>
Naruto RPGAkatsukiNão é o único, simplesmente o melhor!
Arco 11:
Reino de Lilith: PesadeloAno: 71DG
Após uma dura jornada, Shaka finalmente caiu e teve a maldição retirada de seu coração. No entanto, os problemas trazidos pela família Hattori não se extinguiram. Shion revelou ter ajudado a libertar Lilith, uma monarca da dimensão infernal, que agora está possuindo o corpo de Hyuga Katsura e libertando uma horda de seres infernais contra este mundo. O mundo corre risco de ser consumido pela maldade dessa criatura, mas não se o plano de Shion der certo: forçar Lilith a causar um evento chamado de O Grande Eclipse, onde as portas de todos os mundos e dimensões ficarão abertas, e assim permitir a ele ir ao submundo resgatar sua amada Katsura Grey para finalmente selar Lilith.
Sumário
Mapa
Staff
Discord
Facebook
Contos
Estação: Inverno

'Winter
Genin
'Winter
Vilarejo Atual
Ícone : The Justice Lightning

https://www.narutorpgakatsuki.net/t65995-the-justice-lightning-aurora-2-0

[Filler] The first day - Sex 10 Ago 2018, 20:33




a new dawn


O gigante noturno brilhava no ponto mais alto dos céus e alumiava toda Iwagakure. As noites na vila oculta da pedra eram sem sombra de dúvidas as mais lindas de todo o universo. Toda imensidão do céu era preenchida pelo brilho das estrelas, incontáveis e encantadoras, quase ao ponto de hipnotizarem a plateia de seu incrível espetáculo — Seu pestinha! — O grito estrepitoso ecoava por toda a estrutura. A governanta da família, Sebel, caíra em mais uma das pegadinhas do Arauto da Guerra — Heh! Preste mais atenção! — Tadashi fugia dos limites da residência e do alcance das mãos irritadas de sua ama, saltando por uma das janelas que dava vista para uma avenida.

Ao fundo da paisagem repleta das mais belas e consistentes esculturas rochosas que Iwa oferecia ao deleitar dos olhos de seus moradores, surgia a grande e majestosa estrela em constante combustão: o Sol. O brilho incessante do grande astro não fazia acepção de pessoas e enriquecia a melanina tanto do rico, quanto do pobre, tanto do mau, quanto do bom. Em meio a todas aquelas pessoas estava Tadashi. O Arauto da Guerra não tomou o rumo de casa na madrugada que antecedeu aquele amanhecer, passando a noite inteira em claro, sentado no topo de uma colina, ansioso por receber a sua primeira missão, algo que seria o marco do inicio oficial de sua vida como um genin da pedra.

Sate, sate, sate! Acabei de ter uma grande ideia! – As palavras saiam por sua boca para alcançarem nada mais que o puro vento, visto que se sentava sozinho no alto daquela encosta. Não demorou nem um segundo para que em um grande salto o pequeno iniciasse uma descida morro abaixo. No chão o Arauto da Guerra tomou a grande avenida que terminava no quadro de missões da aldeia – Hmmmmm – Expressivamente se colocou a encarar as poucas e chatas tarefas que os genin poderiam se dispor a fazer sozinhos, se perguntando quando viria a ser introduzido em uma equipe para que finalmente pudesse realizar as missões que acreditava estar pronto para fazer.

O passear dos olhos pelo imenso quadro obteve enfim um resultado. Relutante e embainhando quase toda a sua empolgação, Tadashi recolheu do painel aquela que viria a ser a sua primeira atividade oficial como um genin. Apesar de ser ligeiramente inferior à de momentos atrás, a euforia do Arauto da Guerra ainda era clara como a água, transpondo os telhados e postes o pequeno espirituoso seguiu na direção da floricultura da vila. Sua missão resumia-se em substituir a garota que cuidava do estabelecimento enquanto a mesma estivesse fora, cumprindo com suas obrigações como ninja médica – Ohayo! – A saudação calorosa vinha acompanhada de um gesto simples, porém respeitoso – Vim até aqui para lhe dar o suporte que solicitou – A menina corava e despedia-se, alegando estrar atrasada para o trabalho.

