>
Naruto RPGAkatsukiNão é o único, simplesmente o melhor!
Arco 11:
Reino de Lilith: PesadeloAno: 71DG
Após uma dura jornada, Shaka finalmente caiu e teve a maldição retirada de seu coração. No entanto, os problemas trazidos pela família Hattori não se extinguiram. Shion revelou ter ajudado a libertar Lilith, uma monarca da dimensão infernal, que agora está possuindo o corpo de Hyuga Katsura e libertando uma horda de seres infernais contra este mundo. O mundo corre risco de ser consumido pela maldade dessa criatura, mas não se o plano de Shion der certo: forçar Lilith a causar um evento chamado de O Grande Eclipse, onde as portas de todos os mundos e dimensões ficarão abertas, e assim permitir a ele ir ao submundo resgatar sua amada Katsura Grey para finalmente selar Lilith.
Sumário
Mapa
Staff
Discord
Facebook
Contos
Estação: Inverno
Últimos assuntos

Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

[ Filler ] Hitsugaya, o prólogo - 20/6/2018, 23:18

Ice king, a história

O despertar sempre era uma das mais consagradas tarefas de um shinobi, no entanto, para isso era necessário antes dormir e Hitsugaya com certeza não teria dormido na noite passada, nem na anterior, já fazia exatos três dias em que não permitia grudar os olhos e repousar, torturava-se em insônias cercado dos mais profundos pesadelos. Naquele dia, em especial, lembrava-se do dia em que a guerra contra seu vilarejo teria ocorrido, cada detalhe, fato, ou palavra ressoava sobre sua cabeça, lhe atormentando quase que eternamente. Lagrimas desciam de seu rosto, soluçava em meio ao choro, lembrando-se mais uma vez como aquilo teria acontecido, assimilando de vez os fatos ditos por Rika.

Estava bastante frio naquela noite, Hitsugaya estava em seu quarto, um pequeno quadrado com uns vinte metros de perímetros. Deitado em sua cama observava através da janela as estrelas no céu, sonhando com um falso futuro, se via como um ninja respeitado, um herói, a multidão gritava o seu nome e aplaudiam seus feitos, era endeusado, seu nome trazia esperança e sua sombra expulsava os males presentes. O herói dos heróis, um ninja de força divina e de semblante sagrada. Mas eram apenas sonhos de crianças, sonhos prontos para serem despedaçados.

Na primeira hora da madrugada tudo ainda se encontrava bastante tranquilo, seu pai abria a porta e sentava no lado de sua cama, observando-o enquanto lhe fazia caricias — Meu herdeiro, saiba que você é aquilo que mais importa para mim, o que farei hoje, é em seu nome — sussurrava, evitando acordar o pequeno filho, que já se encontrava acordado, mas fingia dormir. Mas um sorriso escapou, um sorriso brilhante que, mesmo que não fosse o herói que sonhava, foi o suficiente para expulsar todas os pensamentos negativos de seu pai, lhe dando uma nova perspectiva da fragmentada realidade.

— Pai, para onde vai? — perguntou o menino, o vendo partir, o pai com um sorriso tocou sua espada — Irei a guerra, volte a dormir — respondeu, empurrando a porta que gradualmente foi fechando, apagando a imagem de seu sorriso, ali, naquele momento, Hitsugaya sentiu um frio por toda sua barriga, sua mãe aparecia e mesmo que demostre um semblante triste sorriu — Venha Hitsugaya, hoje você dormirá com a mamãe — empurrou. Hitsugaya, junto a sua mãe, dormiu num quarto subterrâneo da casa, que estranhamento estava bastante arrumado, uma pequena mala estava por debaixo da cama, e uma espada do lado dela, para uma criança esperta foi fácil notar o que se passava.

