>
Naruto RPGAkatsukiNão é o único, simplesmente o melhor!
Arco 11:
Reino de Lilith: PesadeloAno: 71DG
Após uma dura jornada, Shaka finalmente caiu e teve a maldição retirada de seu coração. No entanto, os problemas trazidos pela família Hattori não se extinguiram. Shion revelou ter ajudado a libertar Lilith, uma monarca da dimensão infernal, que agora está possuindo o corpo de Hyuga Katsura e libertando uma horda de seres infernais contra este mundo. O mundo corre risco de ser consumido pela maldade dessa criatura, mas não se o plano de Shion der certo: forçar Lilith a causar um evento chamado de O Grande Eclipse, onde as portas de todos os mundos e dimensões ficarão abertas, e assim permitir a ele ir ao submundo resgatar sua amada Katsura Grey para finalmente selar Lilith.
Sumário
Mapa
Staff
Discord
Facebook
Contos
Estação: Inverno

Minari
Chūnin
Minari
Vilarejo Atual
Ícone : |FILLER| Contos Violet 100x100

http://narutorpgakatsuki.net

|FILLER| Contos Violet - 9/8/2018, 22:08


|FILLER| Contos Violet JLivlOj
Violet 光 Guāng

Objetivos: +100 status perito armamentista: kenjutsu  
Palavras:1505

O norte do pais do trovão, quase na fronteira com o pais do brejo ou algo do gênero, é um local cujo violet viveu a maior parte do tempo, tecnicamente toda a infância, devido aos seus problemas familiares, mas esse não será o ponto tratado nessa ocasião. Hoje será falado a respeito das habilidades com espada da garota, essa cujo fora aprendida com um bom senhor, denominado iroh. O velho era como um avô para a garota, apesar de não possuir quaisquer ligações sanguíneas, eram uma família.

O dia ensolarado a fez questionar-se a respeito de como lutaria a partir dali, já estava a graduar-se na academia e não possuía muitas ideias do que faria a respeito da sua força. Seu coração almejava lugares mais altos, picos de poderes jamais visto pela garota, possuía sede em crescer para poder averiguar suas origens. Deitada sob um gramado nas localidades afastada da vila despertou um pequeno interesse a respeito das espadas, o que por sorte iroh sabia um pouco a respeito disso.

Levantou-se e fora ao encontro do senhor, o mesmo estava a cozinhar – tio, gostaria de aprender espada – com seus 12 quase 13 anos, puxava a mão do velho – certo, você quer lutar com katana? Pois bem, arrume duas madeiras apropriadas – iroh colocou a mão sob a cabeça, afinal tinha fé que a criança poderia se tornar alguém muito útil. Violet alegremente fora na floresta a procura de bambu apropriados para seu treino. A casa, cujo aparência era simplória, onde estavam possuía uma pequena plantação atrás e nessa havia a plantação ideal para a pratica do esporte.

Voltou com dois pedaços estes cerca de 90 centímetros – acho que isso serve – dizia a garota mostrando ao seu guardião – isso violet, muito bem, mas antes deixe-me fazer o pré almoço, deixarei pronto para nossos pós treino – continuava seus afazeres, quanto a garota iria preparar os bambus, esses iriam ser aparados e polidos de uma forma simples. As espadas improvisadas já estavam prontas, por conta disso violet resolve ir ao campo, com o propósito de ver os pássaros e a própria natureza.

Na sua concepção atual sobre a vida há nas pessoas a lucidez dos loucos, mas não daqueles loucos tão comuns que habitam este mundo em cada esquina. Somos da quota de loucos que não aceitaram suas prisões e que não entraram por liberalidade em suas gaiolas. Que não se amarraram ao outro com suas correntes. Somos da fração da loucura que abriu mão do dia-a-dia, do seu mais do mesmo. Há em nós a rebeldia dos que não se contentaram com o peso da realidade e abriram as novas portas -e as ideias- em busca de alcançar o horizonte. Seus momentos filosóficos vieram a ser impedidos pela abordagem de iroh, este havia terminado de fazer o rango que seria degustado nos momentos posteriores.

