>
Naruto RPGAkatsukiNão é o único, simplesmente o melhor!
Arco 11:
Reino de Lilith: PesadeloAno: 71DG
Após uma dura jornada, Shaka finalmente caiu e teve a maldição retirada de seu coração. No entanto, os problemas trazidos pela família Hattori não se extinguiram. Shion revelou ter ajudado a libertar Lilith, uma monarca da dimensão infernal, que agora está possuindo o corpo de Hyuga Katsura e libertando uma horda de seres infernais contra este mundo. O mundo corre risco de ser consumido pela maldade dessa criatura, mas não se o plano de Shion der certo: forçar Lilith a causar um evento chamado de O Grande Eclipse, onde as portas de todos os mundos e dimensões ficarão abertas, e assim permitir a ele ir ao submundo resgatar sua amada Katsura Grey para finalmente selar Lilith.
Sumário
Mapa
Staff
Discord
Facebook
Contos
Estação: Inverno

Xiao Dre
Genin
Xiao Dre
Vilarejo Atual
Ícone : [Filler] A dor da perda/Adquirindo Conhecimentos Tumblr_oz8lqs1Vyo1vj9g38o6_250

https://www.narutorpgakatsuki.net/t70286-the-puppet-master-khan https://www.narutorpgakatsuki.net/t70287-gf-dre

[Filler] A dor da perda/Adquirindo Conhecimentos - 5/8/2018, 07:40



SenjuNaoki
Naoki podia ver que Katharina estava relutante quanto a ouvir as suas palavras, todavia isso não o impediu de continuar tentando encontrar qualquer que fosse uma menção de sentimentos em meio ao vazio que podia estar alojado no lugar de um coração pulsante. Presentear a garota com uma flor foi sem duvidas algo que mudou totalmente o ritmo daquela conversa.

O chunin podia sentir como se tivesse encontrado uma forma de transpassar o bloqueio que aquela moça colocava entre os dois, quase como um muro do mais maciço desdém. Naoki não estava totalmente confortável. A companhia de Katharina o deixava deveras nervoso, e outra vez mais as suas mãos começavam a suar, e por conta disso o garoto as limpava de forma discreta em sua calça.

Algo de inesperado ocorria, e a cena mudava outra vez de forma brusca. O garoto que até então vinha sendo ignorado encontrara ali um oportunidade tremenda. Podia estar diante de seu primeiro amor, e ali daria o seu primeiro beijo. Tudo era perfeito, e a respiração do garoto se tornava um tanto quanto pesada. Naquele momento tudo estava parecendo se tratar de um mero sonho de garoto.

O perfume de Katharina se destacava, mesmo estando em meio a um jardim circundado pelas mais cheirosas espécies de flores. Ao que pôde perceber o avanço por parte de sua companheira, Naoki inclinou levemente o seu tronco na direção da mesma enquanto levava as suas mãos de encontro com as da garota, buscando segura-las.

O garoto fechou os seus olhos e levou seus lábios de encontro com os de Katharina. Esperava que a experiência fosse tão boa quanto parecia em sua mente. Nada mais importava naquele momento. Aquele era o único lugar onde Naoki queria estar.

Todavia, nem tudo são flores. Antes mesmo que os lábios pudessem se encontrar e enfim o chunin pudesse experimentar o que era de fato beijar alguém, uma explosão ocorria – Só pode ser brincadeira! – Exclamou o chunin enquanto se levantava em busca de localizar o local onde a explosão teria acontecido – Me desculpe, Katharina-chan!

Ouvindo o chamado do capitão, Naoki correu de encontro com o mesmo – Onde? – Disse o rapaz, acreditando que meia palavra seria o suficiente para obter uma resposta. Em seguida, o garoto sem perder tempo seguiu de forma rápida para o lugar de onde aparentemente vinha a tal explosão.

Assim que Naoki se situou no local pôde ver uma pessoa próxima da explosão. Não foi possível saber à primeira vista se aquele sujeito seria o causador daquele atentado, mas a julgar pela mascara que usava, e pelas kunais com selos explosivos que tinha em mãos, o chunin preferiu assumir que aquela podia ser de fato a figura que provocou aquele incidente.