No meio da madrugada, as três da manhã, os demônios se libertaram pelo vilarejo, ali propagaram os seus mandamentos arrancando a força a vida do povo, nem as crianças eram poupadas diante da tamanha crueldade. O cheiro de fogo se espalhou, os gritos nem ao menos conseguiam ser abafado, sua mãe apenas se levantou e pegou a espada — Te amo filho, durma logo, pois amanhã iremos para um passeio especial — disse a mulher, com um sorriso falso que depositava por cima de suas últimas palavras. Em meio a lagrimas ela deixou o quarto, correndo para a guerra, caminhando para a morte.

O partigiano, portami via
O bella ciao, bella ciao, bella ciao, ciao, ciao
O partigiano, portami via
Ché mi sento di morir

Esperou acordado, a cada segundo, minuto, hora passar. Como um obediente filho cumpriu a ultima ordem da mãe, e esperou que ela e seu pai voltasse, a qualquer minuto, abrindo a porta e levando-o para um passeio especial, mas não aconteceu, mesmo que esperasse por exatos três dias e três noites eles não voltaram, e foi, já morrendo pela fome, que resolveu deixar o quarto que lhe separava de todo o massacre destrutivo. Com os olhos enxaguado de lagrimas, abriu a porta e se permitiu enxergar a massacrante realidade, caindo imediatamente no chão sem forças para enxergar a toda destruição, em sua frente estava o corpo de sua amada mãe, perfurado por cerca de dez flechas e atravessada por uma espada.

O corpo do menino não se manteve em força, caiu sobre o sangue seco e se recolheu em doloroso choro, um grito agudo foi espalhado por toda a floresta afastava os animais que se achegavam com o cheiro, milhares de mortos, da família aos amigos. Hitsugaya, ali, caído, pensou em desistir, aceitando a própria derrota humana e desgraça que recaiu sobre sua vida, um herói? Não existiam, qualquer que fosse a tentativa de se tornar um, era baboseira humana que se subjugava em puro ego. Mesmo não crendo em herói, foi salvo por uma espécie de um, um pequeno lobo que lhe arrastou pela própria carne dali seu corpo desfalecido pela falta de comida nem ao menos se mantinha em pé, mas graças aquele pequeno animal, sobreviveu.

Hitsugaya não se lembra bem o que aconteceu após o animal lhe arrastar, mas acordou num vilarejo menor que lhe deu abrigo, lhe ofereceram um pequeno prato de comida e lhe permitiram ficar durante uma semana, restaurando um pouco de suas forças. No entanto, o mesmo que lhe abrigou lhe açoitou cobrando a serviços, eles não o ajudaram, eles apenas queriam a um escravo. Na penumbra da noite o ninja realizou uma das suas primeiras proezas de sobrevivência naquele mundo, pulando a uma janela e deixando de vez aquele pacato lugar. Demorou bastante, mas conseguiu despistar a todos.

Dali sua vida continuou, se lembra de passar pelos mais diversos locais, receber os mais diversos treinos e conhecimentos. Era uma criança esperta, e seus pensamentos eram como de um criminoso, sua determinação como de um caçador, seus conhecimentos como de um sábio e sua determinação jamais se apagaria, enquanto a história de seu povo ainda repousasse em sua cabeça. Konohagakure foi o ultimo lugar que encontrou em sua viagem, recebendo abrigo permanente e ajuda do governo para se abrigar, lá estudou e se graduou como genin, e alguns anos depois se graduou como jounin.

Essa história jamais seria esquecida, na atualidade, enquanto olhava as estrelas, Hitsugaya revivia cada pedaço dela, buscando e tentando entender onde errou, mas uma resposta final jamais seria alcançada, por isso, o mundo deveria pagar com seus próprios filhos, suas regras deveriam ser reformuladas, o mundo precisava de um novo criador.

HP: ❲375 • 375) CH: ❲1250 • 1250❳ ST: ❲01 • 04❳
Considerações:
Aparência: Toshiro Hitsugaya (Bleach), com essas vestes.

Nota: 1024 palavras = +100 de status (2x mês do up)
-
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [ Filler ] Hitsugaya, o prólogo - 20/6/2018, 23:53

@
-


Edição de Aniversario por Shion e Senko.