>
Naruto RPGAkatsukiNão é o único, simplesmente o melhor!
Arco 11:
Reino de Lilith: PesadeloAno: 71DG
Após uma dura jornada, Shaka finalmente caiu e teve a maldição retirada de seu coração. No entanto, os problemas trazidos pela família Hattori não se extinguiram. Shion revelou ter ajudado a libertar Lilith, uma monarca da dimensão infernal, que agora está possuindo o corpo de Hyuga Katsura e libertando uma horda de seres infernais contra este mundo. O mundo corre risco de ser consumido pela maldade dessa criatura, mas não se o plano de Shion der certo: forçar Lilith a causar um evento chamado de O Grande Eclipse, onde as portas de todos os mundos e dimensões ficarão abertas, e assim permitir a ele ir ao submundo resgatar sua amada Katsura Grey para finalmente selar Lilith.
Sumário
Mapa
Staff
Discord
Facebook
Contos
Estação: Inverno

Kaginimaru
Jōnin
Kaginimaru
Vilarejo Atual
Ícone : Inútil...

https://www.narutorpgakatsuki.net/t68952-ficha#514831

[Troca de clã] Hurt - Ter 18 Set 2018 - 5:11

Fazia tanto tempo que eu não me sentia tão viva, como pode apenas uma pessoa conseguir me revirar de uma maneira tão estranha assim? Aquele cara estranho de fato estava certo quanto a depressão e sua cura. Eu odiava acordar e ver que estava viva, hoje eu me vi sorridente escovando os dentes na frente do espelho, com ela na minha mente o tempo inteiro. E eu não conseguia sentir nada além de uma imensa felicidade interior... A vida é bela.

Pela primeira vez eu conseguia sentir o sabor dos alimentos, meu café da manhã tinha um gosto horrível! Não era algo impossível de se saber antes, mas simplesmente não me importava nem um pouco. Se eu continuasse me sentindo assim, logo teria que fazer algumas compras, não iria suportar comer essas porcarias nem mais uma vez. Meu dia seria digamos que livre, ao menos não havia feito nenhum plano e por isso teria tempo de sobra... Teria.

Eu me encontrava preparando para tomar um longo e relaxante banho, havia retirado parte das minhas roupas, estava sem qualquer tipo de equipamento ninja no momento em que parte da minha casa começava a desmoronar. Poderia facilmente ser por conta dela estar velha e mal cuidada, se não fosse pelo fogo que a consumia, gerando grandes destruições. Fiquei sem reação, estava seminua, mas quando ouvi as vozes e os passos do outro lado da casa aproximando-se cada vez mais, não consegui pensar em outra coisa senão atacar primeiro e depois perguntar. Não importava quem fosse, tratava-se de uma brincadeira extremamente idiota, essa era a casa dos meus pais, uma das únicas lembranças que eu ainda tinha deles, os responsáveis de tal ato seriam grandes sortudos caso saíssem vivos.

Por incrível que pareça, neste momento eu não me preocupei com o fato de estar apenas com minhas roupas de baixo, muito menos senti medo ou vontade de fugir, apenas ódio, pela primeira vez em tanto tempo eu senti ódio de alguém e mal sabia quem era. Conseguia detectar, através da minha habilidade sensorial, mais de dez chakras diferentes. Eu já não possuía mais a minha habilidade com o papel, certamente, com ela, eu conseguiria resolver isso em questão de segundos apenas atacando todos como se não houvesse amanhã. Não tinha escolhas,  avancei meu corpo por completo em direção à cozinha, onde estavam. —— É ela mesmo! Lembrem-se da ordem! —— Um daqueles homens dizia ao notar minha aparição, me perguntava quem ordenaria uma invasão na minha casa... jamais causei mal aos cidadãos de Iwagakure, no máximo fui ignorante ou irônica com alguém, mas isso não seria motivo para destruírem minha casa.