- Ele vai jogar aquilo nas pessoas!? – Bradou incrédulo enquanto realizava alguns selos, vindo em sequência por se abaixar levando suas mãos de encontro ao solo - Doton! Doryūheki! - A intenção do garoto era a de criar uma parede sólida de terra entre o sujeito e as pessoas, a fim de tira-las do campo de visão do inimigo, impedindo o mesmo de ataca-las com o equipamento que tinha em mãos. A parede em questão era toda estruturada como se fosse feita por tijolos, composta de esculturas do rosto de quatro lobos cerrando os dentes.

[...]

O liquido carmesim ainda quente escorria do crânio do corpo inanimado do inimigo que morrera de forma horrenda, porém rápida. O rapaz se colocava de pé diante do cadáver de seu adversário enquanto voltava a se fazer possível sentir a baforada do cansaço logo atrás de sua nuca, quase como se chamasse pelo seu nome.

As pernas do garoto bambeavam, mas ainda eram forçadas a manter a postura. Naoki então sentiu falta de uma parte do plano que não conseguiu se lembrar de ter visto ter sido colocada em prática – GAROTO! – O apelo estrepitoso de Sojokoo carregado de pesar, chamou a atenção do chunin para o que tinha se passado no solo superior.

Embebido do calor da batalha, Naoki se fez negligente quanto à salvaguarda de seus aliados, o que talvez tivesse sido o estopim para a cena com a qual o pirralho se deparava. Uma angustia germinava dentro do garoto. A dor o corroía por dentro e não se fazia possível extrair do garoto nenhuma reação que não fosse o arregalar dos olhos.

Fez-se estático diante da cena de seus aliados empalados em meio a chicotes de água que logo se desfaziam voltando a sua forma original. Passos curtos o levavam na direção dos corpos ensanguentados que estavam com sua vida finda. Enquanto isso, as palavras de Katharina viajavam direto para o âmago de sua alma.

Aquele lamento progredia por desmantelar com a compostura do rapaz e com o chegar daquela doce voz aos ouvidos do garoto, alguma meia dezena da lágrima mais pura e verossímil escorreu por meio de seus olhos que encaravam a cena ainda com certa incredulidade.

Com a medida que se aproximava dos restos mortais de seus amigos o selo se desfazia e retornava em forma de manchas padronizadas para a marca da maldição que se localizava no fio de sua nuca. Até que o garoto conseguiu se achegar próximo do corpo de Katharina a mesma não parecia possuir mais uma centelha de vida.

O garoto não conseguia expressar nenhuma palavra, mas as lágrimas em seu rosto e o tremular dos seus lábios deixavam claro a sensação angustiante que aquele jovem experimentava. Pela sua mente pairava a pergunta de por qual motivo ele nunca conseguia ajudar as pessoas com quem se importava e a resposta não se fazia clara.

Ora pensava que talvez se importasse demais, ora pensava que talvez fosse fraco demais. O garoto chegou a uma conclusão naquele momento. Enquanto não fosse forte o suficiente para proteger as pessoas que preza, não iria se dar ao luxo de amar tão intensamente outra vez. O rapaz que outrora se abaixara como um menino sentimental e que sofria em seu interior, veio a levantar-se como um homem que priorizaria as coisas certas dali por diante.

Rolou o corpo ensanguentado da garota por cima de seus braços e a carregou para cima do lobo, estabelecendo o mesmo sobre o animal. Desceu outra vez e foi de encontro com o cadáver de Yruza, levando-o consigo tal como fez com Katharina – Sojokoo, vamos procurar o hospital e depois seguiremos para as outras torres – Comunicou o rapaz ao lobo que montava com uma voz calma e tranquila que nem mesmo deixava parecer o pesar da perda do minuto anterior.

[...]

Naquele ponto o outrora alegre e exultante pirralho do clã Senju, havia alcançado a sua vitória, não obstante, se perguntava – a que custo - enquanto era carregado por Sojokoo. Perdera o seu primeiro amor antes mesmo de ter provar dos seus lábios finos e delicados, perdera o primeiro capitão de esquadrão que tivera antes mesmo de concluírem com excelência a primeira missão, e nem ao menos sabia o paradeiro dois outros dois chunin que os acompanhavam.

