:: Mundo Ninja :: Mapa Mundi :: Iwagakure no Sato :: Campo de Treinamento
12 Anos Online
O Nascer do Sol
Arco 01
Ano 12 DG
Inverno
Após a cisão que uniu o mundo, a separação de espólios pós-guerra pareceu muito promissora, mas mais para uns do que para outros. Kumo tomou como parte de seu território uma terra pequena que para muitos não tinha nada, mas, após uma investigação minuciosa feita por ninjas enviados pelo próprio Daimyou do Fogo, foi descoberta a vantagem que Kumo tinha em mãos: estavam em posse, ainda com vitalidade, do corpo de Hashirama Senju, este que foi considerado o maior shinobi em sua época. O Fogo começou uma campanha pessoal para descobrir mais sobre isso, o que acabou culminando em uma grande reunião entre os Senhores Feudais. Mas, no fim, sem nenhum acordo que fosse bom para todos os lados, uma declaração de Guerra Mundial foi feita, e o campo de batalha escolhido foi Otogakure. Forças do mundo inteiro estão agora marchando para Oto para travar aquela batalha que pode destruir toda a paz que foi conquistada há 10 anos.
... clique aqui para saber mais informações
Shion
Fundador do RPG Akatsuki, Shion é responsável por manter o bom funcionamento de todas as áreas do fórum há mais de 10 anos. Completamente apaixonado por RPG e escrever, hoje é o principal responsável pelo desenvolvimento de toda a trama desse universo baseado na arte de Kishimoto.
Shion#7417
Angell
Angell é jogadora de RPG narrativo desde 2011. Conheceu e se juntou à comunidade do Akatsuki em fevereiro de 2019, e se tornou parte da administração em outubro do mesmo ano. Hoje, é responsável por desenvolver, balancear, adequar e revisar as regras do sistema, equilibrando-as entre a série e o fórum, além de auxiliar na manutenção das demais áreas deste. Fora do Akatsuki, apaixonada por leitura e escrita, apesar de amante da música, é bacharela e licenciada em Letras.
Angell#3815
Oblivion
Oblivion é jogador do NRPGA desde 2019, mas é jogador de RPG a mais de dez anos. Começou como narrador em 2019, passando um período fora e voltando em 2020, onde subiu para Moderador, cargo que permaneceu por mais de um ano, ficando responsável principalmente pela Modificação de Inventários, até se tornar Administrador. Fora do RPG, gosta de futebol, escrever histórias e atualmente busca terminar sua faculdade de Contabilidade.
Indra#6662
Salvatore
Salvatore é parte da comunidade de RPG narrativo desde meados de 2013. Conheceu o Akatsuki nessa época, mas começou a fazer parte como jogador ativamente em 2021, sempre com muita dedicação e compromisso com o fórum. Hoje, atua no fórum como narrador e administrador, focado nas partes administrativas do ON. Fora do fórum se considera um amante de futebol, adora cozinhar pratos exóticos e é estudante de Engenharia Civil.
Salvatore#1234
Sr. L
Sr.L apelido recebido pelos players do fórum, devido ao seu sobrenome Sinhorelli, joga em fóruns narrativos desde 2010. Encontrou o Akatsuki no final de 2020, mas manteve-se ativo no início de 2021. Desde então se empenhou como player e se sentiu na obrigação de ajudar os demais e hoje auxilia o fórum como Narrador, Moderador e Administrador. Fora do forum, trabalha e possui formações acadêmicas, voltadas a área de gestão de pessoas.
Sinhorelli#1549