- pois bem, vamos ao treino – tomou uma das espadas improvidas e partiu para cima, seu golpe vinha de cima para baixo na reta da cabeça – mas já? – rapidamente defendeu-se do golpe de forma desajeitada – você quer aprender a usar espadas ou dialogar? – recuou apenas dois passou para que, posteriormente, aplicasse um golpe na diagonal vinda de cima para baixo. O golpe viria pela esquerda da menina, onde a mesma gira a espada e bloqueia – não reclame se perder – ao bloquear o golpe saltou por cima da espada, assim, podendo contra-atacar na lateral direita do velho, seu golpe mirava no ombro, mas fora frustrada pela agilidade do senhor.

- você é rápido para alguém da sua idade – retrucou partindo para cima, a fim de desferir uma série de três golpes, o primeiro iria partir do lado esquerdo da cabeça do homen, posteriormente iria atacas nas suas costas e finalizaria com uma simples estocada no joelho de iroh. A garota poderia ser ágil, ou pelo menos ter uma velocidade mais abusiva do que a do velho, mas este era pior, ele possuía algo fora do conhecimento da menina. Ele sabia as artes com espadas aprendidas com anos perambulando o mundo.

- abusando de um velho, bem pensado – o golpe direcionado na cabeça fora bloqueada com facilidade, utilizou-se de um conhecimento clássico dos espadachins, manter seus olhos no centro do alvo para ter maior clareza de seus movimentos. Notou sua movimentação rumo ao seu suposto ponto cego – nada mal – elogiou aplicando um chute na reta do estomago, assim, impedindo seus dois ataques. – regra número 1, não seja impulsiva ou acabara por perder – iroh havia passado anos com ela, sabia que seu ponto fraco era perder, pois odiava isso.

- isso era um teste – claramente violet não aceitava perder, mesmo reconhecendo a experiência do homem queria tentar aplicar diversos golpes. Algumas estocadas foram desferidas na reta do abdômen, de forma rápida, iroh as bloqueia com sucesso, mesmo na idade em questão o homem era superior a pobre garota. Não se deu por vencida, tentaria novamente ataca-lo com força total, seus golpes vieram de forma rotatória, assim, partindo da esquerda para a direita, estava indo com tudo, em meio aos movimentos com a madeira a jovem aplicava certos golpes como chutes e possíveis socos.

A luta fora numa sequência pelo decorrer de duas horas, mas para violet que gostaria apenas de ter acertado ao menos um de seus golpes fora um fracasso. Iroh continuava firme, respiração normal enquanto a menina acabou de ficar por ofegante alguns segundos. – relaxe filha, um dia conseguira derrotar – aconselhou sentando-se na posição de lótus, aparentemente iria dar alguma grande aula teórica para a garota – que seja – sentou-se na mesma forma para acompanhar seu mentor.

As coisas ditas pelo tio iroh se resumiriam em: “O treinamento de kenjutsu varia de acordo com o estilo em questão. Na maior parte dos estilos o treinamento se baseia em formas pré-arranjadas. Em alguns estilos, a prática das formas é complementada por treino de luta utilizando equipamentos de proteção.

Na maioria dos treinamentos, normalmente, é utilizada uma espada de madeira semelhante a uma katana, chamada bokken ou bokuto. Cada estilo de kenjutsu costuma impor medidas específicas de comprimento, largura e curvatura para o seu bokuto.

Já no treinamento de luta, os dojos que o fazem utilizam alguma forma de proteção para evitar lesões graves. A maior parte utiliza o mesmo equipamento de proteção do kendo, composto por bogu (armadura) e shinai (espada de bambu). Outro equipamento que também pode ser utilizado para lutar é o fukuro-jinai, uma espada semelhante à shinai do kendo, mas com o mesmo comprimento que uma katana e construído a partir de várias tiras de bambu cobertas por um revestimento de couro.

Cabe lembrar que cada estilo tem características próprias de treino. O praticante já começa o combate com a espada desembainhada. Em alguns estilos, como por exemplo o Niten Ichi ryu, existem técnicas específicas para a utilização de duas espadas, uma em cada mão.

