Naruto RPG Akatsuki
Gostaria de reagir a esta mensagem? Crie uma conta em poucos cliques ou inicie sessão para continuar.
Bem-Vindo
Naruto rpgakatsuki
tópicos recentes
Inverno
O fim da guerra trouxe a paz, junto com a oportunidade das vilas prosperarem e crescerem. O Nascer do Sol se aproxima trazendo uma nova leva de Kages que querem expandir seu território. A primeira reunião dos Senhores Feudais está marcada, onde irão debater o futuro de Otogakure, atual colônia de Kumogakure e palco da última Grande Guerra.
11 DG
ShionFundador do RPG Akatsuki, Shion é responsável por manter o bom funcionamento de todas as áreas do fórum há mais de 10 anos. Completamente apaixonado por RPG e escrever, hoje é o principal responsável pelo desenvolvimento de toda a trama desse universo baseado na arte de Kishimoto.
Shion#7417
AngeAnge, mais conhecida como Angell, é jogadora de RPG narrativo desde 2011. Conheceu e se juntou à comunidade do Akatsuki em fevereiro de 2019, e se tornou parte da administração em outubro do mesmo ano. Hoje, é responsável por desenvolver, balancear, adequar e revisar as regras do sistema, equilibrando-as entre a série e o fórum, além de auxiliar na manutenção das demais áreas deste. Fora do Akatsuki, apaixonada por leitura e escrita, apesar de amante da música, é bacharela e licenciada em Letras.
Angell#3815
SenkoSenko, também jogador de RPG narrativo desde 2011, conheceu o Akatsuki em 2017, mas começou a jogar para valer em 2020, destacando-se pela sua prestatividade e suas habilidades em design e programação. É responsável por ajudar na criação de novos sistemas e regras além de fazer a manutenção do tema do fórum.
BlueJay#0529
BahkoBahko joga fóruns narrativos desde 2010. Após ficar muito tempo sem jogar, voltou em 2020 onde encontrou o Akatsuki. Desde então, vem auxiliando o fórum como Narrador, Moderador e Administrador. Fora do fórum, é estudante de Engenharia Elétrica.
fransudo#7724
AkkeyJogador de RPGs narrativos desde 2012, Akkey (mais conhecido entre os players como Akihito) conheceu o Akatsuki em maio de 2020, encantando-se, acima de tudo, pela comunidade afetuosa e acolhedora formada pelos jogadores do fórum. Atualmente, é responsável por auxiliar no desenvolvimento e adequação das regras e sistemas do RPG, manutenção do tema e design do fórum e gestão da área de avaliação de criações. Fora do universo do Akatsuki, Akihito é graduando em Engenharia da Computação e atua profissionalmente como Desenvolvedor de Software.
wyalves#7702

Ícone
paper
http://narutorpgakatsuki.net
Acordei soltando um grito mudo, minhãs mãos voaram para meu pescoço, o verificando. Meu corpo estava tremendo e suado, o pesadelo ainda estava vivo em minha mente.

Demorou um pouco para que eu conseguisse me acalmar, mas logo a tranquilidade do mundo real invadiu meus olhos, tirando-me de meu transe. Devia ser a terceira fez que isso ocorria nessa semana, eu ainda não tinha conseguido superar o meu passado.

Eles estavam mortos e quase toda noite revivia aquele fatídico momento. Tinha sido fraca e não havia conseguido salva-los. Conseguia me lembrar de seus rostos, eles pareciam pedir minha ajuda e eu nada pude fazer, nada se não correr.

Isso estava para mudar, hoje mesmo começaria meu treinamento. Levantei de minha cama, aprontei-me rapidamente e logo já estava indo em direção a um dos campos de treinamento da vila de Konohagakure.

O sol já havia acordado e começava a aparecer entre as árvores da vila. O local a qual eu cheguei estava vazio, ninguém tinha ousado aparecer ali. Estiquei meus braços e pernas e logo em seguida comecei a fazer alguns exercícios físicos básicos.

Estava na hora de melhorar, meu corpo ainda era fraco e mal conseguia aguentar sequer um pouco de peso, isso tinha que mudar. Faria um treinamento voltado para aumentar meus músculos, assim conseguiria ficar mais resistente e forte.

Comecei o treino fazendo abdominais e agachamentos. Não me importei em esticar meu corpo no solo sujo do lugar, isso não era nada para alguém que almejava se fortalecer, mesmo para uma garota. Fiz o primeiro destes trinta vezes seguidas, o número máximo que conseguia chegar no meu estado atual.

Levantei do chão e voltei-me para os agachamentos. Comecei com vinte vezes, depois trinta e por último cinquenta. No total foram cem agachamentos e trinta abdominais, isso tinha sido o suficiente para fazer o meu corpo tremer de cansaço.