[Treino] Khada Jhin NgA3jhl

Maximilien
Chūnin
Maximilien
Vilarejo Atual
[Treino] Khada Jhin NgA3jhl

[Treino] Khada Jhin - Publicado 26/6/2018, 04:15

Taijutsu


Aquela vila era demasiada quente para o meu gosto, o sol escaldante junto ao árido dos ar me incomodava bastante, por ser um lugar bastante diferente de minha terra natal seria obvio o descontentamento, já morava ali a mais de dez anos mas nunca me adaptei de verdade. Gostava bastante do frio do país do ferro, principalmente quando a neve caia dos céus, era uma cena de encher os olhos. Iwa só tem pedras, rochas, areia e mais areia, a essa altura teria inveja de meu pai que nunca precisou vir morar aqui, forçadamente já que não poderia largar o seu dever.
Era um dia quente como todos os outros, mesmo no inverno o suposto frio que estava na vila não seria-me nem o suficiente para colocar um casaco ou me cobrir mais que o costume. E como de costume acordava cedo para iniciar mais um treinamento, pegava minhas coisas e então partia ao campo na qual ia todas as semanas, um local na onde passava um córrego para assim amenizar o calor, mas não se enganem, de longe seria o suficiente para que o termômetro diminuísse um grau sequer, mas já era melhor que conviver com aqueles arenitos sempre a caírem em seu rosto, como era de costume em grande parte dos lugares por ali. Não era muito longe de casa, principalmente para a minha velocidade, não era de me gabar, mas para um recém formado na academia ninja minha velocidade era de fato surpreendente. Como especialista em combate corpo a corpo já era rotina de meus treinamentos melhorar meu condicionamento físico, para tornar mais fácil meu movimentos em combate, que aliados a minha velocidade, seria um terror para quem me enfrentasse. Ao chegar no local daria inicio ao meu treinamento de imediato, fazia alguns alongamentos para aquecer os músculos e pegaria de minha bolsa alguns pesos que seriam colocados aos meus pés e braços, iniciando uma sequencia de socos e chutes no ar e, permaneceria a faze-los até que não aguentasse mais.
Trinta minutos depois os chutes começavam a tomar um ritmo bem devagar, nem parecia a mesma pessoa que me gabava de minha velocidade minutos atrás, isso se dava ao fato de apesar de forte minha resistência também estava longe do ideal, mas o foco agora seria melhorar meus movimentos. Já não suportaria mais continuar a socar e chutar o ar com todo aquele peso me privando, foi quando os tirei para assim sentir a diferença, e bota diferença nisso, após tirar os pesos e iniciar novamente a mesma sequência de golpes que anteriormente, perceberia a fluidez de meus movimentos, parecia ter tirado quinhentos quilos de meu corpo, conseguia socar e chutar por perfeição, até mesmo mais rápido que anteriormente. Notei que o treinamento havia de render bastante, então decidi dar uma pausa para tomar uma água, mas uma cede ainda maior me tomava conta, a sede de assucar. Corria desesperando pelas ruas em busca de algo que pudesse mesmo que momentaneamente adocicar minha boca.

Considerações:
- 498 palavras
- +2 ponto em taijutsu devido ao up.

_______________________

[Treino] Khada Jhin Source
—— 弱さと真実は「隠されて」います。永遠の休息は失われます。
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [Treino] Khada Jhin - Publicado 26/6/2018, 09:44

@app
[Treino] Khada Jhin NgA3jhl

Maximilien
Chūnin
Maximilien
Vilarejo Atual
[Treino] Khada Jhin NgA3jhl

Re: [Treino] Khada Jhin - Publicado 26/6/2018, 14:41

Força


Por sorte minha busca pelo assucar levou-me a uma criancinha, que teve a gentileza de me dar um pirulito, já seria o bastante para saciar meu vício, até que aproveitei da boa vontade do jovem lhe pedi outro, já que aquele não duraria muito, com uma gentileza fora do normal o garotinho não deu-me não só mais um e sim mais dois. Certamente tal gentileza deveria ser recompensada, mas não tinha nada em mente para dar ao garoto, até que o convidei para presenciar uma sequencia de treinos, talvez aquilo de alguma forma o divertiria, até agora eu não sei se o mesmo aceitou com gentileza ou educação, pois até ali não havia recusado nenhum pedido meu. Não era muito longe dali e no breve caminho fui conhecendo melhor o garoto que tinha apenas cinco anos de idade e a bondade já aflorava em seu coração mesmo tão cedo.

Como sempre daria inicio com uma mais do que breve alongada, apenas para soltar a muscula. Seria um treino bem diferente já que devia encontrar meios de impressionar o garoto de alguma forma, esse que se sentou e não tirava os olhos de mim. Oque mais impressiona uma criança se não a demonstração de força? Pelo menos foi no que havia pensado, mas minha força não era nem um pouco impressionante, para minha má sorte. Juntaria o útil ao agradável pois um treinamento de força não cairia nada mal. Procurei então um rocha, oque não era nem um pouco difícil de encontrar por ali. Peguei uma que fosse grande, talvez nem fosse capaz de carrega-la mas o treinamento seria para que no fim fosse possível. Não impressionei em nada o garoto quando falhei nas minhas primeiras tentativas de mover a rocha, uma leve risada vinda do garotinho poderia ser ouvida. Foi quando cravei meu dedos com tanta força naquela rocha que pequenas rachaduras se formou em volta, e um com explosão no movimento consegui em fim levanta-la, o semblante do garoto mudou no mesmo instante, estava boquiaberto. Mas não terminaria ali, consegui levanta-la mas a segunda parte era move-la, mas passos mais do que lentos conseguia sair do lugar com uma dificuldade imensa, naquele momento nem sabia mais oque fazia parte do treinamento, só queria que aquele garoto de alguma forma saísse feliz ou no mínimo impressionado, e até a momento estava conseguindo. Minha força não foi o suficiente para move-la muito mais que dez passos a frente, quando no limite a levei ao chão novamente. Fio curioso que o garoto após ver meu esforço disse que na próxima me ajudaria, foi quando se aproximou da rocha a abraçando e no ato curioso tentou levanta-la, no caso eu o ajudei na tarefa, parecia muito mais leve agora, não pela ajuda do garotinho mas sim por sentir que minha força já não era igual anteriormente. Naquele dia além do treinamento bem sucedido, conheci uma peça rara que certamente se tornaria uma grande pessoa no futuro.