O kenjutsu é uma disciplina física, mental e espiritual; para a sua prática é necessário o equilíbrio entre corpo e mente, mais do que força física e vigor. Os ensinamentos mais profundos do kenjutsu possuem um teor filosófico bastante forte.”

Após a pequena aula que iroh havia dado, ambos foram para sua residência, pois estavam famintos e já havia decorrido um bocado de horas, precisavam repor as forças. No caminho violet pensava a respeito das coisas que lhe foram ditas e ensinadas, aprenderia como se utilizar da arte das espadas, ou demonstrava interesse e aptidão para a pratica. A caminhada fora silenciosa e pensativa, por mais que o local seja próximo da casa, eram alguns minutos de caminhadas prolongadas com o fator de exaustão dos dois, afinal treinaram por um bocado enorme de tempo.

A casa simplória estaria à espera dos dois, possuía apenas 2 cômodos, era tão pequena que se perdia em meio a paisagem nortenha do pais do trovão, as arvores em torno da mesma davam um ar rustico ao ambiente e ao mesmo tempo agradável para a garota. A comida precisava ser esquentada, tratava-se de um sopão com diversos legumes colhidos dos campos, junto com um ganso que fora caçado pelo iroh no meio tempo. Enquanto o alimento era esquentado a garota fora preparar a mesa, com duas gamelas com um par de colheres, colocou também um recipiente contendo agua limpa para o consumo.

- esta quase pronto – mexia a caldeira vagarosamente - já tem planos para o seu futuro quando tornar-se genin? – indagou. Ainda presa em seus afazeres a garota torna a falar – talvez que evolua e viaje mundo a fora, tem alguns lugares interessantes a se ver e aprender, muitos contém ninjas com força e habilidades superiores a minha, quero muito conhece-los – dizia sorridente – olha violet, é interessante esse seu sonho ainda mais porque esse mundo precisa de um herói – retirou da caldeira duas porções e as serviu na mesa – podemos nos alimentar – iniciou o ritual tradicional da refeição – esses tempos todos que viajei pelo mundo, aprendi que a verdadeira paz esta nas coisas simples, tais como comer algo feito de forma rustica e silvestre...-  passaram o resto de seu tempo com afazeres domésticos.


HP: (275 • 275) CH: (275 • 275) ST: (3 • 3) VEL: (0 • 1) FOR: (0 • 1)

Leve em conta:
Aparência: Violet Evergarden (com roupas tradicionais de kumo)

Bolsa de Armas (20):
Shuriken (x10) (10 E)
Kunai (x10) (10 E)
Itens:

|FILLER| Contos Violet Dab9685406c42eeb374f4516b34a737756699090_hq
Tōken (costas)
Descrição: Uma espada (刀 剣, token) é uma arma longa, laminado utilizado para o combate. Enquanto a maioria das espadas em Naruto estão katana tradicional japonesa, tanto, ou Ninjato, espadas usadas por personagens principais tendem a ter poucas semelhanças com as armas da vida real, como é o caso com os sete espadachins das espadas névoa. Outros espadas que foram introduzidas nas séries têm poderes místicos ou especiais, incluindo Espada de Orochimaru de Kusanagi e a Espada de Totsuka como empunhada por Itachi Uchiha Susanoo.

_______________________

-
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: |FILLER| Contos Violet - 10/8/2018, 00:06

-
Minari
Chūnin
Minari
Vilarejo Atual
Ícone : |FILLER| Contos Violet 100x100

http://narutorpgakatsuki.net

Re: |FILLER| Contos Violet - 25/8/2018, 11:44


|FILLER| Contos Violet JLivlOj
Violet 光 Guāng

Objetivos: +100 status
Palavras:1006

Em um futuro distante, onde o mundo como conhecemos não seria o mesmo, não existem ninjas e o mundo é paralelo ao que vivemos. Nesse contexto que violet estaria inserida por motivos que não há como explicar. A garota estaria em uma ponte, talvez a ponto de suicidar-se, mas naquele momento estaria a refletir...

“Eu não sou uma má namorada como aquelas que obriga o rapaz a dialogar comigo 24 horas. Voce pode ir jogar, sair com seus amigos, curtir a foto dos outros e pode falar com quem quiser. Só não quero que você passe a usar drogas.