Tudo estava saindo pior do que o Arauto da Guerra esperava. Enquanto debruçado sobre o balcão, definhando em tédio a espera de algum cliente, o travesso Tadashi torcia para que em algum momento um inimigo perigoso entrasse por aquela porta e anunciasse um assalto – Não seria uma coisa tão ruim afinal. Ao menos assim eu teria algo para fazer. Mas no fim das contas, quem assaltaria uma floricultura? – A animação e a vida pareciam não estarem presentes naquele ambiente, até mesmo as plantas pareciam estar murchando. Ao que o sol alcançou o pico dos céus, demonstrando já estar na metade do dia, a garota da floricultura chegou, declarando que teria o resto do dia livre, dispensando o pequeno de seus serviços, entregando-lhe a recompensa pela missão.

As altas formações rochosas que preenchiam o vale eram tão grandes em altura quanto em beleza. Aos olhos do jovem Arauto da Guerra, aquelas esculturas naturas eram sem sombra de dúvidas uma das coisas mais bonitas que aquela aldeia tinha a oferecer. No largo e imensurável céu a luz do dia já raiava, os pássaros voavam a procura de alimento, as serpentes rastejavam atrás de suas presas. O algoz General, que num futuro um tanto distante sofreria severas mudanças em seu modo de viver pacato, se deslocava de um lugar para o outro na grande avenida, tomando o amplo quadro de missões como seu destino outra vez. O deslizar de seus olhos pelo longo painel levou-o de encontro com uma missão, que por mais tediosa que parecesse ser, detinha demasiada importância. Aquela não era bem a típica missão de busca, mas sim a de auxilio ao vilarejo, que carecia de cuidados, este realizado em conjunto por todos os seus filhos.

Os ventos gélidos demarcavam o fim do outono, pouco a pouco se tornava possível ouvir o sonido dos longos e temerosos passos do inverno a se aproximar. Longas rochas saindo do chão davam origem a estruturas perfeitas como se feitas por mestres na construção, quando na verdade eram realizadas por meio da manipulação da terra de alguns ninja da vila – Ohayo! Eu vim até aqui prestar serviço, mas parece que não precisam de ajuda – A aproximação do rapaz vinha de forma irônica e divertida, alguns dos que ali estavam chegavam até mesmo a esboçar um sorriso. Um dos jonin presentes no local aproximou-se do Grande General, entregando-lhe algumas estacas de madeira, atribuindo ao genin a tarefa de demarcar os lugares onde os mestres da manipulação teriam de efetuar uma “reforma”. Claramente aquela não seria uma missão de risco, ou mesmo de grande entusiasmo, entretanto, Tadashi reconhecia a importância em ajudar o vilarejo, e ficava feliz em ser útil de alguma forma.

Em determinados pontos daquela região era clara a falta de uma estrutura reforçada, nesses casos, o Arauto da Guerra se aproximava e fincava uma das estacas que carregava consigo diretamente no solo, para que quando um mestre da manipulação encontrasse, soubesse que ali carecia de certo reforço. O ato não se repetiu com grande constância, deixando incontestável o fato de aquelas estruturas ainda disporem de grande resistência. Não se passou demasiado tempo até que o jonin que havia lhe atribuído àquela tarefa tornasse a se aproximar, liberando o pequeno de suas atividades, parabenizando-o e o agradecendo por toda ajuda que havia oferecido.

Desde os tempos mais remotos, antes da existência do ninjutsu, antes do homem obter conhecimento acerca do chakra e muito antes da era atual, o ser humano já tinha conhecimento de que, praticar o que quer que fosse, os levava para mais próximo da perfeição – e quem não iria querer ser perfeito? – a casta dos homens sempre invejou o poderio dos deuses e por conta disso talvez, que sempre buscaram melhorar em todos os sentidos. Apesar de incontáveis luas terem se passado desde o inicio dos tempos, ainda era alimentado por muitos o desejo de se tornar perfeito, de não possuir qualquer falha, de se tornar um ser sem maculas. O dia em que o pequeno Tadashi, se tornaria o Arauto da Guerra, um grande e temido general, estava deveras distante, fora dos limites da imaginação do rapaz, que acreditava veementemente que não possuiria grandes feitos e que sempre levaria a vida de forma tranquila, entretanto, o seu destino estava traçado, e nem mesmo ele poderia fazer algo a respeito.