Considerações:
- 490 palavras
- +2 ponto em força devido ao up.

_______________________

[Treino] Khada Jhin Source
—— 弱さと真実は「隠されて」います。永遠の休息は失われます。
Inútil...

Kaginimaru
Jōnin
Kaginimaru
Vilarejo Atual
Inútil...

Re: [Treino] Khada Jhin - Publicado 26/6/2018, 16:28

@

_______________________


"."
[Treino] Khada Jhin NgA3jhl

Maximilien
Chūnin
Maximilien
Vilarejo Atual
[Treino] Khada Jhin NgA3jhl

Re: [Treino] Khada Jhin - Publicado 1/7/2018, 03:50

Força e Stamina


Havia evoluído bastante em minha arte samurai, se é que poderia ser chamado como tal, já que ainda estava a amadurecer e sinceramente estava bem verde ainda. E tinha a devida noção disso, e pecava em alguns atributos que me sentia na obrigação de evoluí-los. Havia me equipado prontamente para sair de casa, vestido com roupas leves de treino, prendi meus dois tornozelos com pesadas bolsas contendo cimento e chumbo. Os braços também haviam sido carregados com o peso, tanto nos pulsos quanto nos bíceps. O dorso foi enrolado também com alguns sacos carregados de areia, para garantir que todo o peso extra estaria bem equilibrado em relação ao todo com sua coluna. Cada um dos membros com um peso extremamente avantajado, que dificultaria a movimentação de um humano comum ao extremo. Contudo, estava acostumado com o treino pesado e assim que alcancei o campo de treinamento, me colocou a correr.

Minhas pernas se colocaram em movimento, enquanto transferia chakra de seu corpo para elas, de forma que pudesse de alguma maneira compensar o peso e trabalhar mais os músculos com eles reforçados pela energia vital de meu corpo. Meu movimento foi veloz, conforme corria pelo campo aberto a aceleração aumentava, resistindo duramente ao peso. Então me aproximei de uma pedra e saltei sobre ela, sendo obrigado a usar uma imensa força para propulsionar-me para cima. Senti dores nos músculos da panturrilha, da coxa e da lombar, mas não havia tempo para ceder a meras dores. A corrida continuou, enquanto me esforçava ao máximo para contornar pedras, vencer subidas mais íngremes e elevar ainda mais minha resistência e força.

"Há apenas um caminho e ele só é revelado aos mais fortes. Os demais, não seguem caminhos, giram em círculos e por isso merecem a aniquilação", lembrei-me da fala de meu pai, reforçando ainda mais a mente com determinação. Continuei minha rápida movimentação, dessa vez, juntei as mãos e concentrei ainda mais o chakra nos pés, fazendo-os emitir uma energia única, propagada através da sola para o chão, aumentando ainda mais a sustentação, mas o mais importante, dando-me a capacidade de andar sobre a água. Um lago estava a diante e assim que pisei sobre a superfície fluida e flexível, senti a mudança em minha força, uma vez que a água dispersava a energia mecânica de maneira mais eficiente, obtinha menos impulso. Para compensar, aumentei ainda mais a energia que saía de meus pés e a velocidade cresceu, conforme chakra tornava a água abaixo ainda mais estável.

Com a grande corrida realizada, começava a sentir os primeiros sinais de cansaço pulmonar atacar meus órgãos. O ar parecia-me como um veneno pulsante e ácido, queimando minhas narinas e vias respiratórias, lutando para entrar e sair dos pulmões e velocidades sobrehumanas para restaurar a força do corpo. O meu suor fluiu pelo rosto, deixando-me brevemente tonto e senti minha cabeça doer devido ao imenso esforço. Quando finalmente parei, os pesos em meus tornozelos, braços e dorso pareciam estar duas vezes mais pesados e os músculos começavam um processo de fadiga.

