Naruto RPG Akatsuki
Gostaria de reagir a esta mensagem? Crie uma conta em poucos cliques ou inicie sessão para continuar.
Bem-Vindo
Naruto rpgakatsuki
tópicos recentes
Inverno
O fim da guerra trouxe a paz, junto com a oportunidade das vilas prosperarem e crescerem. O Nascer do Sol se aproxima trazendo uma nova leva de Kages que querem expandir seu território. A primeira reunião dos Senhores Feudais está marcada, onde irão debater o futuro de Otogakure, atual colônia de Kumogakure e palco da última Grande Guerra.
11 DG
ShionFundador do RPG Akatsuki, Shion é responsável por manter o bom funcionamento de todas as áreas do fórum há mais de 10 anos. Completamente apaixonado por RPG e escrever, hoje é o principal responsável pelo desenvolvimento de toda a trama desse universo baseado na arte de Kishimoto.
Shion#7417
AngeAnge, mais conhecida como Angell, é jogadora de RPG narrativo desde 2011. Conheceu e se juntou à comunidade do Akatsuki em fevereiro de 2019, e se tornou parte da administração em outubro do mesmo ano. Hoje, é responsável por desenvolver, balancear, adequar e revisar as regras do sistema, equilibrando-as entre a série e o fórum, além de auxiliar na manutenção das demais áreas deste. Fora do Akatsuki, apaixonada por leitura e escrita, apesar de amante da música, é bacharela e licenciada em Letras.
Angell#3815
SenkoSenko, também jogador de RPG narrativo desde 2011, conheceu o Akatsuki em 2017, mas começou a jogar para valer em 2020, destacando-se pela sua prestatividade e suas habilidades em design e programação. É responsável por ajudar na criação de novos sistemas e regras além de fazer a manutenção do tema do fórum.
BlueJay#0529
BahkoBahko joga fóruns narrativos desde 2010. Após ficar muito tempo sem jogar, voltou em 2020 onde encontrou o Akatsuki. Desde então, vem auxiliando o fórum como Narrador, Moderador e Administrador. Fora do fórum, é estudante de Engenharia Elétrica.
fransudo#7724
AkkeyJogador de RPGs narrativos desde 2012, Akkey (mais conhecido entre os players como Akihito) conheceu o Akatsuki em maio de 2020, encantando-se, acima de tudo, pela comunidade afetuosa e acolhedora formada pelos jogadores do fórum. Atualmente, é responsável por auxiliar no desenvolvimento e adequação das regras e sistemas do RPG, manutenção do tema e design do fórum e gestão da área de avaliação de criações. Fora do universo do Akatsuki, Akihito é graduando em Engenharia da Computação e atua profissionalmente como Desenvolvedor de Software.
wyalves#7702

Ícone
Wings
http://narutorpgakatsuki.net









Musuko Kousuke
Devil's Son


Apenas outra monótona noite no vilarejo de Konohagakure. Nada, absolutamente nada de relativo acontecia na minha vida recentemente. E com "relativo" eu faço menção a assassinatos, torturas, perdas de pessoas importantes para mim - se bem que esse último é um tanto quanto improvável - ou qualquer outro tipo de perversidade. Um amplo contingente de pessoas provavelmente ficaria satisfeita em possuir uma vida tranquila, sem adversidades. Infelizmente, o mesmo não se aplica a mim. - Que chato! Já volto, pai. Vou ir brincar um pouco. - disse, me direcionando a um corpo quase que em estado de putrefação, que se encontrava em cima de uma mancha de sangue que já parecia ter secado. Sem me alongar mais, eu saí de minha casa levando comigo apenas as roupas que eu tinha em corpo, além da minha bolsa de armamentos se encontrar presa na minha cintura. Afinal, o futuro é uma incógnita, e talvez uma incógnita que venha a colocar filhotes de animais ou crianças perdidas prontas para conhecerem o "paraíso".