De longe se podia ver sobre a grande estrutura de mármore no centro da vila a figura de um pequeno genin. Seus cabelos loiros esvoaçavam ao vento, seu rosto macio era acariciado por uma brisa suave. O Arauto da Guerra pensava no que poderia vir a fazer naquele momento. Seu dia até então não havia tido grandes emoções, e teria sido de todo inútil não fosse pelo marco do inicio de sua vida como ninja, visto que finalmente havia realizado sua primeira missão como um genin. Com o deslizar de seus olhos o pequeno travesso viu o almoço sendo posto à mesa, através da janela de uma casa na grande avenida – Sate, sate, sate! Então já esta na hora? – Em um avanço ligeiro o Grande General saltou por sobre telhados de casas, movendo-se de forma ágil e veloz na direção de sua residência, aproveitando para melhorar a sua resistência, visto que estava faminto, mas ainda assim se movia com o máximo de suas capacidades físicas. Entrou por uma das janelas do grande salão onde a refeição seria servida, já de quebra assustando alguns serviçais presentes – Ei, seu pestinha! – Gritou o mordomo, recebendo como resposta uma longa gargalhada.

Após o almoço, um treino se sucedeu. O pequeno e imponente Tadashi seguiu para os limites do fundo de sua residência, onde encontrou com um dos amigos que tinha feito enquanto na sua época como estudante – Você tem uma espada!? – O arregalar dos olhos expressava com clareza a surpresa em ver o seu antigo colega com uma lâmina. O Arauto de Guerra também havia adquirido um sabre, entretanto este era relativamente menor que o de seu companheiro. O Grande General inclinou-se para uma batalha, ambos ninja formados como genin, empunhando suas armas a fim de descobrir qual deles dominava melhor a arte do kenjutsu. Algumas horas se passaram, até que em determinado momento do combate o jovem Yamamoto percebeu uma estocada em sua direção, inclinou o corpo para a esquerda, desviando do golpe, enquanto deixou correr sobre a token do oponente a sua curta lâmina, parando ao que o fio da pequena espada encostou no pescoço de seu aliado - Sate, sate, sate!

HP: (375 • 375) CH: (375 • 375) ST: (00 • 05)
Considerações:
Aparência e visual.

1) Tudo é consideração, mesmo que demostre o mínimo de afirmação, são apenas efeito narrativos que podem ser desmentidos.

Adendos: 100 pontos de status e a qualidade Perito em Kenjutsu (1).

Bolsas de Armas (20):
Kunai (x10)
Shuriken (x10)
Equipamento:
[Filler] The first day Latest?cb=20170614070131
Tantō
Descrição: Um tanto (短刀) é simplesmente uma pequena katana. Vários chūnin, médico-nin, e shinobi de Konohagakure quando vai para a batalha usá-los amarrados nas costas inferiores. Os usos versão de raiz são dois gumes e não têm ponta, destinado somente para o corte e defesa. Eles carregam o tantō verticalmente na parte de trás especificamente atrás do ombro, Sai é um dos mais notáveis que usa o Tanto, que ele carrega nas costas por trás do ombro direito. Sakumo e Kakashi Hatake - depois de herdar-lo - realizado um Tanto especial, conhecido como o White Light Chakra Sabre. Gamabunta e Gamakichi também carregam estes, embora versões gigantescas que se encaixam seu tamanho.

valeu @ carol!


_______________________


[Filler] The first day W8uecqQ

                                                                         no matter what happens I will protect our... my village.                      

-
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [Filler] The first day - Sab 11 Ago 2018, 16:08

-


Edição de Aniversario por Shion e Senko.