabeça ao lado e respondia o cozinheiro. –Ehh.. Em tese sim, cheguei a pouco tempo, morava em um região próxima daqui, vim me tornar um shinobi..—O cozinheiro demonstrava estar entusiasmado por ele ser um shinobi.—(cozinheiro)—Cozinho a alguns anos aqui e já vi muitos shinobis fortes comeram meu ramen, e todos me contam uma história pois acho incrível o que vocês fazem por nós. Por que não me conte uma história enquanto termino seu ramen? –Maykera coçava o ouvido com o dedo mindinho não ligando muito para o que aquele cozinheiro pedia a ele, histórias eram chatas e ele não estava muito afim só queria comer e fugir, porém o homem insistia. Maykerem fechava os olhos voltando a ficar de frente ao balcão e então dizia. –Uma história? Então fechamos assim, se eu lhe contar uma boa história ganho o ramen de graça, o que você acha? – O cozinheiro ficava pensativo, porém no final acabava concordando, Maykeren então agora tinha um outro problema, precisava contar uma história para aquele homem que acabará de conhecer e que fosse boa para assim conseguir ganhar o ramen de graça. –Okay.. vamos la.. –Maykeren começava a contar uma história de quando ele era pequeno onde havia presenciado uma coisa inusitada, algo em torno de 6 anos atrás quando maykeren estava com o homem a quem ele chamava de pai, um criminoso que havia matado os pais de Maykeren ainda quando ele era um pequeno bebe e que não conseguiu matar Maykeren por ele ainda ser um bebe, e decidiu cuidar do garoto. E foi na pequena vila onde eles estavam vivendo que Maykeren acabou fazendo algumas amizades, era a primeira vez que isso acontecia, na verdade eles nunca ficavam muito tempo em um lugar, justamente para não serem localizados viviam como andarilhos sempre em cantos diferentes, em vilas diferentes, porém naquela vila como mencionado Maykeren fez algumas amizades. Certa vez Maykeren e mais dois amigos estavam brincando próximo a um rio e estavam disputando quem fazia as pedras quicarem mais no rio, porém a brincadeira já estava ficando tediosa, sem nada para fazermos um dos meninos deu a ideia para que atravessássemos o riacho afim de mostrar quem era o mais habilidoso entre eles, coisa de criança para mostrar quem era o mais forte. O tempo começava a fechar, e o riacho começava a ficar um tanto quanto nervoso, com a correnteza ficando forte a cada tempo em que os garotos se decidiam quem iria primeiro. Maykeren era o mais novo tinha apenas 7 anos enquanto os outros dois eram 3 e 4 anos mais velhos que ele. Por ordem o menino mais velho foi e atravessava com extrema facilidade. O segundo garoto tomava coragem e se agarrava na corda onde tomava um impulso e conseguia saltar também tranquilamente, porém sem eles perceberem a corda levemente se soltava próximo de onde estava pendurada, talvez pelo desgaste de tempo que ela estivesse ali. Por fim era a vez de Maykeren, o garoto estava com medo, nunca havia feito algo parecido com aquilo, ele se afastava, respirava fundo tomava impulso e corria em direção aos meninos pendurado na corda, o balanço e o impulso que o garoto tinha dado estava o ajudando a levar até o outro lado, foi quando aconteceu... A corda onde estava se soltando o nó, soltou de vez, e Maykeren caia de costas no riacho cuja correnteza forte o levava. Ambos garotos saiam correndo pela beirada do riacho tentando alcançar o garoto, Maykeren contava que estava se afogando que não conseguia puxar ar, foi quando bateu a cabeça em uma pedra e de repente um apagão. Foi ai que a coisa inusitada aconteceu. Um tipo de lembrança, perdida, escondida dentro do subconsciente de Maykeren, uma luz branca era tomada onde aos poucos iam fixando duas pessoas, um homem