- Oh! Está vazio! Eeeeeeba! - proferi, fingindo certa empolgação, quando enfim cheguei ao Campo de Treinamento. Bem..É claro que estaria vazio, principalmente considerando o horário, que era por volta de 1 ou 2 da manhã. Se não fosse por algumas fontes minuciosas de luz, eu provavelmente não estaria enxergando nada à minha volta. Removi minha jaqueta azul e a taquei com força no chão, não me importando sequer se a mesma teria caído em merda de cachorro ou algum outro local sujo. Trajava, por baixo do casaco, uma modesta regata preta. Meus pequenos músculos, somado ao meu corpo relativamente flácido, agora estavam à mostra. - Se eu não ficar mais forte, juro que mato o papai!Ops.. - falei, irrompendo em uma risada sádica, enquanto que, esbanjando certa destreza, eu abaixei meu corpo rapidamente, me posicionando em posição de "flexão de braço". Dei um leve suspiro, me preparando mentalmente(quem diria) para aguentar a futura dor que meus braços estariam sentindo após o término do treinamento. Feito isso, eu irrompi em uma sequência irrefreável de flexões.  

Essa merda..dói muito. Eu não esperava que fazer flexões de braço doessem tanto. Modéstia à parte, eu me considero uma pessoa "acima da média" em força, em relação às crianças da minha idade. Talvez isso se dê ao fato da maioria das crianças de oito anos estarem brincando com a família, ao invés de estarem realizando flexões no meio da noite. A questão é: eu sequer havia sido capaz de concluir quarenta flexões com êxito, quando a minha meta era algo em torno de cem. Meu corpo desabou, e meu rosto foi de encontro ao duro e frio solo. Eu sentia que faltava algo..Uma motivação. Porra, quem é que precisa de motivação?! O segredo para se conquistar aquilo que se deseja é o ódio. Subitamente, eu vi o "Kousuke" de três anos atrás: inocente, puro..e abusado. "Eu odeio..tudo..Porra!" Minhas unhas, sem minhas ordens, começaram a tentar arrancar o chão abaixo delas, por cerca de três segundos, antes que eu enfim me recompusesse. Fervendo de raiva, eu realizei minhas flexões. Cada "descida" era um fantasma do passado e cada "subida" era uma libertação de tais espectros. Eu havia sido capaz de ultrapassar a minha meta, chegando a realizar 120 flexões. - Ainda não, porra! - Apesar de eu haver concluído o treino, meu corpo não parava. Meus músculos doíam, à medida que eu chegava à fadiga muscular. Eu não sei quantas flexões eu fiz. Talvez 300, quem sabe 400. Tudo que eu sabia era que eu não estava sentindo meus braços.

Apesar da dor, eu ainda tinha que realizar outros dois tipos de treinamento. Eu não podia me dar ao "luxo" de desistir, visto que eu teria que esperar até o dia seguinte - uma eternidade! - para realizar outro treinamento. Ainda caído no chão, com os braços completamente doloridos, eu posicionei meu corpo de uma maneira..estranha. Imagine uma lacraia - sim, uma fuderosa lacraia - se movendo. De maneira semelhante, eu flexionei meus joelhos e empurrei a cabeça(ainda no chão) em direção ao meu corpo. Tal movimentação fez com que eu tivesse sido capaz de me colocar de joelhos sem precisar do auxílio das minhas mãos. Estando de joelhos, me levantar não foi lá um problema. - Que porra é essa escorregando no meu joelho? - Eu estava com medo de ter me mijado, mas a verdade é que um pouco de sangue escorria de ambos os meus joelhos, fruto do movimento que eu havia realizado previamente. Dei um sorriso, observando o sangue escorrer pelo meu joelho. A pouca iluminação, somada à minha imaginação, dava um aspecto "macabro" àquele sangue. Eu podia imaginar qualquer tipo de sangue escorrendo. Desde cabeças sendo cortadas(salve Deus Paulo) até um simples machucado. Era uma pena meus braços estarem doloridos. Eu queria muito mexer no machucado para ver se aquilo me proporcionaria algum tipo de dor. - Hora de correr, porra!

Após dar alguns pulinhos, eu daria início ao meu treinamento de velocidade. Uma característica muito boa, quando se quer infringir danos rapidamente em alguma pessoa e fugir logo em seguida. Eu já sou uma pessoa rápida. Fugia constantemente de meu pai antes de "mandá-lo até Deus". Todavia, sabe como é, né? A vida de ninja faz com que você precise estar em constante desenvolvimento e blabla. Eu dei início à minha corrida. Movia-me de forma engraçada e desestrada, movimentando debilmente o braço, o que acabava fazendo com que eu acabasse perdendo parte da minha postura. Mantendo uma velocidade constante(14m/s), eu realizei inúmeras voltas ao redor do Campo de Treinamento. - Carai..Não vejo mudanças! - Comecei a dar "chutes" na minha perna esquerda, utilizando a perna direita. Era como alguma "auto-punição", se você, amado narrador, estiver com dúvidas sobre o que estava acontecendo. Obviamente, eu acabei caindo. Levando em conta que meus braços ainda estavam demasiado doloridos, eu não apoiei as mãos no chão, indo com a minha face de encontro ao mesmo. Eu até que estava bem. Um pouco de sangue cá ou lá e, COM SORTE, algum dente quebrado. - Oh, forra! - Levantei-me, olhando para minha frente.