Inconsolável, aborrecido, consternado e triste. Estas eram sem duvidas as circunstâncias nas quais o jovem rapaz se encontrava. Ninguém esta preparado para passar por perdas de tamanha proporção. Em um desvanecer devido à fraqueza mediante os seus esforços, o garoto adormeceu enquanto o grande lobo o carregava na direção das outras torres.

Sojokoo sobreveio à primeira, onde se deparou com Marta desvanecido segurando uma kunai suja com o liquido rubro que dava origem à vida, mais adiante fez-se possível ver o cadáver de um inimigo com as tripas expostas devido um corte na altura do estômago. O grande lobo usou a pata para virar o corpo do chunin da folha, que com o movimento veio a despertar, em um primeiro momento se espantando com a criatura, mas na sequência aceitando subir sobre a mesma, devido à explicação da fera.

Saíram juntos para rumo a segunda e última torre, preparando-se para um combate que poderia ser viável. Contudo, ao que chegaram no local, deleitaram seus olhos sobre a figura de Bronnk contemplando um oponente empalado por pedras afiadas. O rapaz marchou até o seu chapéu no chão, levou-o à cabeça e então notou o grande lobo. Sojokoo e Marta contaram o que havia acontecido, e com pesar o chunin ouviu, seguindo por unir-se aos dois para que pudessem voltar à aldeia.

Os dois chunin recolheram Naoki desacordado da boca do lobo e o deitaram em sua costa, ao lado dos cadáveres de Katharina e Yruza. O garoto só veio há despertar dois dias após chegarem à vila, perscrutando o seu corpo enfaixado numa cama do hospital de Konoha. A primeira lembrança que vinha a mente era a da morte de seus companheiros, mas as lagrimas que vinham até seus olhos nem sequer chegavam a rolar e o rapaz já as enxugava.

- Eu nunca mais me darei ao luxo e derramar uma lágrima – Expressou o púbere a si mesmo enquanto fitava a janela contemplando o nascer do sol daquele dia no qual o garoto finalmente despertara.

[...]

Não correu-se tanto tempo desde que o garoto tornou acordar e logo uma iryonin entrou perguntando como estava se sentindo – Estou muito bem, quando posso sair? – O rapaz demonstrava a ânsia por sair dali, contudo a mulher passava a sensação de quem estava prestes a dar uma noticia ruim.

No leito ao lado do garoto tinha uma pessoa apagada, com as veias bastante roxas – O que essa pessoa tem? – Perguntou à enfermeira que logo informou tratar-se de um problema com o fluxo de sangue, entregando um livro aberto para o garoto. Naquela obra continha todos os saberes a respeito do corpo, algo que o garoto achou que podia vir a ser útil em combate – Posso ler enquanto estiver aqui? – A mulher sorriu e assentiu com a cabeça.

No tempo que se passou, Naoki se dedicou a ler o livro e compreender a anatomia humana, adquirindo o conhecimento que poderia estar faltando. Nem um dia se passou e o garoto já tinha conseguido decifrar todo o livro. Do corredor vinha o som de vozes que falavam sobre como seria o novo Hokage. O rapaz se espantou e se esgueirou para ouvir o resto da conversa. Gilitine havia sido morta e alguém chamada Hipátia havia assumido. O Senju partiu escondido na direção do gabinete.

HP: (1675 • 1675) CH: (1425 • 1425) ST: (00 • 07)

Considerações:
Aparência. Visual.

1) Tudo é consideração, mesmo que demostre o mínimo de afirmação, são apenas efeito narrativos que podem ser desmentidos.

Adendos: 100 de Status + Conhecimento Anatômico (1)

1710 palavras. Post 1/1.
Bolsas de Armas (60) - CINTURA:
Shuriken (x30)
Kunai (x30)
-
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [Filler] A dor da perda/Adquirindo Conhecimentos - 5/8/2018, 08:07

@
-


Edição de Aniversario por Shion e Senko.