Pode ir sozinho em alguns lugares hoje, amor. Estou cansada devido ao exaustivo trabalho, vou ficar em casa hoje. As 4 horas da manhã recebo mensagens falando que você estava me traindo. Não consegui mais dormir após isso, a insônia tomaria conta do meu ser. Esperei a manhã chegar para poder mandar mensagem para o seu amigo já que você estava sem celular. Você apenas negou. Disse que não faria isso comigo nem com a minha família. Disse que se eu não confiava em você não tinha motivo para estarmos juntos. Como uma boa namorada acreditei em você.

A outra e suas amigas me chamaram de corna no Twitter, mesmo com isso ocorrendo ainda assim acreditei em você. Vi tua ex namorada te mandando nude, ainda por cima dos mais explícitos, para de falar com ela. Vi você trocando fotos e de papo com uma amiga, deveria parar de falar com ela, você tem namorada. Novamente vi você de papo com mais outra e dessa vez você me apresentou a maldita insegurança.

Quando descobri a verdade do dia que você me traiu, você baixou a cabeça e disse que não sabia o que dizer. Eu simplesmente disse: “deixa para lá, faz tempo. Mas que inferno, precisava ser no dia do meu aniversário?

Fui no shopping com a minha mãe comprar algumas coisas e posteriormente passamos na minha avó. O cara da internet está aqui em casa a fim de consertar o problema no roteador. Vou comer posteriormente tomar banho e por consequência, iria me deleitar nos lençóis da minha cama. Mas a sua escolha foi jogar, deixei de lado novamente.

Deitei-me cedo, pois tenho que ir para a aula amanhã cedo, mas eu estou de férias, amor, fica mais um pouco. Eu tenho que ir, amor. Desculpa. Ir aonde, eu indagava em meus pensamentos, mas a resposta era clara, ele iria jogar. No real eu desisto pode deleitar o jogo a vontade.

Soube mais sobre aquela traição, a pior coisa, você transou com ela como se não fosse nada, isso me revira o estômago só de lembrar de você dando parabéns para a gente pelo primeiro mês de namoro, mas ao eu ir dormir, fez o que fez.

Deixei de confiar em você, parando para pensar, sempre que ia na sua casa, você ia no banheiro com o celular antes de qualquer coisa. Lembra daquela vez que você pediu para eu ligar o computador e escondeu o celular? Eu disse que vi e você disse que eu estava louca, exagerada. E que já tinha falado para eu parar com essas loucuras. Comecei a chorar.

Por achar que eu deveria esquecer o passado e voltar a acreditar em você. Você foi no banheiro. Peguei meu celular, entrei no wpp e você estava lá, online. Mandei: como você é babaca. E você volta, e diz que não queria que eu visse uma conversa sua com a minha melhor amiga, que era sobre mim. E eu chorei mais ainda, por odiar você fazer essa chantagem emocional. Fazer eu me sentir mal comigo mesma por não acreditar em você quando você mente. Por achar que eu estava maluca.

Eu não sou uma má namorada, você que me tornou. Para de falar com ela, da unfollow e Exclui ela das redes sociais, me dá todas tuas senhas. Não vai sair com amigos não. Não vai dormir na casa dele não. Fica em casa. Vai jogar.

Você terminou comigo para passar o dia jogando o medíocre console, mas logo em seguida mudou de ideia, surpres? Acho que não. Você terminou comigo porque não sabia o que queria. Você terminou comigo porque queria ter seus amigos de volta. Você terminou comigo porque não queria mais que fossemos só nós dois no mundo. Você terminou comigo toda semana e eu, sendo uma tremenda otária, voltei sempre que pediu.

Eu não sou uma má namorada, você que me tornou isso e me colocou defeitos. Você que me apresentou a maldita insegurança, assim, destruindo a confiança por completo, apresentou a falta dela. Você que acabou com o namoro bom, livre, e saudável que eu te dei, trazendo o sufoco, as brigas, o desgaste dele.

E o pior.

