>
Naruto RPGAkatsukiNão é o único, simplesmente o melhor!
Arco 11:
Reino de Lilith: PesadeloAno: 71DG
Após uma dura jornada, Shaka finalmente caiu e teve a maldição retirada de seu coração. No entanto, os problemas trazidos pela família Hattori não se extinguiram. Shion revelou ter ajudado a libertar Lilith, uma monarca da dimensão infernal, que agora está possuindo o corpo de Hyuga Katsura e libertando uma horda de seres infernais contra este mundo. O mundo corre risco de ser consumido pela maldade dessa criatura, mas não se o plano de Shion der certo: forçar Lilith a causar um evento chamado de O Grande Eclipse, onde as portas de todos os mundos e dimensões ficarão abertas, e assim permitir a ele ir ao submundo resgatar sua amada Katsura Grey para finalmente selar Lilith.
Sumário
Mapa
Staff
Discord
Facebook
Contos
Estação: Inverno
Últimos assuntos

Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

[Filler] Recuperando o Que Foi Perdido - 31/7/2018, 15:56


UMa batida, o som do impacto de uma mão tocando com força a porta de casa ressoava pelo local. O garoto descia suas escadas chegando na sala de estar. Escutava o barulho e logo seguia até a entrada abrindo a porta. Se deparava com um dos ninjas que entregavam os pergaminhos de missões, como sempre o chamavam bem cedo para mais um serviço. Sem falar nada o documento era entregue nas mãos do garoto. Era deixado sozinho, livre para ler toda a descrição da missão. "Escolta? Humm interessante."A mesa de centro de sua sala estava a cinco metros dele. A distância diminuiu com sua aproximação. Seus equipamentos estavam sobre ela, por pouco tempo. Tudo foi pego e preso em sua cintura na parte traseira, bem preso. Sem mais saiu de sua casa deixando tudo trancado e partiu para o portão principal de sua vila.

Os pés tocavam o telhado mais próximo que viu afrente, mas logo foi deixado para trás. Os próximos passavam sob seus pés de forma rápida e silenciosa, ninguém percebia sua movimentação. Com poucos segundos de corrida o jovem chegou ao seu objetivo. saltou de cima da casa tocando o chão com seus pés de forma suave sem se machucar. A saída de sua vila estava logo a sua frente e os seus contratantes estavam a sua espera, parados bem ali. Caminhou com suas mãos no interior dos bolsos até enfim se aproximar de todos que estavam por ali. -Ola, Shizui se apresentando para o serviço. Com uma pequena reverencia se apresentava para todos ao mesmo tempo em que os cumprimentava.

Tamanha hostilidade parti de um dos homens da caravana. Mesmo assim o garoto se manteve calmo, apenas ignorando a fala do homem. Antes de saírem deu sua primeira ordem organizando a posição de todos que se encontravam ali. -Os guardas vão na frente, um bem na frente e um em cada lado da caravana. Eu irei atrás, terei uma maior visão da parte traseira e dos lados tendo uma maior reação caso sejamos atacados. O resto segue nas carroças e dos lados. Podemos ir agora. Firme terminava de falar começando a caminhar tranquilamente a cerca de dois metros atrás da última carroça. Tinha uma boa visão dali, o que ele bem queria. Ao longo da caminhada todos se mantiveram atentos e calados, a espera do pior.

Foi tudo muito rápido, seus olhos puderam acompanhar a movimentação de uma das carroças que alçou voo repentinamente para longe dele. Só ouve tempo para reação. Seus dedos se cruzaram enquanto seu chakra transbordava por todo o corpo resultando em uma réplica idêntica de si mesmo que teve como objetivo disparar na direção de onde o transporte foi lançado. O original por sua vez permaneceu no mesmo lugar, apenas observando os inimigos que apareciam aos poucos os rodeando em busca de uma abertura para atacar. Deu pousos passos para o lado podendo ter uma maior visibilidade de seus oponentes afim de maior facilidade na luta.

O clone conseguia alcançar a carroça que agora estava em pleno ar prestes a cair jubto de quem estava sobre ela, gerando a morte de todos. Pensando rápido a réplica juntou suas mãos em meio ao fluxo de chakra que percorria seu couro cabeludo resultando em um aumento repentino de seus cabelos. Eles envolveriam a todos os tripulantes da carroça afim de segura-los. Assim que se aproximassem das árvores outras mechas se enrolariam nos galos e troncos das árvores impedindo de que todos sofressem o impacto contra o chão, resultando no salvamento de todos.