Preferi optar por um leve descanso, afinal, não gostaria de ser levada a uma exaustão que pode-se acabar prejudicando o meu desenvolvimento. Fui para o bar mais próximo, bebi um pouco de saquê, quantia o suficiente para que eu não ficasse bêbada, então voltei para o campo de treinamento.

Estava mais animada e disposta, talvez fosse o efeito do álcool agindo em meu corpo. Começaria fazendo algumas flexões, sendo cinquenta o total. Não demorou para que eu conseguisse fazer isso, assim voltei para os abdominais e agachamentos.

Fiz duzentos de cada, adrenalina corria por meu sangue. Estava bastante cansada e suada, mais ainda não era hora de encerrar meu treinamento.

Encontrei uma pedra de médio tamanho, ela devia pesar uns oitenta quilos. Coloquei meus braços ao redor dela e tentei a levantar do chão. Não consegui fazer isso na primeira tentativa nem na segunda e terceira.

Suspirei pesarosamente e tentei uma última vez, conseguindo então levanta-la do chão. Finalmente, meu treino parecia mostrar alguns resultados. Agora estava na hora de voltar para minha casa.

O vento transcorria-me. Meus olhos assimilavam o caminho que fazia. De facto, não era a primeira vez que passava por ali, nem sequer a décima. Todos os dias, desde que tinha cinco anos, corria por aquela mesma rota, hoje não estava sendo diferente.

Minhas pernas seguiam adiante, uma na frente da outra. Parecia que tudo ao meu redor se movia em câmera lenta. Na verdade, era eu que estava correndo muito rápido. Queria saber o máximo de minha velocidade, por isso havia disparado numa súbita adrenalina. Agora, o cansaço e o torpor prevaleciam em mim.

Não tinha exatamente uma boa resistência, embora fosse agraciado com uma velocidade invejável. E, infelizmente, por esse motivo acabava esgotado num período de tempo curto. Isso era um dos muitos problemas que tinha, o qual precisava urgentemente ser corrigido.

Mesmo que minhas pernas doessem, continuei o caminho que fazia. Contudo, às vezes parava brevemente para dar uma respirada. Enquanto fazia isso, podia perceber que algumas pessoas observavam-me e cochichavam sobre mim. Quando eram pegas no ato, elas apenas disfarçavam e fingiam não terem dito nada.

Já estava acostumado com isso. Sabia o que as pessoas falavam sobre mim, de como eu tinha sumido, algumas diziam que era louco. Elas não estavam enganadas, eu tinha uma dose bem grande de loucura. Mas, ainda assim, odiava o jeito como elas me olhavam. Pareciam ter pena de mim, dó.

Eu poderia fazer algo, mas preferia guardar minha raiva e ódio para meus inimigos. Para elas, meu silêncio bastava. Por fim, terminei minha pequena folga e voltei a correr.

Meus pulmões já estavam acostumados com as longas corridas. Não era mais difícil caminhar, correr ou treinar. Talvez esse fosse mais um fator que ajuda-se com minha tenacidade física.

Aumentei o ritmo de minha corrida, novamente ao máximo que podia chegar. Tentei perseverar com esse padrão rítmico durante uma distância maior a que havia percorrido antes. O resultado? Nenhum pouco agradável.

O vômito saiu antes que eu conseguisse impedi-lo. Felizmente, nenhuma pessoa vira o que tinha acontecido, me livrando de uma enorme vergonha. No entanto, era deplorável o que tinha feito. Não só isso, pois agora sentia o corpo pesado e sem vida. Deveria ter parado para um breve descanso quando comecei a sentir-me mal. Infelizmente, não fora o que aconteceu.

Locomovi-me para longe de lá, parando no bar mais próximo. Tomei um gole de água, que apesar de ter me dado vontade de vomitar de novo, acabou revigorando um pouco de minha energia. Recostei-me numa cadeira e descansei por um longo tempo.

Depois que comecei a me sentir melhor, voltei ao meu treinamento. Não deixaria que uma coisa tão pequena como essa atrapalhasse meus planos.

Claro, dessa vez moderei minha velocidade. Algumas vezes acelerava o passo, enquanto outras apenas dava uma leve caminhada. Continuei assim por mais duas, três horas. Quando senti que havia chegado em meu limite, quase desmaiando de cansaço, voltei para minha casa.

200/200
200/200

Treino de força e Taijutsu. Um ponto em cada um.

_______________________

treino de força e taijutsu, Marina 4728730-0865066312-607c.
paper
paper
Genin
Vilarejo Atual
treino de força e taijutsu, Marina 100x100

Ir para o topo Ir para baixo

Ícone
Convidado
Convidado
Anonymous
Convidado
Vilarejo Atual

Ir para o topo Ir para baixo

Ir para o topo


 
Permissão neste fórum:
Você não pode responder aos tópicos