Colocou tudo em cima de mim, como se eu tivesse danificado a gente, enquanto você que tinha feito isso. Eu nunca deixei a gente apesar dos teus erros, por não ter colocado todos esses motivos acima como os primórdios. Eu preferi nos filtrar as coisas. Deixar os momentos bons pesarem mais, por mais raros que fossem, não seriam desvalorizados. Por mais que depois que eu virasse as coisas você esquecesse que eu existia. Decidi seguir a frase que o humano erra.

Tomei a difícil decisão de te dar todas as chances do mundo de mudar de te ensinar com amor puro acreditando que você ia amadurecer com os erros. Preferi milhares de coisas também, de jogar na mesma moeda, mas isso causaria problemas para mim, pois a sociedade aceita homem com traição oprimindo a mulher que comete o mesmo ato, a chamando de puta entre outras tantas perseguições, mas por que isso? Se ambos cometeram o mesmo erro, qual a razão de tratar com tamanha diferença, de abusar de um julgo desigual?

Até que preferi morrer com a possibilidade de renascer. E renascendo, sou outra E sendo outra. Não existiria mais nada disso. Acontece que um novo capitulo pode começar, o mundo não se resume a um filha da puta.


_______________________

-
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: |FILLER| Contos Violet - 25/8/2018, 12:34

-
Minari
Chūnin
Minari
Vilarejo Atual
Ícone : |FILLER| Contos Violet 100x100

http://narutorpgakatsuki.net

Re: |FILLER| Contos Violet - 16/9/2018, 16:23


|FILLER| Contos Violet JLivlOj
Violet 光 Guāng

Objetivos: +100 status
Palavras:1001

A temporada chuvosa de kumogakure no sato era um saco, muitos odiavam isso, as tempestades, as fortes ventanias e trovoadas. Como toda regra tem uma exceção, não haveria exceção a esse fato. Naquela manhã não seria diferente treinava mesmo com sol ou chuva, era o dever de uma kunoichi manter seu corpo em forma para qualquer eventual situação. As aguas esse aproximavas lentamente até seu rosto, pouco a pouco ela ia se conformando, seu destino era encarar aquela chuva. Certamente iria se molhar após ter ficado “sufocada” em sua residência toda fechada. Metade da população teria como destino se molhar, o restante desabrochava os guarda-chuvas. Não demorou muito tempo para iniciar a tormenta, o armagedon das gotículas de aguas presas nas nuvens. Teria de iniciar seu treino e se molhar. Pingos e pingos caiam vagarosamente até seu corpo ficar encharcado. As madeixas de tamanho médio estavam molhadas como o macarrão recém-saído do forno. A roupa justa, ensopada e os bicos dos fartos seios demonstravam arrepios.

Uma garota misteriosa, estando nua, apareceu por meio as arvores. A jovem fora prestar auxílio, mas com um receio do porquê estar completamente nua naquela chuva, talvez as pessoas tenham gostos e formas complexas de deleitar a gostosa garoa, mesmo sendo inverno. Aproximou-se dela, a garota de cabelos longos e negros. – O que você faz nua nessas regiões? – Questionou Violet a respeito do que estava vendo. Com um movimento sagaz a garota misteriosa arrastou a garota para dentro da sua própria casa. O que raios poderia estar acontecendo? Tamanha passividade da loira era costumeiro, não iria pestanejar a respeito de algo que não apresentaria tamanho perigo logo de primeira, apenas seguiria o fluxo e veria o que desencadearia.

Estando dentro daquela solitária casa, a garota de cabelos negros empurraria a loira em um sofá, de forma agressiva e um tanto vulgar – você é minha – dizia a menina esbranquiçada e ensopada por conta da chuva que outrora havia pegado. Colocou os dois braços em volta do pescoço de Violet, assim, aproximando seu corpo molhado no da garota. Em um movimento deixou a loira desarmada, jogada no sofá. Levou a mão esquerda nas coxas de violet, seguindo em direção a perdição. Seu rosto aproximaria da orelha – vamos foder – dizia a garota de cabelos negros. A loira do clã guang simplesmente aceitava as ações da garota, esta que começou a beija-la. As línguas dançariam em meio as ações amorosas, o corpo de violet ficaria quente, a ponto de despir-se por completo.

