Naruto RPG Akatsuki
Gostaria de reagir a esta mensagem? Crie uma conta em poucos cliques ou inicie sessão para continuar.
Bem-Vindo
Naruto rpgakatsuki
tópicos recentes
Inverno
O fim da guerra trouxe a paz, junto com a oportunidade das vilas prosperarem e crescerem. O Nascer do Sol se aproxima trazendo uma nova leva de Kages que querem expandir seu território. A primeira reunião dos Senhores Feudais está marcada, onde irão debater o futuro de Otogakure, atual colônia de Kumogakure e palco da última Grande Guerra.
11 DG
ShionFundador do RPG Akatsuki, Shion é responsável por manter o bom funcionamento de todas as áreas do fórum há mais de 10 anos. Completamente apaixonado por RPG e escrever, hoje é o principal responsável pelo desenvolvimento de toda a trama desse universo baseado na arte de Kishimoto.
Shion#7417
AngeAnge, mais conhecida como Angell, é jogadora de RPG narrativo desde 2011. Conheceu e se juntou à comunidade do Akatsuki em fevereiro de 2019, e se tornou parte da administração em outubro do mesmo ano. Hoje, é responsável por desenvolver, balancear, adequar e revisar as regras do sistema, equilibrando-as entre a série e o fórum, além de auxiliar na manutenção das demais áreas deste. Fora do Akatsuki, apaixonada por leitura e escrita, apesar de amante da música, é bacharela e licenciada em Letras.
Angell#3815
SenkoSenko, também jogador de RPG narrativo desde 2011, conheceu o Akatsuki em 2017, mas começou a jogar para valer em 2020, destacando-se pela sua prestatividade e suas habilidades em design e programação. É responsável por ajudar na criação de novos sistemas e regras além de fazer a manutenção do tema do fórum.
BlueJay#0529
BahkoBahko joga fóruns narrativos desde 2010. Após ficar muito tempo sem jogar, voltou em 2020 onde encontrou o Akatsuki. Desde então, vem auxiliando o fórum como Narrador, Moderador e Administrador. Fora do fórum, é estudante de Engenharia Elétrica.
fransudo#7724
RavesJogador ativo desde 2020, Raves entrou pro Akatsuki RPG e desde então vem contribuindo para o engajamento interno do fórum. Atualmente, é o principal responsável pela organização geral, além da criação, revisão e adequação de regras e sistemas, auxiliando como pode nas demais áreas. Particularmente, é um grande apreciador de enredos e está constantemente pensando no futuro.
Revescream#5421

Ícone
nujabes.
https://www.narutorpgakatsuki.net/t74836-fp-sasaki-kojiro#581022 https://www.narutorpgakatsuki.net/t73266-chimasu-gf
Esborrachado, o filho pródigo da família Hattori havia se deitado em sua cama sem qualquer previsão de quando se levantaria dali. Das dores, a psicológica foi a que somou à inércia. Não bastasse o esgotamento do corpo, identificou, igualmente, a ausência de ânimo para dar continuidade à vida diária. O atordoamento era tamanho que sequer importou-se com o som das marteladas que ecoava pelos estreitos corredores de madeira da sua residência. O ferreiro de meia-idade que se concentrava no trabalho com metal e marteladas, reparou a ausência da observação do descendente. "O que aconteceu com ele?" pensou, limpando o rosto suado com um pequeno e surrado pano de mulambo. O colocou sobre as costas novamente e deixou a forja. Endereçou-se ao quarto do mais novo com passos tímidos.

Encontrou-o coberto, de olhos abertos, direcionando a visão contra o teto de madeira. Bateu à porta aberta com a intenção de chamar sua intenção. Sucesso. O rapaz revirou os olhos, suspirou e tornou a visão na direção do seu pai. — Quanto marasmo, Hanzō, meu filho. O que aconteceu no seu treinamento de equipe no fim das contas? — questionou não conseguindo conter o claro tom preocupado. O garoto respirou profundamente, estava embaraçado de ter sido nada senão um completo inútil no treinamento. — Eu não sei como explicar... — disse com dificuldade, recordando o passado recente onde sofrera. Yasunaga riu e andou um pouco mais, sentando na cama ao lado do filho. Encarou-o com um sorriso caloroso, relaxando os ombros e pondo a destra sobre os cabelos longos do adolescente. — Não há com o que se preocupar. — advertiu compadecendo de sua tristeza. — No passado, eu também passei por isso. — revelou. O clima se esfriou e o menino contraiu o abdome, juntando os braços com as pernas. — Pela primeira vez... — pausou a fala com dificuldade. — Eu perdi! — relatou chorosamente, apertando o corpo contra suas pernas.

