>
Naruto RPGAkatsukiNão é o único, simplesmente o melhor!
Arco 11:
Reino de Lilith: PesadeloAno: 71DG
Após uma dura jornada, Shaka finalmente caiu e teve a maldição retirada de seu coração. No entanto, os problemas trazidos pela família Hattori não se extinguiram. Shion revelou ter ajudado a libertar Lilith, uma monarca da dimensão infernal, que agora está possuindo o corpo de Hyuga Katsura e libertando uma horda de seres infernais contra este mundo. O mundo corre risco de ser consumido pela maldade dessa criatura, mas não se o plano de Shion der certo: forçar Lilith a causar um evento chamado de O Grande Eclipse, onde as portas de todos os mundos e dimensões ficarão abertas, e assim permitir a ele ir ao submundo resgatar sua amada Katsura Grey para finalmente selar Lilith.
Sumário
Mapa
Staff
Discord
Facebook
Contos
Estação: Inverno
Últimos assuntos

Wings
Nukenin D
Wings
Vilarejo Atual
Ícone : [Fillers] Wings 100x100

http://narutorpgakatsuki.net

[Fillers] Wings - Ter 24 Jul 2018, 01:00



Qual a melhor maneira de se definir se uma pessoa é má ou não? Nenhum indivíduo nasce possuidor de pensamentos perversos, endiabrados, perturbados. A frase " O homem nasce bom, a sociedade o corrompe. " não poderia ser melhor aplicada em um contexto social, perante a deterioração da mente humana, compósita, precipuamente, de injustiças e barbáries. Não fora dissímil em comparação à vida de Musuko Kousuke, um garoto aparentemente comum que, por abusos, viu sua vida se esvair. Foi do céu ao inferno. Da bondade à maldade. Do amor ao ódio.

- O.. O que eu fiz? - disse o garoto de olhos naturalmente carmesim, estando sobre o corpo de seu pai, que sangrava como um animal recém abatido. O corpo obeso e flácido do homem morto se encontrava furado em inúmeros lugares durante a extensão de seu torso. Qualquer pessoa que visse aquilo teria certeza de que não fora um simples acidente: ninguém esfaqueia um homem adulto 32 vezes na barriga por simples..erro. Kousuke tacara a arma para o lado, que bateu em uma parede e por lá parqueou. A atitude imediata do garoto foi a de irromper em lágrimas, levando sua face, chorosa, até a barriga do homem. Apertou as vestes do mesmo com força, pressionando-o de certa maneira que propiciava o jorramento de mais sangue. Não obstante, a aparente tristeza do garoto foi se substituindo por um sentimento de sádica felicidade, no instante em que memórias transatas irromperam em sua mente: seu pai lhe abusando, batendo nele, xingando-o. Era um homem mau e, assim sendo, era "digno" de uma morte igualmente vil, ser assassinado pela própria prole. - Hahahaha.. Você mereceu, seu merda. Espero que o inferno seja uma boa estadia! Bon voyage!- disse o rapaz, pressionando cada vez mais o corpo do homem, banhando-se em seu sangue. Era doentio, mas Kousuke se via em um processo de libertação.

Algumas horas se passaram e o garoto já estava se sentindo esgotado de brincar com o defunto ali presente. Em algum momento, que Kousuke não prestara atenção, o sangue havia cessado e, assim sendo, a maior parte da diversão havia sido comprometida. " Hm.. É uma pena ter que parar. "disse, tornando a arrastar o corpo do homem até um dos cantos da sala. Kousuke não temia que alguém visse o corpo, pois sabia que não teria visitantes. Afinal, só limpa a casa quem espera visitas. Andou lentamente em direção à faca previamente lançada, mantendo uma expressão doentia, que consistia em um largo sorriso de canto de boca. Seu rosto estava sujo de sangue. Suas roupas? Incabível descrever o estado delas. - Veja, papai! Agora a sua podridão sempre me acompanhará! Isso não é legal?  - Posteriormente à sua fala, o garoto pegou a faca que outrora havia jogado longe e, sem hesitar, cortou a própria mão, realizando não apenas um, mas três cortes durante a extensão de sua mão esquerda. Se não fosse pela dor causada pela faca, o corte tampouco seria notado, tal pela volumosa presença do sangue que pairava em suas mãos, proveniente de seu genitor. - Nossos sangues se misturaram..Haha, que legal! - disse, pressionando a palma da mão, fazendo com que mais sangue jorrasse. Tendo sido "coberto" com o mal, qual seria o próximo movimento do jovem psicopata? Com as mãos nuas, trajando apenas as roupas que mantinha no corpo, o garoto saiu de casa, sem rumo certeiro. Queria se "libertar" novamente. Em outras palavras, matar.

- Chuva? Os céus choram de felicidade! - berrara, elevando ambos os palmos em direção aos céus, já estando na rua. A água foi capaz de tirar a maior parte do sangue presente no corpo do garoto, com exceção de suas vestes, onde o sangue já havia secado completamente. Konohagakure estava deserta, nenhuma pessoa era vista andando pelas ruas e, se houvesse, indicaria que Kousuke não era o único com más intenções. - Não..Merda! Eu preciso.. sangue! - Mostrara-se agressivo, socando a porta de sua casa, infeliz com a falta de vítimas movimentando-se pela vila. Ao olhar subitamente em direção ao chão, porém, Kousuke notara algo interessante: quatro pegadas, recém feitas. O solo molhado não mentia. Pouco tempo havia se passado desde que algumas pessoas haviam passado por ali. Um sorriso se abriu no rosto do garoto escarlate que, como se fosse uma besta atrás de suas vítimas, se movia em direção às pegadas. - Hehehehe..Hehehe..Hehehehe...