Aquele circuito havia custado caro no dia seguinte, com muitas dores oriundas do acúmulo de ácido lático entre as fibras musculares, que indicava ao corpo a necessidade de descanso ao mesmo tempo que buscava uma solução para o incrível esforço se tornar menos necessário. Fiz daquilo um hábito comum, sendo que a cada dois dias, realizava o mesmo circuito pelo menos uma vez por dia, aumentando a quantidade de peso nas bolsas amarradas em meu corpo de maneira a entregar a ele resultados ainda maiores e mais significativos. Semanas de treinamento usando aquele circuito, tornaram-me relativamente mais forte e durável, mas também, o tornaram mais previsível, visto que sempre acabava seguindo o mesmo padrão de treinamento ao longo do dia, condição necessária para um desenvolvimento constante no campo que abrangia a musculatura e resistência cardio-pulmonar, mas que para um ninja podia ser uma armadilha, visto que a previsibilidade era sempre um convite a causalidade de um confronto.

O treinamento físico e muscular era acrescido todos os dias pelo carregamento de pesadas massas de pedra, as vezes aparados de ferro, troncos e qualquer outra maneira de desenvolver maior força. A resistência dos músculos era trabalhada intensamente por meio de exercícios de calistenia que eram alongados para longos minutos para cada grupo de músculos. Tamanho enfoque físico fazia parte de minha natureza e me sentia a vontade com a exaustão, até entendendo ela como uma espécie de recompensa para feitos de tremendo esforço e desenvolvimento. Era também a natureza dos Samurais se tornar mais forte e mais feroz. Para cada novo dia em que forçava meus limites, mais temido ficava, como se expandisse sua influência de acordo com o dano que podia causar.

Após longas e exaustivas semanas me sentia em meu limite onde continuar com tal rotina não me faria evoluir em mais nada, talvez outro tipo de treinamento fosse-me necessário ou já tivesse chegado ao cume de minha força. Me sentia veloz o bastante para correr quilômetros, forte o bastante para partir o aço, hábil o bastante para dominar todas a habilidades físicas imagináveis e resistente o bastante para fazer tudo isso sem uma gota de suor. Mas isso era apenas questão de confiança, pois sabia que apesar de me sentir de tal maneira me restava muito a evoluir, e que apesar de demonstrar tal força talvez não seria o possível para derrotar qualquer inimigo. Mas isso quem responderá será o tempo.

Considerações:
- 909 palavras
- +2 pontos em força devido ao up.
- +2 pontos em stamina devido ao up.

_______________________

[Treino] Khada Jhin Source
—— 弱さと真実は「隠されて」います。永遠の休息は失われます。
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [Treino] Khada Jhin - Publicado 1/7/2018, 03:55

@
[Treino] Khada Jhin NgA3jhl

Maximilien
Chūnin
Maximilien
Vilarejo Atual
[Treino] Khada Jhin NgA3jhl

Re: [Treino] Khada Jhin - Publicado 8/7/2018, 14:29

Ninjutsu e Inteligência


Iwagakure estava agitada como sempre, mesmo naquela tarde de outono. O atual clima estava quase em seu fim, apenas estava dando passagem para a chegada do inverno. Muitos desgostam do frio que a próxima estação traz contigo, principalmente por morarem em Iwa, mas para mim que viveu durante muito tempo no frio do País de Ferro, o inverno era o ideal. Apesar do frio não se comparar a de minha terra natal, é muito mais reconfortante o clima ameno que o calor que iwa proporcionava durante quase todo o ano.

Como maior conhecedor de minhas próprias fraquezas, fui naquela tarde para uma das várias montanhas que cercavam o vilarejo, como sua defesa natural contra invasões. Levei comigo diversos pergaminhos e, claramente, mantimentos para passar o dia em exílio. O caminho até a montanha foi um pouco mais difícil do que o esperado, tive de lidar com um terreno íngreme e as vezes mais escorregadio do que o normal. Os ventos gelados que açoitavam aquela montanha era a indicação que o inverno não tardaria.

Finalmente havia chegado aonde queria, havia uma caverna abandonada ali que antes era usada para treinar os novatos, algo como um rito de passagem para tornarem-se guerreiros aptos. Soltei minha mochila das costas escorando ela em uma das paredes da caverna, tirando alguns pergaminhos antes. Estendi alguns pergaminhos pelo chão e me sentei próximo deles. Neles, escrituras de selamentos estavam impressas, provenientes de algum fuinjutsu preparado previamente. Encostando minhas mãos em um deles, fechei os olhos e concentrei meu chakra, liberando faíscas pelos meus braços em proporções cada vez maiores até que o selo do makimono ativou-se e selou as faíscas.