Enquanto isso o garoto se mantinha atento aos movimentos de seus oponentes sem fazer algo por enquanto por não saber do que eles eram capazes. Pelo menos deu uma ordem para que todos os que estivessem em meio ao caminho recuassem para trás dele deixando o caminho livre para defesas e contra-ataques. -Todos para trás imediatamente, preciso do caminho livre e não quero ter que me preocupar com o salvamento de ninguém.

Por muito pouco o clone conseguiu salvar seus contratantes e também sua fonte de renda. Agora ele apenas os colocava ao chão assim como ele próprio. Seus olhos se viraram para o cofre que caiu dentro de um carrinho metálico perto de outros dois homens que não esperaram muito para fugir. Sem perder tempo o garoto disparou na direção de ambos criando um paredão a frente deles a cerca de trinta metros de distância afim de impedir-lhe a passagem. Sem mais energizou ambos os punhos disparando contra os homens vários raios que se atingissem dariam um grande dano.

O garoto observando a falta de movimentação de seus oponentes decidiu tomar a dianteira e logo canalizou a energia provinda de seu chakra criando assim diversos raios saídos de seus punhos na ânsia de atingir todos os seus inimigos mais próximos e aqueles que estivessem dentro do alcance de sua técnica. Em seguida seus olhos se manteriam atentos aos que restassem afim de se defender caso algum ataque viesse a ocorrer.

Em meio a correria o clone percebia que um dos homens havia caído devido a ponto de sua parede que não teve tempo o bastante para ser erguida. nesse momento decidiu usar de todo a sua velocidade para se aproximar ao mesmo tempo em que liberava mais alguns raios contra o homem que ainda estava empurrando o carrinho. Os raios seguiam ao mesmo tempo na direção do caído afim de mata-lo logo de vez antes que ele levanta-se para interrompe-lo. Enquanto isso o original se mantinha a espera de respostas de sua cópia que estava em meio a batalha.

Não adiantava, por mais tentativas que fazia não tinha um resultado significativo. por algum motivo o carrinho acabou seguindo com uma maior velocidade impedindo de ser alcançado. Talvez fosse o fim de tudo, ou apenas uma perca considerável. Não tinha mais como alcançar o objeto, apenas retornar junto com quem salvou até o seu original para seguir adianta com o que ainda havia sobrado. Pouco tempo depois de ter caminhado todos novamente se encontravam. O clone sumia em meio a fumaça deixando somnete o original ali para leva-los até o seu destino. Começou então a caminhar junto de todos um pouco cansado por tudo o que aconteceu.

As lembranças de seu clone invadiam sua mente após ser desfeito lhe deixando descontente com o ocorrido pelo qual passou. Seu contratante por sua vez de forma hostil perguntava-lhe sobre seu dinheiro. Hesitou por alguns segundos até finalmente responde-lo de forma calma. -Seu dinheiro foi roubado. Tenho duas opções para você. Primeira, nós vamos até o ponto em que você quer ficar e o dinheiro que devia me dar de pagamento fica para você sendo concluída a missão por completo ou eu deixo vocês aqui e vou atrás de informações afim de encontrar o conteúdo roubado, o que fara a missão demorar ainda mais. Você quem resolve.

Caso a primeira opção não fosse aceita o garoto seguiria floresta adentro até os corpos dos inimigos afim de vasculhar seus corpos a procura de algo. Sem demora achava um objeto estranho que podia ajuda-lo nas buscas. Retornou até o ponto aonde todos estavam com tal coisa em mãos deixando a vista de todos para que vessem o que carregava. -Achei isto em um dos corpos, alguém sabe me dizer o que é? Seus olhos miraram cada pessoa tentado perceber alguma reação fora do normal que lhe deixasse desconfiado.

A forma como ele trava o garoto simplesmente o fazia borbulhar de raiva sem deixar transparecer para o homem que gritava com ele. Respirou profundamente recobrando sua paciência enquanto se erguia. Como havia pensado, ele teria que ir em busca do dinheiro roubado. Enfim. Não demorou muito a voltar com tal objeto em mãos sendo logo respondido. Se tratava de algo de uma vila ao qual um dos homens conhecia. -Tudo bem, pode deixar que eu recuperarei seus pertences. Agora vamos para a vila que em seguida irei em busca dele. Percorreram por algumas horas até chegar ao seu ponto de encontro deixando todos ali para em seguida prosseguir com a sua recuperação. Adentrou antes na vila fazendo algumas perguntas, tais como a localização da vila, quem vivia nelas e afim. Não foi difícil, um senhor de idade em meio ao vilarejo deixava claro as informações.