O maior susto vinha logo em seguida; todos possuíam a mesma marca que eu mantinha em minha testa, eram dos mais variados locais, alguns em um dos braços, outros por locais aleatórios na face, mas todos com o mesmo símbolo. Memórias distantes começavam a surgir na minha mente, desde o começo, onde eu matei a primeira pessoa, o primeiro portador dessa maldita marca, até o assassinato dos meus pais, um ato de vingança desses desgraçados. E aqui estavam novamente, provavelmente viviam escondidos, como no primeiro laboratório que invadi e sempre atacavam em bandos quando necessário, eram covardes, sempre oprimiam os mais pobres nos horários mais requisitados, quando não tinha ninguém para defendê-los. Atacar a aluna da Tsuchikage, pela segunda vez, poderia ser a sentença de morte dessa organização em diversos sentidos, provavelmente não sabiam das minhas evoluções por conta das habilidades que me deram e a minha falha em manter uma delas, mas eu mesmo trataria de matar todos os que cruzassem o meu caminho.

Infundindo uma boa quantia de chakra na região do meu couro cabeludo, meus cabelos cresciam e assumiam a consistência equiparável ao aço. Os fios avançavam em alta velocidade, todo visavam perfurar a garganta de cada um presente na minha casa em chamas, eu não tinha muito tempo, por isso precisaria me livrar de todos o mais rápido possível. Obtive sucesso com todos, poucos deles conseguiam desviar, mas eu continuava insistindo, parei apenas quando todos estavam no chão. Nenhum deles parecia esperar um ataque tão direto, se não estivessem mortos, estariam fardados a morte pela carbonização. Com a brecha, quiça fim da batalha, corri para o meu quarto e busquei as roupas mais acessíveis no momento e fui para fora de casa, observar o incêndio. Eu poderia muito bem pará-lo, mas não valeria a pena, eu eternizaria mais um fator negativo na minha vida fazendo isso e, aliás, eu precisava mesmo me livrar dessa casa, as lembranças dos meus pais apenas me atrasam, por mais duro que isso seja.

Um brilho começava a surgir das marcas de todos eles e eu já havia visto essa cena antes; estavam perdendo o controle por não dominarem a maldição. Treinei um bom tempo para não perder o controle desse inferno e os inúteis ousaram em me atacar, eu ajudaria-os se pedissem com jeitinho. Mas, do contrário ao que pensei, aquelas maldições eram extremamente superiores, não assumiam apenas uma parte do corpo, eram dominados por completo, tornaram-se vários monstros horripilantes, assim como eu, aquela marca era exatamente igual a minha.

Todos avançavam cegamente em minha direção, eu insistia em desviar e contra-atacar, mas os meus ataques não faziam efeito algum, a pele de todos estavam mais rígidas, qualquer das minhas técnicas não era o suficiente para perfurá-los. Eu teria que recorrer ao selo amaldiçoado, assim como eles. E foi isso que eu fiz, minha pele assumia um tom acinzentado, a dor praticamente já não me fazia mais efeito, eu havia me acostumado com isso também.

Segui atacando com muita convicção, fui capaz de matar uma grande maioria, mas utilizei-me de muitos esforços até o momento em que fiquei completamente exausta, não fui capaz de eliminar todos eles. Um gancho direcionado no meu queixo foi o suficiente para me fazer desmaiar. Não tive noção de tempo e sequer vi o caminho, mas quando acordei, estava em um tubo repleto de água, com diversos aparelhos ligados ao meu corpo. Eu não conseguia ver muita coisa, imaginava apenas o que aconteceria comigo, não teria ninguém para me salvar... Esse seria o meu fim.

Eu queria apenas me despedir da Yamiko, mas isso não seria possível... Que péssimo fim. Meus olhos piscavam cada vez mais embaçados e aos poucos eu perdia a consciência novamente. —— NÃO! —— Eu gritei, provavelmente ninguém me escutaria embaixo d'água, mas isso era o suficiente para aumentar minimamente o meu período de vida. A única coisa que pensei foi utilizar daquela água para quebrar o tubo. Fiz todos os selos necessários e direcionei-a para uma região específica... O resultado não era nada positivo.