Uma gota de suor escorreu do meu rosto graças ao estresse colocado sobre mim para a ativação da técnica, tentei outra vez, colocando boa parte do meu chakra em uma execução de Raiton. As proporções da explosão elétrica se tornavam cada vez maiores antes de serem seladas pelos pergaminhos, a intenção era praticar o ninjutsu sem afetar a caverna, afinal, os sinais de destruição ficavam claros para qualquer um que passasse pelas áreas de treinamento. Inúmeras vezes pratiquei o simples ato de focar meu chakra e usá-lo livremente antes dos pergaminhos selarem-no, como se acostumasse meu corpo a usar aquela energia como parte de si – como um braço, perna, etc.

Depois de algumas horas, fiz uma pausa para descanso e para repor as energias, comendo a marmita que trouxera na mochila. Depois de comer, um bom descanso repôs minha energia e estava pronto para outra sessão. Não praticaria mais com pergaminhos, estava na hora de ver minha evolução depois do treino, então saí da caverna e segui para o pico da montanha. Lá, depois de alguns selos liberei uma grande descarga elétrica que se assemelhou com um raio que partiu de mim e mirou os céus, dissipando uma nuvem ali próxima. Retornei para casa logo após feliz pelo progresso.


Estava um dia lindo como de costume na vila da pedra, era Outono e as folhas caídas no chão davam um tom mais calmo para a vila que era sempre tão agitada. Os moradores varriam as suas calçadas e saíam para trabalhar já cedo, talvez fosse por volta de sete horas da manhã. Como eu sabia disso tudo? Bom, meus ouvidos nunca me deixaram na mão e serviam tão bem quanto um par de olhos. Caminhando pelas ruas de Iwa, decidi dar uma passada na grande biblioteca da vila, afinal nunca se é tarde para expandir seu conhecimento e um shinobi deve estar sempre preparado para todas as adversidades, então seria bom um pouco de estudo.

Dirigi-me até a biblioteca do vilarejo, afinal, tinha um objetivo naquela manhã calma. Ser um samurai significa ter conhecimento das artes ninjas também e aperfeiçoá-las para lutar por aquilo que se acredita, defendendo seus companheiros. Já na biblioteca, eu ouvia os murmúrios com atenção, algo sobre o que um samurai a trajar um chapéu de palha está fazendo em um local como aquele. Não dei bola, atitudes valiam mais que palavras ao vento. Conversando com a atendente do lugar, reservei uma sala com acústica boa, onde não seria interrompido, levando comigo uma montanha de livros – todos sobre artes shinobi. Muitos julgariam erroneamente que um samurai precisaria apenas de sua espada, é bem verdade que para muitos sim, mas a especialidade dos samurais do Pais do Ferro é o controle de chakra em suas lâminas e a arte shinobi sabe muito bem usa-la.

A espada na bainha ficava pendurada no cinto, enquanto eu empenhava toda minha força em carregar o material para o quarto reservado. Ao chegar lá, debrucei-me nos estudos. Os livros eram todos grandes, grossos e velhos. A leitura era esclarecedora para alguém como eu, mas de certa forma somente ler não melhorava em nada minhas habilidades, embora expandisse meu conhecimento de maneira assustadora. Graças a uma facilidade de aprender coisas novas, todas as informações que eu julgava importante eram gravadas em minha mente depois que eu as convertia em minhas próprias palavras e memorizava palavra por palavra. Haviam livros sobre diversas coisas; artes ninjas, como Ninjutsu, Genjutsu e Taijutsu. Haviam também artes medicinais, como o iryo’ninjutsu e anatomia humana (apenas o básico do básico). Alguns livros dedicavam-se somente a artes marciais, focadas no Taijutsu e no Nintaijutsu, tais como vertentes que usavam armas – o Kenjutsu, por exemplo, a minha especialidade. Conhecer todas aquelas informações era de extrema importância, já que conhecimento era uma arma valiosa em um campo de batalha. Saí da salinha outra vez com todos os livros, entregando-os na recepção e deixando a chave alugada – partindo em seguida.

Considerações:
- 935 palavras
- +2 pontos em ninjutsu devido ao up.
- +2 pontos em inteligência devido ao up.

_______________________

[Treino] Khada Jhin Source
—— 弱さと真実は「隠されて」います。永遠の休息は失われます。
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [Treino] Khada Jhin - Publicado 8/7/2018, 14:52

@
Conteúdo patrocinado
Vilarejo Atual

Re: [Treino] Khada Jhin - Publicado

Resposta Rápida

Área para respostas curtas