Mais alguns minutos de caminhada e o garoto enfim chegava a ta vila. Seu corpo se transmutou em uma forma mais simples se camuflando dentre os demais como um simples camponês idoso. Lentamente percorria o interior da vila observando cada canto dele em busca de algumas pessoas estranhas e movimentos incomuns pelo local antes de agir. Em um local mais afastado de tudo o jovem observava uma certa movimentação estranha de homens vestidos com roupas parecidas com aquelas que os mortos estavam utilizando. Naquele momento ele simplesmente se transformou naquele ao qual tinha visto o rosto e assim se aproximava dos demais.

A movimentação estranha levava o garoto até uma tenda grande aonde alguns homens se reuniam. Observando o local percebeu o inicio de um dialogo ou apenas um discurso de um que se destacava. Aquele parecia ser o líder ou alguém bem importante dentre os demais. Manteve sua calma observando as palavras que eram dirigidas a todos ali naquele local enquanto observava a entrada de mais e mais homens. Estava calmo, apenas escutando enquanto esperava para agir em seguida.

As palavras saiam em um tom um pouco baixo devido ao distanciamento do garoto entre o pronunciador, mas pode escutara palavra cofre bem o bastante para entender que estava no local certo. Haviam uma certa quantidade de homens naquele local, mesmo assim se aproximou ficando a frente de todos mantendo-se próximos deles. Apenas ao ter sua confirmação de que realmente era o cofre que procurava não agiria. "Vamos, mostre o cofre logo." Ansioso porém quieto tentando não chamar a atenção dos demais a sua volta.

Agora era a hora de agir. Sua face era descoberta pelo líder que assustado o delatava para os demais. Agora todas as atenções se voltavam para ele com expressões hostis prestes a agir. Não demorou muito para agir. Com um sorriso em seu rosto expelia uma grande quantidade de energia por todo o seu corpo gerando uma densa armadura. Três pares de asas se estendiam em seu comprimento máximo sendo chacoalhada para todos os cantos afim de tirar a maior quantidade de vidas possíveis dentro do recinto. Logo em seguida disparava contra o líder daqueles homens com uma das asas em forma pontiaguda afim de atingi-lo em cheio na intenção de mata-lo de uma só vez.

A morte de quase todos vinha de forma rápida e sem esforço. Enquanto isso o líder de todos eles estava prestes a fugir mais uma vez com seu carrinho aproveitando a distração do garoto. Não durou muito tempo. O jovem ainda com sua armadura ativa simplesmente usou de toda a sua velocidade para alcançar o carrinho e assim saltar sobre ele enquanto com suas asas simplesmente atacava o homem. Sua velocidade ra maior do que a do carrinho e isso seria uma vantagem para ele.

Com o inimigo abatido o garoto agora tinha que resolver o problema do tal carrinho que ainda estava a toda velocidade. Sem demora pensava em algo rápido que o ajudaria certamente. Usufruindo de suas poderosas asas o garoto usava quatro das seis para destruir as quatro rodas do transporte ao mesmo tempo em que usava as outras duas restantes para se opor a força do mesmo ao coloca-la contra o chão afrente do carinho. Sem muita dificuldade o mesmo parou a metros de um grande penhasco que certamente o faria cair no mar abaixo dele. Foi por muito pouco, mas havia terminado por fim.

Sua força não seria o suficiente para carregar tal objeto até o vilarejo de seu contratante, por isso usou de um de seus jutsus doton para auxilia-lo. Unindo as mãos o garoto deslocava do chão uma grandiosa rocha abaixo do carrinho o erguendo sem muita dificuldade. Sua armadura já desfeita não destruiria mais nada ao seu toque. Horas de caminhada carregando o cofre sobre o ar finalmente chegava ao seu objetivo. Aproximava de seu contratante com o objeto próximo o colocando a frente do homem e esperando por sua recompensa. Após tudo se virou seguindo de volta para sua vila.



HP: 1450/1450 CH: 1525/1525 ST: 0/6


Considerações:
+200 Status mes up + Qualidade Domínio Psicológico (1) devido ao prodígio.
Jutsus Usados:
Armas Levadas:
Kunais - 5
Shurikens - 5
Kibaku Fuuda - 20 (espaço 5)
Hikaridamas - 5 (Espaço 5)
-
Omoii
Tokubetsu Jonin
Omoii
Vilarejo Atual
Ícone : [Filler] Recuperando o Que Foi Perdido 100x100

http://narutorpgakatsuki.net

Re: [Filler] Recuperando o Que Foi Perdido - 31/7/2018, 16:13

@

_______________________

[Filler] Recuperando o Que Foi Perdido Tumblr_nxcmamAM2j1ub7chno10_500
" Neste mundo, onde quer que exista luz, existem também sombras.
Enquanto o conceito de vencedores existir, precisam também existir derrotados.
O desejo egoísta de proteger a paz causa guerras e o ódio nasce para proteger o amor. "
-


Edição de Aniversario por Shion e Senko.