Kousuke andou por aproximadamente vinte minutos, direcionando-se ao lugar que as pegadas fossem lhe levar. Se encontrava completamente ensopado devido à chuva mas, mesmo assim, mantinha-se nitidamente animado com a chance de assassinar alguém. Enfim, o jovem psicopata se encontrava de fronte a uma casa imensa, com 3 andares no mínimo. - Uou! Quem será que vai morrer aqui? - disse, animado, saltando de alegria. A insanidade de Kousuke é inversamente proporcional à sua inteligência. Um jovem extremamente endiabrado. Todavia, incrivelmente burro. - Hellooooo! Tem alguém em casa?! - berrou, socando a porta com o punho da mão direita estando fechado. Kousuke foi capaz de ouvir alguns gritos e xingamentos vindos de dentro da casa. Bem, qualquer pessoa, que não estivesse esperando visitas, ficaria furiosa ao se deparar com alguém batendo em sua porta no meio da noite. - Mais que porr- Ah, olá, jovem rapaz. - Um idoso de vistosas barbas brancas abriu a porta para o garoto de olhos carmesim, e permaneceu fitando a criança por cerca de dez segundos. - Está chovendo muito. Quer um abrigo até a chuva passar? Ai meu Deus, você está ferido? Vamos, entre.

À priori, Kousuke possui a aparência de um ser inofensivo. Baixo, magricela e uma boa aparência. Esse talvez tenha sido o maior erro da vida daquele idoso, que não percebera ter confinado sua neta junto à uma personalidade imoral e que não se arrepende de seus atos, como Kousuke. - Quem é esse, vovô? Ah, é um prazer! - disse uma garota, que até então o jovem rapaz não havia notado a presença. Era uma garota loira, bonita, cerca de 30cm mais alta que Kousuke, além de aparentar ser levemente mais velha que o mesmo. A aura que a garota emanava era semelhante ao de um anjo, contrastando com a maldade - nesse momento, controlada - que Kousuke possuía. - Vocês são muito legais por me acolherem, hahaha! Vocês definitivamente vão pro céu! - disse o jovem, com um sorriso doentio no rosto. Claramente, houvera um erro de interpretação na frase de Kousuke por parte dos anfitriões. O garoto fazia menção ao fato deles irem para o céu hoje mesmo, enquanto o idoso e a garota imaginavam que o rapaz estivesse falando de um futuro distante.

- Pois bem, então. Kaori, leve nosso anfitrião para o quarto de hóspedes. Vocês podem ficar conversando por lá até a hora que a janta estiver pronta! - disse o velho. Sem nem ter tempo de reagir, Kousuke fora puxado pela mão, por parte da garota, que a guiava por corredores e mais corredores presentes na casa. - Bem, agora que você já sabe qual é o meu nome, diga-me o seu! - - Acho que é Kousuke.. - respondera o rapaz, ainda sendo guiado. Ambos os jovens chegaram em um quarto grandioso, com volumosas camas e várias escrivaninhas. Sentaram-se na cama, ficando um de frente para o outro. A garota olhava curiosa em direção à Kousuke e este, indiferente, apenas a fitava. - Você é bonita mesmo! - disse o rapaz, sorrindo. A garota ficou envergonhada, retrocedendo um pouco. Mas as palavras do garoto eram verdade: Kaori era realmente bela. Uma beleza que valia a pena ser eternizada. Eternizada, é claro, pela morte.

[...]

- Vamos, o jantar está pron.. QUE CARALHOS ESTÁ ACONTECENDO AQUI? - O velho levava uma panela em mãos, que subitamente foi derrubada no chão à medida que ele percebia o que estava acontecendo no quarto. Kousuke apertava o pescoço de Kaori, com ambas as mãos, enquanto mantinha um sádico sorriso expresso na face. O rosto da garota estava quase azul, devido à falta de ar. Como última tentativa, a garota olhou para o avô, enquanto apontava para a porta atrás dele, em um claro sinal de "fuja". Não obstante, poucos segundos depois a vida enfim deixou o corpo da jovem. Kousuke a balançou um pouco, a fim de ver se a mesma havia apenas desmaiado. - Meh, foi bem rápido. Você é o próximo, vovô. Hahahha!

CONSIDERAÇÕES:
Filler humilde pra explicar um pouco a história do meu char que não foi contada
1350+ palavras. Humildemente desejo 100 de stats (200, dobrado pelo mês do UP) e a qualidade Rastreador (01), já que o filler possui 300 palavras adicionais. Grato

_______________________

[Fillers] Wings Tumblr_mdxwwiaxaH1qjz75jo1_500
Ficha/Treinamentos/M.F
-
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [Fillers] Wings - Ter 24 Jul 2018, 01:03

@
-


Edição de Aniversario por Shion e Senko.