- É..um presente dos céus? - Havia uma criança loira, com um pirulito na boca, à minha frente. Devia ter uns 5 ou 6 anos de idade, e sua expressão era tão angelical quanto..um anjo? Ela acenou e começou a correr. - E..Espera, criancinha! - Eu não podia deixar uma presa escapar com tanta facilidade. Eu fui correndo e, à medida que eu acelerava, mais a criança se afastava. Não..Não! Eu já tinha tido o suficiente do meu sangue por um dia! Eu deveria derramar o sangue de outra pessoa! - Volta..AQUI! - Subitamente, eu acelerei, como um animal. Minha velocidade claramente havia superado os 14m/s, chegando em algo próximo de 20. Todavia, a garota desapareceu, sem que eu fosse capaz de alcançá-la. - Eu não acredito.. Eu persegui um fantasma! - disse. Na verdade, eu achava que a garota era fruto da minha imaginação, após eu ter caído de cara no solo. Todavia, um pouco de misticismo é sempre bem vindo nos meus posts.

Tendo realizado dois treinamentos, faltava apenas um para que eu pudesse enfim retornar para casa e contar ao meu pai - ou aos restos dele - tudo aquilo que eu havia aprendido. Meus braços, durante a perseguição ao cof fantasma cof pararam de doer um pouco, acredito eu que tenha sido devido à adrenalina de perseguir um espectro. Assim sendo, eu poderia "desgastar" um pouco minhas mãos em um treinamento de Taijutsu. Me direcionei até a frente de uma espessa árvore, que deveria ter por volta de 4m de altura. Passei a mão pela mesma, e a casca claramente velha deixava claro que aquela árvore era uma "anciã". " Hoje eu vô te deitá na porrada sua árvore do caralho. " pensei, começando a socar a mesma. Dei infinitos combos de socos na árvore, mas a mesma não cedeu. Pelo contrário: minhas mãos doíam bastante. Newton deve estar se revirando no túmulo por eu não ter ciência da lei da "ação e sei lá o que". A cada soco que eu dava na árvore, era como se eu sentisse a força indo contra a minha mão. E, como eu - infelizmente - não era uma árvore, eu acabava sentindo a dor. - Hm vô te deitá na porrada naum hehe. Naum consigu.

Eu estava ficando realmente aborrecido com aquela espécie arbórea. Eu não tinha intenções de derrubá-la, mas queria pelo menos danificá-la um pouco! - Vai.. - Dei um soco na árvore, com a mão esquerda. - ..se.. - Irrompi em combos, realizados com ambas as mãos. - ..f%$! - Nesse instante, realizei inúmeros socos na árvore, sem cessar. Eu estava "ficando" louco! Por sorte, acabei ouvindo um "wreck" e, assim sendo, parei de socar a árvore. Aproximei o rosto da mesma e vi que alguns de meus socos haviam sido efetivos. Eeeba! - Levando os braços aos céus, em tom comemorativo, eu sorri sadicamente. Seguidamente, peguei minha jaqueta e voltei para casa.


Considerações Importantes:
- Aparência: Kousuke Kira, exatamente assim. Hip-pouch presa no lado esquerdo do cinto.
- Importante: Treino para um ponto em força, um em velocidade e um em Taijutsu. Como estamos no mês do up essas porras aí dobram, o que faz com que eu adquira todos os 6 possíveis. Acredito que antigamente havia uma regra de 2 pontos semanais, mas aparentemente não existe mais.
- Em torno de 1500 palavras das 1350 necessárias. Conferi em mais de um site de contador pra ter certeza, mas é claro que você é livre para ver por conta própria Dora
-Todos os verbos no pretérito perfeito não passam de tentativas, cujo único intuito é não deixar o texto saturado com "tentar" e com verbos no pretérito imperfeito.
-Em algum momento do post eu perdi o controle e acabei "exagerando". Não desista de mim. No mais, foi bem divertido fazer esse post UAHUAH
Bolsa de Armas:
+ (10) Kunais
+ (10) Shuriken