Desmaiei. E quando acordei, infelizmente não me recordava de nada... Meu passado, meus familiares, meus amigos... Meu amor. Nada. Eu estava furiosa comigo mesma, estava disposta a matar o primeiro que cruzasse o meu caminho. Na minha frente, me encarando, destacava-se apenas um cientista sorridente, eu não tinha como confundir aquele rosto, se ainda tivesse minha memória... Tratava-se do mesmo desgraçado responsável pela morte dos meus Pais, eu havia matado grande parte do exercito dele, mas ele continuava sorrindo, era inacreditável o quão psicopata esse ser era. O tubo em que eu estava "guardada" se abria no instante em que ele apertava um botão. —— Momoi... Você é a minha maior criação... Os meus melhores projetos funcionaram apenas no seu corpo, eu precisava testar esse último com você... —— O idiota dizia. —— Eu não consigo lembrar de nada... O que você fez comigo? Seu desgraçado!... O que você fez comigo? —— Eu dizia, confusa com o que esse louco tentava me convencer.

Eu tenho uma longa história com sua família, Momoi... Seus pais possuíam a linhagem de um extinto clã perdido com o tempo, mas não foram capazes de despertar... Você também possuía, mas não o suficiente... Agora... Você é uma deles, por completo... Uzumaki Momoi, a minha maior criação. —— O lunático continuava. De certa forma, eu não teria outra coisa para pensar, não tinha como não confiar, a dor de cabeça que eu sentia mal me deixava lembrar meu próprio nome. Momoi... Sou eu? —— Questionei. —— Sim... logo sua memória vai voltar, não se preocupe... Mas por hora, me perdoe... Não posso deixar você participar do retorno... Adeus, minha pequena Uzumaki. —— O homem dizia, me golpeando na cabeça, fazendo com que novamente eu desmaiasse.

Eu acordei em meio a vegetação escassa de um local que eu não lembrava de nada, era estranho lidar com toda aquela perca de memória, não sei por qual motivo, mas eu estava sozinha, ao lado de uma grande muralha que protegia várias casas, como um vilarejo... Não perdi tempo, levantei com um pouco de dificuldade por conta das dores intensas que sentia, caminhei com passos lentos para a abertura dentre aquela muralha, como se fosse um grande portão. As pessoas presentes neste local pareciam não se importar com a minha presença no sentido de ameaça, pelo contrário, pareciam me conhecer. —— Momoi! Que bom que voltou —— Um dos rapazes que fazia a proteção do portão dizia. Ele me conhece? —— Eu pensava, não sabia, mas estava em Iwagakure no Sato, o meu vilarejo natal.

Considerações:
1516 palavras
Trocando para o clã Uzumaki
Troca de clã já ativada, presente no meu perfil e no inventário

_______________________


"."
-

Última edição por Kaginimaru em Sex 21 Set 2018 - 23:17, editado 1 vez(es)
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [Troca de clã] Hurt - Ter 18 Set 2018 - 11:15

Qual o clã novo? Não encontrei na narração/considerações.
-
Kaginimaru
Jōnin
Kaginimaru
Vilarejo Atual
Ícone : Inútil...

https://www.narutorpgakatsuki.net/t68952-ficha#514831

Re: [Troca de clã] Hurt - Ter 18 Set 2018 - 11:47


_______________________


"."
-
Kaginimaru
Jōnin
Kaginimaru
Vilarejo Atual
Ícone : Inútil...

https://www.narutorpgakatsuki.net/t68952-ficha#514831

Re: [Troca de clã] Hurt - Qua 19 Set 2018 - 1:00


_______________________


"."
-
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [Troca de clã] Hurt - Qua 19 Set 2018 - 12:35

Mas ela postou na lista e organização, o filler está aprovado, mas poste na lista pedindo o novo clã LOGO (De preferência nas próximas 24 Hrs)
-
Kaginimaru
Jōnin
Kaginimaru
Vilarejo Atual
Ícone : Inútil...

https://www.narutorpgakatsuki.net/t68952-ficha#514831

Re: [Troca de clã] Hurt - Sex 21 Set 2018 - 23:18

Editei uma pequena parte do filler citando o clã e também deixei nas considerações.

_______________________


"."
-
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [Troca de clã] Hurt - Sab 22 Set 2018 - 0:20

-
Conteúdo patrocinado
Vilarejo Atual

Re: [Troca de clã] Hurt -

-


Edição de Aniversario por Shion e Senko.