Naquele momento de grande lástima, a atitude do pai era sempre a mesma: carinhosa. Abraçou-o e compartilhou de sua tristeza. Entendia o quão difícil era de se lidar com aquele sentimento aos olhos do seu menino, tendo em vista que ele, por toda a infância e início da juventude, fora considerado um grande prodígio. Na academia ou nas missões de baixo ranqueamento, jamais havia sido derrotado. — Não se preocupe. — acalentou o barbudo. — Venha. Levante-se, meu garoto. Esta foi a sua primeira derrota, não há com que se lamentar. Erga-se toda vez que cair, não tema. Torne-se resiliente, semelhante ao aço que produz a família Hattori! — orientou acertando um tapa contra as costas. O garoto enxugou o princípio de lágrima que se iniciara e limpou o nariz que escorria uma pequena quantidade de catarro. — Está bem, pai. — concordou, saindo da cama em seguida. — Venha comigo. Vou continuar a lhe treinar, rapaz. Chegou a hora de você ir em frente, tornar-se um Hattori digno de seu nome. — contou enchendo o menino de determinação, caracterizada esta pela presença de fogo em seus olhos.

Andaram, juntos, compartilhando o caminho até o quintal da grande propriedade familiar onde se concentravam os serviços de forja. — Aqui está bom. — indicou. — Aguarde alguns segundos, voltarei em breve. — retirou-se. Foi ao depósito de sua casa, onde encontrou o que buscava: barras maciças e cordas. — Está preparado para a sessão mais intensa de treinamento que terá até hoje? — questionou portando um brando sorriso jocoso, denotando as claras intenções dele. Hanzō assentiu balançando a cabeça num único eixo, de cima para baixo, lentamente. Seu pai se aproximou e acoplou, às panturrilhas e antebraços, utilizando-se das cordas, as barras maciças de aço que seriam utilizadas na forja mais tarde. — Esse é o treinamento de fogo dos Hattori. Corra por este perímetro, garoto. Dê tudo de si. Faça-o até que suas pernas caiam ou explodam. Não aceitarei qualquer desempenho senão a excelência. — orientou. Apesar de assustado, o menino concordou com as condições. Promoveu balanço ao corpo, aquecendo, iniciando a corrida instantes depois.

Desde o início, compreendeu a dificuldade e complexidade daquele nível de instrução. As pernas se mobilizavam com dificuldade inimaginável. Não obstante, os braços, que deveriam servir de auxílio na locomoção e equilíbrio, sequer podiam se manter bem erguidos juntos ao abdome. Acometido pelas adversidades, recordou da derrota e reviveu a tristeza daquele período. O ritmo de corrida diminuiu, embora não fosse dos maiores. — Mantenha o ritmo, Hanzō. Não permita que pensamentos espúrios o atrapalhem. — demandou retumbante, transparecendo autoritarismo exacerbado. Digno de alguém de seu porte físico e estirpe. Redobrada a atenção, o garoto recuperou sua concentração e se esforçou. Praticou por várias voltas, até que cedesse, de joelhos, no chão. — Se pensa que chegou ao seu limite, é porque ainda está distante dele. — instruiu sisudo, demonstrando não estar satisfeito com a quantidade de voltas percorridas até o presente momento. O garoto sabia que, dada a experiência de vida, seu pai não sossegaria até que retornasse à corrida. Levantou-se, embora com dificuldade, e continuou dando tudo de si.

Praticou por horas, desmaiando, por fim. O homem de meia-idade riu, finalmente o garoto chegara ao ponto que ele ansiava. — Agora começamos a verdadeira prova de fogo. — comentou sozinho. O corredor acordou dois dias após o trauma. Permanecia no quintal, deitado sobre o solo arenoso com alguns gramíneos esparsos. — Vejo que acordou, finalmente, dorminhoco. — brincou. — A verdade é que não temos tempo pra conversar. Corra! — ordenou. Embora atordoado, ele obedeceu exemplarmente. Deu início a uma desesperadora corrida sem fim. Passo após passo, buscava tornar-se adaptado àquelas condições adversas. Frio ou calor, com vento, clima seco ou qualquer outro. Durante uma semana inteira, praticou todos os dias incessantemente. Ao fim dela, finalmente lhe foi permitida a retirada de pesos. Havia se tornado inegavelmente ágil.

Hanzō; 225/225 675/675 00/03

Considerações:
Aparência: Luke Ainsworth, roupas como descritas na seção de aparência da ficha. 2 pontos em velocidade, 938 palavras.
Usados:


_______________________

[ TREINO ] Variantes de Crescimento Tumblr_n2h10mzqJP1tvbalbo1_500
nujabes.
nujabes.
Genin
Vilarejo Atual
a

Ir para o topo Ir para baixo

Ícone
Convidado
Arroba tu escreve bem
Convidado
Anonymous
Convidado
Vilarejo Atual

Ir para o topo Ir para baixo

Ir para o topo


 
Permissão neste fórum:
Você não pode responder aos tópicos