A menina fantasma levaria a mão da princesa até seus seios – que tal isso? – A provocava com um tom sensual – consegue sentir os batimentos? – violet não resistira ao branco corpo da garota, de forma bruta, puxou sua cintura para próximo de si. Aproveitaria que estava por baixo, o que facilitaria o domínio. A boca de violet percorria o pescoço da garota, deleitando daquela maravilhosa sensação, descia rumo aos seios, degustando o salgado sabor que os mesmos possuíam. A situação havia virado, agora a loira dominava a garota por completo.

Com a mão direita no rosto, Violet olharia nos olhos e começaria a beijá-la novamente, deitada em cima da garota – isso não seria errado? – Perguntou – Amar é errado? – Rebatia de forma rápida as perguntas feitas pelo fantasma. Caricias foram trocadas naqueles minutos, os fluidos corporais tornavam-se um só com o decorrer da movimentação. O corpo de violet esta úmido em todos os lugares possíveis, não pela chuva, mas pelo desejo da carne que estava a ser saciado naquele momento. A jovem guang tornaria abraça-la novamente, enquanto a garota utilizava seus dedos para percorrer lugares incríveis, dois dedos se movimentando de forma padrão eram o suficiente para amolecer todo o corpo, se entregando ainda mais a situação.

- Use a língua – solicitava violet com uma foz tremula e frágil. Os pedidos seriam atendidos, por consequência, o corpo da loira se contorcia a cada movimento que a garota fazia, as mãos de violet prendiam a cabeça da moça forçando cada vez mais. – Eu quero mais – dizia violet totalmente dominada por seus prazeres mundanos. A garota erguei as pernas da moça, está com as costas na superfície do assento do sofá, para ter acesso ao orifício traseiro, local onde enfiaria um dedo, apenas para aquecer, posteriormente enfiou 3. Os movimentos de vai e vem continuariam por alguns minutos até o ponto máximo das suas forças. Ao levantar-se – sua vez – dizia violet para a garota.

As coisas tornaram-se mais macabras, pois a garota se manifestou na posição quadrupede, violet sem perdoar, enfiava com força enquanto pegava os seios da moça, que por sinal eram pouco menores que a média, aqueles atos obscenos continuariam por alguns minutos até ambos os corpos não aguentarem mais, assim, deitando abraçadas no sofá. A garota guang tinha um pouco de perversão ao manter suas mãos sobre a bunda da garota desejando algo mais violento, desejando a possessão total daquele esbelto corpo, daquela pele esbranquiçada que deixaria qualquer ser humano louco.

Acabaria por dormir profundamente e cansada, talvez aquilo tenha sido um sonho, mas não saberia pelo costume que tinha de dormir nua no sofá, nudismo era um de seus defeitos correntes, principalmente quando estava sozinha na sua humilde residência. Acordaria, um pouco cansada apesar de ter dormido bem, iria rumo a sua cozinha preparar um delicioso chá para deleitar-se junto aos biscoitos caseiros. A mente da garota não saberia diferenciar se aquilo fora um sonho ou se fora realidade, queria que fosse realidade caso fosse sonho, mas independente das duas opções violet se sentia super bem e realizada. Voltaria ao sofá e se deitaria um pouco, talvez se masturbaria, ou o famoso sexo no single player, mas será história para outras ocasiões.

A rotina, não tão rotineira, acabaria com aquela pulga atrás da orelha, se as coisas foram reais ou ilusórias, mas devido a personalidade distante de violet, anda daquilo faria sentido, ou melhor, nada daquilo importaria agora. A garota apenas se tamparia e voltaria a dormir de forma serena para aproveita o chuvoso dia que ali pairava.


_______________________

-
Tama
Administrador
Tama
Vilarejo Atual
Ícone : |FILLER| Contos Violet Vh077Ys

https://www.narutorpgakatsuki.net/t67003-f-yuki-shiroi#493173

Re: |FILLER| Contos Violet - 16/9/2018, 16:26

@
-
Conteúdo patrocinado
Vilarejo Atual

Re: |FILLER| Contos Violet -

-


Edição de Aniversario por Shion e Senko.