HP: 175 | 175  -  CH: 175 | 175  -  ST: 00 | 04


Template By: @MilkWho
Wings
Wings
Nukenin D
Vilarejo Atual
[Treinamentos] Kousuke 100x100

Ir para o topo Ir para baixo

Ícone
Convidado
"Haverá, porém, um limite de dois treinamentos de atributo por semana (cada um podendo conceder no máximo um ponto) e um limite de seis (06) pontos máximos adquiridos deste modo." - Regra de Databook

Ainda está na regra, sorry. O treinamento ficou legal, e você poderá escolher quais atributos vai adicionar quando pedir a modificação na ficha.
Ps: O mês do up dobra e concede pontos extras naquilo que você treinou, se foi em Tai você obtêm 2x Tai. Mas caso chegue ao limite de 5/6 pontos numa área, poderá sim realocar um ponto para outra área.

@Aprovado, mas apenas DOIS TREINOS.
Convidado
Anonymous
Convidado
Vilarejo Atual

Ir para o topo Ir para baixo

Ícone
Wings
http://narutorpgakatsuki.net
HP: ❲ 275 • 275 ❳ CH: ❲ 275 • 275 ❳ ST: ❲ 00 • 04 ❳
Já diziam eruditos pensadores que o conceito de insanidade estava excessivamente atrelado ao ato de realizar as mesmas ações, de novo e de novo, esperando que os resultados mudassem. Bem, quem sou eu para dizer que eles estavam errados? Provavelmente eu seja a pessoa mais insana que eu conheço - presumivelmente devido à minha carência de amizades - e, assim sendo, eu GARANTO que insanidade e atos repetitivos se encontram lado a lado. O motivo é bem simples: - Que chato, papai! Vou ir brincar um pouco. - Você foi capaz de notar a semelhança existente entre o último treino realizado e o atual? Se não conseguiu, não há problemas. A "insanidade" lentamente irá consumir sua mente, quer você queira ou não. É apenas uma questão de tempo. E, a partir do momento que você se habituar com a mesma, não há mais volta. Então eu pergunto: qual a definição de insanidade?

Novamente, era noite quando eu cheguei ao Campo de Treinamento. Me arrisco a dizer que aquele horário era meu preferido, talvez pela falta de som e iluminação, que davam a plena sensação de que a escuridão estava me engolindo. " Hur..Que medo! " Bobagem. Eu não sentia medo de nada. Eu já estou morto. Minuciosamente vivo, talvez. Com o único propósito de levar o caos aos outros. Tendo enfim masterizado minha velocidade - pelo menos aos meus pequenos e esbugalhados olhinhos perturbados - eu deveria focar em outras áreas do saber de um ninja. Era uma decisão complicada, que deveria ser previamente estudada, a fim de que meu corpo atingisse seu máximo potencial. Sendo assim, como escolher? - Uni duni tê o escolhido foi você. Uau, melhorar meu vigor! Uaaaaau, força também. Magníííífico! - Eu não sou o tipo de pessoa que estuda escrupulosamente a maneira como eu devo agir. Tirar a sorte no "dedo" pareceu viável. Sem mais delongas, dei início ao meu treinamento. Levei minhas mãos ao chão, agachando-me, e tornei a tatear o solo, em busca daquilo que procurava. Parei assim que minhas mãos foram de encontro a materiais sólidos e relativamente duros. Não, não era bosta de cachorro ressecada. Posso lhe assegurar isso, pelo singelo motivo de eu tê-las cheirado. Eram pedras, enormes. Minha mão sumia na imensidão daquelas "rochas" e, mesmo sendo uma pessoa forte, isso não negava o fato de que eu estava com dificuldades de segurar as pedras. Era isso, eu incorporaria um treinamento de estamina a um de força, elevando o potencial máximo de meu corpo.