de estatura alta, forte, e de cabelos prateados, e no outro uma mulher cujos cabelos eram vermelhos e olhos verdes, Maykeren ia se aproximando dos dois e quando chegava bem perto notava que eles cuspiam sangue na face de Maykeren, atordoado, o garoto ficava de olhos arregalados, notava sangue derramando dos dois, e mais sangue, e quando olhava para o cenário que era tudo luz, se tornou em completa escuridão e mortes, com vários corpos espalhados pelo chão ao redor de Maykeren o garoto começava a chorar não entendia o que estava acontecendo, o porque daquelas pessoas estarem mortas, se ancorava em uma arvore e um homem encapuzado com uma faca cheia de sangue se aproximava dele, Maykeren chorava, pedindo para não o matar, e quando ele chegava bem perto que erguia a mão para tocar no garoto, Maykeren abria os olhos cuspindo a agua que havia engolido devido a correnteza, notava que o seu “pai” estava ao seu lado, ele havia o resgatado, Maykeren estava ofegante não só pelo acidente que le havia passado, mas por que o homem do capuz.. Antes dele acordar.. Ele havia visto seu rosto, e lembrava muito o rosto de seu “pai”. O cozinheiro então cortava a história questionando se quem Maykeren havia visto naquele momento era seus pais verdadeiros. O garoto ficava sério, não sabia responder a questão mas provavelmente sim, aquela vez foi a primeira de outras que aconteceram, maykeren dizia que depois daquele dia sonhava direto com aquilo, e que somente terminou esses sonhos quando seu “pai” foi morto a sua frente e toda a verdade foi revelada. (Cozinheiro)—Essa é uma história bem triste garoto, seu ramen está pronto, e leve esse como cortesia.. Sinto muito pela sua família... --Maykeren abria um sorriso de canto de boca o cozinheiro não entendia o porquê ele estava rindo, Maykera então respondia. —Aquela sensação... Ela me fortaleceu muito, daquele dia em diante deixei de ser um medroso e me empenhei em ser forte, pois queria algum dia matar aquela pessoa do capuz que via em meus sonhos... Quem diria que um dia ele morreria mas não pelas minhas mãos, mas eu queria.. Eu queria por a mãos nele, e torturar como eu via ele fazendo em meus sonhos, todos os dias, aquele medo do inicio foi se transformando em gosto.. as vezes eu penso que no final das contas, eu me tornei o homem do capuz dos meus sonhos, pois quando eu luto, algo toma conta de mim, um instinto agressivo afim de torturar meus oponentes sem dó.. E eu gosto disso.. Dessa sensação..—Maykeren finalizava separando os hashis um do outro, pegava sua tigela de ramen e agradecia pela comida. O cozinheiro olhava com pena para Maykeren, sabia que um garoto como ele com esse tipo de pensamento muito provavelmente teria um destino horrível pela frente, porém foi esse caminho que o gennin quis seguir. Maykeren terminava de comer, e pegava seu ramen de cortesia, o cozinheiro fechava as portas do restaurante, e o genin caminhava até sua residência segurando a sacola com a comida, com o rosto inclinado para baixo alguns fios de seu cabelo tampavam a visão dos seus olhos, o mesmo caminhava pela escuridão do bairro de konoha. 

HP: 250/250 | CH: 250/250 | ST: 02/02
Template feito por @MilkWho





Considerações:
palavras 1476

_______________________

[Filler maykeren] 58761_10
-

Última edição por Maykeren em 7/11/2018, 23:18, editado 1 vez(es)
Rocky
Shugonin Jūnishi
Rocky
Vilarejo Atual
Ícone : [Filler maykeren] Tumblr_pse1kamKGv1w7ua6go1_100

https://www.narutorpgakatsuki.net/t65854-ivar#480928

Re: [Filler maykeren] - 7/11/2018, 22:47

Aprovado, +200 status (gostei do seu template).

_______________________

[Filler maykeren] Original
-


Edição de Aniversario por Shion e Senko.