Levei as pedras acima de minha cabeça, que tremiam incessantemente. Se elas caíssem, com certeza isso significaria meu fim. É claro que eu estava torcendo para que elas escorregassem da minha mão e me atolassem, mas é bem mais honrado - não que eu importe com essa merda - morrer lutando contra um ninja do que ser enterrado por duas pedras. Meus músculos se encontravam totalmente contraídos, estavam a ponto de se rasgarem. Como se não bastasse equilibrar as pedras acimas de minha cabeça, mantendo-as inerte no ar, eu fui mais "ousado" em meu treinamento. Fiquei me agachando e retornando à posição inicial, o que demandava muito vigor. Naquele momento, era inegável o fato de eu estar vivo. Meu coração batia a uma velocidade tão impressionante que a "fantasia da morte" apenas permanecia nos confins da minha mente. - Ar..Arrrrrgh! Mas... que MERDA! - Eu me forçava a gritar, por mais que minha boca se negasse. Meu lábio estava ressecado, assim como minha garganta. Eu estava começando a perder as forças, meus joelhos estavam cedendo, como se tivessem sido rompidos. " Vish..Acho que vou morrer kk. " Senti como se meus olhos estivessem lentamente se fechando, e um "flashback" começou a atormentar minhas memórias.

- Esse cabacinho.. sou eu? - Por alguns instantes, eu me vi quando era um bebê, já em casa. Não era exatamente um recém nascido, visto que já andava e sabia mostrar o dedo do meio. Deveria ter meus 2, 3 anos de idade. Minha casa estava..limpa, tanto que chegava a brilhar. Ao longe, estava uma mulher de costas, de frente a uma louça(MAXISTA), creio eu. Não fui capaz de ver seu rosto, mas sabia que era minha mãe. Por algum motivo, eu não estava sentindo ódio, tampouco amor. Estava em um estado de completa neutralidade. - Ei, porra! Onde está a minha comida? - Claro..Meu pai também estava lá. Seu rosto estava turvo, mas eu sabia que era ele: a voz e aquele odor de merda que ele emanava eram característicos de sua pessoa. Obviamente, eu fiquei extremamente nervoso ao ver que - pelo menos em minha mente - ele havia voltado à vida. - Seu filho da puta.. Eu não te mandei pro inferno? - Após desferir essas palavras, eu saí correndo em direção a ele, agindo completamente por impulso. 

E lá estava eu, de volta ao "plano mundano". Eu ainda estava um pouco desnorteado, e não sabia que PORRA estava acontecendo, mas meus joelhos ainda não haviam cedido por inteiro. Agora, como eu iria tirar aquela pedra de cima de mim, que estava quase me esmagando? - Maldito.. - As memórias de meu pai voltaram a minha mente e, à medida que surgiam, mais forte eu ficava. Puro ódio, essa era minha motivação. - Eu não vou..morrer! Ainda tenho que...matar! - Tornei a me reerguer, ainda estando completamente cansado, fui ajeitando os joelhos e, quando minha raiva chegou ao seu patamar extremo, eu taquei as pedras para longe. Estava puto, muito. - Mas que merda! Será que o treinamento funcionou? - Sinceramente, eu sentia a minha respiração mais leve, e meus músculos pareciam ter se desenvolvido de maneira relevante. Sabe-se lá quanto tempo eu passei no meu estado de "visão pré-falecimento". Todavia, é inegável que meu corpo continuou treinando apesar de eu lutar contra a morte.   
「R」



Considerações:
> CARALHO O TEMPLATE BOLADO DO LEITEQUEM BUGOU AQUI DEU MERDA PERDI TUDO REESCREVI AAAA
Treino para um ponto em força e um em stamina, nobre narrador. Mediante o fato de que está rolando mês do up, essas porra aí dobram.
952 + palavras, testadas em 4 diferentes sites de contadores. Se quiser, pode levar em conta que eu escrevi 450 palavras a mais sem motivo no treino anterior uahah
Abraços.
Itens:

Bolsa:

    •Kunai 10•Shuriken 10



_______________________

[Treinamentos] Kousuke Tumblr_mdxwwiaxaH1qjz75jo1_500
Ficha/Treinamentos/M.F
Wings
Wings
Nukenin D
Vilarejo Atual
[Treinamentos] Kousuke 100x100

Ir para o topo Ir para baixo

Ícone
Convidado
@
Convidado
Anonymous
Convidado
Vilarejo Atual

Ir para o topo Ir para baixo

Ícone
Conteúdo patrocinado
Conteúdo patrocinado
Vilarejo Atual

Ir para o topo Ir para baixo

Ir para o topo


 
Permissão neste fórum:
Você não pode responder aos tópicos